PplWare Mobile

25 de Abril ou uma verdade inconveniente?


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. ZeX says:

    Depois de ler o artigo tentando a todo o custo enquadrar o aqui descrito com a diferente realidade do que se passou na altura, só me vêm à cabeça a já celebre frase (embora, obviamente, não com o sentido com que foi originalmente proferida):

    Ó Professor!… Onde é que você estava no 25 de Abril?… 😉

    • Lokier says:

      Mesmo boa pergunta.:P looool

    • Lokier says:

      Desculpem o spam. Mas é por causa de se acreditar nisto que está aí escrito que surgiu aquele provérbio, “Casa roubada, trancas à porta”.

      Espero mesmo que não seja preciso (mais uma vez) por tal desequilíbrio social, é a prova que afinal não adamos aqui a aprender nada com os erros do passado.

      Independentemente do que aconteceu, e a controvérsia é muita, o 25 de Abril trouxe realmente algo de bom na altura para a sociedade, nem que seja a crença de que iríamos melhorar, pena que tenhamos ficada por aí, e nos deixamos levar pela ideia errada que vivemos num estado fantástico e democrático… e pior, que acreditemos que o curso natural da vida é assim mesmo.

      Cumprimentos

  2. Morbus says:

    Alguém daqui esteve ontem na palestra dado ontem no anfiteatro nobre da Faculdade de Letras do Porto? Sobre a guerra colonial e sobre o 25 de abril?

  3. Laggunna says:

    Onde é que está o 25 de Abril, onde, onde?

    Quando vem? Esperemos que em muito breve!

    Até quando 80% da população, pobre, esperará que os outros 20%, ricos, os continuem a roubar (uma verdade aplicável a todo o mundo)?

    25 Abril, onde quando, o que foi isso, mudou o quê?

    Infelizmente nada! Liberdade, poder falar? Quando, onde?

    A justiça é só para alguns! Os patrões fazem o que querem! Os “velhos” ricos e fascistas estão todos implantandos outra vez.

    A liberdade é uma ilusão. As pessoas pensam que são livres, que podem falar, que podem contestar. Pois, essa é a mistificação da democracia que o 25 de Abril nos trouxe.

    Melhorou o nível de vida e o país modernizou-se, sim, mas de resto tá tudo igual. Os ricos conseguem tudo e os mais desfavorecidos nada. A classe letrada consegue algo sim, mas se não tiver capacidade financeira e não estiver ligada ao poder não vai longe.

    Revolução? Só faltou foi pedir de joelhos ao Marcelo para não levantar ondas e entregar o poder.

    Revolução……..

    Bem hajam!

    • RValle says:

      Muito bem.
      É isto mesmo que eu penso.
      A cambada dos políticos, “os novos ricos”, roubam o mais que podem, enquanto podem, e nós os PORTUGUESES, “morremos de fome”.
      Muito Obrigado Laggunna

    • Kekes says:

      Mas sempre existirão ricos e pobres. Eu ainda não entrei no mercado do trabalho, ainda estou numa fase de investimento, não vivi o 25 de Abril e por pouco não apanhei a queda do muro de Berlim. Agora pensemos nós pobres as vezes somos um bocadinho “injustos”, pois como tamos com dificuldades todos “ricos” são ladrões… Mas nem sempre é assim. Dos realmente ricos tu não ouves falar na televisão, não os vês nas revistas do Jet7.
      Os patrões sempre incriminados mas não é fácil ser patrão…
      A justiça não é das melhores é verdade mas de facto não nos podemos queixar muito quando 3/4 do mundo nem sabe o que é isso… E quem es tu par dizer até que ponto é justa ou injusta? Tens o “caso dos padres” agora; anda ai muita coisa mal contada, talvez daqui a uns anos se descubrirá o que está realmente por trás disto tudo.

      Anyway não culpemos só uns dos nossos problemas, os culpados somos nós; nós que directamente ou indirectamente fazemos parte de um sociedade corrupta, eu, tu, ele, eles… Revolução, tens ou não tens liberdade de falar em revolução? Uhmm, acredita, fazes parte de um numero reduzido da população que tem esse direito 😉

    • Tiago says:

      É incrível como há pessoas que confundem o 25 de Abril (dia em que acabou a ditadura) com a democracia !

      A democracia não é perfeita, mas é melhor que a ditadura !

      • Incrédulo says:

        Vejamos…um exemplo (apenas)…

        Vamos pegar em todo o dinheiro que suaste a ganhar e podes gastar e investir em imóveis para poder de alguma forma garantir o teu futuro e estabilidade financeira com alguma renda mensal de arrendamentos…

        De repente o governo vira a dizer que vai reavaliar todos os teus imóveis para valores “reais” que na realidade se eles te pagassem o que eles dizem valer, tu vendias na hora pois ganhavas muito dinheiro face ao mercado real!

        De seguida começas a receber todos os anos a “continha” do IMI para pagar sobre um valor absurdo que não corresponde à realidade do país… e ainda por cima verificas que pagas taxa máxima de IMI num município que não tem melhorias e precisa de pagar o rombo absurdo que gerou nos últimos 10 anos…e quem vai pagar, tu, que quiseste investir nesse município, acreditando valer a pena.

        Depois para completar recebes a “continha” de IRS sobre os míseros alugueres de 100 ou 200€, conta a qual tens que pagar também, de uma vez numa única parcela…

        E tudo isso sem te queixares pois é a lei aprovada e alguém tem que pagar as dívidas geradas por estes ditos democratas…

        Se não pagares…simples.. penhoram-te tudo até as cuecas e ficas a dormir no olho da rua junto com a tua mulher e os teus filhos…

        Prefiro ter um dita “Ditadura Democrática” em que todos estes bandidos vão para a cadeia e em que não há rombos nos cofres do governo para eu e tu pagarmos depois.

        Porque suares para ter as tuas coisas e depois teres que pagar impostos à la carte para não perder os teus bens, isso não é democracia, isso é ditadura.

        Ou será que se esquecem que o último ditador português morreu pobre…? E não com casa perto da torre eiffel e milhões em contas offshores como certos ministros…

        A democracia que é vendida desde o 25 de Abril levou a isto que temos hoje, as pessoas são iludidas com uma liberdade falsa e depois são apanhadas de surpresa com as contas para pagar dessa democracia irreal.

        Se sou fascista? Não me considero tal pois acho que extremismo só funciona para um lado. Sou sim um cidadão que trabalhou honestamente e lutou para ter algo como muita boa gente neste país e que não admite ser roubado por ninguém, muito menos filhos da p*** de políticos.

        Apenas uma opinião, nada pessoal claro…

  4. aver says:

    Sou dos que pensa que a transição para a democracia podia ter sido feita de outro modo – mas se tivesse sido devidamente prepararada, por Marcelo Caetano, como fez Suarez em Espanha. Com um pormenor – Marcelo Caetano nunca foi um democrata, logo nunca poderia assegurar a transição para a democracia. Se tivesse escolhido Spínola para presidente em vez do Américo “Gágá” Tomás as coisas podiam ter sido diferentes.

    Não foram, e os conflitos sociais e políticos intensificaram-se, especialmente entre os militares milicianos e mais alguns por causa da guerra. Daí o 25 de Abril, como explosão inevitável, com erros, alguns grandes e trágicos, mas que no fim instituíu a democracia.

    Embora a situação actual nada tenha a ver com o 25 de Abril, ficam aqui as minhas perspectivas de voto para as próximas eleições:

    – “Eng.º” José Sócrates
    – “José Sócrates de Saias” Manuela Ferreira Leite
    – “Apadrinhado por Alberto João Jardim” Santana Lopes.

    Arre porra que é demais. Acho que vou emigrar pela 2.ª vez.

  5. John says:

    De uma vez por todas, o 25 de Abrir de facto trouxe liberdade, mas também trouxe mais roubo por parte dos grandes.

    A grande diferença é que antes do 25 de Abril só havia um gatuno e esse dava-se pelo nome de Salazar.

    Facto pelo qual o País em termos de economia nem estava mal, estava até muito bem. Aliás foi a única altura em que o País esteve de facto bem governado. Não só em termos de economia, mas também de segurança.

    Mais uma vez digo, o após 25 de Abril trouxe liberdade. Lá isso trouxe. Mas essa é apenas uma miragem para muitos de nós. Porque podiamos levar isto de liberdade muito para além da liberdade de imprensa. Quer dizer, foi para isto que quiseram liberdade? Ou é para todos ou não é para ninguém!

    E com a liberdade dos bons, veio a liberdade dos maus.

    O único problema de Salazar foi não ter permitido a liberdade dos bons, mas muito provavelmente por que já sabia que com o bom vem o mau.

    E estas palavras saem da boca de muita gente idosa que passou por muito no tempo do Salazar. Não vêm pela boca de pessoas que nem sequer viveram nesse tempo ou então que passaram por lá de raspão e se julgam dignos de dar comentários.

    Agora lá está, eu enquanto pessoa que não viveu nesse tempo não comento além do que essas pessoas idosas falam comigo. O que posso dizer é que o ideal seria a liberdade que nós temos hoje em dia, ainda que não seja assim tanta por aí além, com um governo duro como o de Salazar a governar para levantar a economia do País, o que significaria que apenas um estaria a mamar o dinheiro dos portugueses e não milhares deles.

    • Alc says:

      Salazar era gatuno???? Esta é boa!!! Quem dera os politicos atuais serem como foi Salazar! O Salazar só tinha um inconveniente: Não prezava a liberdade dos cidadãos. De resto era exemplar!

  6. TopPlus says:

    Boas!

    Não vivi o 25 de Abril, nasci após 74, mas caramba esta revolução trouxe-nos LIBERDADE, posso escrever oque me “apetecer” aqui ninguem vai-me bater à porta.
    Penso contundo que ainda estamos a digerir esta revolução, se estamos a passar momentos de azia penso que isto não tem a ver com os “príncipios” defendidos aquando da revolução, mas sim talvez com a imaturidade da nossa demogracia e com a nossa cultura social.
    Existe necessidade de uma nova revolução ? talvez…. mas a do 25 de Abril tem todo o mérito pelo que defendeu, Viva ao 25 de Abril!

    PS: sou apartidário e tb vivo à rasca para pagar a casa, mas há que separar as àguas.

  7. Magnata says:

    Porra não posso ficar calado quando vejo comentários destes :
    1-> O 25 de Abril troce liberdade de expressão
    2-> Acabou com a guerra/Massacre que estava a acontecer em África
    3-> A nossa economia estava uma merda MERDA não tinamos nenhuma industrialização e o que ainda nos sustentava era a “escravatura” e exploração de África .
    4->Trouxe direitos para a mulher ,pois nessa altura e mulher e tratada como objecto do marido.
    ……..
    E podia continuar o dia todo;

    Nem tudo e mar de rosas na democracia mas é MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO MUITO Melhor que a ditadura.

    ” Cabe a cada um de nós criar uma democracia cada vez melhor “

  8. mjmft says:

    Apesar de prejudicado pela Revolução do 25 de Abril de 1974, visto que tive que de vir “depressa e em força” de Angola, acho-a o momento mais marcante da nossa história presente. Teve muita coisa boa, uma das quais foi o fim das Guerras Coloniais, que a julgar pelo inquérito aqui feito no PPLware, muitos dos seus leitores não teve a sua vida subordinada à mesma. E, trouxe, quer queiramos quer não, a oportunidade de estarmos aqui a expressarmos o que sentimos. Quanto às restantes consequências, cada vez ricos mais ricos e pobres mais pobres, quem nos garantiria que as coisas não ficariam como estão se não tivesse havido o 25 Abril? Ao menos podemos ir para “A Rua e Gritar” e lutar pelo que achamos serem os nossos direitos.

    Nota: Não li o artigo de introdução. Não preciso. Sei o que passei antes e depois, e tenho a minha opinião sobre o 25 Abril que nada nem ninguém via conseguir alterar.

  9. kafry says:

    Se nao fosse o 25 de Abril tinha e tenho a certeza abseluta que nao estavamos aqui a fazer estes comentarios,a liberdade é isto.

  10. André says:

    O país estava bem de economia com o Salazar?! E porquê sabem?

    Porque era muito fácil receber o dinheirinho, mas investi-lo está quieto!

    Depois lá está: pessoas sem formadas, taxa (muito) elevada de analfabetismo e por aí fora… não havia investimento na educação, por exemplo…

    Se for só para gerir o dinheiro que o estado recebe, eu também posso estar no governo.

    • depenpe says:

      Os meus avos e pais viveram esse tempo e sabem ler escrever, fazer contas a mao que nos alunos mal sabemos e muitas coisas, e nao eram ricos, viviam do campo para sobreviver e passaram fome, chego a conclusao que era burro so quem se baldava e queria, nao venham dizer que tinham de trabalhar desde cedo, nos dias de hoje ainda acontece…

      • Carlos says:

        Não, antes de 74 portugal era analfabeto, e não e pelos teus avós saberem ler que isso nao é verdade.

      • Gonçalo says:

        looool depenpe, se calhar era uma boa oportunidade para ires estudar um bocadinho o que se passava na altura e a taxa de analfebetismo em Portugal e sim a enorme parte das familias principalmente fora das cidades como Lisboa e Porto, tinham que meter as crianças a trabalhar bem novas, onde nao havia dinheiro para comer, onde andavam descalço que nao havia dinheiro para calçado e iam até quarto ano algumas crianças.

  11. André says:

    *pessoas sem formação

  12. Nazgul says:

    Eu acho estupido! a quantidade de pessoas que aproveita este “feriado”, um dia tão importante para nós todos, para ir para os Centro comerciais, Praia, etc.

    em 1º lugar! os portugueses poderiam ir visitar neste dia outra canto de portugal, ajudar Portugal a crescer é o que se quer.

    Fazer deste dia, um dia ludico para todos nós, não só para as crianças, aprender valores, ética, deveres e direitos neste dia!
    — já que nao os ensinam na escola.

    Este dia, devia ser valorizado, e nao feito dele um feriado como os outros….

    • akueda says:

      se não ensinam valores ética, direitos e deveres nas escolas agora é porque nunca tais coisas foram ensinadas nas escolas, pois são hoje as pessoas que nas as ensinam que também não receberam esses ensinamentos…

      não fales de valores de ética, deveres e direitos que não são ensinados nas escolas, a escola não serve para isso… a família sim serve para isso…

      o que aprendemos em casa é o que mostramos na rua…

      • Carlos says:

        Sim, e o que dizes das pessoas que tiveram o azar de nascer em familias que lhes ensinam os valores errados, a culpa foi deles ou de quem lhes deu educação? Eu defendo que a escola devia ter um papel muito mais presente na vida do aluno, devia ser muito mais abragente do que é, deviamos educar criancas que quando fossem futuros medicos governantes juizes se sentissem emociados com o que fazem e com os que os rodeiam, devemos acabar com este mundo de indiferença, e a melhor arma para isso e a educação das gerações futuras.

        Um exemplo pratico(ha excecões mas esta é a regra), os pais incentivam e bem as suas crianças a estudarem, mas qual o proposito? Um grande ordenado, um bom carro e uma boa casa, e cria-se a ideia que isto vai trazer a felicidade, uns 30 anos depois, vemos essas criancas a serem juizes que deixam os poderosos escapar e prendem os fracos, vemos essas crianças a gerirem municipios e governos e a “desviarem” tudo o que podem. Um politico que consegue dormir depois de desviar milhares que eram para fazer escolas hospitais ciencia etc. simplesmente não teve uma boa educação. A familia nem sempre e a culpada, porque nos somos influenciados de muitas maneiras, mas ainda assim a nossa educação base vai refletir se sempre no nosso futuro.

  13. Luis Rodrigues says:

    Para a maioria das pessoas ( na época até 74) a liberdade de expressão não seria assim tão importante o 25 Abril foi optimo para as classes com liccenciaturas começaram na Admn. Publica a receber fortunas, os Juizes que vivem em casa própria ( pelo que li no livro as faces da justiça de A. Marinho) recebem mais de subsidio de renda que um trabalhador de salário minimo, os militares de alta patente recebem fortunas, os deputados e funcionários da Justiça fortunas e pasme-se com toda a legalidade ainda andam á borla nos transportes públicos este é o 25 Abril os poderosos controlam o aparelho de Estado e as Autarquias governam e legislam para eles com chorudas reformas e regalias prémios, ajudas, automóveis , telemóveis, etc, os pequenos da admn. publica esses nem filhos podem ter porque os salários mal dão para comer um operário auxiliar nem o subsidio de renda do Juis recebe, um aministrativo recebe qualquer coisa menos que 600 Euros, termino a dizer uma estátua e um museu para salazar e já, era mais Honesto que estes bandidos que pilham actualmente o pais sob uma capa de Democracia e Liberdade e que vivem nos seus castelos de carros de luxo e piscinas e férias em condominios fechados, Portugal para os Portugueses e já, ai se eu tivesse um botãozito para estourar com estes chupistas!

  14. Miguel Jeri says:

    O 25 de Abril foi um momento daqueles que só acontecem de 200 em 200 anos… Nunca a participação popular foi tão grande, tão grande o entusiasmo e tão grande a democracia. Está a desaparecer lentamente.
    Lembro-me de uma frase que, estranhamente, foi proferida por Lisa Simpson na famosa série, mas que achei muito lúcida:

    “O preço da democracia é a sua eterna vigilância”

    Que é coisa que nos começa a faltar! Não é por acaso que as desiguladades são cada vez maiores, com lucros que duplicam para os bancos e o grande capital, e direitos que se vão para quem trabalha. Que tratados (autênticas constituições) são aprovados sem consulta do povo português. Que as reivindicações de quem trabalha sejam cada vez mais ignoradas. A democracia esvai-se por muito que nos custe (e custa-me) dizê-lo.

    É preciso manter acesa esta luta que ainda continua. Um bom 25 de Abril!

  15. Miguel Guerra says:

    É verdade que o 25 de Abril nos trouxe a liberdade de expressão que não tínhamos. Mas também nos tirou outro tipo de liberdade. Sim, porque liberade não é só dizer o que nos apetece.
    Acho que o 25 de Abril foi realmente bom para os medíocres de espírito que se aproveitaram do poder no período logo após a revolução e que continuam nesse mesmo espírito até hoje.
    Também foram perdidos muitos valores humanos: ética, lealdade, confiança no próximo.
    Eu vivi antes do 25 de Abril e, o panorama não era assim tão mau como se quer fazer passar. Podia-se viajar para qualquer país, ao contrário das ditaduras actuais, podia-se ir fazer compras a Espanha sem limite de divisas para o exterior, ao contrário do que aconteceu após o 25 de Abril.
    Também não nos podemos esquecer que Potugal estava numa posição económica boa. Após o 25 de Abril o país esteve perto da banca rota!

    Não defendo as ditaduras, muito pelo contrário. Mas que a revolução foi muito mal feita, isso foi!

    Os espanhois também tiveram uma ditadura e, vejam onde eles já estão…

  16. Antonio Vilar says:

    É com uma grande tristeza que vejo o sonho e o sacrifico de alguns portugueses na luta por uma causa nobre, se tenha perdido e destorcido completamente no tempo em prol da ganancia, e da falta de educação com que se vive hoje, a que dão o nome de desenvolvimento, mas que não passa é de uma grande falta de massa cinzenta, e tudo porque é mais fácil andar armado ó pingarelho. Enquanto se passar por cima destas duas simples bases, mas Grandes pilares, viveremos sempre numa desigualdade cada vez maior, não só na riqueza como é mais que obvio, mas no facto da igualdade humana (direitos) etc, não passar de um leve aroma ou uma frase estranha.
    Mais grave ainda que tudo isso é as pessoas acharem que é normal.
    È pena que a tecnologia e os meios de hoje tenha moldado as pessoas, e se tenham perdido e transformado em zombies.
    Onde dantes havia um mau caracter, agora há duzentos em circulo rotativo.
    Dantes para eu ganhar (um) tinha de dar dez, agora para o mesmo (um) tenho de dar (cem) e ainda é um caso a ver, se tenho direito a ele ou não.
    E claro estes pseudo governantes sabendo que a maior parte da população é burra,preguiçosa,de memoria curta,egoísta,oportunista,e tranquila, basta acenar com uma esferográfica ou bandeirinha e vai tudo a correr, não que precise dos artefactos, mas sim para poder pensar que faz parte do grupo de elite, que mais tarde o irá recompensar por isso. E não repara que é um apertar do cinto este ano para melhorar o próximo e assim sucessivamente, já lá vão 34 anos a apertar o cinto mas só para alguns.
    Valha-me Deus.

    Vou é emigrar e tentar esquecer esta grande tristeza, de como se encontra o pensamento a atitude e cegueira das gentes do meu país.

    Viva o 25 de Abril na versão original claro.

  17. pedro says:

    porque ninguém fala de moçambique? engraçado que o 25 de abril não foi SÓ em portugal. reflitam.

  18. JJanuario says:

    “…em termos de economia nem estava mal…” Meus Deus, que ignorância. “confiança no próximo”. Qual próximo? o bufo da PIDE que podia estar ali ao lado?
    Indescutivelmente, os ideais do 25 de Abril ainda estão por cumprir… (os três D’s. Lembram-se?, ou sabem sequer o que são? Bem me parecia…) Mas os ideais são assim mesmo, utópicos… É tão vulgar dizer-se que a memória dos homens é curta, mas é mesmo. Para os que ainda não eram nascidos antes de 1974, ou para os que têm a memória curta, aconselho-os a ver a excelente série “Conta-me como foi”, que passa nos Domingos na RTP1.
    Podíamos estar melhor?… Sim, podíamos!… Mas estamos INCOMPARAVELMENTE MELHOR que antes de 1974.

  19. Carlos Veras says:

    Digam o que quizerem, mesmo não sendo português, 25 de abril permitiu essa página na web exatamente como se apresenta!
    Liberdade!
    Parabéns.

  20. Luis Rodrigues says:

    A César o que é de César, 1.º existe uma série de avanços tecnológicos e outros que são devidos ou avanço cientifico e tecnológico e não à; revolução, evidentemente que se não tivesse existido a revolução hoje teriamos igualmente liberdade de expressão, 2.º O principal motor da revolução corrijam-me se estiver errado, não foi a liberdade, foi sim mais dinheiro e regalias e reinvidicações a coisa por acaso correu bem podia ter corrido mal,3.º os militare a maioria foi de armas na mão porque lhe mandaram nem sabiam ou que iam e porque não há nada mais estupidoque um militar se lhes tivessem dito para matar criancinha até isso tinham feito porque com militares tudo se faz não importa o que seja ordenado des-de que o tipo que dá aordem tenha uns riscos no ombro tudo está legitimado, veja-se o caso da Alemanha com os Judeus , Sérvia Bósnia,Africa Sul , Estaline, Ad Infinitum, 4.º e ultimo a Democracia está igualmente legitimada pelo poder das armas e quem pensar diferente é preso, veja-se o caso do tipo de extrema-direita que foi preso pelas ideias, o estado pilha-nos e diz-nos tenho muita pena mas nada podes fazer senão calar-te porque nós somos o braço do poder as Finanças roubaram-se cobraram-me ao abrigo da lei por dinheiro que nunca tive e que provei nunca ter tido mas como eralei pilharam-me, é esta a Democraçia como não tinha dinheiro não me pude defender.

  21. Nelson N says:

    Democracia? onde anda? Igualdade? o que é isso? os políticos tem uma reforma de luxo aos 45 anos, e o desgraçado do Zé se tiver o azar de ter uma doença grave que o impeça de trabalhar antes dos 65 anos que reforma tem? Antes de 1974 não tinham direito a reforma, mas também não descontavam para ela! E agora? Anda o Zé a descontar dezenas de anos para que? Não havia o Serviço Nacional de Saúde, e agora há? Sim para alguns há. Não esta democracia não quero. Por tudo isto (e muito mais), o melhor serviço que posso fazer pela Democracia é: NÃO VOTAR
    Resta dizer que em linhas gerais estou de acordo com o António Vilar
    Viva a Democracia a sério

    Vós que lá do vosso Império
    Proclamais um Mundo Novo,
    Calai-vos que pode o Povo
    Querer uma Mundo Nova a Sério

    António Aleixo

    • bigkax says:

      “o melhor serviço que posso fazer pela Democracia é: NÃO VOTAR”
      Não votar que dizer que não te importas com o que eles fazem, VOTAR EM BRANCO significa que não está satisfeito com as opções que tens. Gostava de ver todas as pessoas que não votam a votar em branco, metade do pais a se mostrar insatisfeito, ia ser lindo.

      • Kekes says:

        Valia alguma coisa? Votar por votar vota-se em alguem! Mesmo que não estejamos satisfeitos existe sempre alguem que nos agrada mais. Não vamos deixar de ter governo ou eles vão tomar atitudes diferentes por causa disso.

  22. Laggunna says:

    revolução

    do Lat. revolutione

    s. f.,
    acto ou efeito de revolver ou de revolucionar-se;
    sublevação;
    insurreição política;

    fig.,
    insurreição que tende a modificar a política ou as instituições de um Estado;

    1 – Como acima se pode veririfcar não há dúvida que o 25 de Abril foi uma revolução!

    Mas terá sido a revolução que se pretendia (já aqui houve quem disse algo muito importante “Em espanha também houve ditadura e vejam onde eles estão”).

    O debate está muito interessante mas às vezes cria-se alguma confusão, por vezes não se diz o que se quer, não nos fazemos entender ou, não nos entendem!

    2 – Ninguém nega, pelo menos não o deverá fazer que, o 25 de Abril de 74 foi de suma importância para o país. Pôs fim à guerra do ultramar, abriu portas à democracia e ao mundo. Muitos países nem sequer tinham relações institucionais com portugal. A economia cresceu, portugal modernizou-se, as leis socias, a vários níveis melhoraram, portugal está hoje na União Europeia.

    Isto é inegável.

    3 – Mas há que separar os aspectos econónicos dos aspectos sociais. A relação interpessoal melhorou também. Hoje, sentimo-nos livres para dar a nossa opinião, para manifestar as nossas discordâncias sem que ninguém nos venha prender mas, será que de facto as coisas melhoraram assim tanto nesta campo?

    Creio que é sobretudo nesta área que não houve grandes progressos, ou melhor existiram progressos e muitos retrocessos.

    É claro, que isto nada tem a ver com o 25 de Abril, esta revolução na sua essência foi boa, teve o seu mérito e todos aqueles que sofreram para que hoje possamos estar aqui a manifestar as nossas opiniões são dignos da nossa homenagem.

    O que acontece é que, em Portugal (e no mundo) as coias mudaram de tal maneira que nós não soubemos lidar com elas. Não era este o espírito da revolução. Não era este o caminho que os portugueses concerteza desejavam e ambicionavam.

    A democracia embora seja o únicpo caminho que vislumbro trouxe também muitos malifícios e são esses que por vezes se confundem com o advento do 25 de Abril e do progress.

    Mas, de facto, quando descemos ao Portugal real, ao portugal dos operários, dos pobres e dos desfavorecidos deste país e deste mundo, o 25 de Abril não existiu, aliás piorou.

    Hoje pode-se falar mas, mesmo em espanha, já aqui se falou do progresso espanhol, escravizam-se pessoas. Os patrões contratam, despedem, não pagam ou pagam o que querem. Liberdade de expressão. Vais para a rua no mesmo dia e vai lá falar para ver o que te acontece? O governo impõe a sua maioria e criam-se as leis que favorecem os amigos e os boys. O pobre não pode construir uma casa no único terreno que o pai lhe deixou na Arrábida mas o rico pode desbravar metade da serra e construir um palácio. Não se pode destruir as dunas mas os hoteis dos grandes grupos ecómicos são construidos dentro da praia. Alteram-se traçados de estradas, expropriam-se os desgraçados que têm lá uma casa que levaram uma vida a construir para os terrenos ficarem livres para os poderosos constuirem lá ricos condomínios. Lançam-se obras públicas para favorecer e fazer crescer as grandes e poderosas empresas dos amigos. Aliás para onde mais tarde se vai trabalhar. O empregado de escritório é obrigado a fazer limpezas senão vais para a rua. Os estudandes, licenciados, vão trabalhar para o Macdonalds com contratos a prazo ou a recibo verde, claro. E o estado é o pior neste campo. O patrão não te paga e tu pedes-lhe o dnheiro. Ele coloca-te um processo porque lhe chamaste caloteiro e o desgraçado perde. A justiça é só de alguns e para alguns. Um filho da mãe dá-te um tiro num pé porque lhe fizeste um reparo sobre a ultrapassagem perigosa que ele te fez. Tu ficas com o tiro, ele é presente ao juiz e vem cá para fora gozar-te. Tu, cidadão exemplar, respeitador, cumpridor, apanhas o ladrão na tua casa a roubar-te, dás-lhe um tiro no pé ficas preso por excesso de legítima defesa.

    Todos conhecemos maravilhosos exemplos e podíamos estar aqui 3 dias a citá-los.

    E é neste apecto que a actual sociedade está muito, muito, muito pior (poderia aqui repetir os muitos como alguém já o fez acima) que não seriam suficientes.

    Com a ditadura existiam muitas coisas más mas ao menos eramos só desrepeitados pelo estado. Agora somos, desrepeitados e insultados por todos e qulaquer um. Há um sentimento de desrespeito e impunidade impares.

    Creio bem que é neste sentido que as pessoas muitas vezes falam, quando comparam o antes com o pós 25 de Abril. É claro que não podemos tomar uma parte pelo todo mas, infelizmente este não é o portugal que eu queria. E, não é certamente o Portugal que o meu avó (comunista que viveu na clandestinidade) queria para o seu Portugal.

    Eu sou apartidário e os comunistas de hoje também já não são os de ontem. Hoje, existem mais comodistas (em todos os partidos) do que outra coisa e infelizmente o país não avança.

    Bem hajam!

  23. Miguel Jeri says:

    Viva Miguel Guerra
    Reparei no que disse em relação à saíde de divisas para o exterior. Só para esclarecer (caso seja necessário) que Isso deveu-se porque de facto não é num dia que as coisas mudam totalmente, e grandes grupos económicos, especialmente a banca, não tinham grande interesse numa revolução do povo. No pós-25 de Abril, deram-se grandes saídas de capital para o exterior numa tentativa de deitar abaixo a revolução, criando uma crise artificial. Foi essa a razão da nacionalização da banca (que há dias comemorou o seu aniversário também) e do limite temporário de saída de divisas para o exterior: impedir a saída de capitais ilegais. Neste momento, esse limite já não se justifica.

    É curioso que este método também foi utilizado no Chile, logo após a eleição de Salvador Allende, primeiro presidente marxista da América Latina. Nesse então, os grandes produtores chegaram a alegar falta de produção enquanto mantinham os armazéns cheios de produtos prontos a entrar no mercado (ou destruíndo-os), criando assim uma crise no abastecimento desse país, e criando mal-estar social. Só mais tarde se deu o golpe de Pinochet.

    Em relação à boa posição económica, só se for para os mais ricos. No período pré-revolução éramos pobríssimos, uma país praticamente rural e muito mais desigual do que no nos anos 70, 80 e 90. O custo da guerra era tão grande que nem era publicado, e com uma Guerra Colonial seguramente estaríamos mais perto da bancarrota que sem ela.

    Bom 25 de Abril
    Miguel Jeri

  24. José Machado says:

    Caro Vítor:
    Se estiver dentro dos “cânones”, pode publicar este meu comentário:

    Com todo o respeito e consideração por todas/os que se dispuseram a emitir a sua opinão sobre este tema, perdoem-me que sublinhe o seguinte:
    1º Às vezes dá-me a sensação de que os que nos governam, em qualquer área que se queira, foram escolhidos por estrangeiros ou por marcianos…
    2º É bem mais difícil viver em democracia do que em qualquer outro sistema político conhecido se se for esclarecido e…se se tiver espinha!
    3º A democracia é um sistema político em que não cabe o “sebastianismo”, coisa em que, infelizmente, continuamos a ser os maiores…
    4º Participar (incómodo), ouvir o outro (chatice), dar razão ao outro (impossível), reconhecer o nosso erro (nem pensar), assumir a responsabilidade, o risco(como!?), ser solidário (o que é isso?), etc, etc, com isto se constrói uma democracia.
    5º Criticar é inútil. Esclarecer-se, fazer por saber mais, participar sugerindo alternativas, é incómodo mas a única forma de melhorarmos o sistema, antes que …
    6º Uma revolução abre portas, dá oportunidades, não constrói sistemas.
    7º Saibamos aproveitar “as portas que Abril abriu”.

  25. Miguel Guerra says:

    A “democracia”:

    Fernando Nogueira:
    Antes -Ministro da Presidência, Justiça e Defesa
    Agora – Presidente do BCP Angola

    José de Oliveira e Costa:
    Antes -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
    Agora -Presidente do Banco Português de Negócios (BPN)

    Rui Machete:
    Antes – Ministro dos Assuntos Sociais
    Agora – Presidente do Conselho Superior do BPN; Presidente do Conselho
    Executivo da FLAD

    Armando Vara:
    Antes – Ministro adjunto do Primeiro Ministro
    Agora – Vice-Presidente do BCP

    Paulo Teixeira Pinto:
    Antes – Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros
    Agora – Presidente do BCP (Ex. – Depois de 3 anos de ‘trabalho’, Saiu com
    10 milhões de indemnização !!! e mais 35.000€ x 15 meses por ano até
    morrer…)

    António Vitorino:
    Antes -Ministro da Presidência e da Defesa
    Agora -Vice-Presidente da PT Internacional; Presidente da Assembleia Geral
    do Santander Totta – (e ainda umas ‘patacas’ como comentador RTP)

    Celeste Cardona:
    Antes – Ministra da Justiça
    Agora – Vogal do CA da CGD

    José Silveira Godinho:
    Antes – Secretário de Estado das Finanças
    Agora – Administrador do BES

    João de Deus Pinheiro:
    Antes – Ministro da Educação e Negócios Estrangeiros
    Agora – Vogal do CA do Banco Privado Português.

    Elias da Costa:
    Antes – Secretário de Estado da Construção e Habitação –
    Agora – Vogal do CA do BES

    Ferreira do Amaral:
    Antes – Ministro das Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante
    de Vila Franca de Xira à Lusoponte)
    Agora – Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o contrato.

    etc etc etc…

    O que é isto ? Democracia?????

  26. Bruno says:

    eu acho que foi uma revolução gay

  27. Berserker says:

    Bruno
    Esses comentários sao dispensáveis sabes lá os problemas que o 25 de Abril trouxe os soldados deram o corpo pela nossa liberdade”democracia” lol e tu tas pra ai a falar merda? desceulpem o termo mas é a verdade que ele merece ouvir se não da valor ao 25 de abril ele devia ver como era portugal com o salazar…. cresce e aparece miudo…

  28. mjmft says:

    @Miguel Guerra

    “Os espanhois também tiveram uma ditadura e, vejam onde eles já estão…”
    E onde já estavam eles no tempo da ditadura? Apesar de serem ambos ditadores, Franco e Salazar tinham uma versão muito diferente das coisas.
    Salazar, com a mania do “Orgulhosamente sós” nem o plano Marshall aceitou.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Plano_Marshall

  29. mjmft says:

    Já agora vejam o que Cavaco Silva sobre a ignorância dos jovens sobre o 25 Abril

    http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=342119&visual=26

  30. ZiLOG says:

    O 25 de Abril pode ter trazido liberdade às pessoas, mas este país cada vez está-se a afundar mais e mais. E a culpa é dos Governantes com certeza. Os Ricos estão cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres.
    É uma tristeza com certeza.

  31. Prius says:

    Não sei como era a vida antes do 25 de Abril, só nasci meia dúzia de anos depois. Mas sei que agora temos uma arma muito importante para mostrarmos a nossa indignação perante as políticas actuais e ninguém a utiliza… Preferem ir passear para a praia ou para um qualquer centro comercial, ou então simplesmente ficar em casa de papo para o ar depois de aviar uma “mini”… Essa arma de que vos falo é o VOTO. Imaginem que, se em vez de termos nas próximas eleições 45% de abstenção (como já é costume) tivessemos 45% de votos em BRANCO…. Imaginem só….

  32. probiotico says:

    O 25 de Abril foi uma ferramenta posta nas mãos deste povo que não quis ou não
    soube dar-lhe o devido uso.
    por isso estamos como estamos
    abram os olhos
    (ferramenta leia-se voto)

    SL

  33. bruno says:

    o analfabetismo é um problema muito importante na medida em que a partir deste a comunidade política aproveita-se da reduzida capacidade crítica por parte da grande maioria do povo, vendendo assim as suas promessas que nao passam de ideias que nao chegam a serem concretizadas…

    Isto precisa mudar caso contrário a mentalidade deste povo português nao evolui!!!

  34. Pedro says:

    @ André

    Antes tinhamos uma grande taxa de analfabestismo, é verdade. Mas as pessoas ao menos sabiam desenrascar-se, sabiam mexer as mãos porque eram obrigadas a trabalhar, hoje é só licenciados é verdade, mas só na teoria, na prática não fazem nada.

  35. big says:

    “Ora a participação activa e generalizada foi uma das características marcantes daquela revolução”

    Não poderia ser mais falso. A “participação activa e generalizada” significa quantas pessoas? 1 milhão, dois? Acaso sabe quantos milhões de PORTUGUESES existiam em PORTUGAL nesta altura?

    Deixe-se de tretas. Após o 25 de Abril, em teoria o dia da LIberdade fui perseguido, roubado e atentaram contra a minha vida. Eu e muitos milhões de portugueses que não participaram no 25 de Abril nem sabiam que este estava a acontecer.

    O Prof. José Machado parece ter idade para ir a um qualquer arquivo e saber o que se passou com todos os PORTUGUESES que não viviam à beira Tejo. Eduque-se que já é tempo.

  36. Miguel Guerra says:

    “É melhor acender uma uma vela, do que amaldiçoar a escuridão.”- Confúcio

    Infelizmente a vela não foi acesa…

  37. Ricardo Oliveira says:

    …isto foi a única coisa o q trouxe o 25 de Abril!!!!
    Isto o q^?….liberdade de expressão!

    Cada um tem a sua ideia, cada um acha o q achar e mais importante…cada fala!!!

    Ainda hj oiço a minha mãe a dizer…”no meu tempo era uma sardinha para 4….”…e eu digo …”hj quero comer uma sardinha e n consigo!”

    Haja Sol e o povo está contente!

    • zombie says:

      O que a tua mae diz, é a mais pura das verdades, infelizmente para essa geraçao! Mas se estas tao desgostoso agora, volta para esse tempo, e ao invesd e comprares um smartphone da moda, passas a divider a mm sardinha, com a tua mulher e os teus dois filhos e mm sem o tal sol, ficas mais feliz.

  38. Vítor M. says:

    A arma do povo é o voto… o povo vota logo fica desarmado!!!

    • zombie says:

      Nem mais, resume-se a um poder ilosorio de escassos …SEGUNDOS !!! Frase celebre de um conhecido politico norte americano ( n me recordo do nome exactamente), que a grande diferença entre uma ditadura /oligarquia e a democracia, é que nesta temos realmente o poder nas maos do povo de quatro em quatro anos, no momneto de apor a cruzinha….; dp, bem dp, quem la fica, diz-se legitimado, para mandar o programa que o elegeu as favas e fazer o que muito bem entende.
      MM assim, Churchill, tinha razao qdo dizia
      “A democracia é a pior forma de governo, salvo todas as demais formas que têm sido experimentadas de tempos em tempos”.
      E ja agora tb dizia coisas destas
      “Eu prefiro ver as finanças menos arrogantes e indústria com mais capacidade.”

      Nao foi nenhum santo, ate defendia a eugenia social e a gaseificaçao das populaçoes inocentes alemas, mas que era um visionario a frente do seu tp n restam duvidas.

  39. Miguel Jeri says:

    hehe, é verdade, e a arma não deveria ser apenas o voto. Isso seria admitir que a democracia se esgota no voto o que, pelo menos para mim, é claramente insuficiente.

    E não digam que o que trouxe Abril foi apenas liberdade de expressão… foi muito mais que isso! Foi democracia social, foi educação pública, gratuita, foi saúde pública e gratuita, foi cultura acessível, foi desporto acessível, foram mais direitos para quem menos tem e pode. Foi o fim de uma guerra, o fim de um obscurantismo que gastava milhares na guerra enquanto deixava um país pobríssimo e pouco industrializado. Tudo coisas que, sem excepção, têm vindo a ser destruídas paulatinamente até à data, reconheço.

    Chamo a atenção para o comentário de Miguel Guerra, nº 26, que é ao mesmo tempo interessante e preocupante e que foi um tema que já teve discussão na Assembleia da República.

  40. Ricardo B says:

    O que é certo é que antes do 25 de Abril não havia tanta ciganada e estrangeiros (pretos e dos países de leste) como há agora no nosso país; e as forças policiais tinham muito mais poder (ás vezes de mais é verdade) que levava a existir muito menos criminalidade do que existe agora. Estas foram pra mim as maiores desvantagens o 25 de Abril.

    Ainda assim: Viva ao 25 de Abril!Viva a Liberdade!

  41. Bruno says:

    volto a dizer que isso do 25 de Abril não passou de uma revolução à gay… com flores??? é preciso assistir para acreditar!

  42. Inc says:

    25 de abril a liberdade conquistada pelos militares para as pessoas… a eles o grande agradecimento…

  43. Katanagashi says:

    que tristeza… sinceramente, custa-me a acreditar que apesar da tal falada liberdade ninguem ainda se deu ao trabalho de LER… nao a propaganda portuguesa, tou a falar do que todo o mundo escreveu de portugal… escutar… não os que nada sofreram antes e depois do 25 de abril, mas aqueles que passaram por tudo.. afinal esse foi o real ganho do 25 de abril, a liberdade

    ainda mais triste é ver pessoas a acreditar mais em estorias (portugues verdadeiro e correcto que já só se encontra em dicionários) de ficção como a tal serie da rtp (ainda que baseada em acontecimentos reais, é uma estoria escrita pelos vencedores que a contam como querem) do que as historias que as pessoas contam (notem a diferença na escrita da palavra), já são poucas as pessoas que conheceram o regime na sua totalidade e que já eram adultas quando o regime começou.

    falam-me de torturas… infelizmente conheço mais gente que foi torturada durante o pos-25 de Abril do que antes desse dia… e olhem bem que o meu avô esteve preso por ser partidário do PCP e sou da região do vale do Tejo. não digo que não tenham existido no estado-novo, digo que mesmo depois da revolução a tortura continuava a existir e nao foi o 25-Abril que mudou isso

    falam de iliteracia… já viajei em Portugal de norte a sul, e em todas as terras por mais pequenas que fossem aí estava uma escola feita por Salazar, cheguei ao ponto de ver uma escola com pouco mais de 10 casa à volta. Podem dizer que não chegou, mas se formos a ver o antes de salazar e o depois de salazar, a iliteracia baixou bastante mais durante o tempo dele, do que de 25 de Abril para cá já para não falar de outros aspectos politico-sociais.

    um antigo membro partidário do pcp (ate 78) disse-me que sentia tristeza de que o 25 de abril não lhe deu o que planeava, e que no lugar de sonhos vieram outras censuras para substituir aquelas que tinha criticado… a censura não desapareceu, ela ainda aí está (vão ver a quantidade de pessoas que me vão criticar por expor as minhas ideias Livremente), procurem por FP-25 e dificilmente encontraram sendo agora a unica referencia uma revista da Times que só conseguem aceder através do historico da Times. Mais recentemente foram silenciadas as opiniões no caso da licenciatura do nosso actual PM

    a falar em Times:

    “If Portuguese had felt boastful instead of wistful, there was material for self-congratulation about their Government and their way of life. Britain, their old ally, banker and protector, now owed them £80,000.000. Spain, their old rival, was in the United Nations’ doghouse, while Salazar, in spite of his anti-democratic sympathies, had pursued throughout World War II a serpentine policy whose final tack was enough in the Allies’ direction to earn their tolerance, if not their approval. The Portuguese national budget, thanks to Salazar, was always balanced these days. (It had shown a deficit in 68 of the 70 years before 1928.) Portugal’s exports were much higher than before the war; her merchant marine was about to double its tonnage and her fishing fleet was expanding. Portugal’s shop windows were full of luxury goods unobtainable in most of Europe. Her currency unit, the escudo, was steady at four U.S. cents. ”
    in Times, 22 de Julho 1946

    penso que ninguém neste mundo pode por em duvida um artigo da Times… e este artigo fala precisamente o contrario do que passa hoje.

    Apesar de tudo isto, ninguém é santo… e o regime teve os seus defeitos, e isso é a única coisa que toda a gente gosta de ler e falar como é o bom costume português. É verdade que existia pobreza, fome e PIDE (hoje temos ASAE cuja definição é quase igual à primeira definição da PIDE).

    Como já foi dito, “Aproveitem as portas que Abril abriu”, aproveitem a liberdade, aproveitem para ler, para ouvir e sobre tudo para pensar (algo que hoje em dia não é muito popular), de certeza que não vão descobrir que tudo era mentira, mas talvez encontrem motivos suficientes para questionar se o “Satanás” não era na realidade um demónio um pouco mais pequeno que isso.

    Abril deve agora abrir as portas para a verdade…

    • zombie says:

      Os tipos da Time, sabiam la a realidade Portuguesa ! Nao eram eles que dividiam a tal sardinha por 3 ou 4 e uma codea de broa !!! N eram eles k n tinham electricidade, agua potavel, assistencia medica condigna, casas ou melhor cortiços miseraveis, sem alguma salubridade, n eram eles k tomavam banho de agua gelada nos tanques ao ar livre, k andavam horas a fio debaixo do calor e da intemperie, a e para ir trabalhar, pq nem trnasportes havia, descalços ou com xanatos ja quase sem solas, pq n havia dinheiro pa comprar novos, n eram a eles que impediam de ir a escola, pq faltavam braços pa trabalhar e levar uns tostoes para casa, e muitas vezes a base de cargas de porrada intensivas, n eram eles k tinham de usar mini cortiços exteriores com apenas uma banca em madeira, a servir de wc, n eram eles k limpavam o esfincter a folhas de jornal ou a erva, quando nem isso havia…n eram eles k n tinham um telefone a mao para usar numa emergencia, etc etc etc…!A Time tem tanta credibilidade, como qq outro pasquim, qdo se mascara a realidade. Os brasileiros tem um aforismo optimo para isso “Pimenta no cu dos outros, é refresco”.

  44. Prius says:

    Pois fica, mas só porque votam sempre nos mesmos partidos e depois vêm para a rua queixarem-se dos políticos que eles elegeram. E ainda pior são os que não votam e depois justificam a sua acção com um “não vale a pena ir votar, é sempre a mesma coisa…”

  45. probiotico says:

    Mas porque razão o voto num pais livre é uma arma ?
    Espero que esta maneira de pensar seja erradicada das mentes dos mais novos
    e que o futuro deles seja melhor do que foi até aqui.
    Não perdi a esperança.

    SL

  46. IceCube says:

    Acho que este 25 de Abril já passou de prazo.

    É tempo de correr com estes parvos e estúpidos que nos governam e que nos sugam todas as nossas economias, em troco de nada. Não temos saude, não temos educação, não temos segurança, não temos estradas, e isto em troca de uma suposta liberdade !?!? Esta liberdade está paga, e mais que paga com juros.

    Acho que é a altura do povo Português se juntar em torno de um bem comum, e fazer um novo “25 de Abril” e dizer a estes energúmeno de supostos políticos um grande “jamais”

  47. Pedro says:

    @ Katanagashi

    Ainda bem que existe a ASAE, não é de todo tão bom como a PIDE mas vai desenrascando nalguma coisa.

  48. Nuno G. says:

    Boas!

    Jovem que sou, não vivi o 25 de Abril de ’74. Também não tenho a certeza se o que aprendi na escola sobre este mitico dia será inteiramente verdade.

    Nesta democracia em que vivemos, a minha arma é o voto. Mas desde que sou eleitor que uso a minha arma na tentativa de mostrar que algo está mal, e no entanto, nada mudou! Continuo a trabalhar para que alguem possa não trabalhar…

    Tenho a certeza que vivo no limite das possibilidades, e ainda assim não tenho a certeza se este será um bom país para fazer a minha vida!

    Cada vez trabalhamos mais, por menos. Vivo inseguro, pois nunca sei quando serei abordado num daqueles fantásticos car-jacking, ou quando chegarei á garagem e o meu carro ter sido levado numa “limpeza” ao prédio…e isto para não entrar nos campos da política: seria um texto demasiado longo…

    25 de Abril : o povo ficou contente, pois revoltou-se.
    Mas será que as coisas mudaram assim tanto?

  49. Inc says:

    O 25 de abril… foi no conceito uma coisa boa . A revulocao foi feita para criarmos um pais melhor.. O 1 passo foi dado com a revulocao, cabia aos politicos criarem um pais( e as ex-colonias), uma vida melhor as populacoes e desenvolver mais o pais.
    -Mas muitos dakeles que andaram a por os pes na bandeira em Paris foram recebidos como herois..
    -o pos 25 de abril (no chamado verao quente) tropas lusas a lutar contra tropas lusas..
    – a democracia contruida até hoje sera melhor?

    Ha necessidade que as coisas se modifiquem pois como esta, não da muita esperança..

  50. flamingbeaver says:

    Ahahah, nós os portugueses, nunca estamos contentes, e nunca estaremos, mas também nao fazemos nada para melhorar! O tipico tuga, abre a boca e nao faz nada, é a politica do salve-se quem poder, porque metade de voces que vêm para aki mandar bocas, se tivessem oportunidade, faziam o mesmo. Somos uns irresponsáveis, preguiçosos, hipócritas.
    Este país nunca vai mudar, só se ficar tudo muito mal, e como ainda está bem para alguns…Assim vai continuar. Falar é fácil, o acto em si, é o ver se te vias!

  51. Guia says:

    Temos liberdade de expressão, mas temos uma economia podre e corrupta, leis criadas para os ricos e poderosos. Tou muito contente com a revolução. Os revolucionários eram um gajos porreiros, mas a avó deles é que nunca devia ter nascido…

  52. Guia says:

    Pois e os cabrõezinhos cobardões que andaram a pizar a bandeira fora daqui foram recebidos como heróis. Só mesmo neste país…

  53. joazito says:

    Sinceramente, mesmo que o preço da liberdade fosse o afundar económico do país que alguns até parece acreditar que aconteceu, eu acharia que ainda teria sido uma pechincha.

    LIBERDADE!

  54. armando cunha says:

    A DEMOCRACIA não se esgota no voto.O que é feito da participação na vida do país? Porque não começamos com aquilo que está perto de nós “os grandes incêndios começam quási sempre com uma pequena faúlha”sejamos activos e participativos p.ex assembleias municipais e juntas de freguesia, reuniões de condomínios, reuniões de pais nas escolas, não deixemos que sejam os OUTROS
    a tratar dos nossos assuntos , e talvez assim não digamos tão mal dos outros, a responsabilidade será nossa.
    É necessário não só um 25 de Abril na politica, mas também uma revolução nas mentalidades, e isso não nos pode ser dado por NINGUÉM, só começando por nós próprios

  55. Daniel says:

    …25 de abril, de certo nos troce independência, só nos falta agora é um acontecimento que nos traga a justiça…
    (vós de uma nova geração ansiosa de trazer uma nova revolução)

  56. Desiludido says:

    25 de Abril??? o que ganhamos e o que perdemos?, será que ganhamos mais do que perdemos?, ou será que ficamos na mesma de outra forma?, ou será que apenas tiramos o poder a uns, para dar a outros?, deixamos de estar calados para passarmos a poder falar, mas…quem nos ouve?, perdemos segurança nas ruas, mas ganhamos a capacidade de poder matar mais livremente, deixamos de estudar ate a quarta classe como escolaridade obrigatoria, e ganhamos um decimo segundo ano apenas para nos guardarem, porque para aprendermos temos que ter dinheiro, será que ganhamos no campo da saude?, se calhar quem tem dinheiro ate ganhou os outros….bem os outros que vão sobrevivendo como podem, o que é que ganhamos?, ganhamos uma nova classe Politica que promete promete promete e…. rouba-nos cada vez mais, perdemos o fascismo, mas….que raio de nome é que vamos dar agora ao que se esta a passar?, se não é fascismo, será o quê?e não estara a ser igual ou a caminhar para pior do que o fascismo?, não estaremos a completar o ciclo da era do 25 de Abril? sim porque a desilusão vai ganhando força, só os ceguinhos é que não querem ver e os que teem olho em terra de cegos pensam que jamais os ceguinhos irão ver, mas…tomem cuidado, quando menos esperarem vão provar do veneno que nos teem vendido, por isso digo está na hora de pensarmos no…dia seguinte ao 25 de Abril e construir a sociedade que nos prometeram, já passaram 34 anos a brincar e a gozar com o povo, lembram-se aquele que apregoam que é quem mais ordena, está na hora de correr com todo o lixo que nos tem governado desde o famoso 25 de Abril de 1974 e abrir as portas ao futuro.

  57. r b says:

    Cada vez mais me convenço que o povinho é completamente parvo de todo.
    Aprendam a ler e não falem de cor.

  58. Navyseal says:

    Acho piada que se continue a enaltecer unicamente as coisas boas do 25 de Abril, numa atitude de optimismo, como se metendo debaixo do tapete as coisas más. O povo passou a ser individualista e egoísta, já só a função pública é quem faz greves, não há fiscalização, a regionalização contida na constituição nunca avançou, de opressão passamos a libertinagem, entramos numa união com outros países que nunca foi sujeita a referendo, o povo está completamente afastado da politica e longe vão os idealistas do 25 de Abril. Temos hoje duas realidades, a de quem tem poder e a dos outros.
    A economia que tínhamos nos anos 60, está hoje reduzia a uma economia comparável a 1900 a 1909.
    Vivemos todos embriagados numa falsa felicidade oferecida pelo futebol e novelas, suportada por créditos estrangeiros, até ao dia que batermos no fundo.

    25 de Abril, onde estás tu?

  59. Vítor M. says:

    Hoje, a esta distancia temporal e com a actual conjuntura social e politica, entendo que o 25 de Abril de 1974 foi um trabalho de amadores.

    Amadores não pela vontade e pela coragem, mas sim pelo serviço que deixaram de fazer.

    Alguns que hoje andam de cravo ao peito e que vemos neste dia nas televisões sentados na Assembleia da República deveria ter sido fuzilados e não agraciados.

    São eles o veneno, são eles que alimentam a podridão que contamina a classe politica.

    Lembram-se certamente de políticos que queimaram no exílio a bandeia de Portugal, lembram-se de políticos que, num acidente de avião, são apanhados com contrabando de marfim, lembram-se de políticos alimentados com riquezas extorquidas das ex-colónias, lembram-se de jovens políticos ao lado de Jonas Savimbi e hoje são alimentados pelo erário público, como parasitas a gravitar o ócio, crime e apanhados em escutas perniciosas.

    Sim batam-lhes palmas que eles engordam as contas bancárias aos milhões e tornam este país num local onde vale quem tem cunhas e amigos na politica… esquecendo o mérito intelectual.

    25 de Abril deveria ter servido para fuzilar os criminosos e não andarem a colocar cravos nas armas dos soldados e atribuir cargos políticos a bandalhos.

    Viva Portugal.

    • Bruno Coimbra says:

      Concordo Vítor não poderia concordar mais.

      Como amante da historia do nosso pais, vejo que na revolução deveria ter havido sangue, sangue daqueles que eram apoiantes do estado novo, sangue daqueles que queimaram a bandeira de portugal sangue daqueles que traíram o seu pais e compactuaram com a mediocridade que aqui se vivia.

      Em vez disso..perdoamos e como perdão oferecemos cargos políticos grandes fortunas e livre transito para fazerem o que quiserem, realmente somos um pais muito bondoso.

      25 de Abril foi uma oportunidade mal aproveitada, não foram colocadas as pessoas certas nos lugares certos.

    • zombie says:

      Na altuira, para o bem e para o mal, esse tal JONAS SAVIMBI, hj visto como um DEMO , era idolatrado, de uma forma geral, por todo o ocidente, como contraponto, a aproximaçao de Luanda ao regime sovietico e cubano. Nao era apenas uma idiossincrasia Portuguesa. Alias em Portugal, ate existiu sp mais aproximaçao ao poder central Angolano.
      Qto aos tais fuzilamentos, bem tinham que ter começado logo pelo Marcelo Caetano, Americo Tomaz, Silva Pais e mts outros, mas ai imagine-se o que nao se diria hj, desse movimento e das pessoas que o fizeram! Alias algo que sp foi elogiado, foi a forma pacifica e emaciada, de como o movimento foi executado. E comparado com outras “revoluçoes” mais musculadas, apesar de td, o balanço nao nos sera desfavoravel. Agora, que houve “maleitas e bacterias” que existiam e nao foram eliminadas, assim como outras, que se criaram no “caldo” e ainda outras que de desenvolveram posteriormente, no geral, o salto civizacional foi muito positivo. Talvez seja a hora de fazer um novo crivo, mais apertado, mais na essencia; mas tds sabemos que qto mais nos aproximamos do nucleo, mas resistente é o material.

  60. bigkax says:

    “nada mudou desde que Salazar morreu bro
    trouxemos democracia com cravos
    mas só trocamos ditadores por deputados
    e agora em vez de 1 comem 300 a nossa conta
    em nome duma republica que brinca ou faz de conta connosco
    e em cada eleição refaz a história”
    “Que se f*d* a republica e a liberdade de expressão… deixam-me falar mas não deixam que ninguém me ouça.” Royalistick

  61. Bruno Coimbra says:

    Não entendo como podem sequer comparar a situação que se vivia antes do 25 de Abril com a situação pós 25 de Abril (não falo dos minutos aseguir a revolução mas sim no presente em que nos encontramos).
    Não percebo como pessoas que viveram na altura de uma verdadeira ditadura podem recordar com saudade esses tempos das duas uma, ou eram do grupo de apoiantes do Salazar e denunciavam o vizinho do lado ou não se encontravam no pais na altura.
    Portugal era uma miséria autentica, infra estruturas eram zero a saúde metia medo morriam mais nos hospitais que fora deles, o nosso ”chefe de estado” pactuava com o massacre que ocorria pela Europa fora e nem tinha coragem de escolher um lado e decidiu ”ser neutro’ ‘que de neutro pouco tinha. Simulava simpatia por diversas facções politicas tais como os monárquicos (na altura da formação do estado novo eram um apoio considerável).
    Para fazer de Lisboa-porto demorava-se quase um dia de viagem, os poucos que trabalhavam eram explorados trabalhavam de sol a sol ganhavam uma miséria que nem para comer dava, dizem que antes nao havia desemprego..pois não, havia era escravatura.

    É simplesmente ridículo… deixem-se de demagogia barata e de se lamentarem por tudo e dizer que antes é que era bom, porque se tivesse-mos no ”antes” mais de metade de nós não poderia escrever os comentários que escreveu, mais de metade dos jornais rádios e programas de tv blogs eram cancelados e por ai a diante.

    • Primax says:

      Bruno Coimbra, ou é do tempo que trabalhava antes do 25, ou então fala sem saber.

      Como tudo na vida, tem de se ouvir as várias versões que existem e tirar uma ilação.

      • zombie says:

        E pelos vistos, com tanta informaçao e versoes disponiveis, ainda nao conseguiu tirar a sua! E ja agora, o Hitler poderia ate ter sido um santo, pq se nao vivemos esssa guerra, nao poderemos falar sem saber. Vai la vai…ate a barraca abana. Isto ha cada um!!!!
        Ja agora leia p ex isto…em jeito de sinopse, o resto esta na pordata, Ine e afins masp ajuda alguma coisinha…http://www.jn.pt/opiniao/default.aspx?content_id=4531800

  62. aver says:

    Está boa sim senhor, o post é a continuação do de 2008 !

    Bom, então aqui fica o link para o meu “brilhante” comentário, de há dois anos, mais acima (Entretanto houve eleições, entre dois dos nomeados, com os resultados que se conhecem. Se tivesse ganho outro era igual).

    Hoje vou estar atento ao resultado do Braga. Aos discursos na Assembleia da República não estive. Sinal dos tempos. Sinceramente não esperava que estivéssemos hoje num plano descendente. E não estou a ver muito bem como se possa dar a volta por cima.
    http://bit.ly/asoZKw

  63. AirCrack says:

    É tanta a historia do NOSSO povo!
    Orgulho-me diariamente de ser Português, orgulho-me de ser filho de uma geração de Portugueses que lutaram por nós ao longo de séculos.

    Temos mais de 500 anos de historia!!

  64. resposta says:

    humm, what’s up doc?

  65. Oubelhanegra says:

    Ainda bem que existiu “25 de Abril”, mas apenas para alguns aspectos e realço a liberdade, como principal.
    Agora estas politicas que têm evoluídos neste últimos 30 anos é que não se percebe. Desde quando é que devemos enriquecer mais o rico e abusar-mos do pobre, e quando falo do pobre refiro-me à classe média neste país.
    Desde quando é que classe trabalhadora deve andar a sustentar os que não querem trabalhar e apenas querem viver dos rendimentos sociais.
    E termino com a seguinte citação:
    “Quando metade da população entende a ideia de que não precisa de trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a.”
    E por aqui me fico…

  66. PorquinhoBranco says:

    o pior do pós 25 de Abril foi terem acabado com as FP25!!
    Essas é que faziam cá falta pra limpar o sebo a essa ladroagem de colarinho branco que prai anda!!!

    O 25 de Abril é bonito na boca dos putos a quem só é ensinado o que vem nos manuais escolares!
    Onde é que esta a justiça do pos 25 de Abril? O que aconteceu aos criminosos da PIDE?
    Os que eram muito ricos, ficaram ainda mais ricos, os que viviam bem, passaram a viver mal, e os que vivam mal…bem, desses nem vale a pena falar, coitados!
    Revolução sem sangue não é revolução, e esses porcos bem que deviam ter sangrado!!!!

  67. ALk says:

    Se o povo é que mais ordena então porque não fazemos nós a revolução então?

    Acho que temos lutado mas não o suficiente. Enquanto não pararmos todos não há volta a dar.

  68. Miguel Baptista says:

    Boa tarde a todos,

    De todos os problemas que temos, ainda acho que o pior que existe no País é a Justiça.

    O cidadão comum pensa sempre que não vale a pena recorrer aos tribunais porque já sabe os ANOS que vai demorar todo o processo. E os rios de dinheiro que vai gastar. Esta situação descredibiliza todo o sistema, tanto social como económico.

    Quem não viu ontem um “senhor” da Braga Parques a ser absolvido quando ficou provado que tentou comprar um irmão de um vereador de Lisboa por mais de 200 mil euros????

    É com situações destas que a descrença na justiça vai-se agravando…

    Na minha humilde opinião, outro cancro da sociedade são as ligações entre o aparelho político e o privado…

    Mais para cima há um comment dos trabalhos dos políticos antes e depois de política… E está à vista de toda a gente. Enquanto não se acabar com esta pouca vergonha não há qualquer credibilização naqueles que tentam governar Portugal.

    Não é este o futuro que quero para o meu país.

    Cumprimentos

  69. M.Manuelito says:

    Talvez haja um dia, no futuro, em que ordeiramente, ou não, o povo se volte a juntar e faça um 26 de Maio, um 27 de Junho, ou outro dia qualquer, onde se reponha uma certa ética na política, uma certa justiça na justiça e uma certa dignidade e respeito na economia. Estes primeiros 36 anos de 25 de Abril têm sido povoados de um certo Xico-espertismo que o povo já vai tendo dificuldade em aguentar e um dia a “bomba” pode mesmo voltar a rebentar.
    Estamos muito melhor que no dia 24 de Abril de 1974, mas, sem querer entrar em certas utopias de esquerda, reivindicando uma igualdade entre todos, o facto é que os apertos de cinto têm sido muito fracos para os que já eram fortes e muito fortes para os que já eram fracos.

  70. Guilherme de Sousa says:

    o q eu acho mais piada nisto tudo, é q se aparecer aqui alguem a falar de algo de extrema direita, ou ate mesmo direita apenas, é apedrejado. ja falar de comunismo esta tudo bem.
    temos um partido neste pais q utiliza o simbolo da uniao sovietica, e ning protesta, ja se aparece alguem com uma suastica cai o carmo e a trindade. morreram muito mais pessoas pelo comunismo q alguma vez pelos nazis, e no entanto a opiniao publica é o q se ve qt às duas vertentes.

    pode parecer q n tem nada a ver com o tema, mas tem. a mim mete me nojo ver tanta gente, e agr ate ja os mais novos (parece q esta na moda) com idiologias comunistas, qd nem sabem do q falam.

    com todo o escandalo q se ve na tv hj em dia, com o governo de socrates a ser eleito pela segunda vez mesmo com todas as acusaçoes q ja foram feitas, so digo uma coisa, volta salazar! estas perdoado!

    cumps!

  71. Lagunna says:

    Caro Víctor,

    Aqui está uma coisa que nunca me tinha acontecido.

    Existe aqui um falso Laggunna e um usurpador do nick.

    Eu sou o verdadeiro Lagguna que já coloca aqui posts à mais de 2 anos e fiquei muito surpreendido quando vi aqui outro Lagguna que até acaba as frases como eu habitualmente faço, com um bem hajam!

    É uma vergonha o que as pessoas fazem e o quão baixo descem!

    Víctor vê lá se descobrem este impostor e resolvem isto!

    Bem hajam!

  72. Lagunna says:

    Laggunna,

    Já tive oportunidade de enviar e provar ao Víctor que este Laggunna que aqui deixou posts sobre o 25 de abril é um falso Laggunna e um impostor. Acho lamentável uma coisa destas. Mas é preciso andar a roubar nicks aos outros.

    Espero que muito breve o pplware retire estes posts e reponha a verdade do verdadeiro dono do nick.

    Até usa a finalização do comentário exactamente igual – Bem hajam! –

    Do Laggunna verdadeiro que por acaso até usa outro mail para além do que usa aqui para postar e tem uma explicação para o nick e já enviou provas disso.

    É lamentável.

  73. Lagunna says:

    Que tal criar um nick tipo, Víctor M, ou Porquinhobranco ou Navysseal,?

    Acrescento uma vírgula, mudo uma maiúscula por uma minúscula, acrescento uma letra.

    Isto é vergonhoso.

    Desculpem qualquer coisa mas estou indignado!

    Lagunna

    Bem hajam!

  74. Lagunna says:

    Deixo aqui uma sugestão:

    Esta coisa dos Nicks devia ser melhor controlada. Eu estou convencido que o meu é o mais antigo mas, se não, for um devia sair ou ser alterado. Nem deviam deixar que se criassem nicks semelhantes ou iguais com uma simples letra ou ponto (.) a distingui-los.

    Bem hajam
    Lagunna, Laggunna ou Lagguna desde pelo menos 2006!

    • Vítor M. says:

      O primeiro comentário com o nick Laguna data de 2007/08/19 at 10:36am

      O mail é o mesmo utilizado em todos os restantes comentários.

      As derivações: Lagguna ou mesmo Lagunna aparecem muitos posteriormente mas com o mesmo email.

      Anda aqui alguma coisas estranha… mas não é do nosso lado 😉

  75. Lagunna says:

    —-mas, se não for,…..

  76. Miguel Baptista says:

    os lagunna devem ser os irmão separados à nascença por causa da revolução

  77. Lagunna says:

    Pois, deve ser!

    Imagina agora um Miguel. Baptista!

    Isto não é nada doutro mundo mas, se as pessoas vierem para aqui tecer comentários menos adequados pode-se gerar aqui problemas. Imagina que um Miguel. Batista vem aqui ofender e caluniar. Numa primeira análise pode gerar conflitos, mal entendidos e falsas culpas.

    É como digo, não deviam ser aceites nicks em que os users se inscrevem com o mesmo nick ou lhe mudam uma letra, uma vírgula, um ponto, etc.

    Que saia o mais recente e fique o mais antigos seja ele qual for. Ou esntão acrescente-se um número com 2 ou 3 digitos para não haver hipóteses de confusão.

    Lagunna de 2006, pelo menos!

    • Vítor M. says:

      Só não entendo é como há mais de 20 comments (ou mais nem os contei a a partir da primeira folha) todos Lagunna com o mesmo email.

      Acho estranho certas um qualquer descobrir o mail que colocam para comentar.

      Alguém anda confuso… e eu não sou 😀

      Mas se provarem que há um Lagunna impostor, extermina-se o roedor!

  78. RaCcOn says:

    Bem em jeito de Ontopic…

    O problema de tudo isto é que as pessoas nunca estiveram preparadas para ter liberdade seja lá do que for…
    Parecem aqueles animais que estiveram fechados dentro de uma jaula, derrepente abrem a porta e lá vão eles, claro está que vai dar asneira.
    A liberdade é muito linda, mas não pode ser confundida com libertinagem que é o que temos hoje em dia e cada vez mais em maior escala…
    Para quem diz que Portugal estava mal economicamente, é uma mentira, pois eramos considerados um pais rico, aliás acabamos por viver bem durante os primeiros anos pós25abril por causa das reservas de ouro que tinhamos disponiveis.
    Como já foi dito, Salazar era uma pessoa pobre, honesta e isso demosntra que era uma pessoa que queria o bem do pais, podia até não agir de uma maneira correcta mas…os de hoje agem?
    Somos roubados a força toda, democraticamente aceitamos tudo o que nos é imposto…mas o que é isto?
    Aqui quem ganha são os grandes e os pequenos que se lixem…
    Em tom de brincadeira e com todo o respeito pelas pessoas que morreram, sofreram para criar esta revolução…

    Volta Salazar, estás perdoado pah.

    Ah, e não se esqueçam que a revolução não foi feita pelo povo mas sim pelos militares que estavam descontentes com as condições que tinham.
    Isto para além de que se consegue ver bem a distância o que foi a entrada para a União Europeia e a entrega das colónias…

  79. No momento em que escrevo este post, existem 99 comentários. Serei talvez o centésimo. Se o texto inicial despoleta isto, fico muito contente com o 25 de Abril (que vivi com 16 anos). Acho que esta foi uma das razões que levaram o M.F.A. e a generalidade da população a iniciar e ir fazendo o 25 de Abril, todos os dias.
    É necessário dizer que me orgulho muito de me sentir parte de toda essa gente.
    Claro que termino com:
    – 25 de Abril, sempre!

  80. a Friend® says:

    Muito resumidamente a minha opinião do 25 de Abril.

    O que foi bom à 36 anos, hoje é relembrado por uns com alegria, por outros com tristeza.

    Eu pergunto-me… e hoje? O 25 de Abril de 2010?
    Sentem-se felizes? Sentem-se com liberdade? Sentem-se num país justo?

    Muitos dizem:
    “Eu hoje posso falar mal do Governo que não sou preso”

    E eu pergunto:
    “Será por já não existe ditadura ou é porque o Governo está-se a burrifar para quem fala mal? Será que o Povo é quem realmente manda?

    Desculpem se isto “ofender” alguém, mas a mim não me preocupa o 25 de Abril de 1974…. preocupa-me o de 2010 (Se é que me percebem…porque não é de forma alguma desprezar o passado… mas sim o rumo que estamos a tomar…)

    Ditadura, dispensa comentários.
    Mas uma Democracia como esta, com falta de justiça… falta de condições, os “grandes” fazem o que querem… não sei se era este o caminho pretendido por quem lutou no 25 de Abril…

    Eu nasci após o 25 de Abril e vejo os mais velhos falar que “antigamente é que era…” “grandes tempos”… e vejo no presente jovens da minha idade, entre os 20 e 30 anos, a queixarem-se das faltas de condições, falta de justiça, recibos verdes, portagens aqui e ali, estudarem forte e feio para um mestrado para terem uma miséria de ordenado…etc..etc..aquilo que todos nós nos queixamos diariamente (uns mais, outros menos) que sinceramente esta data passa-me ao lado….

  81. João Sousa says:

    Não se soube usar a liberdade porque a esquerda entrou em força e com ela passou-se a uma libertinagem, que é algo bem diferente de liberdade. Se o país mal estava, mal ficou e o exército agiu á imagem do exército do Egipto! Não foi lutar pelo povo ou liberdade do povo e sim pela sua própria liberdade (para escaparem á guerra em África) e pelas suas benesses! Basta olhar hoje para o relatório do Wikileaks que demonstra que somos um país dos generais sentados e almirantes sem barcos! A pirâmide do exército está invertida e quem hoje nas bases sai á rua a clamar por novos 25 de Abril anda enganado e mal informado tal como a geração dos enrascadinhos sem habilitações, pois devem virar-se é contra as suas chefias! Andam para aí muitos patetas a dizer que querem novos 25 de Abril mas é tudo gente mal informada porque não se fazem revoluções em democracia e para ficarem com dívidas na mão. Os modelos de sucesso são os dos países do norte da Europa que arrumaram a casa há uns 30 anos. Na Europa nenhum país quer comunismos ou socialismos. Andaram a vender ao povo português foi facilitismos, políticas de imigração sem critérios onde qualquer um entra para sugar subsídios de inserção que são a grande maioria da despesa do Estado e não grandes ordenados que são uns 900 e se fossem todos distribuidos pelo povo daria apenas 5 eur no bolso a cada papalvo. É só populismos e promessas e a esquerda não aprendeu nada com a crise. Aquele Parlamento na ala esquerda devia ser tudo corrido de lá! As pessoas andaram todas adormecidas a achar que na vida é tudo fácil e sem planeamento nenhum de filhos nem de poupanças e tudo a viver a crédito, casas, carros alemães em segunda mão para o país pagar coimas de poluição que são pagas por todos e vários cartões de crédito no bolso para o consumo. Foi esta a visão mentirosa que o PS e a esquerda venderam e continuam a insistir. Foi também a esquerda a culpada da não existência de uma lei das rendas e dos prédios estarem a cair nas cidades por agirem sempre como forças de bloqueio. Esta gentinha da vida gratuita e do tudo dado e baratinho só usam como modelos países como a Venezuela ou Coreia do Norte. Portugal precisa é fazer uma revolução das mentalidades! Um 25 de Abril das mentalidades porque o povo foi traído mas também está muito ignorante e inculto face aos outros países da Europa e por isso mesmo estamos onde estamos. Já repararam também que os países da crise são todos os países da cristandade? Não é por acaso! Só há duas hipóteses: Ou se segue o caminho de refundar o país, dar mais cultura ás pessoas e seguir o consenso europeu e o modelo de sucesso dos países do norte com o devido tempo ou então aqueles que querem a libertinagem, a esquerda no poder, tem de abrir os olhos para o que representaria a saída do Euro e as loucuras que andam a defender na praça pública como seja o caos nas ruas, anti-troika ou anti-Merkel por pura ignorância e nesse caso, terão vidas ainda mais miseráveis ou inflação galopante e pobreza. Até dá vontade de rir ver aquele idiota do Seguro e apoiar a entrada da Sérvia na Europa, quando o alargamento foi também outra das causas da crise europeia, já para não falar no erro que foi o espaço Schenguen mas para este génio da banalidade, lá venham mais Sérvios, mais tráfico de armas, mais turcos com tráfico de droga. Entrem todos e venham todos chupar os subsídios de inserção!

  82. jack says:

    Obrigado antes de mais ao Prof josé Machado, pela descrição que faz dos acontecimentos, neste curto espaço não poderia fazer melhor, fui com muito orgulho um dos muitos colaborantes deste voltar de página.Só que fiquei triste ao ler alguns dos comentários, claro como se costuma dizer á juventude perdoa-se porque não viveu estes momentos, mas só peço um favor, quando não sabemos nada ou quase, do que era a vida nesta altura, e até de alguns factos que o Prof. não descreveu, por serem muito extensos, não digam coisas sobre o que desconhecem,pois existem pessoas, não sei porque motivo nem sempre falam do que sabem. Agora para terminar só quero dizer que o meu sonho duma sociedade justa e igual para todos, esse sonho como dizia, já se desfez faz muito tempo, deu lugar ao oportunismo ao chico-espertismo e ao salve-se quem puder. Obrigado

  83. Fernando Almeida says:

    A ironia dum texto destes num site onde por várias vezes me passaram com o lápis azul. 😀 Mas td bem, sem ressentimentos.

    • Jorge says:

      Caro Fernando

      Estou solidário pois também levei várias vezes com o lápis azul.
      Coisa que não acreditava que pudesse acontecer.Protestei mas nem se dignaram responder.
      E não, não insultei ninguém, não quebrei nenhuma regra.
      Sem 25 de Abril muito mais lápis azul tinha sido usado em tudo.

      Jorge

  84. Sergio J says:

    Só digo uma coisa: as pessoas falam em pobreza, mas acho que ou estão muitos esquecidos ou não sabem o que é pobreza e a condição miserável que muitos Portugueses viviam antes do 25 de Abril.
    Dizem que mal conseguem pagar a casa ou o carro, mas esquecem que se a estão a pagar é porque os tem.

    Falam que a economia nunca esteve tão mal e eu pergunto, mas nós tínhamos economia?

    Nunca tivemos tantos licenciados desempregados, mas nós tínhamos licenciados?

    Já não vou falar da Saúde ou da Cultura.

    O 25 de Abril permitiu-nos desprender daquela máxima: pátria, família e trabalho. O 25 de Abril permitiu que nós definiríamos o nosso destino. Para aqueles que falarem que destino? Eu relembro para ler a primeira parte da minha opinião.

  85. Violanda says:

    Se fosse só essa a verdade inconveniente ainda estávamos bem , Pplware : A cronologia “Pulsar da Revolução”, elaborada pelo Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra, reconhece o papel do grupo Bilderberg na revolução portuguesa que fez cair o regime liderado por Marcelo Caetano.
    “De acordo com a entrada referente aos acontecimentos do dia 19 de Abril de 1974 pode-se ler que, na sequência da reunião anual daquele grupo – que reúne políticos e empresários num regime de grande secretismo e longe das regras democráticas -, em Megève, França, estava presente, entre outros, Joseph Luns, o secretário-geral da NATO.
    “Ter-se-à tomado conhecimento da iminência de alterações políticas em Portugal e decidido não contrariar a evolução dos acontecimentos, crendo que a mudança política poderia conduzir ao liberalismo económico”, informam os responsáveis da Universidade de Coimbra que concluem ainda que “a presença de Lunz nessa reunião poderá ter determinado o comportamento da NATO no ‘desenrolar do golpe militar de Lisboa’”.
    O principal responsável pelo Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra, Boaventura Sousa Santos, está ausente de Lisboa até ao próximo dia 1, pelo que não pôde assim comentar a inclusão desta referência ao papel do grupo Bilderberg na revolução portuguesa e, sobretudo, referir-se à cumplicidade da NATO no sucesso das operações militares destinadas a mudar o regime em Portugal.
    As referências ao grupo Bilderberg e aos seus encontros anuais são normalmente banidas das páginas dos principais jornais. Os seus membros, poderosos políticos e empresários, são suspeitos de “indicarem” quais os governantes a serem merecedores dos apoios financeiros em vários países por eles controlados – recorde-se que o principal membro português do grupo Bilderberg é Francisco Pinto Balsemão, actual empresário da Comunicação Social e dono, entre outros, do semanário “Expresso” e da televisão SIC. Francisco Pinto Balsemão, à data dos acontecimentos de 1974, ainda não era membro do grupo Bilderberg, mas já dirigia o então influente semanário “Expresso”, fundado em Janeiro de 1973 e, depois da revolução, veio a fundar o PPD juntamente com Francisco Sá Carneiro. No último discurso comemorativo do 25 de Abril, o actual Presidente da República, Cavaco Silva, mostrou-se “impressionado” com o facto de que muitos jovens não saibam hoje o que foi a revolução de 1974.”
    In Gazeta Nacional, 02 de Agosto de 2008

  86. Redin says:

    Bom… Este espaço está bem concorrido.
    Caindo na asneira de verificar se o que eu vou dizer já tenha sido referido, quero dar a minha opinião. Há um lema que começa assim: À primeira caímos todos; à segunda cai quem quer; à terceira caiem os tolos e a quarta caiem os estúpidos.
    O Povo Português está claramente neste ultimo grupo e posso sem margem para duvidas generalizar, afinal é na democracia que ganha quem tem mais votos e como já passaram mais de 40 anos deixa que eu acabe por ter razão.
    ACORDAI PORRA. DEIXEM DE SEREM ESTÚPIDOS.

  87. ARCDOS says:

    O Comunismo já era, o Capitalismo é o que se vê e a Democracia é o que eu se está a ver.
    O Homem (atenção que escrito desta forma também abrange as Mulheres, senão há já alguém a queixar-se).
    Como ia a dizer o Homem, é um animal selvagem, não consegue viver em Democracia, há sempre uma elite que se sobrepõe e controla tudo e todos (antes do 25 de Abril de 1974, comiam 1/2 dúzia, hoje 25 de Abril de 2016, vejam quantos comem? E sem nenhum pudor, passando muitos até por serem benfeitores desta sociedade. Pasme-se mas é verdade. O regime antes do 25 de Abril de 1974, não servia, de modo algum, mas será que hoje em dia esta Democracia em que vivemos será melhor? É-o com certeza para aqueles que na altura tiveram que fugir de Portugal, hoje estão bem melhores!
    A Democracia também não serve. A Democracia tem que ser controlada de alguma forma, porque senão os mais fracos continuarão sempre a ser espezinhados pelos que detém o poder e sempre em benefício próprio. Não sou fascista, vivi o 25 de Abril de 1974, e o antes. Tenho a certeza que melhor não estamos. Diziam que não havia escolas, que não havia estradas, que havia pobreza e fome e outros…, mas afinal se não havia escolas porque fecharam tantas, mas afinal agora há estradas a mais (umas a par das outras!), e a pobreza, e a fome … Meu Deus o Homem é mesmo um animal selvagem, e ainda por cima racional, tem consciência daquilo que faz. Não. A Democracia não serve. Pelo menos esta !!!!!! Tenho 57 anos. Não tenho emprego, tenho fome, não tenho dinheiro para ir ao médico, e tenho um filho para o qual não vislumbro nenhum futuro.
    O 25 de Abril foi bom no próprio dia. No dia 26, começou tudo a voltar ao mesmo. Será que por agora poder dizer mal deste e daquele, dizer m…., f…., p. q. p ….., c …… em qualquer lugar sem qualquer rebuço ou educação. Agora é que sim? Posso dizer que vivo em Democracia. Como dizia o outro, que se lixe a Democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.