PplWare Mobile

Portugal: Carregamento dos carros elétricos terá taxa mensal de 2,85€?


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. ABS says:

    Isto é inacreditável, enquanto outros países andam a dar bons incentivos a compra de um eléctrico, os políticos deste país já andam a pensar em como podem ir buscar mais uma taxa. ERA A DEMISSÃO DE TODO O PARLAMENTO E RECOMEÇAR TUDO DE NOVO, QUEM JÁ LÁ ESTEVE NÃO VOLTAVA MAIS, SANGUE NOVO COM IDEIAS BOAS E NOVAS PARA OS PORTUGUESES, ESTOU FARTO DESTA GENTE…

    • Joel says:

      Mesmo que isso fosse possível, não iria fazer grande diferença, os livros sãos os mesmo.

    • Nuno says:

      Se calhar em vez de estar a reclamar com os políticos, deverias ter votado com consciência em quem defende is réus direitos, isso é se chegaste a votar.

      • Miguel says:

        Eu voto sempre e não tenho preferência, mas tens de admitir que não é fácil…

      • Vitolas says:

        E qual era o partido politico que defendia por exemplo ao fim da contribuição para o audiovisual nestas ultimas eleições?

        Nenhum,portanto mesmo tendo votado ou não,neste caso em especifico não faria diferença..e mais,quem tiver carros eléctricos e usar este sistema de carregamento vai pagar duas vezes a mesma taxa.

        • Nuno says:

          Primeiro, eu não concordo com o término da contribuição áudiovisual, e o partido que defendesse tal não teria o meu voto, pois estaria interessado na destabilização dos serviços públicos de áudiovisual para a sua posterior privatização. O problema de Portugal não está nos impostos. O maior problema está nos ordenados de miséria e onde esses impostos são aplicados.

      • ABS says:

        voto claro, mas tu deves ser daqueles que vota sempre, e sempre no mesmo como se de um clube se tratasse, mesmo quando o partido faz asneiras atrás de asneiras e rouba os portugueses… o que interessa é que haja uns almoços e um bailarico com autógrafos pelo meio, vai dar lições de moral a outro pá!!

        • Nuno says:

          Não, não se trata de um clube. Nem muito menos vou a almoço ou bailaricos de partidos. Voto no partido que apresentam leis que defendam os interesses do povo, bem como votam farovavelmente em leis de outros partidos que seja do interesse comum.

  2. Filipe Coelho says:

    And so it begins… Hoje é 2.85€ mensais, para a semana é por carregamento, depois acrescenta mais isto mais aquilo…

    • Luís Carlos Oliveira Santos says:

      Tens a noção que é só nos postos de carregamento nao em casa.Um carregamento rápido de vez em quando não faz muita diferença acho eu.

      • Miguel says:

        Desculpa, mas ele tem razão…
        Hoje em dia pagas por exposição solar da tua casa, começou pelo TEU terreno ser em Portugal, olha onde já vamos…
        Para não falar dos impostos nos carros, começou com um, agora pagamos x impostos só para poder circular e a cada reabastecimento tb

  3. Filipe says:

    Concordo com taxa por carregamento. Senão vejamos: uma pessoa que possua um carro a gasolina/gasóleo, quase que tem que vender um rim para conseguir abastecer o depósito durante um mês. E quem tem um eléctrico abastece “de borla”, anda 100 quilómetros com 2€, e o resto dos contribuintes ainda terá de contribuir para o que eles gastam, mesmo não tendo nenhum veículo eléctrico? Isto é mesmo a gozar com as pessoas.
    É isto e falar nas coisinhas de “amigo do ambiente”… O gasto equivalente em combustíveis fósseis utilizados num carro “normal”, não chega para cobrir a fabricação da energia que um menino destes consome no mesmo tempo que dura o depósito. Já para não falar na poluição que já se gerou nas fábricas onde se produziu. Amigos do ambiente? Só para quem acreditou na lavagem cerebral, e serão mesmo esses que irão responder ao meu comentário.

    • Miguel says:

      Isto não é uma mensalidade para usar o serviço. Isto é uma taxa extra!
      Se amanhã decidem que o abastecimento para de ser gratuito, os donos de carros eléctricos vão passar a pagar esta taxa para além da electricidade que gastarem.

    • Joaquim Pedro says:

      Não é por haver uma taxa abusiva nos combustíveis fósseis, que justifica a aplicação de uma taxa descabida nos elétricos, sendo eles até mais caros.
      (Já agora, continuo a preferir um bom carro a gasolina)

    • Rui Costa says:

      Pelos vistos não sabes ler. A taxa de 2,85 € (sem IVA) é para financiar o serviço público de televisão e rádio. É cobrar mais uma taxa para financiar algo que não tem qualquer relação com o produto em si!

    • Marco says:

      “lavagem cerebral”… vamos ver então!

      “O gasto equivalente em combustíveis fósseis utilizados num carro “normal”, não chega para cobrir a fabricação da energia que um menino destes consome no mesmo tempo que dura o depósito.” – Não estás certamente a contar com o gasto de energia e poluição gerados na extracção e refinamento dos combustíveis fosseis certo? ou és daqueles que acha que o petróleo vai directo para o deposito?

      “Já para não falar na poluição que já se gerou nas fábricas onde se produziu.” – Porque os carros a gasóleo e gasolina não poluem durante a sua produção certo?

      E só para te dar uma novidade, a produção de energia renovável em Março em Portugal ultrapassou o consumo… quer isto dizer que pelo menos em Março, nenhum dos eléctricos deste pais poluiu, ZERINHO de emissões, até mesmo na produção de electricidade! E nesse aspecto, tem de ser o governo a dar o passo para sermos 100% renováveis o pessoal dos carros eléctricos já fez a sua parte!

      • Alvaro says:

        Concordo , eu tb gostei da lavagem , tanto gostei que tenho um veiculo electrico
        e há imensas vantagens . so quem não quer não vê.

      • Paulo L says:

        Marco, isso é propaganda estupida, simplesmente virada para ignorantes.

        Não vou aqui colocar um testamento para te ridiculizar perante a tua ignorância, só te vou aconselhar a ver quanta energia eléctrica gasta uma refinaria para refinar 100 lt de combustível.
        Quando souberes o resultado vem aqui outra vez comentar e dizer se ainda achas os cálculos em cima correctos.

        • Marco says:

          A minha ignorância diz me que num pais onde a produção de energia eléctrica seja 100% renovável, qualquer que seja o consumo de energia gasto numa refinaria e mesmo que o refinamento seja com base nessas mesmas energias renováveis a poluição gerada depois pela queima do combustível será sempre superior à existente num veiculo eléctrico…

          Cada um manipula os números como quer, nem estou aqui para defender os veículos eléctricos (até porque nem acredito que seja a melhor solução) no entanto também não venho para aqui dizer que a produção de um carro eléctrico polui e um a gasolina não… ou dizer que o combustível de um carro eléctrico polui durante a produção e os da gasolina só na queima…

        • Marco says:

          Já agora e porque sou bem mandado e fui pesquisar para não ser assim tão ignorante vi que 1 gal custa 6kwh para refinar e em media dão para 24 milhas enquanto que com 6 kwh só dão para 20 milhas… realmente existe uma perda, mas mais uma vez só estão a contar com o custo energético do refinamento… então e a extracção não consome energia? e o transporte do combustível nos camiões a diesel também não polui? como vez os números dão para fazermos com eles o que quisermos… cada um é ignorante para o lado que lhe convém…

          • Wishmaster says:

            Marco, Não sei se está actualizado sobre o problema da energia eólica e sobre o facto de ser uma indústria que depende de subsídios para ser rentável…

            Além disso, tens que ter na mesma uma fonte de energia baseada em combustíveis fósseis para assegurar que não falha a energia e como estas fontes não se ligam e desligam como uma máquina de café e, por isso, têm que estar constantemente a trabalhar, acaba-se por ter que gastar combustível fóssil na mesma.

            A haver um apagão, os resultados serão catastróficos…Em termos monetários e humanos…Logo, não se pode desligar a central alimentada a diesel, carvão ou gás natural.

            Como Warren Buffet diz “a indústria eólica não sobrevive sem os subsídios”.
            Conclusão: caímos outra vez no mesmo facto dos eléctricos só terem a vantagem de não poluírem tanto.
            Mas aqui temos outros problemas que já discuti noutros comentários que fiz:
            – eléctricos vão fazer subir o preço da electricidade que consumimos em casa;
            – eléctricos gastam mais pneus devido ao binário muito superior;
            – eléctricos vão fazer subir o preço do cobalto, lítio e outros minerais preciosos, cujas reservas não são assim tão grandes (mais depressa se descobrem rochas e areias com petróleo do que cobalto e lítio…), com a construção de baterias;

            – Os eléctricos não resolvem o problema do plástico que é usado na sua construção (é verdade que os actuais também usam, mas o que quero dizer é que não resolve o problema do petróleo e mesmo no consumo também não o resolve. A energia eólica é instável e mesmo durante a noite tendo milhões de carros a puxar energia, para nem falar dos milhares de camiões que todos os dias percorrem a europa, não aguenta…a não ser que metas turbinas em todo o território, mas ainda aqui há problemas associados, inclusive de saúde devido à frequência gerada pelas turbinas; isto já levou a que sejam criados dezenas de grupos anti-eólica).

            Só estou a comentar e abordar algumas questões sobre os eléctricos que penso que as pessoas nem pensam e para elas os eléctricos são a salvação. Ora, não são…

          • Louro says:

            @Marco,
            As leis da fisica dizem que nao é possível gerar mais energia com menos energia.
            No caso tu estás a usar energia para poder refinar petroleo e produzir Gasolina/Gasoleo que por sí serao usados como outra energia e possuem a sua própria energia.

            Se pegares nessa mesma energia que usas para refinar e extrair, e aplicares directamente, quer dizer que acabas com mais energia do que aquilo que terias se a tivesses usado para refinar e extrair.

            Simples?

            Hoje fala-se de carros eletricos e de quao poluentes eles poderao ser, ora vejamos o que necessitamos de ter em conta num carro a combustao.

            – Gasolina/Gasoleo, dependendo do motor claro,
            – Oleo que o motor leva para librificar.
            – Outros fluidos tais como valvolina ou ATF na caixa de velocidades
            – Oleos e lubrificantes vários para todas as outras pecas moviveis.
            – Compostos dos travoes, que variam de carro para carro,
            – Pneus,
            – Bateria (que ok é uma fraccao da de um carro eletrico)

            No carro eletrico,
            – Compostos dos travoes, que sao usados para gerar mais energia e recarregar as baterias, ok pelo exemplo acima nao geram energia suficiente para colmatar o que poluem, mas verdade que anulam algum.
            – Pneus,
            – Destruir/reciclar a bateria,

            Repara que nao referi poluicao gerada para construir o carro, pois podemos chegar a conclusao que podem ser similares por razoes obvias.

            Agora dizes tu, mas e a bateria que tens de trocar daqui a 10 anos…

            Eu tenho um Tesla P85D de 2014, estamos a falar de um carro que neste momento tem quase 100k milhas (160k km aprox) e que ainda tem a sua bateria com 94% da sua carga disponível, e sem ter em consideracao que perca de carga vai atenuando com o tempo e que a mesma vai sendo cada vez mais e mais pequena.
            4 anos = 6% perda,
            o que equivale a 1.5% por ano,

            O que se fosse sempre a este rate que fosse perder bateria, perderia em 10 anos, 15% da bateria… mas em 10 anos teria feito 400k km.

            Quanto polui um carro a combustao para fazer 400k km? Quantas vezes tens de trocar de travoes (usar o motor para travar o carro, raramente tenho de tocar no travao, basta largar o acelerador), quantas vezes tiveste de mudar oleo, filtros e afins?

            Claro que a tecnologia ainda nao está 100% basta olhar para como eram as coisas 10anos atrás e ao ritmo que evoluiram desde entao nao duvido nada que daqui a 10 anos mesmo o recliclar/destruir baterias deixe de ser um problema significativo que nos faca ficar sem dormir.

          • Marco says:

            @Wishmaster

            Mas ai está apenas a falar de energia eólica, existem outras renováveis… e como é óbvio como tudo na vida tem de existir um plano de contingência para que em caso de “apagão” não fiquemos “à deriva”… a titulo de exemplo a tesla aqui à uns meses instalou baterias para armazenamento de energia (penso que na australia) exactamente para esse efeito, como plano de emergência.

            E de qualquer forma, ter alternativas poluentes para emergências é bem diferente de estarmos constantemente a usar esses recursos.

            E mais uma vez repito que não sou da opinião que os eléctricos sejam a alternativa mais eficaz, no entanto também não estou aqui a defender aquilo que não tem defesa possível e que o único caminho que deve ter é a sua descontinuação.

          • Marco says:

            @Louro

            Então pelo que percebi estamos de acordo 🙂

    • John Doe says:

      Filipe,

      Até sei qual o artigo que leu para ter essa opinião. Este tipo de artigos são feitos para quem não está por dentro no assunto, e então basta falar em meia duzia de argumentos gerais sem fundamento para criar uma opinião tendenciosa, como é o caso da sua. Existe sempre uma outra versão da história, e para o bem de todos, é sempre bom ouvir, ler e PENSAR.

      Não vá nas conversas de treta. As petrolíferas querem é manter o seu negócio em funcionamento e vale tudo. Fala em poluição em geral sem especificar o que quer que seja. O que é que é para si poluição, que gases foram gerados? Qual o diferencial em relação a um carro a combustão? Já parou para pensar que se talvez existisse a massificação destes produtos teria que existir uma nova adaptação?

      Fala nos gastos para cobrir fabricação de energia, ok, tudo bem. Qual a fonte de energia gerada para a fabricação do carro? Tem acesso a esses dados?

      Bem sei que o processo não é óptimo, mas ninguém que perceba minimamente do assunto está à espera que o seja nesta altura. A industria automóvel tem mais de 100 anos, enquanto que o primeiro carro elétrico comercial é bastante recente, obviamente tem muito por onde melhorar.

      Não vá em cantigas. Como em todas as tecnologias, a dos motores em combustão está ultrapassada, é uma tecnologia arcaica. O carro elétrico chegou e vai continuar, e com certeza que daqui a alguns anos aparecerá outra nova tecnologia (fala-se do hidrogénio, p.e) que tornará os carros eléctricos obsoletos. Chama-se evolução.

    • André says:

      Mais um que acredita que a terra não redonda.

  4. António says:

    “Só para quem acreditou na lavagem cerebral, e serão mesmo esses que irão responder ao meu comentário”
    Claro, e tu és o dono da verdade…

  5. Rui says:

    Juntato isto ao que já se paga nas faturas da luz ,vamos começar a pagar 5.70€ para dar ordenados milionários aos apresentadores . Me##a de governo

  6. Bruno says:

    Vá todos sabemos que o governo, seja ele qual, for precisa de receita como nós precisamos de oxigénio para viver, e isto dos carregamentos dos carros eléctricos é mais uma boa fonte de receita para mais uma taxinha.
    Não é preciso ficarmos assim tão admirados. Mais tarde ou mais cedo isto havia de acontecer

  7. António Nascimento Almeida Silva says:

    O estado é especialista em mudar as regras jogo a meio. A maioria dos Portugueses faz contas quando compra um carro. quem anda muito talvez nao se importe de dar 8000 euros a mais por um carro electrico porque vai recuperar no consumo e depois o governo coloca taxas e lá se vão as contas. Mas eu já sabia que mal os electricos tenham uma cota de mercado significativa que os benefícios iam mudificar

  8. ked says:

    Na Noruega os proprietários dos veículos 100% elétricos não pagam qualquer imposto na sua compra, possuem estacionamento grátis, acesso privilegiado aos estacionamentos da rede de transportes púbicos e não pagam portagens na AE. Claro que estamos a falar num país em que todos os cidadãos mal nascem já são milionários!

    • ked says:

      Além disso, na Noruega quase 100% da energia que é consumo é de origem hidroelétrica. Realidades completamente diferentes!

    • Belmiro says:

      Nao podes comparar a Noruega ou outros países ricos com Portugal, um país que sobrevive da Autoeuropa e turismo e que tem imensa gente a viver à custa da seg. social…

      • anon says:

        Por não falar de cursos com direito a bolsas que o IEFP promove e até em muitos casos obriga a frequentar. Este estado como conhecemos não tem futuro.

    • VolTe says:

      Portugal é uns pais pobre.
      As finanças públicas não podem abdicar dos 9 milhões de euros diarios cobrados nos combustíveis fosseis.
      Num futuro em que o parque automóvel seja eléctrico, os 9 milhões diários de impostos, vão se extraídos dos automóveis eléctricos.

    • Louro says:

      Desculpa? Portugal é um país de pobres?
      Estás errado, é um país de ricos…

      Estou no UK, como o estado sabe que sou pobre pago 20% de IVA, voces em Portugal pagam 23% porque sao ricos.

      Compro um carro, e só me cobram 20% de IVA em cima do valor base do carro, em Portugal cobram 23% + IA, porque voces sao ricos.

      Vou ao médico, como sou pobre nao pago um centimo pela consulta ou por medicamentos (Inglaterra pagam mas um valor baixo e fixo), como voces sao ricos, pagam taxa moderadora + medicamentos.

      Como sou pobre, pago menos cerca de 30 centimos por litro na gasolina que voces.

      Como sou pobre, ando nas Auto-estradas e nao pago por isso.

      Como sou pobre, pago menos impostos no meu salário que voces (para valores equivalentes claro).

      Como sou pobre nao pago a escola para os mais pequenos, nao pago livros, cadernos, canetas…pago o uniforme deles que iria ter de comprar roupa de qualquer das formas (Já que os miudos nao podem andar nús na rua haha)

      Portugal é sem dúvida um país de pessoas ricas, caso contrário nao pagavam isto tudo a mais que nós que vivemos em outros países.

  9. ked says:

    Vamos lá ver se o CO2 que é emitido:
    – na construção de barragens;
    – no armazenamento da água nas albufeiras;
    – na produção de energia por centrais térmicas;
    – na produção de energia de origem renovável;
    – na produção de energia através de cogeração renovável;
    – na produção de energia através de cogeração não renovável;
    – na construção de painéis fotovoltaicos;
    – na construção dos aerogeradores e respectivas torres e pás;
    – na construção das baterias;
    – no reforço das redes, e
    – nas perdas de energia desde a produção até ao consumo,

    chegam para compensar a redução das emissões de CO2 resultantes do rendimento dos veículos elétricos.

    • Rui says:

      Num primeiro momento (geração de equipamentos), talvez não. Mas a próxima geração de equipamentos poderão ser produzidos com base na energia renovável da primeira geração e, assim, sucessivamente. Mais cedo, ou mais tarde, esse saldo positivo vai acontecer e quando mais cedo começarmos, melhor.

      • ked says:

        Vai ver as tarifas pagas às energias renováveis. Além disso, não há energia renovável de primeira nem de segunda geração. O que existe é evolução tecnológica. As energias renováveis nunca chegarão para compensar o que indiquei pois além de possuirem rendimentos reduzidos, as perdas existentes em toda a cadeia e as tarifas a que as energias renováveis são pagas impedirão que tal aconteça. A solução está na energia nuclear de fusão. Importantes avanços foram dados esta semana fazendo com que a temperatura em reatores de fusão fosse superior à temperatura do sol. Daqui a 10 anos essa tecnologia está dominada e aí sim, teremos veículos elétricos desde que a tecnologia das baterias evolua.

        • Filipe Ezequiel says:

          Achas que vais ter essa energia disponivel para os consumidores normais, dito população comum? Achas que ter um carro que, com apenas uma carga faz “100 mil milhões” de kms lol! E eles vão nessa cantiga hehehehehe!

        • 007 says:

          palavras de alguém que não quer mudar e para isso faz o futuro a imagem dele próprio. és futurista para saber o que vai acontecer daqui a 10 ou 5 anos? o agora é que interessa, se queres mudar o mundo é agora.

        • Rui Ribeiro says:

          Uma coisa que aprendi há anos é nunca usar a palavra “nunca”. 😉
          Especialmente no que se refere a tecnologia. Nunca os carros eléctricos iam ser melhor do que os a gasolina, nunca iriamos ter computadores com GB de RAM, nunca os foguetões seriam capazes de aterrar…
          Deixo aqui o meu testemunho pessoal no qual indico que tenho em minha casa um conjunto de paineis solares que compensam electricamente 100% dos meus gastos anuais. Se o gasto energético da sua produção tiver sido corretamente passado para o seu custo monetário, então eles compensam-se energéticamente em menos de 10 anos, tendo um tempo médio de vida de 25 anos. Portanto o “rendimento baixo” não é assim tão baixo e é válido do ponto de vista económico e ecológico (e são paineis com mais de 5 anos). Quanto às “perdas”, existem mas com produção local são muito menores. O truque é distribuir e não centralizar.

    • Vitolas says:

      Uma pergunta,e todo esse CO2 que é falado neste lindo texto é somente para ser usado no carregamento de carros eléctricos?
      A partida não parece,até porque por exemplo na minha fatura da luz vem que consumi mais de 70% em energias renováveis,secalhar o problema é o ser humano e não os carros eléctricos.

  10. Rui says:

    Eu ficaria muito admirado se não pagassem taxa. Se até uma baixada para um jazigo num cemitério paga a taxa só para ter uma ou mais lãmpadas ligadas, ou o Zé da esquina que tem uma baixada para uma motor eléctrico de um poço/rega, porque motivo os carros eléctricos não pagam?!?

  11. jaugusto says:

    Taxa para alimentar a propaganda/rtp e depois vê-se o porque, segundo o eurostat, continuamos no fundo da tabela e a crescer metade da concorrência.
    Em relação aos electricos para quem acha que é bla-bla basta ver o investimento feito em baterias nos proximos anos só na alemanha 52 billions:
    https://www.reuters.com/article/us-autoshow-detroit-electric/global-carmakers-to-invest-at-least-90-billion-in-electric-vehicles-idUSKBN1F42NW
    … depois queixam-se de serem sempre atrasadinhos e ai acudam deem-me um subsidio…

    • Rui says:

      Meu caro, trocarmos carros a combustão não faz de nós mais avançados ou atrasados, já que tem de importar ambos!!!!!
      Se comprarmos carros eléctricos fizer baixar a nossa dependência do exterior ainda vá que não vá, agora o que diz não tem nenhuma sustentação racional.

      • jaugusto says:

        Criar as melhores condições para atrair fontes de investimento em áreas que tem futuro – exemplo sejam baterias etc – e potenciar o uso de novas tecnologias em vez de carregar sejam taxas sejam lá o que for para tapar buracos isso e que não tem sustentação racional, mas parece que a memória é curta.
        Como é natural com este tipo de investimentos nos próximos anos os preços dos Ev’s irão começar a diminuir.
        – O sector auto está no inicio de uma mudança enorme desde a partilha de carros, a autonomia de condução, os negócios/investimentos em IA, software, baterias, motorização, condução autonoma etc os billiões já investidos e nós parados a discutir taxas e taxinhas…

    • Rui says:

      A Alemanha é natural que invista muito, porque como imagina é a sede das maiores marcas automóveis. Mas já que fala na Alemanha, o que tem a dizer-nos do facto de no passado impingirem-nos veículos a diesel que eram menos poluentes e agora dizem o contrário? Será porque criar essa necessidade faz enriquecer alemães? (comprar carros novos)
      E já agora o que me diz por exemplo da VW!
      O que lhe digo é que….. não seja anjinho! Se os alemães quiserem investir cá na tecnologia eléctrica, força, nós gastarmos rios de dinheiro que não temos para comprar carros verdes, não obrigado!!!!

  12. hommer says:

    esperem pela pancada, que ainda tem de inventar algo semelhante ao IUC para os eléctricos, essa é o próxima novidade…

    • Rui says:

      Não vejo aí nenhum escândalo. O IUC é um imposto municipal pelo facto de circular nas estradas. Ocupam o mesmo espaço que os outros e circulam da mesma forma, portanto…..

      • SérgioF says:

        O IUC é um imposto de propriedade e não de circulação.

        Além do mais, se fossem pela circulação, onde se justifica que os valores a pagar do IUC têm, maioritariamente, em consideração a cilindrada e emissões do veículo em questão?!

        Os eléctricos podem ocupar o mesmo espaço, mas não têm emissões de CO2, logo, seria sim um escândalo.

        • Rui says:

          Como? Deixo-lhe as designações dos 3 impostos destinados aos Municípios onde cada um de nós residem (domicílio fiscal):
          Imposto Único de Circulação (IUC) pago pelos veículos automóveis, o Imposto Municipal Sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) e o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).
          Vá ver aos orçamentos de qualquer município como aparece lá a receita do IUC!
          Lá por ser as Finanças a cobrar o IUC, não quer dizer que o dinheiro vá para o Estado! As Finanças também cobram portagens, mas o dinheiro é para as empresas que têem a gestão das estradas a seu cargo!

          • Rui says:

            Olhe, só a título de exemplo, a Câmara de Gaia recebeu em 2017, + de 7 milhões de euros de IUC. E ainda tem lá o IMI com 44 milhões, IMT com 10 milhões e 5 milhões de derrama!
            http://www.cm-gaia.pt/pt/informacao/documentos-financeiros/orcamento-e-opcoes-do-plano/

          • Vitolas says:

            O valor imposto até pode ser dividido por as autarquias e ter um nome contraditório,no entanto é sim um imposto de propriedade e não de circulação,tanto é que a titulo de exemplo nenhum policia em operação stop pede o mesmo não deve nem sequer pode.Antigamente quando o selo era selo se não se compra-se no ano corrente o carro não podia circular,pagava-se no ano a seguir e já podia.Hoje em dia se não se pagar o mesmo ele pode circular a mesma,tem-se é problemas com as finanças.

        • SérgioF says:

          https://sabiasque.pt/imposto-unico-circulacao-iuc.html

          Volto a frizar… IUC é imposto de propriedade do veículo e não de circulação.

          Não misturar propriedade de imóvel com propriedade de veículos. Ambos são propriedades e ambos têm de ser pagos, e cada um segundo os seus requerimentos…no caso do IUC, ano do veículo, emissão CO2 e cilindrada…em nada interferem com a circulação das estradas.

          • Rui says:

            Sérgio? O que quer dizer a sigla IUC? Imposto Único de ……. ai que me esqueci da palavra!
            Tanto assim é que quem mora em Lisboa, paga o IUC para a Câmara de Lisboa, porque presume-se que circule aí a maior parte das vezes, assim como um condutor do Porto paga IUC ao Município do Porto e por aí a fora……
            O imposto dito de propriedade é pago na compra, aí sim ao pagar o Imposto automóvel e depois o IVA em cima do valor do carro e do IA, esses sim são impostos da dita “propriedade” e revertem para o estado!!!!!

          • Nuno says:

            @SérgioF
            Dizes que o IUC, não é imposto de circulação, quando este se chama Imposto Único de Circulação. O teu argumento auto-refuta-se.

          • SérgioF says:

            Mas algum de vocês se deu ao trabalho de consultar a informação do link que forneci? Não falem sem se informarem. Procurem primeiro.

            O IUC é um encapsulamento para justificarem mais dinheiro de todos nós. Se fosse apenas pela circulação, não cobravam valores diferentes pelas emissões dos veículos….e se é por circulação, porque motivo ainda não colocaram os eléctricos a pagar IUC?! Chamaram-lhe IUC para que o imposto se aplicasse também aos veículos que não circulem para obrigar os seus titulares a cancelar as matrículas até que os reponham em circulação com reativação das matrículas (CIUC, art.º 17.º, n.º 3).

            Têm dúvidas ainda, vejam os seguintes links:

            https://www.meuportalfinanceiro.pt/artigo/o-que-e-o-iuc/

            https://sabiasque.pt/imposto-unico-circulacao-iuc.html

            https://www.saftonline.pt/iuc-imposto-unico-circulacao/

            https://impostosobreveiculos.info/iuc/duvidas-comuns-imposto-unico-circulacao-iuc/#OQueE

            O IUC é polémico pois já pagámos o ISV na compra do mesmo, pela propriedade, e continuamos a pagar todos os anos mais um imposto de propriedade. Chamaram-lhe de circulação para enganar os mais desatentos e/ou “xicos espertos”.
            Caro amigo Rui e Nuno… é um problema comum nos “Tugas” apenas assumirem as coisas neste país pelos nomes que lhes dão e não pelo que elas são.

            É por isso que continuamos na cepa torta e bem atrás de outros países da UE.

            Cumps

          • Nuno says:

            Sim, porque os veículos não têm um impacto ambiental que precisa de ser combatido e tem impacto no orçamento.

            Os carros eléctricos não pagam IUC porque estão isentos, como forma de impulsionar o mercado. Isso não significa que nunca irão pagar IUC. Eventualmente estes serão incluídos neste imposto.

            O IUC não é polémico porque a quase totalidade dos países da União Europeia também cobram um imposto anual sobre os veículos.

          • SérgioF says:

            @Nuno
            Lá porque mais paises o fazem, não faz disso correcto.

            A contradição existe e isso é polémico sim. Chamam-lhe imposto de circulação, mas no fundo é um imposto de propriedade, mas os seus valores a pagar têm em consideração as emissões de cada veículo. Então afinal é um imposto de circulação, de propriedade ou de impacto ambiental?

            Caro amigo Nuno continua a não querer aceitar que se trata apenas do dinheiro e acredita em tudo o que lhe dizem… então explique-nos a todos porque motivo Portugal é o terceiro País com a tributação automóvel mais elevada? Somos mais poluidores que os restantes países, andamos mais KMs ou ganhámos mais, em média, que os demais, para justificar ser o terceiro mais alto?!?

            Querem que paguemos pelo impacto ambiental, então não lhe chamem imposto de circulação e que no fundo é um imposto de propriedade. Se algo oficial e legalizado é contraditório, então é polémico, sim!

          • Nuno says:

            Estás a confundir o meu argumento. Eu em parte alguma disse que concordava com o valor do IUC, ou até mesmo se concordava com a existência deste imposto. Apenas disse que tu estás errado quando dizes que o IUC não é um imposto de circulação. Se fosse de propriedade nem sequer terias a hipótese de cancelar a matrícula. E foste tu que deste a entender que sempre estaríamos atrás de outros países da UE por causa de impostos como estes, mesmo quando estes também os cobram.

        • SérgioF says:

          Claramente, nem se deu ao trabalhonde consultar os links que forneci.

    • rui says:

      os elétricos estão sujeitos ao IUC existente, apenas tem sido colocado em orçamento de estado todos os anos isenção do mesmo, quando deixarem de dar isenção pagam sobre a mesma tabela.

  13. Sr. Manel says:

    Acho bem que seja taxada como em qualquer tipo de combustivel. Ou pagam todos ou nao paga ninguem. Para se criar electricidade tambem se polui.
    Igualdade de direitos para os consumidores, nao uns serem filhos e os outros enteados.

  14. João Silva says:

    E que tal aplicarem todo estas taxas e impostos aos chamados “papa reformas” que circulam nas nossas estradas praticamente à borla e poluem mais do que qualquer outro, além de que só estorvam ?

  15. Julius Agahowa says:

    paguem o salário do Malato e do Jorge Gabriel e não piem!

  16. Daniel says:

    Não tarda, cada KW para carregar carros vais custar o mesmo que 1 litro de gasolina…
    Mas isto sou eu pensar alto com os nervos…

  17. anon says:

    Isto é óbvio que iria acontecer e no futuro será ainda mais. Mas alguém acredita que o estado vai perder receitas que vai buscar com os combustíveis?

  18. hsff says:

    Os automobilistas, e não só, deviam perceber que a melhor forma de se defender os interesses de todos é actuar em conjunto e não virarem-se uns contra os outros.

    • Rui says:

      Não se trata de uma defesa. Eu admiro-me é ainda haver pessoas que acham que as estradas, hospitais, escolas, salários dos funcionários públicos não são pagos pelos nossos impostos!!!!!
      Se o estado perde receitas de um lado, vai buscar a outro, mas tem dúvidas? Cada governo quer gastar o máximo que puder (para distribuir ao seu eleitorado), mas alguém tem de pagar a factura!!!!!

      • hsff says:

        Em Portugal as pessoas estão a pagar as mesmas coisas várias vezes, são utilizados impostos para o pagamento da provisão publica e ao mesmo tempo são pagos os serviços pelos utentes/utilizadores, isto para não falar de uma divida que está a ser paga que ninguém sabe exactamente o que é mas dizem que é publica. Defesa na perspectiva de minimizar o custo da mobilidade.

  19. Hefesto,o Grande says:

    MAIS UM IMPOSTO DE QUASE 3 EUROS ?? AH,AH,AH,ESTA É BOA !! ASSIM VAMOS LONGE !! PORTUGAL,”QUO VADIS” ?? QUE VERGONHA !!

  20. Rui says:

    Mais um título enganoso dos media (neste caso do pplware) num contexto (mobilidade verde) que só cria ruído e sentimentos críticos contra a necessidade de mudar. Numa sociedade que comenta sem ler, o título deve ser claro. Um título como “Contratos de energia para carregadores de carros eléctricos pagam taxa audiovisual” seria muito mais correcto.

    • Daniel says:

      Pior ainda, faz lembrar os casos por exemplo de quem tem um terreno agricloca com um furo para rega e preceisa de uma baixada electricidade, embora possa ter tarifas diferentes para o efeito, tem de pagar taxa audiovisual também, o que é errado, não é de agora já vem de trás!
      Mas este é um do truques ultilizados pelos governsos para ir sacar unc cobres e financiar neste caso uma entidade que soma prejuizos.
      Neste caso agora a geringinça para pagar a despesa de ter voltado a dar algumas das regailas e repor alguns salários na função publica recorrer a taxas e taxinhas. Atenção que não sou contra as pessoas terem recuparado o que foi tirado com a Troika, mas é para bom lembrar que num orçamento de estado em todos os meses falta dinheiro de receitas para pagar as despesas, ao ponto de terem de se financiar cada vez mais com emprestimos, a factura continua a vir para ser paga por todos os portuguese, utilizadores ou não dos serviços. O curioso é que antigamente lhe chamavam austeridade… mas poderei estar errado…

      • Rui says:

        Se a austeridade acabasse com o governo anterior!
        O estado inventa todos os anos formas de sacar mais dinheiro em impostos e quando é para dar, corta em tudo, basta ver os limites das deduções de IRS (vamos a caminho de acabarem as deduções).
        Inventaram um imposto sobre o sal das batatas, acha que é para zelarem pela nossa saúde? Eu ainda estou à espera do dia em que vai nascer o imposto do consumo do oxigénio!

  21. Nelsonmarques says:

    Mas alguém aqui nos comentários leu a porra da notícia? A taxa é para os postos de carregamento, e não para os “carros”.
    Vivemos num país de ler os títulos do jornal, falar mal sem conhecer história, e logo de seguida dizer que a culpa é do governo.

    • hommer says:

      claro que se leu a noticia, e não é só postos de carregamento, é tudo relacionado com carregamentos, até a instalação em casa, uma taxa audiovisual para uma canal de TV, já descontamos pouco, porque é que andamos a sustentar um canal do estado por outra via como o fornecimento da luz, tal como a água a taxa de resíduos(lixo), há que inventar mais taxas e taxinhas…

  22. Tiago says:

    Há que cobrar mais uma taxa para pagar os desvarios da RTP !

  23. BGG says:

    Vamos mas é acabar com os mamões da RTP, ou oferecem conteúdo de qualidade ou fecha-se a estação, porque para estar assistir o que passam, até mete pena…a RTP, serve para estar alinhado com os interesses de certas pessoas, para os conseguir meter dentro da casa das pessoas alegando serviço público, lavagens cerebrais já não como…mas como todos os dias um misero salário com o suor bem suado do meu trabalho para além da exploração que sofro, porque dou conhecimento e horas extra que é de borla para os patrões e isso ninguém vê…estes indivíduos defendem as elites que lhes paga para estar no sitio certo a hora certa…

  24. Nuno says:

    vejo muita gente indignada por uma taxa que vai ser aplicada nos veículos eléctricos… mas que, todos nós sem excepção, já pagamos na factura da luz, e não importa se é numa casa ou num armazém e até mesmo nos cemitérios onde nem sequer têm tv. Uma taxa que rouba todos os portugueses e de nada mais serve que não o de pagar o péssimo serviço publico de tv, os ordenados monstruosos que lá se praticam, e os constantes prejuízos que dá.
    E é mais uma taxa, como muitas que têm sido constantemente introduzidas na nossa vida, e que o governo / governos tentam “ocultar” com a ideia de não aumentarem os impostos directos, mas na verdade carregam em todos os outros que afectam toda a população independentemente do escalão de IRS em que se encontram.
    O povinho, e nele me incluo, continua a pagar os constantes roubos e favores deste e de todos os governos… mas desde que haja sol e futebol todos sorriem.
    A propósito… esta taxa também serve para pagar o balúrdio que a rtp pagou pelos direitos dos jogos da champions e do mundial… para quem gosta e não gosta de futebol

  25. Sergio says:

    Não sou muito entendido no assunto.. mas já agora deixo uma pergunta porque vi algo que em gerou curiosidade.
    Sou assinante de um parque de estacionamento na cidade onde moro.. Ao lado do meu carro estava um eléctrico ligado à corrente, isto é um hábito comum utilizar a electricidade dos outros? ou há acordos e assim?

  26. informado says:

    Malditos políticos. Cobrar a taxa da RTP .. FECHEM A RTP JÁ. FORA COM A RTP… Para que todos saibam a SIC e a TVI recebem do Estado 10 milhões de euros cada uma para fazerem o chamado “serviço público” Isto é escondido do povo para que não reclamem e a rtp CONTINUE A EXISTIR. . A RTP gasta 200 milhões de euros TODOS OS ANOS vindos da taxa para brincar à televisão. A gentalha que lá anda recebe ordenados milionários. Já chega . É altura de acabar com a RTP já.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.