Quantcast
PplWare Mobile

Mais um: iPhone 6 Plus explode em Hong Kong… literalmente

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Vítor M.


  1. ultraLord says:

    Os terroristas vão apostar na compra destas bombas que também permitem fazer chamadas, tirar fotos, etc…

  2. Simão says:

    Ai ai ai já começam a ser muitos.. Qualquer dia os argumentos do “está sempre sujeito a acontecer em qualquer um” e “que é um num milhão”, já não pegam…

    • FG says:

      O iPhone 6/6+, sozinho, vendeu bem mais que 100 milhões.

      E ninguém acredita que isto aconteça sob utilização normal… Mas muitos esperam que a Apple lhes pague uma indemnização…

      • rmcrys says:

        Numa utilização normal a bateria pifar cedo, o ecrã falhar, um aparelho de ressonância magnética desligar-se, um motor dum avião dar problemas mas não parar é aceitável; um telemóvel, MRT ou avião estourarem NÃO é normal, seja 1/1.000, seja 1/50.000.000.

        Um iphone ou outro qualquer deixar de funcionar, ok. Estourar? Imperdoável. Qual a razão, não sei, mas não é aceitável.

        Vocês falam porque para já nada de grave aconteceu. Se vocês estiverem com o telemóvel na cara e vos arrebentar e vos desfigurar + cegar, então quero ver esse “amor” pela Apple, e quero ouvir essa letra toda vossa, quando a equipa de advogados vossa disser que não vos indemniza porque só acontece 1/50.000.00

        Ya ya, garganta até vos atingir ha muita …

        • Vl6+ says:

          Até a space shuttle arrebentou e as estatísticas são menos favoráveis… E é mais provável seres atropelado com o teu Samsung no bolso que o meu iPhone 6+ me arrebentar… Inveja há muita quando se é a marca mais valiosa do mundo…

          • Tommy Javardo says:

            Há muito fanatismo e muita pala no olho quando se fala da “marca mais valiosa do mundo”. Nunca se consegue pôr senso na cabeça dos “utilizadores”, usem-se os argumentos que se usarem.

          • Jose cross says:

            Boas tarde me desculpem mas não pode deixar de responder a este sr.
            Eu ja tive muitos telemoveis de marcas rascas (não são da Apple) e nunca nenhum me rebentou.
            Cumprimentos

          • Zaark says:

            O sr. josé cross é representativo do mundo? Milhões usam iPhones há anos e nunca lhes rebentou nada. E agora?
            Cuidado com a argumentação “comigo foi assim” – é apenas 1 em dezenas ou centenas de milhões.

        • pedro says:

          Já ninguem vai andar mais de avião !

        • Rui says:

          Isso tanto pode acontecer com Apple como com outra marca qualquer !
          São equipamentos eletronicos sujeitos a isso!

    • Daniel says:

      Tendo em conta que até Abril a Apple vendeu 170,9 milhões de iPhones, na realidade, a estatística é de 1 em cada 85 milhões

    • Benchmark do iPhone 6 says:

      1 por milhão era uma catástrofe. Está 1 em 50 milhões (2 em 100 milhões).

      • piri_vm says:

        Já começas a pensar no que eu disse que as marcas catalogam os equipamentos com defeitos e os enviam para certos países?
        É uma realidade que existe há imenso tempo.

      • rmcrys says:

        Yap, um estoura-te na cara e perdes um olho, e depois anda lá com as estatísticas. Aprendes rápido que 1/50.000.000 quando te acontece a ti já é demais.

        • Benchmark do iPhone 6 says:

          Já há baterias em que isso – nunca – acontece?

          • rmcrys says:

            uma coisa é a bateria arrebentar e ficar contida dentro do aparelho (ex: inchar o telemóvel), tal como se o motor partir e dobrar o capô. Outra é a bateria explodir e em virtude da “magreza” do telemóvel a explosão estilhaçar o vidro e lançar fumos/líquidos nocivos ao exterior.

            Todas as pessoas ao meu redor tivemos/tiveram Nokia e Siemens/Sony Ericsson. Desde quedas, ao sol, alguns …água, etc etc e o máximo de problemas com as baterias foi incharem com os anos, ou deixar de funcionar.

            yap, sim, a maior parte dos componentes eram feitos na Europa ou Japão. Sim, a qualidade para altura era de topo e custavam bem menos. Yap agora são de metal e vidro, mas são tudo chineses.

          • Benchmark do iPhone 6 says:

            Este rebentou tipo granada, não? Quantos estilhaços tiraram à mulher? 😉

            Quando estiveres a telefonar e o teu telefone aquecer não te esqueças que pode ser sobreaquecimento. À cautela atira-o logo pela janela – cuidado com as queixas dos vizinhos se for muito frequente.

      • Dumdum says:

        “Croac… croac…”… PUUUM!!!

      • Felipe Teixeira says:

        Mal li o título, lembrei me logo da teoria da estatística deste. Quando te acontecer a ti quero ver essa moral toda.

  3. Carlos Alberto says:

    Vitor “O processo nada teve de espacial, ” … espacial 🙂

  4. FG says:

    Pronto, estão contentes agora?

  5. LG says:

    “…apenas um pormenor foi revelado mais tarde! O cabo que ela estava a usar não era do iPhone 6 mas sim de um iPad, mas isso não faz qualquer diferença, até porque são exactamente iguais.” Os cabos são iguais, mas resta saber qual o “terminal” que estava ligado na ponta… se era do iPhone, ou do iPad…. e ai a “igualdade” é muito diferente.

    • Manuel Monteiro says:

      sim apenas um pormenor… mas um pormenor muito grande tendo em conta que os cabos aparentemente possam ser iguais mas não de todo. Ha que ter em conta o comprimento do cabo e a secção do mesmo, eu não conheço os cabos em questão mas é preciso ter atenção a esse pormenor.

      • Ha cada um... says:

        “Ha que ter em conta o comprimento do cabo e a secção do mesmo, eu não conheço os cabos em questão mas é preciso ter atenção a esse pormenor.”
        Entao ha que ter atençao a um pormenor tambem… Se fosse problema do cabo, o carregador devia ter um fusivel que proteja o cabo queime…
        E depois se perceberes alguma coisa de electricidade, alem de ser obrigaçao da Apple de os cabos serem iguais, visto que a ficha tambem o e, havendo um problema com a secçao do cabo a queimar era o cabo, nunca o equipamento. Em relaçao ao comprimento, a nao ser que os carregadores tenham 10mt de cabo, esse problema nao existe

        • Manuel Monteiro says:

          caro amigo (Ha cada um… escreveu:) já vi que entende pouco de eletricidade ou quase nada pois quando os cabos não teem a secção certa e aquecem, porque tem uma secção menor que adequada ao consumo do aparelho este começa aquecer pelos pontos de ligação (neste caso pelas fichas) hora como a bateria é o elemento que mais aquece no processo de carregamento mais o calor provocado pela focha no ponto de ligação ao aparelho podera provocar esta situação, não querendo dizer que tenha sido isso que levou este iPhone a explodir. Mas caso o amigo entenda um pouco de eletrcidade faça um teste, mas não deixe explodir o aparelho! Bom mas eu não estou aqui para dar lições de eletrcidade só não gosto que me chamem…
          Abraço e parabens a pplware pelo excelente trabalho.

        • pedro says:

          A ficha que vem no ipad é mmais potente que a do iphone.

          • Rick says:

            É tão diferente que no site da apple, da marca deles, só existe um cabo de vários tamanhos e que dá para iphone,ipod e ipad!!!!

        • 2000GT says:

          Mas Rick é a tristeza de quem está em negação, não conseguem acreditar que a marca que lhes cobrou o PIB do Madagascar por um telefone pode ter esse tipo de problema então inventam palhaçadas para se enganarem a si proprios.

    • Ha cada um... says:

      SAo cabos originais, terminais iguais, logo cabos iguais nao?
      Se nao sao iguais é obrigaçao da Apple por terminais diferentes, ou por alguma identificaçao do tipo “ESTE E DO iPAD!”
      Depois e tao ridiculo quanto isto… Se houvesse diferenca e fosse usar o cabo do ipad no iphone um problema, ao queimar era o carregador ou o cabo e nunca o equipamento. Por isso mesmo existem (ou deviam existir como existe em qualquer carregador) fusiveis que impeçam que um cabo queime por excesso de amperagem… Logo o defeito é simplesmente do equipamento, ate que este devia obrigatoriamente cortar a energia para a bateria, coisa que nao aconteceu.

  6. Ricardo silva says:

    nao concordo muito com a frase ” não é de todo uma falha generalizada face aos milhões de iPhone que desde Setembro de 2014 a Apple já vendeu” quem diz da apple diz de qualquer marca, tou na ideia que o 3310 vendeu mais e nao me lembro de um explodir xD

  7. Junior says:

    Creio que hoje em dia as marcas não fazem testes suficientes devido à pressão que existe para colocar um novo produto no mercado.

  8. irlm says:

    quem é que assume as culpas?

  9. Jack says:

    Entao um iphone explodir mo meio de tantos milhoes nao faz mal? E se for o vosso carro a explodir no meio de tantos milhoes? Foi apenas um no meio de tantos milhoes? Ja faz mal,nao?Epa isto e muito grave. Nao venham ca dizer que foi so um, no meio de tantos milhoes, porque nao tem desculpa, seja iphone, ifone,samsung, wiko,bq. E muito grave mesmo.

    • Benchmark do iPhone 6 says:

      E se fizesses uma pesquisa do tipo “why batteries explode” em vez de te armar ao pingarelho?

      Fabricam-se centenas de milhões de baterias de lítio. Muito raramente explodem. Se tens um método de fabrico onde isso – nunca – acontece, patenteia-o. Tal como são as coisas a tua pode, com uma probabilidade infinitesimal, explodir. De lítio ou sem ser de lítio. Não queres correr o risco, não usas baterias. Simples.

      O mesmo, caso não queiras ter problemas de fabrico de automóveis.

  10. Az8teiro says:

    Iphones fabricados na china, lol.

  11. rmcrys says:

    nem duvides. Antigamente os telemóveis eram caros mas o lucro por aparelho bem mais baixo,e eram bem construídos. Agora as marcas em especial a Apple tem lucros de centenas de euros por aparelho, feito na china, e a fiabilidade vê-se.

    Grande nome

  12. pedro says:

    Não precisavas de te identificar
    vê-se logo que és dos queimados ou coisa assim
    camponios

  13. G. says:

    Eu não sou defensor de nenhuma marca nem de nenhum sistema operativo… mas, um telefone do valor de um iphone explodir…. a mim não me convence… vale mais um telefone mais baratinho sem pólvora…. de resto tudo apresentado aqui fala em estatísticas… que a meu ver de nada servem…. uma coisa cara não deve explodir, a não ser que seja feita para esse fim.

    • João Santos says:

      Lembras-te em 1986 do Challanger o vai vem que explodiu. Era uma coisa muito muito cara e não foi feita para explodir e no entanto !

      • Afonso says:

        em ambos os casos não foi defeito do vai vem.
        1º caso anomalia de um anel de um dos booster (contêm combustível sólido) que casou fuga e consequentemente um explosão
        2ª espuma de isolamento térmico do deposito de combustivel liquido que embateu em uma das asas e danificou o revestimento térmico da aeronave

  14. João Santos says:

    O grande e grave problema de todos os produtos da Apple é que são fabricados na China… até me admira não haver muitos mais casos destes.

    • Vl6+ says:

      Se tudo que for fabricado na China explodir então é melhor voltarmos ás cavernas uga uga…

      Carros, eletrodomésticos,etc…

      • João Santos says:

        Já reparaste que tudo feito na China tem um tempo de vida muito curto, pode ser barato mas dura pouco tempo. Quando os produtos eram fabricados na Europa e EUA eram mais caros pois a mão de obra era mais cara, mas havia empregos e as coisas duravam décadas.
        Estou a falar de TV´s, aspiradores, frigoríficos, carros etc. Tens produtos fabricados em Portugal com muita qualidade e duráveis mas como são mais caros a malta prefere os Chinas mais balatinhos nas lojas dos Chinas que não pagam impostos… enfim

      • piri_vm says:

        Carros? Que carro tens tu para ser fabricado na China?

  15. sómaisum says:

    O grande problema do iPhone (e de qualquer outro smartphone prestigiado) é que muita gente o tem sem saber utilizar, e juízo é menos comum que chuva em verão.

    Em relação a cabos, eles não são iguais (pelo menos por fora, ao toque). O do iPad 4 geração, por exemplo, é bem mais fino e “frágil” que do iphone 6, tenho os dois e noto a diferença.
    Já o cabo que vinha com os primeiros ipod nano (de 30 pinos) era um sr. cabo rijo e bem constituído, que parecia valer 100x que o cabo que vinha com os iphones 4/4s. Ainda para mais, um cabo de um ipad da empresa (não sei o modelo em questão do ipad) era tão ranhoso que todos os iphones onde se experimentou reclamaram de não ser original.

    Ainda para mais, ser um cabo de um ipad nada diz sobre o carregador onde estava ligado. Se fosse original, nada devia acontecer, no máximo, devia deixar de carregar.
    Se for marcas não supervisionadas (chineses na vale, porque chines já são eles) epá.. temos pena..

    • Vl6+ says:

      O mais provável é o jailbreak e uma capa que ajuda pouco ao arrefecimento do aparelho…

      Por conhecimento to próprio o jailbreak exige mais do aparelho provocando um aquecimento to excessivo…

      • sómaisum says:

        o jailbreak não exige mais do aparelho. o jailbreak por si só nem faz (quase) nada.
        O jailbreak pode exigir mais uso do iphone, mas nada que o resto do sistema não faça override no caso de ser excessivo ou por em causa o aparelho. E isso é uma feature do iOS e não do jailbreak. Recovery mode ou SpringRecovery ou lá o que é. Tenho jailbreak só por causa de meia duzia de tweaks, e o equipamento aquece bem mais a usar o gps em viagens longas, ou a jogar algo que puxe bem pelo motor Metal.

        Capas sim, parecendo que não, tens toda a razão! A maior parte das capaz reduz a dissipação do calor, não interessa se é original ou não.

        Já cheguei a retirar a capa (uma da apple, das de pele) porque ao passar música (ou backups.. não recordo) isto estava um forninho.

        • Vl6+ says:

          Não sendo especialista vou concordar apesar de no jailbreak instalares sempre mais aplicações ou tweets que acho possível “puxarem” mais pela máquina… As capas sem dúvida pois o meu também a ouvir música parecia que estava pronto a assar sardinha…

  16. Miguel says:

    Acalmem-se… Qualquer telemóvel pode explodir, quem sabe, o dono até lhe pode ter dado muito mau uso…
    Mas prontos, como os fanboys da Android vêm mal em tudo o que é Apple não conseguem perceber isso… Até um Android pode explodir, facto!

  17. Rafael says:

    Era uma iFeature… Chamada iFogo-de-artificio…

  18. Vl6+ says:

    @José Cross ou Zé Cruz…

    Eu tenho Iphone desde que saiu e também nenhum me arrebentou…

    Realmente a falta de conhecimento e investigação andam de mãos dadas com a ignorância…

  19. Carlos says:

    A senhora activou a ifeature “perdido na montanha e preciso de uma fogueira”. Vem na página 2345671 do manual disponível online.
    Agora a falar a sério. Todos os que continuam a defender o telefone mesmo depois deste ter rebentado só podem ser ou muito ignorantes ou então totalmente comprados pela marca para o fazerem. Admitam- rebentou! Tinha um defeito! Seja ele da marca A, B, ou C. Agora não venham com conversas de cabos que não são próprios, utilização errada, etc. Por amor da santa, admitam que o telefone tinha um defeito. Ponto!

  20. Alex. M. says:

    Esqueçam o cabo o que conta é a voltsgem do transformador.
    Na minha modesta opinião estas nuticias é tudo uma questão de interesses com sertesa que se juntarmos as vendas de todos os telemóveis baratos de todas as marcas superam em quantidade as vendas dos iPhone s ou dos samsungs de topo e não tenho memória de algum ter explodido e como são “baratos” e não jóias como os iPhone levam todo tipo de maus tratamentos, estás nuticias interessam a alguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.