Quantcast
PplWare Mobile

NVIDIA adquire Arm num negócio de 40 mil milhões de dólares

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Fonte: NVIDIA

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Rrrrrr says:

    Muito mau…. 🙁

  2. Tadeu says:

    Acho que a Nvidia daqui a uns anos começará a colocar entraves ou exigências nos licenciamentos da ARM.

    • O servente says:

      Não pode, em vários países como UE, EUA, etc isso é ilegal. O que pode é direcionar esforços para os seus objectivos e o resto dos clientes fica com o lixo. No entanto a Apple por exemplo só usa a ISA da arm e faz os seus desenhos. Algum dia passam a RISC-V e fim dos problemas

      • Tadeu says:

        as autoridades ainda não se pronunciaram sobre as condições a impôr ao negócio por isso sobre ilegalidade não há avaliação.
        Os contratos de licenciamento não são eternos e os custos e condições têm sido periodicamente revistos. Nova propriedade intelectual pode ter contractos com termos diferentes, etc, etc. Muitas maneiras de condicionar a concorrência.

        • Jorge Carvalho says:

          Aparentemente o da Apple é :

          “Apple’s chips do use the ARM64 instruction set, but Apple already has a perpetual license for that. ”

          Abc

          • Tadeu says:

            O da Apple não é uma “perpetual license”, é uma “Architecture license”, sendo que o direito adquirido é sobre uma versão da arquitectura. Havendo uma nova versão (como o ARMv9), necessita de nova licença para essa versão.
            Custos podem ser modificados quando os acordos são revistos. A SoftBank tentou ajustar os “preços” para obter mais lucros como alternativa a vender.

      • Tadeu says:

        Já agora o licenciamento da ISA seria provavelmente a primeira coisa a condicionar, provavelmente com custos supérfluos, já que é o meio mais poderoso para um concorrente divergir com melhores produtos, especialmente na área de servidores em que a Nvidia está interessada, já que é aí que têm aparecido novas empresas com novas soluções baseadas na ISA Arm.
        O facto é que pagar 40 mil milhões é muito dinheiro face ao modelo de negócio da ARM.

    • PGomes says:

      Já confirmaram que isso não vai acontecer. Até porque as entidades reguladoras iriam entrar logo em acção.
      E a Qualcom, Apple, Mediatek, entre muitas outras iriam processar logo a nVidia.

      “Licensing model: continue to operate its open-licensing model while maintaining its global customer neutrality”

      • Tadeu says:

        há muita coisa que se diz para obter aprovação, e há muita coisa que não se diz e que se quer. A Nvidia pode continuar a ter um sistema de licenciamento neutro e na mesma criar entraves – preço é um dos modos, tecnologias exclusivas para si é outro, etc.
        A Nvidia demoraria décadas a recuperar o dinheiro dado o volume de negócios da ARM. Se é para manter tudo como está então não há nada de especial que a Nvidia ganhe que não pudesse obter apenas pela licença que já tem.

  3. SANDOKAN 1513 says:

    Incrível !! A SoftBank adquire a ARM em 2016 por 31 mil milhões de dólares,e passados 4 anos vende-a por 40 mil milhões de dólares à NVIDIA.E ainda fica com uma participação na empresa de cerca de 10%.Estes é que são finos. 😐

  4. Estefâneo Empregos says:

    Vem aí novas gerações de placas de vídeo.
    Grande NVIDIA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.