Quantcast
PplWare Mobile

Fim dos veículos a Diesel? A Bosch apresentou uma solução

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. António Lérias says:

    Não são os parceiros da Volkswagen no escândalo das emissões?

    • Vítor M. says:

      Nada a ver. A Bosch é parceira de todas as marcas alemãs seguramente, se não é numa coisa é noutra. No que toca aos sistemas em causa da VW, isso é tudo VW. Nesse caso seria também parceira/causadora de outras marcas cumpridoras 😉

        • Vítor M. says:

          Sei disso tudo, mas repara, quem é o cliente? E isso teve muito mais que nem foi passado a determinado nível, relembro este trecho:

          “BMW AG joined the growing list of carmakers sued by U.S. drivers for installing software designed to cheat diesel-emissions tests.

          Drivers of “tens of thousands” of X5 and 335D model diesel cars built between 2009 and 2011 sued BMW and its technology supplier, Robert Bosch GmbH, alleging they installed algorithms designed to manipulate testing systems, using methods similar to those admitted to by Volkswagen AG. They claim those vehicles are polluting at up to 27 times the legal limit, according to the complaint filed Tuesday in New Jersey federal court.

          “At these levels, these cars aren’t just dirty — they don’t meet standards to be legally driven on U.S. streets and no one would have bought these cars if BMW had told the truth,” said Steve Berman, the plaintiffs’ attorney who has filed similar claims against Ford Motor Co., Mercedes-Benz, Fiat Chrysler Automobile NV, General Motors Co. and Volkswagen.

          • João Ribeiro says:

            O escândalo da VW, Mercedes, BMW é tão grave tão grave que não merece qualquer tipo de desculpabilização. A frase “At these levels, these cars aren’t just dirty they don’t meet standards to be legally driven on U.S. streets […]” é rídicula e precoupante a todos os níveis. Toda a gente sabe porque é que na Europa são tolerados os níveis de NOx. Além disso, toda a gente sabe muito bem porque é que o caso VW e afins não teve o impacto que teve na EU como teve nos EUA. Aconselho a visualização da série documental Dirty Money – Primeiro Episódio, para esclarecer os menos informados. Se a Bosch inventou um sistema que finalmente consegue baixar os níveis de NOx ainda bem, no entanto, há uma solução bem mais simples. Usem carros elétricos ou, pelo menos, a gasolina. Os carros a diesel são um cancro para todos nós.

          • Vítor M. says:

            Toda a gente sabe isto e aquilo mas no dia imediatamente a seguir quem compra foi na mesma comprar, e o mercado continua. Essa marca deixou de vende? Não pois não? E o que foi feito? Apenas encaixes de coimas e pouco mais (sim há promessas, há centenas de carros armazenados e pouco mais…). Isto é tudo muito interessante, mas embora seja um assunto grava, as marcas americanas também foram apanhadas nesta rede.

            Agora, concordo contigo, venham os carros elétricos, mas atenção ao que estes poluem também.

    • Joao says:

      Isso é o mesmo que dizer que a intel é parceira do cybercrime, seja el qual for, já que quase de certeza que utilizaram tecnologia da intel. A bosh é um forneceder de componentes, o que os fabricantes fazem com eles é da responsabilidade dos fabricantes.

    • Paulo Cerqueira says:

      Sr. António Lérias, o sistema de injecção no escandalo de emissões é injecção siemens VDO. Ou agora como se vê em alguns (Continental). A Bosch não pode estar em todos os veículos e marcas de automóveis porque não é perimitido (monopólio). Se fosse permitido não aconteceria este escândalo.

  2. NN says:

    “Tecnicamente, o progresso obtido explica-se pela incorporação de um turbocompressor que reage mais rapidamente que os convencionais e um sofisticado sistema de gestão térmica para o motor. O que significa que, por um lado, o sistema de gestão de fluxo do ar se torna mais flexível, graças a uma combinação de recirculação dos gases de escape de alta e baixa pressão. E, por outro, a temperatura dos gases – idealmente acima de 200 graus Celsius – é regulada activamente, “garantindo assim que o sistema de escape permaneça quente o suficiente para funcionar dentro de uma faixa de temperatura estável, fazendo com que as emissões permaneçam num nível baixo”. Tudo isto sem, assegura a Bosch, requerer um sistema eléctrico adicional de 48 volts.”

    • Antonio Gamboa says:

      Diminuem os NOx a altas temperaturas, aumentam a materia particulada e lá vai a malta pagar balúrdios por FAP/DPF de 3 em 3 anos… ou 4 que sejam…
      Puxam o lenço dum lado, destapam do outro.
      Electrifiquem-se porra!!!

  3. Rui says:

    [Ironia on]Assim já estou muito mais descansado. Não morro com doenças respiratórias provocadas pelo NOx.
    Quanto ao planeta e aos que vierem a seguir que se lixem, isso do CO2 já não é problema meu. Toca a gastar diesel e gasolina com fartura. [ironia off]

    É de facto interessante o resultado, contudo até se substituir todo o parque automóvel diesel pelos que vierem equipados com esta inovação vai demorar muitos anos. E antes que isso aconteça muito provavelmente o preço do carro eléctrico já será competitivo e com uma autonomia/tempo de recarga consideravelmente superior/inferior.

    • Luis figueira says:

      Em vez de se fazer combustão nas cidades faz-se combustão em centrais térmicas.
      Retira-se a poluição das cidades, transferindo o problema para outros locais.
      As cidades ficam com o ar mais respirável mas o planeta sofre na mesma…

      • FJTF says:

        Não é bem assim a eficiência energética na utilização de combustíveis fósseis para produzir eletricidade permite que o combustível utilizado por um veículo a combustão deia para fazer andar 5 a 6 eléctricos

      • Rui says:

        Isso é uma falácia em muitos países. Principalmente na EU. Então em Portugal é um absurdo usar esse argumento.
        Além disso numa Central Térmica de Ciclo Combinado a eficiência ronda os 45%, já um motor CI anda à volta dos 25%.

      • PauloPL says:

        Refinar o combustível para os carros além de poluir consume mais energia do que possas imanginar, no combustível tradicional poluis para refinar, poluis para gerar energia para refinar, poluis para extrair o petróleo, poluis para transportar o petróleo e poluis quando conduzes.
        Para o caso de não teres percebido, no total gastas mais energia para produzir 10 litros de combustível do que num Electrico para conduzir 500 km.
        A retórica de que o carro a energia polui mais, é uma idea criada por aqueles querem manter o tacho e os lucros do petróleo.
        Podes dizer que para produzir as baterias também poluis mas da mesma forma poluis para produzir outros componentes dos carros atuais, além disso cada vez mais tens energias quase limpas (e evolução prevê que vamos ter energias 100% limpas) e a eficiência do processo de fabrico de baterias está a evoluir a grande ritmo.

        Com os elétricos ganhamos todos, bom talvez não todos, alguns vão perder os tachos.

      • Antonio Gamboa says:

        Olha mais um amigo que nao sabe as hipóteses de gerar electricidade…
        Só conhece centrais témicas ??!!

    • JOSE PEREIRA says:

      já há veículos elétricos com autonomia de mil kilo-metros e agora os espanholes inventarão uma célula elétrica de grafeno que carrega em 8 minutos e que e mais barata 2 vezes que de lítio,basta pedir as fabricas para utilizarem essas baterias de grafeno,não polui o ambiente pois são feitas de nano carvão,eu também vou dar o meu contributo ao projeto pois estou a fabricar um gerador gravitacional que não polui,pois não gasta qualquer combustível fóssil

  4. Louro says:

    Deixem morrer a porcaria do Diesel…Já devia de estar morto há muitos anos atrás.

    Já basta alguns governos como o de Portugal que cotinuam a favorecer essa porcaria de combustível taxando mais a gasolina fazendo com que as pessoas pensem que estao a poupar dinheiro ao comprar diesel.

    • Celso says:

      Em comparação com o que pagaria pelos mesmos litros de gasolina, não penso que poupo, mas sim, tenho a certeza que poupo.
      Poluidor, acredito que o gasóleo seja muito mais, mas até surgir uma alternativa elétrica decente, não me vou desfazer do meu diesel por um a gasolina. Até lá irei continuar a partilhar o transporte com mais colegas meus de trabalho.

      • Filipe F. says:

        Tudo depende…
        Imagina este cenário bem realista nos modelos mais vendidos em Portugal:
        -Carro novo a gasolina custa menos 3 mil euros que o mesmo modelo a diesel
        -O Custo da gasolina é 1.55€ e o custo gasóleo é 1.35€
        -O carro a gasolina faz uma média de 6.5l/100km e o carro a gasóleo 5.0l/100km

        Com esses 3 mil euros neste cenário:
        -Andar 29 777km totalmente gratis (Na maioria do condutor citadino são 2 anos, e num condutor que viaja mais, é 1 ano totalmente grátis)
        -Andar até aos ~90 000 km sem ter qualquer prejuizo no que gastou em combustível face se tivesse optado pelo carro diesel. Ou seja só a partir destes km, ficaria a compensar em termos de combustivel o carro diesel.

        E isto é que se deve pensar no caso em que se é o tipo de consumidor que troca de carro de 4 em 4 anos ou 5 em 5 anos.
        Além disto, a manutençao de um carro a gasolina é mais barata, não há o risco do ”FAP” dar problemas, o IUC é mais barato, e o motor em sí é mais silencioso o que o torna mais agradável.
        Em termos de performance um motor a gasolina mais pequeno que um Diesel consegue melhor desempenho de arranque e a mesma velocidade de ponta. Tem-se hoje em dia motores 1.0 a gasolina a fazer a mesma performance 0/100 que um diesel 1.5

        Só para ter uma ideia se em vez dos consumos serem 5.0 e 6.5 respetivamente para o carro diesel e gasolina, fossem 5.0 e 6.0, aquele meio litro a menos no de gasolina daria para valores como:
        -32 258km totalmente grátis
        -Andar até aos ~109 000 km sem prejuizo por ter optado pelo carro a gasolina

        • FJTF says:

          Concordo e completo se transformar o carro a gasolina com a diferença de preço para o disel nem para quem anda muito compensa. O disel é no mínimo 5000 € mais caro que o mesmo veículos a gasolina, gasta 1500€ para converter a GPL sobram 2500 para andar com um combustível que custa aproximadamente metade do disel, paga menos imposto, tem menos manutenção e mais barata, logo o disel é asneira da grande, não é bom para ninguém, só para quem não faz contas é que é bom.

        • Alucard says:

          Não sei em que país vives se achas normal trocar de carro de 4 em 4 anos.

          O meu Opel tem 13 anos, 210 000 km e ainda está para as curvas para fazer muitos mais.

          Espero no entanto poder trocar daqui a uns anos por um veículo mais novo e ecológico… a Diesel, claro. Se fizerem mais de 60 km por dia para trabalhar como eu, sabem que não podem contar com carros a gasolina para nada.
          Em vez de perseguirem os Diesel, lembrem-se é que muita gente tem carros mais antigos e logo mais poluentes, logo deviam incentivar a substituição de veículos mais antigos por veículos novos, independentemente do combustível.

          • Filipe F. says:

            Alucard, eu apresentei um cenário para quem compra carros novos e os troca de x em x tempo. Este cenário é comum hoje em dia classe média e alta, frotas de empresas, etc. Claro que para quem quer um carro para durar 1 decada ou mesmo para fazer como dizes 60km por dia, não compensa, e só não compensa por um motivo: Diferença de preço do litro da gasolina para o gasóleo e ainda os consumos, porque em quase tudo o resto um motor a gasolina é superior ao diesel. Acredito que se a gasolina custasse o que custa o gasóleo, não veria motivos para ir para um carro diesel atualmente. Alias somos dos poucos paises onde os carros diesel ainda são quase 50% das vendas anuais. Nos restantes países os carros Diesel já são ultrapassados em escala nas vendas pelos carros a Gasolina, e em marcas como por exemplo a Toyota, em diversos paises já nem vendem ligeiros de passageiros a diesel.

          • Louro says:

            Vou pegar no exemplo que deram lá em baixo…

            volkswagen Golf Confortline
            2.0 TDI 150cv 36.800€
            1.5 TSI 150Cv 28.000€

            8800Euros de diferenca.

            Preco gasolina: 1.55Euros,
            Preco diesel: 1.35Euros.

            Consumo 100km Diesel: 5l/100km (Anunciado 4.2)
            Consumo 100km gasolina: 6l/100km (Anunciado 5)

            (Repara que estamos a dar uma diferenca de consumos superior ao que a marca diz).

            Diesel custo por 100km: 5*1.35 = 6.75Euros
            Gasolina custo por 100km: = 9.3Euros

            Ou seja, 2.55euros de poupanca no diesel por cada 100km.

            Pegamos nos 8800Euros que pagamos incialmente e dividimos por 2.55 que é a poupanca que temos por 100km.

            Ficamos entao com 3450… que a multiplicar por 100 para vermos quantos km fazemos com esse valor…

            345000km…

            Ou seja, o que pagamos incialmente só o vamos poupar quando atingirmos cerca de 345000km…

            Mas vamos ainda ser mais rigorosos…

            Tu dizes fazer mais de 60km por dia, acredito que facas meos aos fins de semana e assim por isso vamos assumir isso como uma média diária 365dias por ano.

            345000 / 60 = 5750 dias.
            5750 / 365 = 15 anos.

            Isto apenas para comecarmos a poupar alguma coisa… e sem termos em consideracao manutencao mais cara do diesel, fap afins…

            Realmente acho que fazes muito bem em comprar outro carro a diesel…já eu prefiro meter os meus 8800 euros na lareira cá de casa…

          • BenchmarkDosHibridos says:

            Mas ninguem fala nos hibridos? Médias abaixo de qualquer carro diesel do mesmo segmento e sem fps, nem turbos, nem embraiagem, sem motor de arranque, sem bimassa, sem injectores, menos desgaste de calços, menos desgaste do motor de combustão. Querem fazer calculos a longo prazo?

        • jonas says:

          wow que contas tao mal feitas…
          primeiro, a diferenca de 1.5 litro nao e verdadeira é bem mais que isso. tens que comparar carros com cilindrada e cavalagem equivalente..nao é comprar um 2l com um 1l.
          o meu consome 4litros reais na estrada a 120…4.8 misto com maioria cidade. so cidade 5.2, isto num 1.6TD com 110 cavalos..nao é num 1.0
          3 cilindros com 55 cavalos….
          segundo, a diferença do diesel pro gasolina..depende dos modelos..o meu era 1000 euros de diferença…optei pelo diesel.
          terceiro, um motor a diesel dura muito mais que um gasolina..como tudo o resto..foi feito para andar…logo tem melhores componentes.
          FAP é um senao dos diesel isso é verdade. mas com o que poupas nas peças que duram muito mais da para pagar o FAP a vontade.
          silencioso? depende do carro se for um clio ou equivalente é verdade…o meu tem vidros laminados duplos que isola muito mais dos ruidos de fora. fora a que nao tem vibracoes nenhumas. 8 anos depois continua sem barulhos parasitas. isto leva-me ao ponto da troca de 4 a 5 anos a troca do carro…era bom era trocar de carro de 5 em 5 anos..e devo ser dos poucos que compra carro novo a pronto….

          • Unknown says:

            Ok bora lá fazer contas entao…

            Como exemplo um vw golf conforline…

            2.0 tdi 150cv 36.800€
            1.5 tsi 150 28.000€

            Diferença de 8.000€

            Ora o diesel faz uns 5l/100 (vw diz 4,20) gasolina faz uns 6l/100 (vw diz 5,00) ora continhas continhas recuperas o enviestipento em… 352000 km

            diesel compensa? AHAHAHAH

          • Unknown says:

            Ah e assumi o preço 1.35€ o diesel e 1.55€ gasolina

            https://www.acp.pt/automovel/comprar-carro-novo/gasolina-ou-gasoleo

          • Louro says:

            @Jonas.
            Vamos lá por partes…

            Consumos de 4litros reais a 120km/h? A descer o marao em ponto morto… sabes que se engrenares uma mudanca alta o motor trabalha por inércia e desces aquilo a consumir praticamente zero nao sabes?

            Carro novo e pagaste mais 1000Euros por ser diesel? Ou carro de servico e comparaste com o novo?

            Antigamente no tempo em que os motores a diesel eram atmosféricos com pouca cavalagem…hoje em dia sao a mesa coisa ou pior que um a gasolina.
            Desde que facas manutencao a tempo e horas um motor a gasolina dura tanto ou mais que um a diesel, basta veres qual o carro que detem o record mundial de km e qual o combustível que o move.

            Tive um 2.0Turbo a gasolina 210Cv, fazia médias de 6l/100 em auto-estrada sem grandes problemas e lancava-se até aos 250km/h que era um mimo,tive-o desde novo e vendi o carro com 370.000km e hoje passados 4 anos ainda circula já com mais de 450.000km.

            Problemas que teve, levou um turbo novo, levou uma bomba de agua e as guias da corrente de distribuicao.

            De resto, gasolina, mudancas de oleo e filtros de 15 em 15 mil, e as cenas habituais que sao comuns a um diesel tais como pneus, suspencao e travoes.
            No total e incluindo mao de obra (acabei de ir ver aos meus registos) gastei pouco mais de 800Euros em manutencao extra naquele carro.

            Barulho…epah nem vou por aí os motores a diesel mais recentes até sao silenciosos… pelo menos comparados com a minha Mercedes E63 hahaha e sim, a média mais baixa que fiz até agora foi para aí 9l/100 na auto-estrada a 90km/h com cruise ligado e em modo economico.

            A serio, nao fosse o patrocinio do governo portugues dá ao diesel combinado com os putos a comprar Ibizas TDI para as meter a fumo pelo escape, qual locomotiva movida a carvao…e tu ias ver onde iam parar os diesel.

            Já agora…
            Portugal é dos paises onde a diferenca de precos entre diesel e gasolina é maior…UK por exemplo diesel é mais caro que gasolina.

            UK ainda, diesel paga mais impostos,
            Em alguns locais já pagam mais de estacionamento,
            Nas inspecoes sao mais propicios a falhar e nao há o tirar ou abrir o filtro de particulas porque reprovas,

            Diesel é fixe para tractores ou camioes.

          • jonas says:

            @louro, vamos la por partes…
            o teu 2litros com 210cv consome 6l na boa e a dar-lhe 250km..ok tambem acredito no pai natal. o meu felizmente tem provas que ja foi de lisboa a paris com media de 3.7 com depósitos selados mas isso nunca consegui…mas 4 a 4.4 é sem fazer esforço nenhum….basta dizer que o meu modelo foi o carro que ganhou o premio de menor consumo do ano (volvo c30).
            ainda hoje estive no site da volvo…volvo V40 Kinetic Eco D2 2.0 120cv (25.300) e o Volvo V40 R-Design T3 Gasolina com 152CV a (25.000).
            como ves no meu caso foram 1000 euros…neste são 300 euros. e no meu caso era exactamente o mesmo modelo…tenho la culpa que outras marcas vendam 5 ou 8mil euros mais caro…ja fui de Braga ao Algarve com pouco mais de meio deposito…e tambem ja vim do algave e tive que meter novo deposito no porto que ja tava na reserva..depende da velocidade ne..mas a 110-120 consome pouquíssimo. então se for pela nacional a menos de 90 o ponteiro nem mexe…
            “Diesel é fixe para tractores ou camioes.”
            tens razão..os camiões que fazem milhares e milhares de kms e precisam de mecânica de jeito e bons consumos..usam todos diesel…va se la saber pq…se os de gasolina fossem a maravilha que falas andavam todos a gasolina…nem falo nos taxis….mas fica la na tua. eu quando mudar mudo para um electrico.

          • Louro says:

            @Jonas,
            Nao necessitas do pai natal, era o que o carro gastava em andamentos normais… Óbvio que a 250 que nao gastava isso nem eu disse tal coisa.

            Esse carro era o meu daily driver antes de comprar o Tesla, foi vendido com 350mil km, nunca deu problemas que nao fossem normais/desgaste.
            A coisa mais cara que levou foi mesmo um turbo e nem foi por culpa dele mas sim porque fui burro.
            De resto sempre a meter gasolina, mudar o oleo e voilá.

            Hoje ainda existe, segundo os registos na ultima inspecao registava mais de 450.000km e passou sem uma única anotacao.

            Nesse mesmo carro cheguei a fazer uma road trip pela Europa passando por países como Portugal, Polónia, Republica chega, Eslováquia, Sul de Itália, Suica, Alemanha, Inglaterra, Escócia…percorreu mais de 10000km nessa viagem… Nao consumiu muito mais do que a carrinha de um colega que ia a fazer a viagem comigo numa Toyota a diesel.

            Só a titulo de curiosidade fui dar uma vista de olhos no site da Volvo Portugal.

            Volvo V40 Kinectic D3 150Cv – 32204Euros.
            Volvo V40 Sport Edition T3 152Cv – 27860Euros.

            Por incrivel que possa parecer parece que em Portugal a volvo nao vende algumas versoes a gasolina, pelo menos nao a mostra no site deles mas mesmo assim o equipamento é similar uma a outra e sao 4444Euros de diferenca e a diferenca de consumos anunciada é de cerca de 1l/100km..

            Upa upa…isto é que vai ser poupar com o Diesel.

            Quanto ao resto dos tractores e camioes, nao meu amigo…se percebesse alguma coisa de carros e de motores nao diria essa asneira…
            Um motor a diesel dura mais se for um motor pouco eficaz e com muito torque, como é o caso dos camioes por exemplo.

            é fácil de ver um camiao com 500Cv mas com um motor de 15litros o que dá cerca de 30cc por cv…mas com um torque brutal para puxar toneladas.
            Já um motor a gasolina, por exemplo tenho uma Mercedes E63 de 2017… 5.5litros com 577Cv..

            Será fácil de perceber porque nao será um motor que durará muito certo?

            Faz médias de 12 na autoestrada sem puxar muito por ela, mas como é óbvio nao é daquelas coisas que me preocupe mais e por mim até podia consumir 20 aos 100 que nao me importava minimamente.

            Continue lá ser roubado, já que gosta….

      • Louro says:

        @Celso,
        Nao meu amigo, nao tens a certeza que poupas…tens a ideia que poupas porque quando vais abastecer olhas para o display onde diz o custo por litro e ves um valor mais baixo.

        Na verdade, estás nao só a ser roubado como ainda por cima estás a prejudicar o futuro dos teus descendentes (Nao que com a gasolina nao estejas, mas estás a prejudicar menos).

        O exemplo que o @Filipe F. deu é mais do que claro e explica perfeitamente porque é que só compra um carro a Diesel quem anda enganado ou faz mesmo muitos muitos km para poder compensar todos custos extra que tiveste logo a partida.

        Eu sou um gajo que custuma fazer contas e estatistica de tudo e mais alguma coisa, chego ao ridiculo de calcular os meus gastos por dia e fazer estatistica das alturas do ano/mes em que é mais provável que vá gastar mais dinheiro.
        Com base nisso, consigo prever com alguma precisao os meus gastos para os próximos tempos.

        Comprar carro a Diesel, mesmo em Portugal onde o Diesel é patrocionado pelo Governo e mais barato que a Gasolina, nao compensa…e quem acha que compensa financeiramente devia de voltar a ter umas aulas de matemática.

        • Celso says:

          Certo. Tu que sabes quantos quilómetros faço todos os dias, que carro tenho, quantos anos ele tem, quanto paguei por ele, há quantoa anos tenho ele e os problemas que ele me deu, sabes então que não me compensou. Quando quiser saber o numero do euromilhoes, já sei com quem vou falar.

        • Louro says:

          @Celso,
          Nao necessitas de ficar assim tao chateado por causa de te estarem a tentar tirar a lavagem cerebral que te fizeram com o Diesel ao longo destes anos todos.

          Basta fazeres as contas para perceber que nao só em situacoes especificas é que compensa.

          Tens aí o exemplo que o @Unknown deu, 8000Euros de diferenca…

          Isto já para nao falar da manutencao mais cara do diesel.

          • Alucard says:

            O exemplo do VW Golf é o pior de sempre. Na maioria das marcas, a diferença não é mais do que 2000 a 3000 euros. Pelo preço do Golf a gasolina, eu compro um carro a diesel novo em quase qualquer outra marca e com muitos extras. Opel, Citröen, Peugeot, Skoda, Renault, etc…
            VW é quase uma marca de luxo, nos dias que correm. Até me espanta não começarem a falar na Porsche…

          • Alucard says:

            E eu não sou contra a mobilidade eléctrica. Pelo contrário, acredito que seja o futuro do automóvel.
            Só que eu não vivo no futuro, vivo no presente, trabalho no presente e paga as minhas contas no presente.
            Nos próximos 10 a 12 anos, não vejo o carro eléctrico como uma opção viável para a minha carteira. Por isso, se eu tiver que comprar um carro para a próxima década, será Diesel. Depois disso, logo se verá. Espero pelo dia em o preço de um eléctrico seja equivalente a qualquer utilitário do segmento B.

          • Louro says:

            @Alucard,
            Nao me encontro em Portugal por isso nao me vou dar ao trabalho de procurar por mais exemplos do que aqueles que foram dados antes.

            Mas quando ainda estava em Portugal comprava carros regularmente para a empresa, ou porque iria mudar a frota ou porque iria acrescentar mais carros.

            Por norma conseguiamos bons negócios com algumas marcas, tais como Peugeot, Citroen, Opel, Volkswagen e assim…Nunca em caso algum a diferenca entre o modelo que comprava e o equivalente a gasolina era inferior a 5000Euros…
            E estamos a falar de Corsas, Polos/Golf, 206/207/208 e assim, porque se fossemos para os modelos de gama superior entao a diferenca ainda era maior.

            Claro que na altura eu comprava Diesel para a empresa, pelas razoes que todos sabemos e que tornam impossível que uma empresa possa ter um carro a gasolina na sua frota.

            Volkswagen marca e luxo? nao brinques…

            Mas mesmo que fossem os 3000Euros…

            E assumindo os mesmos consumos que falei lá em cima que davam 2.55Euros de poupanca por cada 100km.

            3000 / 2.55 = 1176
            1176 * 100 = 117600km

            Basicamente, só ao fim de teres feito 117600km estás a poupar dinheiro.

            Se tivermos em conta o user acima que diz fazer 60km/dia ele iria demorar 1960dias até ir buscar o dinheiro de volta ou mais ou menos 5 anos e 4 meses.

            Isto sem contarmos com manutencao claramente mais cara no diesel, o facto de que ao fim destes km todos vais estar muito próximo de mudar a FAP que te levam mais de 1000Euros e que nao tinhas de fazer num carro a diesel.

            Sim só existe uma situacao em que o diesel possa compensar, para empresas (por causa das politicas de treta do Governo) e para alguém que faca mesmo muitos km… mesmo se dobrar os km diários continuas a demorar mais de 2anos e meio até recuperar o dinheiro.

            Achas mesmo que compensa?

    • maxim says:

      do diesel só para o elétrico….por isso pergunto pq so queres acabar com o diesel? tens um carro a gasolina é isso?

      • Louro says:

        @Maxim,
        Sou coleccionador de carros.

        Tenho vários a gasolina e um Eletrico.

        Tudo o que é combustível fóssil terá de desaparecer é óbvio, nao disse que queria apenas acabar com o Diesel, só disse para deixarem o Diesel morrer porque é a pior porcaria que alguma vez se lembraram de fazer num carro doméstico.

        Diesel é bom para tractores e camioes por causa do torque.

        Já tive carros a Diesel, porque quando se combina carro de empresa com Portugal apenas se pode falar em Diesel.

  5. TugAzeiteiro says:

    Agora que os eléctricos vão começar a ser desenvolvidos (por todas as marcas), é que se lembraram de novas tecnologias para reduzir a poluição?! Até aposto que devia estar guardado na gaveta! Pois é… agora já vem tarde!

  6. Ricardo says:

    Elétrico é o futuro muitíssimo mais económico no combustível… É nas idas ao mecânico… Para além de estarem a salvar o planeta… Basta de poluir

    • Daniel says:

      Sim, porque os carros electricos vão deixar de ter mecanica a fazer mover as rodas… Minha nossa. Electricos agora não têm desgaste….

      • Nuno says:

        O Ricardo não disse que o carro não precisava de ir ao mecânico, ou que não sofria desgaste, disse que era mais económico nas idas ao mecânico. Que é verdade. Um motor elétrico é substancialmente mais simples que um motor a combustão interna, com o número substancial de menos peças móveis. O motor elétrico sofre muito menos problemas de desgaste que um motor a CI. A única peça que sofre um desgaste maior no motor elétrico é o rolamento. No motor a CI são várias peças. Num motor elétrico não precisa de óleo, no motor a CI sim para reduzir a fricção nos componentes evitando que estes sobreaquecem, se não, provocaria um desgaste enorme nas peças que rapidamente transformaria o motor num pisa-papeis. Um motor a CI precisa de um radiador, um motor eléctrico não. Depois existe a transmissão, os motores a CI precisam de uma caixa de velocidades complexa com várias rácios, os motores elétricos a grande maioria apenas possuem uma. Os motores elétricos nem precisam de uma velocidade para marcha-atrás, pois este pode funcionar nos dois sentidos, enquanto que um motor a CI não. Um motor elétrico também não precisa de uma embraiagem ou um conversor de binário como todos os restantes carros a CI, que utilizam um ou outro. E isto são apenas do que me lembrei do topo da minha cabeça, de certeza que ainda existem outros motivos que tornam os carros elétricos mais económicos na mecânica que um motor a CI. O único calcanhar de Aquiles dos carros elétricos no que toca à manutenção é a bateria. De notar que quando eu me refiro a motor, refiro-me especificamente ao uso deste motor em carros e não noutras aplicações.

    • Cortano says:

      E tu achas que os electricos não poluem?!
      Pensa de onde vêm as matérias primas para construir uma bateria: Minas
      Só a mina em si já tem um impacto ambiantal brutal.

      Como é que esses materiais são extraídos?! Com maquinaria pesada que consome fuel em enorme quantidade
      Como é que são transportados esses materiais?! Em camiões, barcos e comboio (Fuel a rodo).

      Existem diversos estudos que sustentam a tese que a produção de um veiculo electrico tem uma pegada ambiental muito maior que a de um veiculo de combustão.

      Existem atualmente “carteis” que controlam as minas de matérias primas necessárias para a produção de baterias… ou seja,… basicamente, as mesmas negociatas que há no petroleo (ou pior).

      Ainda está longe a altura em que podemos vir à boca cheia dizer “Basta de poluir” 😉

      • Nuno says:

        Sim, porque a gasolina e diesel são totalmente isentos desses mesmos problemas. O Ricardo mencionou que era mais ecológico, não que um carro elétrico não tem qualquer tipo de pegada ecológica.

  7. M Simões says:

    Mas os alemães já resolveram o problema há muito tempo. Acontece é que não foi aceite por alguns.
    – Já resolveram o problema? Viciaram os dados. Ah ..ah …

  8. Belmiro says:

    O futuro é elétrico ou pelo menos, não é por combustíveis fósseis. Esta tentativa da BOSCH é para tentar ainda por uns anos:

    1) comprar tempo às marcas alemãs para melhorarem os seus modelos elétricos claramente inferiores aos americanos / japoneses e em breve coreanos

    2) capitalizar o investimento feito em tecnologia a gasolina / diesel e tentar “converter” os modelos mais antigos

    Eu leio notícias internacionais e a alemanha está às aranhas com milhões de modelos que não poderão entrar “em breve” em algumas cidades; por outro lado não conseguem competir no mercado elétrico. A BOSCH tem contratos de milhões com essas marcas e se de repente perderem os pedidos, vão perder todo esse dinheiro sem onde compensar. É tudo €€€

  9. Ruy Acquaviva says:

    Se metade de todas as pesquisas feitas para desenvolver os veículos a combustão fosse dirigida para pesquisas para desenvolver os veículos elétricos esta tecnologia já estaria consolidada e estaríamos livres da poluição provocada pelos veículos a combustão.

  10. Paulo says:

    Boa tarde eu sempre disse que ia haver soluçao para os carros a diesel para o problema do co2 ser reduzido mas ja ha muito tempo ninguem se acreditava em mim.

  11. Cortano says:

    Pergunta para a malta defensora dos electricos:
    Vocês conhecem o a cadeia de produção na construção de um veiculo electrico?
    Sabem de onde vem a matéria prima para a construção das baterias?

    • Vítor M. says:

      Está calado… porque vais já gerar uma guerra, vão-te chamar anti-cristo. Há pessoas que acham que zero-emissões é mesmo zero, desde o fabrico da bateria até à destruição da mesma anos mais tarde.

      Já se explicou que realmente há um grande benefício em tirar a combustão de petróleo (derivados) das estradas e do planeta em si, mas os elétricos também poluem.

      • Cortano says:

        Eheheh, pois é.
        Ainda hoje estive a ler um relatório sobre o impacto ambiental da extração dos minérios necessários e a quantidade brutal de matéria prima necessária para a construção de uma bateria… Assustador.
        As grandes cidades ficam a ganhar, mas estamos a criar um problema gravíssimo em outros locais. Mas é a tal coisa, é longe de casa… Está tudo bem…

        • Rui says:

          Se alguém acha que com o estilo de vida que temos que vamos deixar de poluir ou causar impacto no planeta, é um sonhador.
          Contudo podemos tentar manter o mesmo estilo de vida mas reduzindo o impacto.
          Agora digam o que disserem não é comparável o impacto ambiental de um carro eléctrico com um carro com motor de CI. Basta pensar nos processos necessários até ter a gasolina/diesel nas bombas.

          • Cortano says:

            Eu não disse que era contra, disse apenas que a tecnologia de hoje usada na construção das baterias está longe de ser limpa – e nem sequer é sustentável, mas isso é outra questão.
            O futuro passa por novas tecnologias de construção de baterias, com outros materiais e mais sustentável.

            Se pensares que cada bateria de um Tesla S equivale a 10.000 baterias de telemóvel, é fácil de perceber que temos um problema.
            Se pensares que para aumentar a capacidade de 1% nas baterias equivale a extrair +70 ton de minerio… Não é sustentável nem limpo.

            Abrir crateras na crosta terrestre está longe de ser ambiental.

            Repito, não sou contra o elétrico, sou contra esta mentalidade de que o veiculo electrico é limpo…

          • Rui says:

            Essa do 1% associado a 70 ton de “minério”?? Nunca li em lugar algum. Além disso e como falaste na Tesla eles “aumentaram” a capacidade das baterias só com a regulação da temperatura das mesma sem aumentar o volume, logo sem necessidade de mais “minério”.

            Quanto ao resto digo e repito é um mal muito menor comparativamente com o impacto de um motor de CI.

      • Rui says:

        Eu sou defensor da mobilidade eléctrica em geral, melhor, como eng electrotécnico sei perfeitamente que estamos numa mudança de paradigma que vai culminar na mobilidade eléctrica. Mas quem assim pensa não sabem em que mundo vive. Até o nosso corpo polui. Basta respirar(CO2), então se comermos uma bela duma feijoada(metano)……

        • Cortano says:

          Olha, eu sou contra alguma mobilidade elétrica. A nova moda são as bicicletas electricas… Já não chegava o problema das baterias dos carros, como ainda aumentam o problema, como ainda deitam por terra a ideia do fazer exercício e não poluir.

          O paradoxo disto tudo é que tentam resolver um problema criando outro.

          • Rui says:

            Do meu ponto de vista estas a olhar para a situação da pior forma.
            Eu se quiser ir para o trabalho de bicicleta sem chegar todo suado a bicicleta eléctrica é um excelente solução.
            Mais, como praticante de BTT muito me agrada que quando chegar aos 50 e tal anos com as novas bicicletas de BTT com o chamado pedal assist vão me permitir ir para o mato e curtir os trilhos com a malta mais jovem.

          • Nuno says:

            Não, a ideia não é resolver um problema criando outro, é minimizar o problema ao máximo que o nosso conhecimento permite. Nos estudos revistos pelos pares publicados até agora, estes indicam que o carro elétrico a gera metade das emissões de um carro convencional desde o processo de obtenção da matéria prima, à construção e uso do veículo até ao fim de vida deste. Este valor no futuro vai ter a tendência para reduzir à medida que é aumentado a quantidade de matéria prima obtida através da reciclagem de baterias velhas, seja através de novos métodos mais eficientes, bem como o aumento de baterias recicladas.

            Portanto não é um paradoxo. Isso não quer dizer que é perfeito, pois não é, mas de momento é o melhor que temos.

        • Belmiro says:

          Rui, caso não saibas desde sempre houve CO2 e afins. Daí as árvores durante o dia absorvem e convertem o CO2. A questão aqui é que os transportes (ex mega-barcos da China), incêndios, consumismo exagerado etc desequilibram o ecossistema.

          Um veículo eléctrico polui (desde o seu fabrico, electricidade consumida e reciclagem) mas é muitíssimo menos que um de fósseis e essa poluição é gerada em sítios longe de habitat.

          Em Portugal e Itália ou Inglaterra por exemplo abusa- se do carro, há pouca exploração da bicicleta e transportes públicos. Já nem falo dos incêndios…

        • GM says:

          Rui, no que respeita ao problema do metano, sugiro o seguinte: aquando a refeição de feijoada, acompanha com limonada e água das pedras ou do Vimeiro. Mezinha caseira que funciona, garantido.
          Quanto ao tema em debate, tenho precisamente a mesma questão. Não polui nos consumos imediatos. Mas a energia eléctrica que consome, terá de vir de diversas fontes, entre elas alguma renovável, mas maioritáriamente de centrais termoeléctricas (carvão e/ou gás natural). E todo o processo necessário à obtenção do mineral para as baterias (obtido através do minério), e respectivo fabrico. E outro tema que não é abordado pelos fabricantes, pelo meno até agora não vi, prende-se com a manutenção do veículo (também gasta pneus, lubrificantes em diversos órgãos excepto motor, substituição de lâmpadas, etc). Outro tema que não vi ainda aflorado tem a ver com a existência da bateria com a potência que se conhece, a poucos cms dos ocupantes. Qual o efeito dessa energia acumulada sobre a saúde dos ocupantes? Penso não ser de desprezar, tendo em conta as suspeitas das linhas de alta tensão existentes em determinadas zonas sobre residências, onde a incidência de cancro é mais elevada.

        • JOSE PEREIRA says:

          Sr Rui e defensor do elétrico eu também,vou dar algumas verdades sobre o elétrico ,para já tem um motor com eficiência que vai até 98 % de eficiência em termos de consumo de energia ,vai deixar de poluir nas cidades onde o ar é mais poluído,podemos produzir energia para eles vinda das renováveis,mas temos de ter cuidado de não produzir energia vinda de energias que produza-o co2 o nuclear pois poderia ser prejudicial e comprometer a ideia de que o carro elétrico é ecológico,segundo ponto fabricar acumuladores com matéria prima que não polui o meio ambiente como o grafeno ,ele já pode dar uma autonomia aos veículos de 1 mil kilo-metros,eu estou a fazer um gerador gravitacional que vai ajudar nesse sentido para que se possa recargar os veículos com energia ecológica e renovável,as pessoas que não acredita-o no carro elétrico vão ter de ir estudar mais um bocado para estarem informados sobre os avanços tecnológicos já existentes,não fiquem na matrix que estão agora pois o ser humano sempre descobriu soluções para os problemas do presente

    • JD says:

      O futuro está no hidrogénio, e a toyota já tem o carro a andar, só falta querer, porque o problema está na mama…se não dão de mamar a ninguem não é bom… Toyota miray.

    • Nuno says:

      E tu sabes a cadeia de produção e construção de um veículo a combustão interna, bem como a cadeia de obtenção e refinamento do combustível? Parece-me que não.

  12. JonnyKid says:

    Eu já cá tenho meu novo Nissan Leaf encomendado pronto a chegar.
    Para além de poupar na minha pegada ecológica de CO2, o carro vai ficar de borla em menos de 5 anos de utilização (impostos, combustível e estacionamento):
    – Comprei em nome da empresa e consigo reaver o IVA (+-7000Eur)
    – Isenção de ISV (2250€)
    – IMT deve ser pouco mais 10 Euros/ano
    – Revisões baixo custo (não há mudança oleos, filtros, etc)
    – Posso carregá-lo a borla no diversos pontos do país
    – Como circulo em Lisboa, o estacionamento publico (EMEL) é gratuíto para viatura 100% electricas

    • Luis says:

      Em vez de IMT (imposto municipal sobre imóveis)não quererás querer dizer ISV (imposto sobre veículos?
      🙂

    • Belmiro says:

      JonnyKid, felicitações pela compra. Em todo o caso nessas “contas” não te esqueças que:

      – “Revisões baixo custo” quando fores mudar a bateria ou caixa contínua diz-me por quanto ficou lol

      – “Posso carregá-lo a borla no diversos pontos do país” ainda… muitos países já cobram em 2018 ou vão fazê-lo no próximo ano. Além que viagens longas são para esquecer.

  13. Dan says:

    Porque se fala em tecnologia e ecologia mecânica, se todo o carro é um antro de borracha e plástico puluente???

  14. Napoleon Bonaparte says:

    O problema maior vai ser o que fazer com as baterias quando os elétricos tiverem de ser abatidos por terem chegado ao fim de vida. Disso no tudo fala. Até porque é um tanto inconveniente…

  15. Napoleon Bonaparte says:

    O problema maior vai ser o que fazer com as baterias quando os elétricos tiverem de ser abatidos por terem chegado ao fim de vida. Disso no tudo fala. Até porque é um tanto inconveniente…

  16. Napoleon Bonaparte says:

    O problema maior vai ser o que fazer com as baterias quando os elétricos tiverem de ser abatidos por terem chegado ao fim de vida. Disso ninguem fala. Até porque é um tanto inconveniente…

  17. Filipe says:

    O que vai acabar com o diesel nos automóveis ligeiros não são as emissões, é o simples facto de um eléctrico equivalente ser mais económico, no final dos 8 a 10 anos que os donos em media os mantêm. Esse ponto de viragem ja se deu…

    • Belmiro says:

      Um diesel consegue com um depósito fazer muitos mais km e sem concessões de km ou tempo de carregamento. Eu no meu faço 1100-1200 km com um depósito em viagem e demoro 10 min a atestar, com bombas em todas as esquinas.

      Num eléctrico isso vai demorar uma década.

  18. Ze says:

    O fim de todos o veículos a combustão vai chegar ao fim quando tivermos soluções baratas e robustas de veículos elétricos:
    http://revistamotos.sapo.pt/xiaomi-lancou-scooter-eletrica-custa-menos-1000-euros/

  19. JD says:

    Hidrogénio, isso sim é futuro… Toyota mirai.

  20. Miguel Silva says:

    Tretas, aquilo é parecido com o que dizem quando o carro é novo, passado uns anos já anda a largar nuvens de fumo e já lhe retiraram peças de manutenção caras que prejudicam o desempenho, e as nano-particulas cancerigenas que não ficam retidas nos filtros? Andar a queimar gasoleo nas cidades nunca devia ter sido permitido é quase uma legalização de “quem quiser poupar uns trocos no combustivel pode obrigar os outros a fumar gasoleo”.
    Vão mas é todos fumar cigarros electrónicos para a cama que aconchega-lhes melhor o cérebro.
    É deixar só os carros eletricos entrarem na cidade e quem não tem alugue ou vá dar uma volta.

  21. hsff says:

    Tecnologia caríssima e sem estar maturada é o que estão a dizer que é o presente, não fazem a mínima ideia em que mundo vivem. O bem estar e a saúde são a mentira que fica bem para fazerem valer a sua posição, a superficialidade com que tudo isto é tratado é esclarecedora. Deixem de esgrimir argumentos absurdos em discussões redondas que nada acrescentam e que nada esclarecem. Tiraram a classe média dos grandes centros urbanos agora querem impedi-la da mobilidade através do carro.

  22. Dani Silva says:

    Há tantos comentários com má informação por aqui, que sinto ter de esclarecer quem aqui busca informação mais precisa.

    Ponto 1 – Qualquer sistema que prometa “melhorias significativas” ainda usando gasóleo (ou gasolina) é apenas um mau menor. Os motores de combustão, por natureza, poluem. Podem tentar optimizar o ponto de combustão e filtrar os gases de escape, mas este processo nunca será 100% eficiente e libertará sempre substâncias nocivas.

    Ponto 2 – Os veículos eléctricos são, de facto, um pouco mais poluentes de produzir devido principalmente às baterias. No entanto, essa “poluição adicional” é rapidamente abatida pela ausência de de poluição durante a vida útil do veículo. Tipicamente, o ponto de equilíbrio chega entre 6 meses ou 2 anos, dependendo do tipo/tamanho do veículo e da bateria. Durante a sua operação, a quantidade de emissões de um carro eléctrico só depende da origem da electricidade. Este tem a potencialidade de ser 100% limpo caso a electricidade venha de energias renováveis (solar, eólica, hídrica, etc) ou poluir indirectamente caso essa energia seja produzida a partir de carvão, gás ou petróleo. No entanto, mesmo no caso extremo de toda a electricidade usada ser produzida por queima de carvão, ainda assim o total de emissões de um carro eléctrico é menor do que o veículo equivalente a gasolina/gasóleo devido à maior eficiência dos motores eléctricos (mais de 90%) comparados com os motores a gasóleo/gasolina (por volta dos 30%). Como a produção de electricidade a partir de combustíveis fósseis é fora dos centros urbanos, assim também se pode melhorar drasticamente a qualidade do ar onde a maioria das pessoas vivem, nas cidades.

    Ponto 3 – As baterias modernas (maioritariamente de lítio) são recicláveis. O lítio é abundante no planeta (está na água salgada, por exemplo) e a sua extracção é simples. Muitas “minas” de lítio são na realidade salinas. Depois de usadas nos veículos eléctricos, as baterias podem ser recicladas, voltando mais de 90% do seu material a ser usado para fazer novas baterias, ou utilizadas em sistemas de armazenamento de energia. Há já vários destes sistemas em funcionamento, com baterias antigas de Toyota Prius, Nissan Leaf e Renault Zoe, por exemplo.

    Ponto 4 – Os veículos eléctricos com bateria (BEV) são 3 a 4 vezes mais eficientes do que os veículos a hidrogénio. O hidrogénio tem perdas ao ser gerado, no seu transporte e na sua transformação novamente em electricidade já no veículo. Ou seja, com a mesma electricidade produzida para produzir hidrogénio para um veículo, pode fazer três veículos com bateria andar a mesma distância.
    Hidrogénio até pode ser uma boa ideia para armazenamento de energia (funciona como se fosse uma bateria na rede eléctrica, produzindo hidrogénio quando há demasiada produção eléctrica e usando quando é necessário mais electricidade) mas não faz sentido do ponto de vista energético ser usado directamente em carros. Além disso, teria de se criar uma rede de abastecimento de hidrogénio, o que seria extremamente caro e perigoso, já que o hidrogénio é explosivo.

    Espero que as coisas sejam mais claras agora.

    Cumprimentos

    • Filipe says:

      Obrigado por iluminares a escuridão que para aqui vai. Felizmente o tempo vai provar que temos razão. Os veículos eléctricos nunca serão solução para 100% das necessidades, mas serão sem dúvida a esmagadora maioria, pelo menos até aparecer algo mais eficiente. Até podemos falar do abastecimento, que em ultima análise pode ser feita em casa, mas que será certamente mais simples de implementar, do que usar cisternas para movimentar combustível ou hidrogénio… Além disso não é tarefa fácil produzir combustível ou hidrogénio em casa. Pelo menos não tanto como gerar electricidade… O carro eléctrico será o verdadeiro “carro do povo”!

  23. Manu Mateus says:

    Meus caros, no meu caso particular posso dizer que trabalho no ramo e que tenho algum conhecimento de causa. Não consigo no entanto afirmar, ao contrário de muitos que aqui opinam, qual o melhor caminho no que respeita à solução futura para a mobilidade humana. Tenho no entanto uma certeza (minha), o elétrico é uma resposta no curto/médio prazo no que diz respeito ao problema iminente da emissões poluentes que são emitidas para a atmosfera. Uma coisa vos garanto, se todos os veículos do nosso planeta fossem neste momento movidos a eletricidade, o impacto ambiental seria no mínimo igual ao causado pelos motores de combustão interna. Atenção, não me refiro apenas à poluição atmosférica. Peço que antes de tudo, façam uma investigação sobre a produção, reciclagem, e extração de minério necessário na produção de baterias , bem como na quantidade necessária de energia necessária para que todos os veículos do planeta fossem movidos a eletricidade (lembrem-se que um dos maiores problemas da humanidade está neste momento ligado á produção energética) . Reflitam sobre isto: se hoje em dia já existem vários problemas relativos à produção de baterias, do que estaremos a falar se o número de baterias aumentar exponencialmente? Despeço-me, com uma ideia clara, se houvesse vontade, teríamos hoje em dia uma solução muito mais limpa no que diz respeito à mobilidade, mas como sempre o que fala mais alto são os interesses económicos. Um grande bem haja para todos PS: que o legado que deixamos para os nossos filhos e netos não seja um atestado de óbito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.