Quantcast
PplWare Mobile

Olena Zelenska: primeira-dama da Ucrânia vai participar na Web Summit 2022

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. jorgeg says:

    Fantastico e excelente oportunidade para pedir + carcalhol e armas para depois vender ao criminosos na Filandia!

    • freakonaleash says:

      As recordações de Simo Häyhä trazem-lhe lágrimas camarada?! Mas olhe que foi o valoroso exército caça civis orc que invadiu a Finlândia e não o contrário!

      Não se esqueça que deve de bater as botas enquanto estica o braço em saudação ao retrato do seu querido Führer Putin que tem debaixo da almofada.

  2. Pjs says:

    O esquerdismo em Portugal é uma doença….

  3. Joao says:

    Que bonito para incentivar mais o armamento na guerra.

    • Vítor M. says:

      Se calhar ela quer paz no seu país. E tem razão para exigir isso.

    • David Guerreiro says:

      Deixa lá que os russos vão todos desarmar-se amanhã…

    • Rui says:

      Só num país de unicórnios e de bolboletazinhas é que pensam que os conflitos resolvem-se sem armas. Então o que propõem que façam os ucranianos? Rendam-se aos Russos para estes ficarem com toda a Ucrãnia? Esclareça-me já que você é o iluminado!!!!

      Olhe, é muito estranho Portugal ser o único país que não investe mais na defesa, com uma guerra na Europa!!!! Aumentaram 200 milhões de euros para 2023….. só para aumento de salários!!!!!

      Estamos conversados, temos eleitos e elegidos que acham que os conflitos resolvem-se só com palavras!!!! Não aprendemos nada com a história!!!!!!

      Já agora, alguém sabe dizer-me porque é que todos os países próximos de nós estão a reforçar-se menos nós? Marrocos, Argélia, Espanha, França, Alemanha……. secalhar estão todos errados e nós certos ao confiarmos na Virgem!!!!

      Eu vejo o país no século 19, quando quase desaparecemos!!! Não sei se alguém leu história, mas vivemos muitos anos de baixo de franceses, ingleses……… que saquearam o país de norte a sul e imagino o que sofreu o país desde que Napoleão invadiu pela 1^vez o país, até à guerra civil e até entrarmos finalmente em paz, décadas depois. Décadas!!!!!!!

      Nós não aprendemos, confiamos que são os estrangeiros que vêem salvar o português malandro que nem se sabe defender!!!!!!

      Ainda hoje vejo comentários de ignorantes a criticarem a compra dos submarinos, que são só o único meio que pode assustar os nossos vizinhos, o resto é lixo a pedir reforma, por já terem 30, 40, 50 e mais anos!!!!!!

      Não aprendemos!!!!!

  4. sa.pong says:

    Ela e o marido querem é protagonismo… Peçam á VOGUE mais sessões fotográficas enquanto mandam para a frente de batalha pessoas sem experiência e forçadas a combater para ver se passam a marca dos 600.000 antes do Natal

  5. Malamen says:

    Pode nao ser politicamente correto, mas nao disse mentira nenhuma.

  6. Daniel Oliveira says:

    A Ucrânia tudo tem feito ao longo de história e tudo fará para se livrar do jugo e opressão dos povos orcs da moscóvia! Já Kiev era uma grande metrópole cultural e comercial, ainda os povos de moscóvia vivam na idade do bronze… Mas como tantas outras grandes civilizações não conseguiram resistir a invasões bárbaras. Desde há um milhar de anos que são humilhados, vitimas de genocídio e quase extermínio, no tempo de estaline quase se concretizou. Vêm dizer que muitos se aliaram aos nazis durante a IIWW, até ao próprio demónio de aliariam para qualquer tentativa de se livrarem dos orcs! É de louvar e sempre será, um povo que tanto tem sofrido ao longo história conseguir manter a sua identidade, a sua cultura e a sua língua, apesar de todas as tentativas de aculturação e miscigenação com o objetivo do desaparecimento do povo Ucraniano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.