PplWare Mobile

Depoimento de Mark Zuckerberg ao Congresso já é público

Pedro Simões

Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

21 Respostas

  1. Cristiano Alves says:

    Está tudo bem com os tempos verbais e “timeline” desta noticia?

  2. Tiago Soares says:

    Sou só eu que vejo isto como uma má notícia no sentido em que agora as pessoas também não vão ter liberdade de expressão no facebook? Segundo o Mark: “It’s not enough to give people a voice, we have to make sure people aren’t using it to hurt people…”. Como assim? Como é que se define o que é positivo ou negativo? O que eu digo pode ter um impacto positivo para umas pessoas e negativo para outras. É impossível agradar a todos. Ao teres liberdade de expressão e seres por exemplo um conservador, arriscas-te a ofender pessoas incluído nomeadamente feministas e minorias.
    Cada vez mais acho que que a liberdade de expressão está a acabar graças ao modernismo radical. O Facebook era das poucas se não a única ferramenta onde era possível expor uma opinião menos popular (possivelmente receber críticas claro) sem ser silenciado. Agora até isso vai desaparecer infelizmente. É incrível como desculpas são criadas para limitar mais a liberdade de expressão das pessoas. Um “problema” de privacidade (privacidade na internet lol) de há não sei quantos anos atrás veio agora a baila para silenciar mais pessoas. Todas as que não estiverem de acordo com o standard liberal de hoje em dia serão automaticamente silenciadas. Só notícias da banhada. Great.

    • Bruno M. says:

      “no sentido em que agora as pessoas também não vão ter liberdade de expressão no facebook?”
      Mas as pessoas já não têm…
      Porque achas que o Facebook tem vindo a perder utilizadores?!

      Hoje em dia no Facebook, à semelhança dos Estados Mundiais controladores (América, França, Reino Unido, e outros países da Europa, e não só) ditos democráticos não passam de ilusão no que toca à liberdade de expressão.

      Hoje em dia não podemos criticar nada nem ninguém nem ideologias e somos logo conotados de racistas, anti-democrátios, populistas, xenófobos!
      ISTO é um atentado à liberdade de Expressão , e vai de encontro às leis de Países como a China e Coreia do Norte, ou pior, a países Muçulmanos!!

      Não meus amigos, não temos democracia, temos sim Estados Fantoches, pseudo-democráticos, ditatoriais e perto do Comunismo!

      • Tiago Soares says:

        O mais triste de tudo é que as pessoas, ditas liberais, nem imaginam o quanto se fazem aproximam dos estados que mencionaste, com estes ideais. Na cabeça deles, eles estão a praticar o bem (e acredito que tenham boas intenções) mas estão ironicamente a destruir os pilares que os seus antepassados construíram para poderem ter uma vida melhor.
        O típico feminista que apoia, naturalmente, os direitos da mulher (e ainda bem) ao mesmo tempo apoia sustentação do islamismo na Europa. Isto é um paradoxo desproporcional.

      • Nuno says:

        Por favor vais buscar um dicionário e lê a definição de comunismo. Eu presumo que querias dizer fascismo.

        • Bruno M. says:

          @Nuno, por lapso disse comunisco em vez de Fascismo/Ditadura, ainda assim, qual é o comunismo que não é nem fascista nem ditatorial hoje em dia?!

          Cumps.

          • Nuno says:

            Continuas sem saber o que é o comunismo. Toma o meu concelho e lê a definição do comunismo. Nunca existiu uma única sociedade que empregasse a ideologia comunista. Existiram e existem sim sociedades socialistas. E demonstras a tua ignorância política quando dizes “qual é a sociedade comunista que não é fascista”, quando estas duas ideologias se encontram em cantos opostos da “bússola” política.

    • Wave says:

      Penso que ele está a falar de casos mais radicais, e não de situações mais comuns como por exemplo conflitos de ideias em relação a futebol, politica ou mesmo feminismo e minorias.
      Claro que a liberdade de expressão é sempre um tópico problemático e não se pode agradar a gregos e troianos como o Sr. disse, mas neste momento penso que um filtro de situações extremistas para evitar a propaganda é algo bem aplicado.
      Caso seja mesmo um “filtro” á liberdade de expressão penso que temos um problema grave e aí as pessoas manifestar-se-ão.

      • Bruno M. says:

        Infelizmente estás enganado!
        Partidos ou faccões políticas bem criticas do islamismo e governo britanico foram banidos do facebook com a desculpa de “Fake news” quando na verdade são factos reais na Europa e no Mundo!
        Pessoas com páginas que são banidas apenas por criticarem governos.
        Pessoas que são banidas ou bloqueadas ou suspensas por criticarem governos ou ideologias!

        ISTO TUDO sob mando de Governos !!

        Para ti o que é extremismo?!
        Dizer que “Os muçulmanos não são terroristas, mas todos os terroristas, hoje, são muçulmanos”? (isto é um facto).
        Dizer que o Islão não é a religião de paz?! (é um facto)
        Dizer que um governo apoia actos de violencia contra negros nos EUA? (é um facto)
        Dizer que por exemplo as violações existem na holanda e a violência está a aumentar e a culpa é de x ou y grupos, quando o governo diz que não, mas os factos são outros?! (FACTO!)

        Censura?! Não obrigado! Há que haver um meio termo, mas não ser radical!

        Quer dizer, dois pesos e duas medidas?!?!

        Como é que as pessoas se podem manifestar se hoje vemos manifestações pacíficas onde a população é linchada?! (veja-se o caso de espanha)

        • Wave says:

          Entendo o seu ponto de vista, mas veremos as coisas assim: Pegando num exemplo extremista como o caso de um bombardeamento num lugar hipotético. Eu sei que deve de haver liberdade de expressao e que todos têm o direito a dizer o que pensam, mas é visivel a léguas que os média andam a filtrar esta informaçao. A pergunta é porque? E é aqui que a lógica entra, a noticia deve ser notada sim, mas por um curto periodo de tempo para evitar uma propaganda excessiva. Porque neste caso especifico quando mais propaganda existir mais razoes existem para o voltar a fazer “ser notado e expressar uma ideia extrema”. Daí eu ter dito filtrar situaçoes extremas.
          Pegando nas situaçoes descritas uma critica a um governo nao deve ser censurada mas tambem há casos e casos! Quando uma ideia que começa por ser uma critica, passa a um grupo e depois passa a um extremo que é o que acontece na maior parte dos grupos extremistas, os ideais começam por ter lógica ao inicio, e apos uma serie de ideias lógicas as pessoas passam a deixar de pensar pela sua própria cabeça e aqui começa o problema. Nao estou a dizer que todas as criticas sao mas nem que devemos censurar todas as criticas, estou apenas a salientar que existem casos e casos!!!
          Quando aos factos, nem toda a gente pensa assim e há que saber filtrar aquilo que chega a nós povo já filtrado. Pensar pela própria cabeça e nao ser tao influenciavel.
          E só para terminar há que lembrar que a nossa liberdade acaba quando começa a liberdade dos outros

        • Nuno says:

          Dizer que “Os muçulmanos não são terroristas, mas todos os terroristas, hoje, são muçulmanos”? (isto é um facto).
          Correcto, nem todos os muçulmanos são terroristas. Errado, os terroristas de hoje não são apenas de origem muçulmana (a não ser que queiras definir a palavra terrorismo como “Uso deliberado de violência, mortal ou não, contra instituições ou pessoas, como forma de intimidação e tentativa de manipulação com fins políticos, ideológicos ou religiosos praticado por um muçulmano”). A grande diferença, e é por isso que pensas que todos os terroristas são muçulmanos, quando um muçulmano a pratica terrorismo a comunicação social anuncia-o como tal, mas se for de outra etnia, então deixa de ser terrorismo e utilizam outras palavras.

          “Dizer que o Islão não é a religião de paz?! (é um facto)”
          Correto, é um facto. Mas lê os discursos de Hitler, em que este usou a crença cristã, mais especificamente a católica apostólica, para incitar o povo alemão contra os judeus e para justificar a guerra contra países vizinhos. O mesmo se diz de violência entre Siques e Hindus. A verdade é que nenhuma religião é uma religião de paz.

          “Dizer que por exemplo as violações existem na holanda e a violência está a aumentar e a culpa é de x ou y grupos, quando o governo diz que não, mas os factos são outros?! (FACTO!)”
          Dizes isso enquanto o número de crimes e violações na Holanda se encontram em declínio.

          • Bruno M. says:

            @NUNO:
            “…grande diferença, e é por isso que pensas que todos os terroristas são muçulmanos, quando um muçulmano a pratica terrorismo a comunicação social anuncia-o como tal, mas se for de outra etnia, então deixa de ser terrorismo e utilizam outras palavras.”
            ERRADO

            Desde antes de 2015, e após 2015, altura do êxodo Muçulmano que primeiramente eram todos sírios, segundo a comunicação social, mas afinal a LARGA maioria eram do Norte de África e igualmente pela comunicação social, eram TODOS refugiados, mas afinal eram mesmo migrantes económicos, na larga maioria… os atentados contra a Europa intensificaram-se seguidamente de várias ameaças que sempre se achou irreais… mas afinal têm sido realizadas por.. MUÇULMANOS!
            Só muito recentemente têm havido um ou outro ataque, que não é terrorista (por grupos organizados ou reivindicados por grupos terroristas conhecidos) mas pro doentes mentais que lembram-se de matar alguém..

            Mas dou-te factos, aliás, nem podia responder-te sem eles:

            Ataques islamicos pela Europa, apenas:
            2014:
            24 de Maio – Bruxelas – Bélgica – Primeiro ataque.
            20 Dez. – Joué-lès-Tours, França

            2015 –
            Jan a a Nov. – 5 ataques pela França, nesta janela de tempo
            Fev. – Copenhaga, Dinamarca
            Set. – Berlim, Alemanha –

            2016 –
            Jan. a Jul- 5 ataques terroristas em França
            Fev. a Dez. – 5 ataques terroristas na Alemanha
            Ago. e Out. – 3 ataques terroristas na Bélgica
            Jan. e Jul – 5 ataques terroristas em França
            Ago.- 1 ataque terrorista na Rússia

            2017 –
            Mar – Out – 6 ataques terroristas em França
            Mar – Set – 4 ataques terroristas no Reino Unido
            Abr – 1 ataque terrorista na Rússia
            Abr – 1 ataque terrorista em Estocolmo, Suécia
            Jun – 1 ataque terrorista em Bruxelas
            Jun – 1 ataque terrrista na Alemanha
            Ago – 1 ataque terrorista em Espanha
            Ago – 1 ataque terrorista na Finlandia

            Um Muçulmano que mate deliberadamente em nome de uma religião é terrorismo, tal como um cristão que mate deliberadamente em nome da mesma é terrorismo!!

            Qualquer pessoa que mate deliberadamente pode ou não ser considerado terrorismo! Veja.-se o que se passa na América com os “lone killers” nas escolas e afins… grande maioria deles NÃO SÃO CONSIDERADOS TERRORISTAS !!

            “Correto, é um facto. Mas lê os discursos de Hitler, em que este usou a crença cristã, mais especificamente a católica apostólica, para incitar o povo alemão contra os judeus e para justificar a guerra contra países vizinhos. O mesmo se diz de violência entre Siques e Hindus. A verdade é que nenhuma religião é uma religião de paz.”
            O Hitler era um ser Hediondo, que me lembre ninguém no seu perfeito juizo o idolatra. Não menciones essa besta quadrada como exemplo, pois não é exemplo para ninguém!

            Usar o Hitler como desculpa é Estúpido, no mínimo! Ele era judeu ou descendente do judeus!
            Mas se quiseres continuar a usar o Hitler, para tua informação era era GRANDE ADMIRADOR DOS MUÇULMANOS!
            Ele usava jihadistas no norte de África comandados por altas patentes das SS para combaterem no Norte de África e não só!

            Para tua informação:
            Hitler’s eyes, Christianity was a religion fit only for slaves; he detested its ethics in particular. Its teaching, he declared, was a rebellion against the natural law of selection by struggle and the survival of the fittest.

            — Extract from Hitler: a Study in Tyranny, by Alan Bullock

            Em 1937, Hitler dizia que:
            ‘Christianity was ripe for destruction’ (Untergang), and that the churches must therefore yield to the ‘primacy of the state’, railing against ‘the most horrible institution imaginable.”

            — Extract from Hitler 1936-1945 Nemesis by Ian Kershaw.[31]
            Quando falas em Hitler, sobre a crença cristã nos seus discursos estarás a referir-te talvez quando ainda concorria para as eleições, ainda não era Reich!

            Quanto à ultima parte sobre a Holanda. Não era a Holanda que me queria referir mas sim Suécia, mas podemos pegar no exemplo da Holanda.

            Verifica as tuas fontes, porque as minhas dizem, que desde 2015 está a aumentar.
            Só não tenho dados de 2016 e 2017… ainda….
            https://knoema.com/atlas/Netherlands/Rape-rate

  3. censo says:

    Vem para aqui falar de liberdade de expressão…sabem lá o que é isso. Tal não existe. Liberdade, o que é isso? Também não existe. Tudo ideias impostas por interesses.

  4. Napoleon Bonaparte says:

    Pois é: se aí a segurança, acabas por reduzir a liberdade. Se aumentado a liberdade, será sempre á vista da segurança que existe. É o conhecido binómio com que as sociedades de hoje continuam a tentar lidar. Porque há muita gente por aí, que confunde liberdade com libertinagem e vice versa.

  5. Napoleon Bonaparte says:

    Pois é: se aumentas a segurança, acabas por reduzir a liberdade. Se aumentas a liberdade, será sempre á custa da segurança que existe. É o conhecido binómio com que as sociedades de hoje continuam a tentar lidar. Porque há muita gente por aí, que confunde liberdade com libertinagem e vice versa.

  6. iDespairing says:

    Facebook morreu para mim a dois anos.

  7. Ana Coucello says:

    É útil recordar que, ao contrário do que alguém anda por aqui a afirmar, nem todos os terroristas são muçulmanos. Esta afirmação pode conduzir às conclusões que se desejam mas é falsa como demonstrado ainda recentemente com o bombista de Austin e em muitos outros casos em que os autores de múltiplos homicídios são extremistas de várias origens naturais dos próprios países onde cometem os seus crimes. Para não recuar demasiado no tempo, recorde-se que na segunda metade do séc. XX tiveram lugar na Europa numerosos atentados terroristas com as mais diversas origens e com os mais diferentes objectivos – IRA, ETA, Brigadas Vermelhas etc. Em Portugal, por exemplo, a ditadura também apelidava de terrorismo a luta pela liberdade e independência das colónias. E ainda hoje se continua infelizmente a assistir a atrozes manifestações de terrorismo de Estado, como é o caso da perseguição à minoria muçulmana em Myanmar ou os crimes perpetrados pelo regime sírio contra o seu próprio povo. A percepção que temos da realidade não corresponde necessariamente à realidade… Não podemos analisar a realidade sem ter em conta o ‘posto de observação’ em que nos encontramos e sem conhecer minimamente as várias vertentes do contexto sob pena de estarmos apenas a fazer projecções na realidade dos nossos medos e frustrações. Há porém quase sempre na base dos actos de terror extremismo, desprezo pela vida e desespero. O simplismo na análise deste terrível fenómeno não ajuda à sua erradicação, só o alimenta.

    • Bruno M. says:

      @Ana Coucello!

      LEIA e ENTENDA o que disse acima!!

      “NEM TODOS os Muçulmanos são terroristas, no entanto HOJE, TODOS os terroristas, SÃO Muçulmanos” .
      Quanto ao seu exemplo, 99.9% dos ataques terroristas de HOJE são perpetrados por Muçulmanos!!
      – Apresente-me FACTOS que é mentira! (e se não forem os 99.9% andará lá bem perto)!!

      Está a falar de metade do séc. XX… Nessa altura eram nacionalistas, movidos por diferentes motivos, principalmente independências dos seus países ou regiões, ao invés de atacarem outros países por causa do que diz um Culto!!

      Mas gostei da analogia, quase como a desculpar o terrorismo de hoje que é não mais que a conquista do Islão pelo Mundo, dizimando populações, obrigando as populações a converterem-se, bem ao estilo do Islão! – Pela Espada… com mártires!

      “…como é o caso da perseguição à minoria muçulmana em Myanmar ou os crimes perpetrados pelo regime sírio contra o seu próprio povo. ”
      – Gosto de vos ver a falar de Myanmar…. O povo Rohingya é morto pelos povos da própria religião, entre outras! Falar em Myanmar é o mesmo que falar na Coreia do Norte. A diferença é que na Coreia do Norte são todos Norte Coreanos e quase todos seguem a mesma religião.
      Em Myanmar, os Rohingya não têm Estado, são indígenas, ainda que a sua religião seja o Islão. Por serem Indigenas, São mortos pelo povo Budista e Muçulmanos por serem diferentes!
      Dizer que o problema dos Rohingya é pela religião é ESTUPIDEZ e mostra total ignorancia ao que por lá se passa.
      Mas só se destacaram nos mídia internacionais quando conflitos com arracaneses étnicos deixaram 88 mortos e noventa mil pessoas sem casa!

      Depois relativamente ao povo Sírio.. é outro assunto que realmente gosto de ouvir falar…
      Um membro da própria ONU falou em conferência de imprensa das “FAKE NEWS” que são passadas e divulgadas pelos mídia internacionais, como é o caso do NY Times, The Guardian, entre outros, em que atentados são ditos como reais quando nunca aconteceram!
      Quando num mês, uma criança, a mesma criança, foi RESGATADA pelos CAPACETES BRANCOS, em três zonas diferentes e supostamente, em cada uma das vezes, com GRAVIDADE!
      É realmente preciso ter muita sorte e muito azar, em ter sobrevivido 3 vezes a atentados e ter estado 3 vezes na hora errada no local errado.

      ISTO como outras NOTÍCIAS NUNCA PASSARAM NA TV!

      O que se passa na Suécia não passa na TV!
      O que se passa na Alemanha não passa na TV!
      O que se passa na própria Espanha, não passa na TV!
      O O que se passa na Holanda, não passa na TV!
      O que se passa no Reino Unido, não passa na TV!

      Sim, há censura, sim!!

      Realmente, a percepção que temos da realidade, não corresponde há realidade, principalmente QUANDO vemos as notícias fora do mainstream !!

      Mas apresente-me factos reais, e plausíveis do que diz, que eu, por minha vez, apresento-lhe factos do que se passa em alguns países europeus e não só, sobre crimes, sobre indiferença policial, sobre proteccionismo dessas minorias que fala!

      Para vosso bem, vejam as notícias fora do mainstream… irão ver que ficarão admirados com o mundo que vos rodeia, para pior!!!

  8. Luís Rebelo says:

    Por exemplo, leiam o que diz abaixo de “Publicar comentário” — o Aviso. Com o que está lá escrito podem fazer o que quiserem.

  9. Luís Rebelo says:

    E outra coisa, o Mark não jurou pelos depoimentos. Se bem que isso não o impedia de mentir, mas ficava fragilizado mais adiante quando descobrissem/descobrirem que estava a mentir.

  10. Joao Ptt says:

    O problema do Facebook tem sido sempre o mesmo: não promover, e ainda menos respeitar, o direito à privacidade do utilizador. Todos os problemas derivam daí.

    Poderiam facturar com publicidade/ subscrições sem invadir o direito à privacidade individual… mas isso era, aparentemente, pedir muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.