Quantcast
PplWare Mobile

Faturas com código ATCUD já não chegam em janeiro! Só em 2022

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Baltazar says:

    FATURAS E DEMAIS DOCUMENTOS FISCALMENTE RELEVANTES
    – CÓDIGO QRCODE A PARTIR DE 1 DE JANEIRO DE 2021
    -CÓDIGO ATCUD A PARTIR DE 1 DE JANEIRO 2022

    Os QRCODES é a partir de 2021. Devem corrigir a notícia.

    • David says:

      Essa também é a minha interpretação, mas em 3 jornais distintos mais o pplware interpretaram como descrito na noticia. Ou compraram todos a mesma noticia com a interpretação errada, ou então somos nós que não estamos a interpretar corretamente. Espero que venham a clarificar a situação.

    • Luis Vieira Pinto says:

      Também interpreto desta forma.

  2. Joaquim says:

    Boas apenas se aplica ao ATCUD para 2022 o QRCode mantém se para 2021. Ter mais certeza do que publicamos num grupo tão seguido.

  3. David Guerreiro says:

    Informação errada. Só o ATCUD é para 2022, o QR Code inicia no dia 1 de Janeiro de 2021.

  4. fernando Monteiro says:

    O titulo esta confuso, ou e impressão minha?
    Faturas com código QR chegam já não chegam em janeiro! Só em 2022

  5. Tiago Marques says:

    Não sabem ler um despacho… Fatura com código QR é já em Janeiro de 2021! ATCUD é que é 2022.

  6. Manuel Fernandes says:

    Estão, se o ATCUD faz parte do QRCode, que sentido faz existir QRCode sem ATCUD?

  7. How Cares says:

    O Qr code, também devia ser adiado. Eu como informático vou ter que me deslocar a mais de uma centena de clientes atualizar o software em plena pandemia. Se eu apanhar o Covid19 esses clientes não estão atualizados a 01/01/2021 !

    • José Fonseca Amadeu says:

      😀
      É isso, vamos parar o país para tu não apanhares covid.
      Parem o simplex todo!!

    • Antonio Ferreira says:

      Eu também sou informático e todas as atualizações ao SAGE faço-as remotamente, via Teamviewer , pelo que não percebo porque tem que dar corda aos sapatos e ir pessoalmente aos clientes.

      • PoPeY says:

        Aqui por estes lados é comum terem SPS-530 sem internet. Ainda estou para saber como vão atualizar. lol

        • Antonio Ferreira says:

          e como enviam o SAFT ? se vai la alguem buscar, pode fazer as atualizações tb

          • PoPeY says:

            António, acho que estamos em patamares diferentes… O saft por norma é entregue de duas formas.

            1) o cliente exporta para a pen e entrega ao contabilista
            2) o contabilista desloca-se à do cliente para exportar o saft.

            Pelo facto de não mencionares nada sobre a SPS concluo que o teu publico alvo não são os pequenos comércios / restauração.

          • Antonio Ferreira says:

            PoPeY, eu estou na terceira forma, o informático é o responsável pela extração do SAFT e o respetiva submissão no e-Fatura, e sim o meu publico alvo é pequenas/médias empresas, e não restauração, com utilização de soluções SAGE Retail e 50c e vários postos. Entendo o que dizes, mas estando nós neste estado de calamidade/emergência/etc. e como as obrigações fiscais tem que continuar a ser cumpridas, obrigatoriamente um cliente responsável tem que providenciar formas seguras de passar o ficheiro SAFT.

            Há ainda uma 4ª possibilidade, como acontece no gabinete de contabilidade onde a minha mulher trabalha, que é o cliente ao ir levar a documentação contabilística necessária, leva o ficheiro SAFT numa pen (documentos e pen ficam 48 horas em quarentena).

            Por isso refiro, como informático há 34 anos, a utilização de acessos remotos cada vez mais faz sentido, pois para além de me proteger, o tempo que perco em deslocações, ganho-o na maior rapidez no atendimento dos meus clientes.

          • PoPeY says:

            Compreendo e concordo com o acesso remoto, so em deslocações poupa-se imenso tempo. Porem quem procura uma solução somente de faturação e não de gestão (onde a SAGE dá cartas), opta por soluções mais em conta e mais fiáveis. Em tempos trabalhei com o GesrestII e ao contrario do retail, não o considerei estável.

            Conclusão, acredito que uma grande fatia tenha optado por uma espécie de registadora chamada SPS-530. Nesses, estou curioso para saber como vão atualizar.

            Agora quem tem um SAGE / XD / Primavera em windows c/ acesso à internet mais fácil, rápido e seguro.

      • Rui Oliveira says:

        A atualização ser remota ou no local não invalida que tenhamos de perder tempo.
        Os “informáticos” sabem que no final do ano é sempre curto o tempo.
        São empresas a querer alterar o software, os inventários físicos, inicio de novos procedimentos, etc…
        Também estamos à espera que as empresas lancem as versões finais para o mercado. Claro que depois vêm os bugs, novas atualizações, saber onde colocar o “grande” QRCode nos diversos impressos, muitos já entupidos de menções fiscais onde por vezes nem para colocar uma linha temos espaço.
        Agora veja se com 100 clientes , mesmo remotamente, consegue-se fazer tudo. Se calhar sim, em POS com um ou dois impressos e sem clientes a ligar para outros problemas.

        • António Ferreira says:

          Quando falei em atualizações remotas foi a responder a um comentário de alguém que tinha que apanhar covid por ir aos clientes. Com 100 clientes arranje mais pessoal para trabalhar. O tempo que perde gera dinheiro em serviços, logo paga a mais informáticos.

      • in21h says:

        >via Teamviewer
        O gratuito provavelmente… santa paciência…

    • PoPeY says:

      Antes de visitares os teus clientes confirma se a impressora de talões suporta o QRcode. Pelo que ja ouvi dizer existem muitas que vão morrer na praia. :S

      Independentemente de remotamente ou não. Nao considero 2020 um ano para actualizações/alterações de software.

      • David says:

        Boa Noite,
        Sou gestor de projecto numa empresa que presta serviços para algumas empresas de transportes publicos em Portugal Continental e ilhas. O que tenho a dizer em relação a este tema em concreto é que lamento a falta de suporte por parte da AT, já tentámos por inúmeras vias esclarecer pontos em relação à criação de QRCode e nada, na maioria do parque dos nossos clientes as printers têm 20 anos e nem existe especificações nos próprios fabricantes relativas à criação do QrCode. A AT mandou alguém fazer o despacho sem o mínimo conhecimento relativo às especificações que colocam na portaria para a criação do qRCode. É triste.
        Podem dizer a seguir à as entidades que comprem impressoras novas, e eu respondo.
        Somos nós os contribuintes que iremos pagar, no meu caso já que são empresas públicas e depois com que cara é dizemos aos clientes agora têm que gastar 10, 20, 30K em equipamentos para conseguirem imprimir QRCode nas faturas. Epá sem palavras.

        • in21h says:

          Podes simplesmente criar um bitmap e enviar para a impressora. Grande gestor que nem conhece a tecnologia com que trabalha… hmmmm….
          Portanto, ou são impressoras matriciais ou não sabes do que falas nem sabes usar o Google. Manda-me o modelo da impressora só para me rir um pouco.

          • David says:

            in21h estamos implementar por bimap como é obvio, para já como gestor não tenho que saber que tecnologias trabalho, tenho é que perceber de números, práticas Scrum, Agile.
            Mas por acaso como estou na area à mais de 10 anos conheço, onde passei por inúmeras funções, tenho conhecimento do que falo, lamento a decepção. Em relação aos modelo como deves compreender não me vou pronunciar, porque quase de certeza nunca deves ter ouvido falar, pelo discurso que estás a ter. Não vou entrar em detalhes mas criares bitmap´s com protocolos de comunicação por rs232 a 9600kbps e desenvolveres em VB6 com componentes activex em windows 2000. Tem ideia quanto demora a imprimir uma factura com QRCode?
            Se quiseres podemos falar e talvez te possa contratar a peso de ouro, já que estou a ver que dominas a área.
            E outra coisa criares um QRCode com os requisitos que a AT coloca como mínimos até em impressoras recentes e com especificações de criação de QRCode muitas vezes nem as consegues garantir se as mesmas estiver no tipo de emulação (StarLine) agora se estiveres em ESC/POS aí sim easy.
            Tens que ser menos arrogante rapaz.

        • in21h says:

          >Tem ideia quanto demora a imprimir uma factura com QRCode?

          Sim, 1 minuto e 25 segundos para uma imagem minimamente decente dentro dos requisitos. E já agora, velocidades de RS232 medem-se em bps e não kbps.
          Agora, há truques para não termos de enviar o bitmap completo, e note-se que usei no cálculo um bitmap colorido, se formos para o preto e branco conseguimos garantidamente reduzir o tempo e optimizar o código, mas já me disse que usam VB6, bem, vou só ali chorar os meus Euros e esquecer que ando a pagar para manter hardware e sistemas com 20 anos escritos em VB6…
          Ao menos nos bancos, com COBOL ainda se percebe pela estabilidade, agora VB.

          • in21h says:

            37 segundos e meio se usarmos bitmap P/B já agora… Se não conseguem optimizar no mínimo até estes valores, podem começar a mudar a equipa de devs. E sim, estou a ser arrogante novamente só porque estou habituado a resolver problemas, não a lamuriar-me em sites.

  8. Filipe says:

    Penso que vai ser adiado o QR Code. Podem confirmar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.