PplWare Mobile

Monero (XMR) – Uma moeda segura, privada e sem rasto


Maria Inês Coelho

Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.
Artigo escrito por Pedro Gaspar para o Pplware

Destaques PPLWARE

  1. int3 says:

    nao vai dar em nada.

    • The Onee says:

      Mais uma de muitas moedas…

    • Pedro Gaspar says:

      Independemente de poder vir dar alguma coisa ou não a tecnologia por de traz desta “moeda” especifica é suberva e pode ser utilizada em outras áreas.
      Esta moeda vem trazer-nos privacidade num mundo em que a privacidade está cada vez mais comprometida. Existem outras moedas que tentaram atingir a privacidade utilizando outras tecnicas mas que ainda assim não conseguiram chegar a um nivel de privacidade tão extremo (como é o caso do Dash que utiliza um sub-serviço de mixtura) e existe tambem teorias sobre zero-knowage que na pratica funcionaria melhor que o monero, mas ainda nenhuma dessas teorias foi aplicada devido a problemas de segurança que poderão trazer.
      Na minha opinião esta moeda poderá ser um bom investimento, mas não aconselho ninguem a utilizar dinheiro que não esteja disposto a perder. pois é um investimento muito arriscado.
      Outra forma de poder obter moneros é obviamente minando, não escrevi sobre isso, mas caso haja interesse poderei fazer um aritog a explicar como minerar moneros

      • Rui says:

        O problema das moedas virtuais, é a de não terem a contra-parte que lhes dê garantias a quem investe, para além de não ser geralmente aceite.
        Coloco-lhe um problema, se eu tiver “moneros” e amanhã ficar sem eles, a quem me dirijo?
        Outra vantagem com contornos muito obscuros, sabe quem vai querer utilizar uma moeda que não é possível descobrir o rasto? É que não me lembro de nenhuma actividade lícita a quem interesse passar anónimo, que não seja o tráfico de droga, a fuga de capitais sem serem taxados, pornografia, etc…… tudo actividades nada recomendadas!

        • Pedro Gaspar says:

          Em relação ao primeiro problema, imagine que tem uma mala com 500.000€ e por alguma razão pegou fogo, quem lhe irá dar o dinheiro de volta ?
          Penso que este é o exemplo mais simples que consigo dar, no caso de estar a referir-se ao dinheiro que tem depositado no banco só lhe posso dizer uma coisa… o dinheiro que lá está não é seu, é do banco até o retirar, e nem sempre os bancos funcionam bem, como o caso que aconteceu recentemente na grecia em que os habitantes só podiam levantar 60€ diarios. Estas moedas virtuais *descentralizadas* trazem-nos a possibilidade de guardar valor e ter a certeza que o que guardamos irá estar lá amanhã (claro que não tem a quem recorrer se perder as suas chaves)

          Em relação à questão dos mercados negros, na minha opinião concordo que será utilizado para esses fins tambem, mas tambem as moedas actuais o são e não é por isso que deixamos de usar o euro ou o dollar, a privacidade é um factor muito importante e não deve ser garantido. Imagine que o seu patrão lhe paga o ordenado e mais tarde pode ver que gastou dinheiro no produto da concorrencia?
          Aconselho a visualização do seguinte video https://www.ted.com/talks/glenn_greenwald_why_privacy_matters

          • xj says:

            o banco… o n.º de série das notas queimadas pode ser lido, desde que intactas, através de uv.
            O problema destas ditas “moedas” (e também do papel moeda) é que não têm qq valor intrínseco (tirando o potencial calorífico das notas…) uma vez perdido o valor monetário por desvalorização (inflação, perda de popularidade, etc.) ou retirada de circulação; ao contrário, metais preciosos, por exemplo, mantém sempre pelo menos o seu valor comercial.

        • Papa says:

          Coloco-lhe um problema. Se a mãe do Ronaldo levar 50k EUR na mala e as autoridades os confiscarem onde é que ela se dirige?

          “É que não me lembro de nenhuma actividade lícita a quem interesse passar anónimo”. Então pode postar aqui para todos nós os seus extratos bancários, por favor?

          • xj says:

            Eu, aos tribunais… perguntando afinal como é que é: há “livre circulação de pessoas, bens e capitais”, ou é só mais um embuste a servir de engodo aos mais incautos?

  2. pedro says:

    Mais opcoes:
    Blackcoin
    Blackhalo
    Dash

  3. Miguel says:

    Mais uma moeda virtual que ninguem sabe quem é o dono… Acordam de manha e ela vale 0!

  4. José says:

    entre as moedas virtuais, qual a mais segura para se investir ?

    • Pedro Gaspar says:

      na minha opinião a moeda virtual descentralizada mais segura para investir neste momento é o bitcoin. Deixo algumas razões:
      – Foi a primeira
      – Já começa a existir um basto numero de serviços a transaccionar bitcoins (lojas a aceitar bitcoin como metodo de pagament, algumas ATMs espalhadas pelo mundo)
      – É de longe a mais liquida tendo uma capitalização de 3.500.000.000 Dolares (em comparação o monero situa-se nos 4.000.000)

  5. Tiago Santos says:

    “Após a emissão da maioria das moedas existirá uma inflação perpétua de 1% anual.” – em termos práticos isto significa que . . .

    • Rui says:

      Quer dizer que quem gere o monero vai-te ao bolso todos os anos em 1% de tudo o que tiveres. Eles chamam inflação (do mundo virtual, talvez), outros chamam de comissões, taxas de gestão de activos, etc…..
      É que para além dessa inflação de 1%, tens sempre de lhe somar a inflação do país onde estás!!!!! Isto todos os anos!

      • Pedro Gaspar says:

        Peço desculpa, mas a parte dos 1% anuais não é totalmente correcta, após a maioria das moedas serem mineradas a inflacção será de 0.3 Moneros por bloco, ou seja, cerca de 157680 moneros novos serão criados por ano (existirá um ponto em que a inflacção será inferior a 1%). Esta inflacção tem duas finalidades:
        1º Insentivar os minners (mineradores) a manter a rede segura.
        2º Não ter um mercado tão deflacionario, deixo aqui um artigo não relacionado com moedas virtuais a explicar os problemas de um mercado deflacionario http://economico.sapo.pt/noticias/por-que-esta-a-deflacao-a-assustar-a-zona-euro_186581.html

        Só um pequeno à parte, em relação “a quem gere o monero”, não existe nenhuma entidade central a gerir o monero, existe uma equipa de developers voluntarios que trabalha activamente em melhorar o codigo do monero. Não existe custos de manutenção, existe custos para validar transacções que são bastante menores que os praticados pelos bancos nos dias de hoje

      • Papa says:

        Não. Como o Pedro Gaspar já explicou, o significado de inflação neste contexto significa que após a emissão da maioria das moedas, o Monero vai continuar a ter uma recompensa base de 0.3 XMR por bloco porque, muito provavelmente, apenas ter como incentivo a taxa de inclusão nos blocos não vai ser suficiente. (Por razões várias que tornariam esta resposta muito extensa).

        Ninguém gere o Monero, nem Bitcoin, nem qualquer outra moeda cryptográfica com uma distribuição honesta. Este é um equívoco muito comum entre pessoas que desconhecem esta tecnologia.

    • Rui says:

      Imagina que num só ano a inflação é de 2%, mais o “custo de manutenção” de 1%, quer dizer que perdeste 3% num só ano sem fazeres mais nada!!!!!

      • Papa says:

        Como foi explicado acima não existe “custo de manutenção”. O que existe é uma emissão de moeda contínua de 0.3 por bloco. O que representa uma inflação inicial de 0.8% e que diminuirá todos os anos a partir daí.

        O que é a inflação? No sentido mais técnico do termo, inflação é um aumento no suprimento de dinheiro (aquilo que Portugal poderia ter feito se não estivesse na zona euro) o que provoca uma diluição do poder de compra ( ou do valor da unidade monetária) e o aumento dos preços em relação a essa moeda.

    • Papa says:

      Desculpa, devia ter respondido directamente aqui. Vê, por favor, as minhas respostas ao Rui.

  6. luislelis says:

    Bitcoins estao a ficar como o linux. Aparecem e desparecem sem deixar rasto.

  7. Leonardo says:

    Muito interessante, pelo jeito é melhor que Bitcoin e outras criptomoedas.

  8. yaclicka says:

    Nós também não perpetuamos para sempre, e não será por essa razão que deixamos de ter atitude e objectivos, adoro as criticas ao Bitcoin e ao Linux….. pode ser que daqui a uns tempos, os mesmo consigam deslumbrar uma luzinha na escuridão onde vivem.

  9. redefoca says:

    O exemplo oficial que justifica a utilização de moedas seguras está longe de ser a verdade. O verdadeiro motivo tem a ver com tudo menos isso. Inclusive para comprar coisas na deepweb convem não ser apanhado.

  10. Pedro says:

    Será que vale a pena deixar o pc a minar disto o dia todo?

  11. Pedro Gaspar says:

    Sinceramente não recomendo ninguem a adequirir equipamentos com o unico proposito de minar, pois é um mercado altamente competitivo e é dificil competir com paises que têm a eletrecidade mais baixa que o nosso. Em relação a deixar o PC pessoal umas horas por dia a minar, na minha opinião é uma opção viavel. Existe planos para implementar o chamado “smart minning” no monero, ou seja, à semelhança de outros projectos irá utilizar o CPU/GPU apenas quando os mesmos não estão a ser utilizados, dessa forma podemos continuar a utilizar o computador para as nossas necessidades mas quando o mesmo esteja inactivo começará a minerar automaticamente. Já existe algum codigo feito nesse sentido, mas ainda não está em fase final https://github.com/oranjuice/bitmonero/tree/smart-mining

  12. yaclicka says:

    O dinheiro virtual existe e irá durar muitos anos, podendo mudar variadas vezes de nome e podendo passar a ser restrito ou manuseado só por alguns, a nível de investimento é equiparado ao nosso grau de inteligência X matemática, ou seja não é para todos e por vezes quem anda à chuva molha-se, quanto a estar ligada a algum caso ilícito……… é possível, como qualquer um outro objecto que represente valor. Agora a nível de taxas não existe nada equiparado, que eu tenha conhecimento.

  13. Dashtuga says:

    Monero so falam mal do Dash , porque pessam voces ?

  14. Vitor says:

    Cheguei a este topico, devido a esta noticia:
    https://www.kaspersky.com.br/blog/hidden-miners-botnet-threat/9706/?platform=hootsuite

    como sabemos se nao estamos a gerar moedas virtuais para outros hackers ou saber se já somos mineiros de alguma moeda sem saber que estamos a minerar moedas virtuais pra um hacker qualqquer? Como se pode pesquisar se temos programas de mineração no nosso computador?

  15. Artur says:

    Quantas moedas virtuais existem e quantas são inventadas todos os meses? Isto não acaba por ser um esquema da pirâmide versão século XXI? E a privacidade é coisa que só serve para proteger os prevaricadores e aqueles que estão fora da lei. Não sei se não andamos a exagerar nas exigências para a criação de ferramentas e sistemas que garantam a privacidade absoluta de quem o usa, é que a meu ver a privacidade só serve para termos os criminosos mais protegidos e a luta contra eles bem mais complicada.

    • Rui says:

      Partilha connosco os teus extratos bancários aqui por favor se a privacidade para ti não tem valor. O pior cego é aquele que não quer ver. Hoje em dia todo o dinheiro moeda pode ser usado para atividades ilicitas. Acabe-se com o dinheiro. Há cada artista desligado da realidade que não veêm oqual o objetivo final da retirada de toda a privacidade a coberto de temas como crime, terrorismo etc…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.