PplWare Mobile

PC mais perigoso do mundo vendido por 1 milhão e 345 mil dólares


Autor: Pedro Pinto


  1. mc says:

    Vou colocar a minha disquete de coleção á venda

  2. Asdrubal says:

    Costumam haver sites que guardam vírus para estudo. Vou fazer download de centenas dos mais perigosos vírus, desligar o portátil da rede, infectá-lo com os vírus, e depois vendo-o por centenas de milhões de euros…

  3. Paulo Santos says:

    “…Cada um destes malwares deixou um rasto de distribuição na sociedade e agora há quem tenha aproveitado o “sucesso” … ???????
    não será destruição?

  4. Marco says:

    Porreiro era o pessoal que ficou infectado vender como mais uma obra de arte! Sempre ganhavam uns trocos para compensar a perda de informação e não pagavam resgate a ninguém.

  5. FG says:

    Tantos anos a formatar PCs infectados e sem saber estava a deitar dinheiro fora…. ora bolas!!!!!

  6. AlexX says:

    Para ganhar muito dinheiro duma vez basta ser criativo. Criatividade está presente em todos desde nascença, mas na escola apenas se aprende o copy>paste. Esta pessoa teve uma ideia e executou-a no dia certo. Fosse no dia errado e não teria tido uma única oferta. Melhor ainda tendo em conta que é um netbook que custava ~350 euros (com menos GB?) há cerca de 10 anos e se bem me lembro apresentado também aqui no ppl. Tudo o resto foi lucro.

  7. José Gaspar says:

    Ideia original mesmo..!!! Não há gaivotas em terra quando um homem se põe a pensar..!!!

  8. Fixo says:

    É assim – quem comprou e quem vendeu são as mesmas pessoas.
    O computador foi falado – alguém sdiz: “Ter este computador em exposição com um letreiro “Vendido por 1,3 milhões de dólares” – era uma grande publicidade!”
    Oferece 10000 dólares … e compra-o de certeza.

  9. Vera Lucia says:

    É arte, não há dinheiro que pague a arte, cá na vila temos uma rotunda com meia dúzia de calhaus despejados no centro da mesma. Esta obra prima, os calhaus por assim dizer, custaram a modica quantia de 1,2 milhões. Nós munícipes, tivemos muita sorte em ter conseguido adquirir tamanha obra por tão pouco. É realmente inspirador sentarmo-nos na berma da estrada a admirar a obra. Até dá vontade de chorar. O artista esse, cedeu os calhaus e em troca comprou um apartamento no centro da vila, pobre coitado, vendeu a alma em troca e um albergue, duplex de 250m2 em plena via principal.

    • Diogo Calçada says:

      Muito bom, Vera Lúcia. Comentário de qualidade! 😀

    • Amilcar Alho says:

      Muito bom!
      Um pouco por todo o portugalinho…
      Por cá é uma “base” com ~1 metro de raio, coberta com pedaços de azulejo, partidos “na hora”, que, segundo consta, custou 30.000€… Enfim, burros somos nós que não percebemos de “arte”.

    • Carlos says:

      É uma “obra de arte” algo estranha… Porque sobrevive com base na percepção de que aquele PC é (será ?) um perigo ambulante… Sê-lo-á mesmo? É que para ver a obra de arte a funcionar teríamos que promover a sua própria destruição… Ou não? A verdadeira obra de arte não está no PC mas na capacidade para, com base em percepções, levar alguém a pagar aquela barbaridade.,.

  10. Filipe Silva says:

    Tenho uma disquete de 1994 com o vírus Barrotes… deixa lá ver quanto me dão no Ebay.

    • David says:

      Não é que quando eu estava a ler o post, foi o primeiro que me veio à cabeça?

    • Brucetuga says:

      Barrotes: o primeiro vírus a entrar no meu primeiro computador pessoal (antes tive o Timex 2068 😉 ). Atacava o autoexec.bat e o config.sys. Para quem não sabe eram os ficheiros de arranque / configuração do MS-DOS. Apanhei o Barrotes por causa do F1-GP que era instalado a partir de 8 ou 9 diskettes! 😀 😀 😀
      Que bela lembrança!!!! 😀

  11. falcaobranco says:

    Como existem vírus para a sociedade e que estão guardados em certos e determinados laboratórios espalhados pelo mundo, tem que existir isto também para estudos… é perfeitamente natural…

  12. int3 says:

    há muito sítio para descarregar praticamente todas as versões que existiram de malware…

  13. fak says:

    está na hora de vender o meu virus “Janelinhas”. foi criado como brincadeira mas acabou por sair destrutivo e apercebi-me disso quando o testei no meu proprio computador e o disco fritou. fiquei lixado, perdi um disco de 1TB que me tinha custado um pulmão.
    nem peço 1 milhão, 5000 € já chega.

  14. Zé Duarte says:

    Se tivesse infectado com 7 virus tinha ganho mais outro milhão. Computadores com vírus são extremamente raros.

  15. Jose e Castro says:

    Que bela lavagem de dinheiro.

  16. Ruy Acquaviva says:

    Essa é a prova irrefutável de que é possível vender qualquer coisa e criar preços ridiculamente irreais literalmente a partir do nada.

  17. Rodrigo says:

    Tenho um portátil com exatamente os mesmos vírus. Quem quiser vendo por 150.000€

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.