Quantcast
PplWare Mobile

Operadores nacionais notificados para bloquear Uber

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Fabio Pisco says:

    Daqui a mais está pior do que na China.

  2. Ricardo Silva says:

    e eu que quero validar se o serviço existe num pais para o qual vou viajar e qual é o seu custo la? isto ja começa a raspar na censura.

    • Vasco Alves says:

      Isto é censura. Proíbem-lhe o acesso á informação, partindo do princípio que poderá usar o serviço. Creio até que esta proibição tem laivos de inconstitucionalidade. Para o raio que os parta!

  3. Miguel Ribeiro says:

    Já se sabia que aquilo do piratebay era carta branca para dar começo à censura.
    Muito bem Portugal, muito bem!

    • Nunes says:

      Quando fecham um restaurante ou bar por incumprimento de leis ou licenças, também é censura!?

      • Plácido says:

        Esta porcaria da Uber é o mesmo do que se um gajo tivesse um café aberto a pagar licenças e impostos, e viesse alguém montar uma banca de vender bolos mesmo à frente do café ..
        Quando cumprirem os requisitos legais, estando em pé de igualdade com o serviço tradicional, que entrem no mercado. Sabemos que a legislação e a carga fiscal estoiram negócios, mas é a que temos, logo os players têm de se sujeitar a ela.

        • Pedro says:

          A questão é que o serviço não é o mesmo e não vai ter de se equiparar ao serviço de taxi. Isto é claramente protecção de um monopólio.

          • Master of Piglets says:

            +1
            Monopolios à portuguesa, um must. Agora é só criarem uma Anataxi e têm o monopolio protegido para sempre.

          • Sergio J says:

            Não é? Qual a diferença mesmo?

            Não venhas com a forma como chamas o carro de aluguer para te transportar. Porque o negócio é transporte de passageiros, não a forma como fazes a transacção.

      • Rick says:

        Um bar não serve bebidas no ciberespaço! A Uber não oferece viagens virtuais. Uma coisa é proibir a empresa de exercer uma actividade, outra é proibir a imagem institucional de uma empresa, que é o que geralmente acontece através do seu website.

        • maria says:

          O problema é que a empresa vende um serviço ilegal. E como a instituição não tem mais nada para vender, do que o serviço ilegal, tem lógica proibir a aplicação.

          • Pedro says:

            O problema é que a falta de licença (que nem deve ser a mesma porque o serviço é diferente) não é resolvida porque o estado não tem interesse que assim seja. Como tal, e como comçamos a viver numa ditadura, opta-se pela maneira mais simples e ditatorial que é bloquear o acesso à aplicação. Isto é só o começo…

          • Rick says:

            Mas o serviço não está ligado ao site. Por muito ilegal que seja, segunda a lei Portuguesa, a empresa Uber não é uma empresa ilegal, e as pessoas podem ter necessidade de contactar com a Uber para outro tipo de interacções, do estilo saber os contactos internacionais da empresa num país em a Uber não está a operar ilegalmente, ou até saber como pode obter mais informações sobre a tecnologia deles.
            O facto do “serviço” deles ter sido considerado ilegal cá, não invalida o produto deles, e o tipo de bloqueio que lhes foi aplicado é censura pura e dura.

          • Rick says:

            Por muito ilegal que seja “o serviço”…

          • Nunes says:

            @ Pedro
            O problema não é com o estado, o problema é com a Uber! Não é só as licenças, são tb os seguros e os preços que estão tabelados e não são seguidos, etc. Em vez de competir em termos de qualidade e facilidade de uso, a Uber quer destruir a competição tentando contornar as leis que estes têm que cumprir!

        • Nunes says:

          @ Rick
          quando fecham um restaurante tb se perde a imagem da instituição, até pode pôr em causa o seu retorno de tal forma a imagem pode ser perdida e manchada!
          E se a Uber apenas funciona no ciberespaço, é mais do que óbvio que está sujeita a sanções no ciberespaço por incumprimento das leis do país!

      • Francisco says:

        E no entanto, por mais que eu tente e barafuste, o site não me consegue levar a lado nenhum…

      • Vasco Alves says:

        Meu caro, se quer analogias, pense bem no que seria se o proibissem de olhar para a porta de entrada do café, que é o que estão a fazer quando lhe vedam o direito á informação. Vc não tem o direito de se informar sobre algo mesmo que não tenha a intenção de o usar? Aposto que não usa armas de fogo, por exemplo, e contudo qualquer dia proíbem-lhe o acesso aos sites de empresas que as vendem! Roça o absurdo esta medida, para além de por em causa os seus direitos fundamentais enquanto cidadão de um estado que se diz democrático e de direito!

        • Pedro says:

          Esta gente não percebe isso, Vasco. A solução de barrar o acesso que é um direito de qualquer cidadão está constantemente usada nos dias de hoje por governos que se dizem democráticos. Este país começa a meter nojo. É também fantástico ouvir estas notícias ao mesmo tempo que se anunciam tarifas de 20€ para viagens de taxi a partir do aeroporto e dezenas de taxistas a serem julgados por burlas. Resolvessem antes esse problema.

        • Nunes says:

          Que analogia a tua, se entras no site da Uber estás muito mais do que a olhar para a porta de entrada do estabelecimento!
          Sendo uma empresa que só funciona pela internet a única solução para aplicar alguma sanção à luz da legislação actual, passa por bloquear o site, já que a empresa recusa-se a tentar cumprir regulamentos em vigor no país para o transporte de passageiros. A eficácia deste bloqueio já é outra questão associada à falta de experiência de tribunais e advogados com o assunto

          “para além de por em causa os seus direitos fundamentais enquanto cidadão de um estado que se diz democrático e de direito!”
          onde é que os teus direitos fundamentais foram postos em causa!???? Se alguma coisa punha em causa os direitos dos cidadãos seria uma empresa que não quer cumprir a legislação em termos de exigências de transporte de passageiros [desde seguros, taxas, etc]. E é uma empresa que não quer saber se os motoristas têm tudo em ordem e que mais cedo ou mais tarde vai colocar esses motoristas a perder dinheiro levando-os a mudar de emprego, como já se tem visto nos Estados Unidos!!

  4. int3 says:

    Ainda falam mal da china.

  5. Tiago says:

    Este tipo de decisões saem bem rápido em Portugal… afinal tudo o que seja para a malta pagar um pouco menos, ou alguns poderem ganhar algum extrazinho, é tudo bloqueado… afinal, como é que depois os senhores taxistas e outros que tais poderão praticar preços ultra-exurbitantes por um serviço? Não! Se é para roubar ao povo e obrigar o povo a pagar mais em qualquer coisa, a justiça portuguesa é bem célere.

    • Sergio J says:

      Olhas para os taxistas aldrabões e os outros como ficam? É que por cada aldrabão encontras 100 honestos. O problema é que só se fala na maça podre.

      Em Portugal gostamos muito de estereótipos.

  6. Rui Pereira says:

    Isto claramente está a tornar-se ridiculo!
    O MJ está a rebaixar-se perante lobbys.
    Nota que não estou de acordo com a aplicação, uma vez que não deixa de ser concorrência desleal, mas como não conseguem impor a lei da forma normal, optam pura e simplesmente pelo bloqueio.
    Como já disseram aqui, criticam a China mas já se estão a optar pelos mesmos métodos. Se calhar é um reflexo do que já está a acontecer nas privatizações e vendas do Governo, daqui a nada é o próprio Governo que é vendido à China!!!

  7. Zeca says:

    Pela segunda vez em menos de seis meses, outro motorista Uber foi agora acusado de agressão sexual por uma mulher de Gurgaon, na Índia

  8. Vitor M. (Migalhas) says:

    Quando bloqueiam o governo por extorsão?

  9. Jaime says:

    Mas afinal, que mal fez esta Uber para estar debaixo de fogo?

    • Nuno says:

      Não cumpre a lei que regulamenta o transporte de passageiros….

      • david says:

        A Irlanda é que teve juízo.
        Deixou de emitir licenças de táxis e aprovou a Uber a operar no país. Graças a issoo Governo Irlandês está a receber os devidos impostos e a lucrar com isso…
        Agora só uma dica: alguém aqui se lembra da ACAPOR? Lembram o que acabou por acontecer? Só um aviso…

  10. Mota says:

    E eu vou procurar maneiras de não ter isto bloqueado.
    Uso o piratebay? Nope.
    Uber? Nope.

    Mas a liberdade é um direito, ou agora por uma pessoa poder comprar uma faca já faz dela uma pessoa criminosa? Ridiculo.

    O que me chateia realmente é não ver os taxistas (que aparentemente são os mais lesados.. god knows why) a fazerem algo semelhante. Não há nada para melhorar a vida aos passageiros pq pararam no tempo simplesmente.

  11. irlm says:

    Já agora acabem com os tuk tuk, que coisa mais irritante para o transito lisboeta.

  12. Miguel Fazenda says:

    Isto já está a começar a parecer censura… Não há nada que se possa fazer para acabar com isto, como petições ou algo assim? É que embora dê para contornar o bloqueio, muitas pessoas não sabem fazê-lo.
    Enfim… Uma empresa trás inovação e recorrem à censura só porque não dá tanto dinheiro a sei lá quem!

  13. Marcelo says:

    A Internet não era supostamente para ser um “local” livre? O próprio protocolo WWW refere que esta não deve ser controlada por qualquer entidade em particular. Aqui, o povo português está a ser limitado a algo que deveria ser livre. Uber, piratebay, etc bloqueados e a DeepWeb continua aí… Portugueses, podem contratar assassinos profissionais e ver pessoas a serem mortas, mas não podem fazer downloads de conteúdos privados nem de aceder ao Uber.

    Está bonito isto…

    • Marcelo says:

      protocolo HTTP*

    • maria says:

      O problema foi ter-se criado a ideia que havia um local no mundo, a WWW, onde existia liberdade absoluta para se fazer o que se quisesse. Isso foi uma ilusão!
      Gostemos ou não, nem toda a gente pode ter tanta liberdade. Existem aqueles que a usam bem, e outros aproveitam-na para vigarizar, roubar, enganar, etc.
      Não existem, nem podem existir, locais de liberdade total.

      • Bruno says:

        Concordo, porém onde é que o site do uber está a vigarizar, roubar ou a enganar?
        Pelos vistos o bloqueio nem chegou ás aplicações onde se faz o pedido dos carros…
        Acho que a solução é impedir que o serviço opere e não proibir o acesso online.
        Lá por o serviço estar proibido ser disponibilizado em Portugal, não quer dizer que eu tenha que levar com o bloqueio se quiser saber informações acerca da operação do Uber em inglaterra!!!

        • maria says:

          Não foi isso que eu disse. Apenas que se criou a ilusão de liberdade.
          A uber criou um serviço que em Portugal foi considerado ilegal por não respeitar determinadas regras (nem vou discutir se são certas ou erradas).
          A questão é: como impedir que continue a operar sem bloquear o acesso?

          • Bruno says:

            Podia-se bloquear apenas a aplicação e mesmo assim acho que isso seria incorrecto porque quando eu estou em roaming a utilizar Internet o IP que me é atribuído é português, logo se eu fisicamente estiver em Inglaterra continuarei com o serviço bloqueado.
            Se existem maneiras de proibir a empresa de operar num pais pelas formas “fisicas” porque que se tem que ir pelas páginas de internet, ainda por cima quando não têm efeito nenhum…

  14. JMCS says:

    Este regime já tem tempo demais. Está a caminho da ditadura. É tempo de mudar o regime que fartos da lei da rolha já nós estamos!

  15. Henrique says:

    Aqui já está down. MEO.

  16. Basic says:

    Lembrou-me o episódio 3 (Killer En Route) do C.S.I Cyber.
    Prefiro um profissional do que um total desconhecido.

    • Tiago says:

      Sim, porque um profissional não é um desconhecido… e nem comete qualquer crime, só porque é profissional… há com cada desculpa.

      • maria says:

        Vou levar a comparação ao extremo. Vai a um hospital e precisa de um médico. Tem lá um com curso reconhecido para o tratar ou um sem qq reconhecimento, mas que garante perceber muito daquilo. São ambos desconhecidos.
        Qual a escolha?

        • Basic says:

          Em caso de homicídio ou sequestro, tudo o que a Uber irá citar será:
          “Não são nossos motoristas. São autónomos que usam os nossos serviços. Nós só fornecemos o aplicativo.”

  17. r3alkikas says:

    Olha, por aqui dá … Como é que pode ser ?

    https://r3alkikasdev.appspot.com/d3d3LnViZXIuY29t

  18. Cóco says:

    Ficamos com um serviço pior e mais caro. A quem é que tenho de pagar para revogarem esta decisão?

  19. Bruno says:

    Lá vou eu configurar os DNS do Google no router…

  20. Vasco Alves says:

    O site a que se pretende aceder encontra-se bloqueado na sequência do cumprimento de ordem judicial
    É a mensagem que aparece na MEO.
    Agora bloqueiam-se os sites em si, mesmo que eu não pretenda utilizar o serviço!!! Nem posso ter curiosidade em ir lá ler a informação que eles disponibilizam nem nada. Bela democracia. Uma vergonha para quem como eu nem sequer utiliza ou precisa do Uber para nada! Mas posso ler o que o Uber me oferece para ler, ou enquanto cidadão português deixei de ter esse direito!??!?!?! Um tribunal tem o direito de me privar do direito á informação? Só me posso informar de serviços que pretenda utilizar? Que palhaçada vem a ser esta?

  21. John Doe says:

    Quando a UBER pagar os mesmos impostos que os Taxistas, falamos, ok?

    Vcs ja parecem aqueles que levantam o veu do racismo quando estao a cometer ilegalidades…

    Pensem.

  22. Gerardo says:

    A erva é legal na Holanda, será que vão proibir as viagens para a holanda e proibir o acesso a páginas de Coffe Shops e do próprio governo Holandes onde se fale deste tema?

    Lá porque a Antral conseguiu manter o seu monopólio, não que dizer que eu não seja livre para me informar sobre determinada marca que opera de forma TOTALMENTE LEGAL em vários paises. Mas estamos na Coreia do Norte ou quê???

  23. landsoul says:

    Não liguem! Mudem os dns para os do google e mandem os gajos dar uma volta.

  24. pedro says:

    Clientes NOS, basta mudarem o DNS no router ou no PC para outro que não o da própria NOS, e conseguem aceder ao website!!! o mesmo acontece com os outros operadores, porque os “bloqueis” são feitos ao nível de DNS …

  25. Paulo Correia says:

    Numa coisa a NOS realmente é boa… é bem mandada nestas coisas… lindos meninos… nem contestam a liberdade do utilizador ver algo que nao tem qualquer tipo de conteudo ilicito… e quanto ilegal… tenham dó. Mas quem fala da NOS fala de toda e qualquer entidade que segue à risca a a maxima “sir , yes sir”.

  26. nokas says:

    A evolução tecnológica e imparável, e uma Questão de tempo…

  27. Nelson R. says:

    O problema destes serviços e destes bloqueios têm duas origens, ou são os sindicatos ou são os lobbies.
    Enquanto não acabarem com isso, não vamos lá.
    As pseudo-associações também começam a entrar neste grupo.

  28. NMMA says:

    Eu não sei qual é o problema de haver mais um serviço de taxi desponível….
    Na Suíça o serviço já se usa à algum tempo e, recentemente foi feito um teste para saber qual a diferença entre ambos. Além de termos que esperar mais algum tempo que o taxi normal, o pagamento e a qualidade se serviço é diferente….
    http://www.letemps.ch/Page/Uuid/5d1fa688-f5be-11e4-bb1f-074820583190/Uber_ou_taxis_qui_est_le_meilleur_Notre_grand_test

  29. Bruno Lopes says:

    Ou seja, em vez de bloquearem sites que não interessam ao menino jesus, ou que servem para transporte de vírus, burlas e afins, fecham serviços porque não tem um papel?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.