Quantcast
PplWare Mobile

Custos com Windows XP disparam com fim do suporte

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Pedro says:

    Um Windows XP tem um custo anual de 500€ ? porra..

    • Asdrubal says:

      O meu só dá a despesa da electricidade.

    • Nelson N says:

      Também gostaria de saber como são feitas essas contas! 40€ por mês? É obra!

    • JJ says:

      Trata-se do custo de manutenção por parte da TI.
      Ou seja, uma PME que paga a uma equipa de TI externa para fazer manutenção aos PCs da empresa, tem um custo na ordem dos 500€/PC ano, nessa manutenção por parte da TI.

      • Paulo Santos says:

        com quê?
        Podem por link para o “estudo” para ver onde eles baseiam as ditas conclusões?

        • JJ says:

          Basta a empresa comprar um novo software e correr mal no WinXP. O TI, vai ter de gastar tempo a fazer configurações extras e instalação drives e afins, para por o programa a funcionar correctamente.

          Eu também acho o valor exagerado, mas faz sentido o que dizem. Não por esses valores a meu ver.

          • Paulo Santos says:

            JJ… estamos aqui a divagar um pouco nas nossas explicações enquanto não tivermos acesso ao que levou a IDC a conluir aquilo.

            Só para comparar… um pouco levado ao extremo, mas serve de exemplo:
            http://querosaber.sapo.pt/tecnologia/sera-que-o-facebook-consegue-dizer-se-a-sua-relacao-esta-condenada-ao-fracasso
            … depois se tiverem paciência para ver a ciência da coisa (ou a tanga, dependendo da seriedade com que se leve ) podem ler em http://arxiv.org/pdf/1310.6753v1.pdf

            .. e aí até dá para rir um pouco da “ciência” da coisa.

          • Fernando Pereira says:

            Caro JJ,
            Sendo profissional na área há pelo menos duas décadas, partilho consigo que o maior problema é exactamente oposto ao que descreveu: gastar muito tempo em configurações extra por causa de novos sistemas operativos.
            Já não tenho em conta o tempo que tive que despender a cada chegada um novo S.O. da Microsoft (normalmente vindo na aquisição de um novo PC). Muito comum não funcionar a partida todos software e hardware duma empresa: Software de Gestão/facturação (ERP), antivírus, PDAs e outros mais específicos consoante a área de negócio de cada empresa (ex: dispositivos de topografia e cartografia).
            Os fabricantes de software e hardware nem sempre andam a mesmo passo que a Microsoft e causa, no meu ponto de vista, um gasto ainda maior que o referido neste artigo.

          • JJ says:

            Fernando Pereira… Estas a dizer que demoras mais tempo a configurar um Windows recente que um antigo? Eu percebo o que estas a dizer, mas referes-te a primeira instalação. E então a manutenção?

            Por exemplo, onde vais ter de instalar mais drivers, no Win98 ou no WinXP? Se tiveres de instalares de raiz um destes Windows, qual deles vais demorar mais tempo a configurar? Só o simples facto que no Win98, tens de instalar mais drivers que no XP, gastas talvez mais 1 hora do que no XP. É isso que se esta aqui a falar.

            É verdade que um novo SO, também obriga a um gasto de tempo superior ao que se gasta com o que já se tem, quando a sua implementação. Mas a curto/médio prazo, esse gasto de tempo reduz no SO novo e aumenta no SO antigo.

            (Dou o exemplo do Win98, porque já esta descontinuado.)

        • Alfie says:

          Já alguma vez fizeste manutenção de equipamentos informáticos ou deste apoioaos utilizadores? Se sim, então essa pergunta é descabida.

  2. lmx says:

    pois agora quem investiu na Microsoft durante anos…fica agarrado!!

    Ou gasta em licenças…ou gasta em maquinas, ou ainda…gasta em maquinas e licenças :D!É a patrão!!

    Ai o meu Linux…que cada vez gosto mais dele…

    cmps

    • Abílio says:

      O Linux é muito bom mas também exige manutenção. E isso custa dinheiro em TI para uma empresa. Não vamos agora dar a ideia que Linux é de graça e mais nada.

      • JJ says:

        Este estudo refere despesas com TI, não de licenças ou equipamentos.

      • Edexote says:

        Claro que precisa de manutenção, mas de muito menos do que julgas. Um sistema Linux bem configurado NÃO DÁ PROBLEMAS, é estável e rápido e não te chateia. Numa empresa com muitas dezenas de máquinas a poupança em licenças e hardware é imensa. No nosso caso, por exemplo, aproveitei um Pentium 3 @ 866 MHz com 256 MB de RAM. Ficou a funcionar, e muito bem, com Debian 7 e LXDE. 5 estrelas, mesmo.

        • RaCcOn says:

          É mais ou menos isso mas não é também tão linear quanto isso…

          Compara os custos para com quem faz manutenção a séria em Linux ou em Windows…
          Nesse ponto Linux é sempre mais caro…tem vantagens, claro que sim…eu também o uso profissionalmente.

        • Edexote says:

          Quando falas em manutenção à séria em Linux estás a falar de datacenters enormes ou grandes servidores. Nesse caso vais precisar de pessoal qualificado que será sempre bem pago. Claro que assim caro, mas se fizeres o mesmo datacenter com Microsoft ficará mais caro ainda, porque ao custo do profissional bem pago tens de somar licenças bem pagas também! Não compares alhos com bogalhos.

          • RaCcOn says:

            Não estou a comparar alhos com bugalhos…
            Estamos a falar de máquinas que se encontram em produção, umas com Windows e outras com Linux instalado…no final de contas os custos vão dar ela por ela…e como disse acima os custos de manutenção em Linux são sempre mais caros pois o pessoal é sempre mais bem pago.

            Tenta encontrar alguém que te faça manutenção em equipamentos Linux e vais ver que se pagam bem, quando estamos falar de fazer manutenção, estamos a falar de fazer as coisas em condições e não de fazer a instalação de uma distribuição e instalar umas aplicações.

            Certamente que sabes o que é um DataCenter.

    • Mota says:

      Concordo, é melhor nem ir por aí.. porque apesar de pouparem em licenças a manutenção é bem mais complexa.

      Tenta correr um primavera (ex.) num linux…existe uma falha, é um problema.No windows? Há logo uma solução.

      Queres descarregar uma aplicação é um problema. Nunca na vida ter um linux numa PME seria aceitável,só quem trabalha no ramo sabe disso. Não ganhavam para o tempo que os TI iriam precisar.

      Linux serve para aqueles “senhores” da assembleia que só usam word’s e solitários :p , aí poderiam garantir segurança.

      cumpz

      • Edexote says:

        Não sabes do que falas. Não há Primavera para Linux mas há Sage ou XD Rest, por exemplo. E se não há Primavera é por falta de interesse da empresa e nada mais, a plataforma não tem culpa disso. Eu trabalho em TI desde 2004 e várias soluções foram dadas baseadas em Linux. Se desconheces a realidade não comentes.

      • RaCcOn says:

        Estás completamente enganado e não sabes do que falas…

        Andam aí muitas grandes(mesmo em Portugal) empresas que utilizam soluções Linux quase a 100%…
        Certamente que não usam apenas words…

    • Cenas says:

      sabes por acaso qual é o custo de administração de uma plataforma em “Linux”? A distribuição de Linux pode ser gratuita, mas o “administrador de sistemas” normalmente é mais caro que os do Windows. Para além do facto que para ajudar nos erros básicos dos users windows até o padeiro da esquina (não levar à letra o padeiro…) sabe resolver, mas se for em Linux já não é qualquer um que sabe mexer de cor, se é que me entendes. (Não estou a criticar o uso de Linux ou Windows, mas a nível empresarial há que fazer contas aos custos de aquisição, suporte, etc…)

      • Rastovich says:

        Sim, de facto o vencimento de um PFE deve ser bem mais baixo que um qualquer admin de linux (gajo de rabo de cavalo, barba, mal vestido e com zero skills a nível interpessoal) que desde que esteja numa cave com as suas shells está todo feliz.
        PS. faltou na descrição de admin linux: virgem.

        • RaCcOn says:

          Sim existem diferenças significativas.

          Gostei da tua designação para um admin linux…

        • Fernando Pereira says:

          O seu comentário preconceituoso é muito bem-vindo neste fórum… enfim…
          Pessoas como o Prof. José Tribolet, o Linus Torvalds e e a dupla Larry Page e Sergey Brin devem concordar bastate com o seu comentário estereotipado.

        • Rastovich says:

          Caros… pelos vistos uma outra características dos admins linux é a falta de sentido de humor 🙂
          Embora duvidoso, claro (também tenho noção do que escrevi).
          Mas gosto de apertar convosco. Eheheh
          Bom fim de semana a todos.

    • Rastovich says:

      Irei já mudar para linux… pelos vistos não necessita de manutenção nem de configuração…

      • Alex says:

        …Fora os custos inerentes à adaptação do utilizador.

        • Nuno Catarino says:

          Alex…
          Este comentário daria muito que escrever.
          Não falta ai gente especialista em facebook sem saber criar uma pasta no pc.
          E em facebook as empresas não gastam dinheiro em formações.

          Aquele bicho carocho chamado mudança é tramado.

    • ravager says:

      Um motivo pelo qual o linux não tem adesão na hora de migrar chama-se Office. Apesar de haver openoffices e derivados, o office continua a ser a melhor suite de produtividade que por aí anda.

      Tens também outro motivo chamado Photoshop. Quem trabalha com isto, ou usa Windows ou OSX, linux está fora de questão e o gimp não é alternativa.

      E ainda tens mais outro motivo chamado CAD.

      • Fernando Pereira says:

        De facto existem softwares que são “insubstituíveis” pela maturidade e funcionalidades que apresentam. Mas já existe soluções FOSS (Free and open-source software) bastante viáveis. Sabemos que são soluções alternativas e não substitutas das aplicações comerciais. No entanto grande parte do que necessitamos está disponível nestas soluções alternativas.
        No CAD, por exemplo existem soluções comerciais e 100% compatíveis Autodesk que funciona em Linux, sem perca de produtividade: DraftSight;
        Na área dos Sistemas de Informação Geográfica temos o QGIS;
        No design vectorial temo o Inkscape e o Skencil;
        Na produção fotográfica temos o GIMP e o Krita;
        No Office temos o LibreOffice, OpenOffice e KingsoftOffice (comercial mas gratuito), Evolution (alternativa ao Outlook), ProjectLibre (compatível MS Project), Evolus Pencil (alternativa ao Visio);
        Volto a referenciar que são exemplos de alternativas e não substitutos, mas para o comum utilizador é algo em ter em conta.
        Existe também a possibilidade de correr as aplicações comerciais Windows dentro do Linux através do Wine/PlayOnLinux ou de máquinas virtuais, no entanto nem todas aplicações funcionam e a estabilidade do sistema pode ficar descomprometida.

        • Rastovich says:

          Fernando… sou eu novamente… não te assustes 🙂
          Pá… é uma guerra perdida. Desistam.
          O guito das licenças vai sempre fluir, por muitas alternativas (feias como o antigo OpenOffice) que possam oferecer.
          Abraço.

        • JJ says:

          Se não substitui, não é 100% viável… ou melhor, pode ser alternativo para algumas coisas, mas não é capaz de substituir.

          Então já estamos a falar em ter de existir dois sistema… ai aumento o custo de manutenção, ou não!?

          Este artigo é sobre a manutenção, não é sobre licenças e hardware! São coisas diferentes.

    • Filipe YaBa Polido says:

      A quem o dizes! Ainda ontem tive o desprazer de levar um PC com Office 2013 a uma empresa com Exchange 2003, não fazia a mais pálida ideia que são incompatíveis… Nem tem lógica nenhuma, obrigar a fazer upgrades quando o que existe funciona.

      • RaCcOn says:

        Existem 1001 razões para que seja obrigado a fazer upgrades de software para manter a compatibilidade…seja por limitações de hardware, limitações de softawre ou até mesmo por razões comerciais.

        Como é óbvio o que existe para trás tem de ser metido no baú, caso contrário gastam-se milhões em desenvolvimento para algo quando existem soluções melhores no mercado.

  3. Rodrigo says:

    é que o xp vai começar a comer dinheiro com o suporte então. Já era, creio que um xp, com drives e bem customizado, jamais perderá sua graça. Só se a microsft começar a incluir vírus nas atualizações

  4. JLacerda says:

    Ainda estou para perceber como é que um PC com Windows XP passará a ter um custo anual de 718€!!!!!

    • JJ says:

      O que eles querem dizer, é que uma empresa que não tenha nenhum responsável técnico pela parte informática, e que normalmente paga a um técnico externo para a manutenção dos PCs, vai ter de o chamar mais vezes. Logo vai gastar mais dinheiro com o técnico.

      Esse valor talvez seja exagerado, mas a ideia não é descabida de todo.

      • JLacerda says:

        As coisas não são assim tão lineares. Afirmar, de forma cabal, que a partir de agora os equipamentos com Windows XP vão dar muito mais problemas do que anteriormente trata-se, no mínimo, de publcidade enganosa e alarmante.

        Depois de ter lido o “estudo” começo a compreender estes valores e o seu objetivo. É que o referido “estudo” é patrocinado pela…… Microsoft!!!

        • JJ says:

          Lá esta os valores referidos são deveras descabidos.

          Mas o SO que deixe de ter suporte técnico da própria empresa que o desenvolve, gradualmente tem um custo de manutenção maior, porque o TI tem de gastar mais tempo na sua manutenção.

          Porque o SO deixando essa actualização, faz com que outras empresas de software, deixem também de dar suporte aos seus programas para esse SO. Nesse sentido, perde-se mais tempo na configuração e de utilização de software auxiliar que antes.

          No estudo, apesar de exagerado, não diz que mal que acabe o suporte o preço da manutenção dispare. Destaca que o aumento será gradual, tendo maiores custos daqui a 3 anos, não de imediato.

          Isso é lógico, nem é preciso um grande estudo, hoje demora-se mais tempo a por um PC a trabalhar, com um leque de programas actuais, com o Win98 do que com o WinXP ou superior. Por exemplo no Win98, vou ter de instalar muito mais codecs e drivers do que no XP. Logo se demorar mais 1 ou 2 horas no 98 que no XP, ter um PC com o Win98 é mais caro do que ter um com XP. E assim sucessivamente.

          Os valores são exagerados, mas não é algo descabido.

      • MM says:

        Mesmo havendo uma equipa de IT interna, essa tem custos. As pessoas geram e gastam recursos e têm um preço mesmo sendo internas. Se estas pessoas de IT passarem x tempo dedicadas somente ao XP quando podiam passar -x tempo se fosse com Win7/8, então o custo dessa pessoa entra na equação do custo de manutenção do XP.
        Tu pelos vistos sabes disto, mas é só para esclarecer que as contas não se fazem só a pessoas contratadas mas mesmo a nível interno é possível e fazem-se essas contas para calcular o custo de um produto ou serviço.

  5. Jorge Rodrigues says:

    Este estudo parece me uma anedota, não me levem a mal, temos 4 máquinas com windows XP no meu local de trabalho e sou eu que os mantenho, duvido muito que gaste um décimo do que eles dizem.

    • JJ says:

      Lá esta, eles não tem de pagar a uma técnico externo para o fazer, por isso o custo mantém-se.

      Mas, talvez vais “gastar” mais tempo na manutenção dos PCs. É esse preço de manutenção que eles falam. Pode ser exagerado, mas o aumento faz sentido.

      • Jorge Rodrigues says:

        não digo que não gaste mais tempo, mas sim o valor apresentado é muito exagerado, mas já se sabe como é a empresa de informática é do amigo e tal…

        • MM says:

          Pois, será assim tão exagerado?
          Faz as contas ao teu ordenado, quanto tempo gastas do teu tempo a gerir XP e quanto passarias se fosse um SO mais recente. A diferença é o teu custo.
          Ah, e não é só o teu ordenado que conta, tudo conta que envolva o teu serviço (desde máquinas ao espaço que “ocupas”) – isto tudo é o teu custo para a empresa e este valor que serve como base para se fazerem estes cálculos de custo de um serviço ou produto (que neste caso é manutenção).
          Eu sei que o meu custo para a minha empresa é superior ao que ganho, portanto, para eu ser “rentável” não posso perder tempo com coisas que podem ser feitas mais rapidamente e eficientemente. Se deixar de ser rentável… vou para a fila da loja verde.
          Estar a desenvolver/perder tempo com um sistema fora de linha é um custo que deve ser retirado das empresas e é aqui que entra a responsabilidade dos departamentos de IT, e estes estudos só ajudam um departamento que queira justificar o custo de migrarem para um sistema mais recente – os números falam por si e qualquer CFO pensa duas vezes se não vale a pena modernizar em vez de gastar dinheiro em “latas velhas” por muito boas que sejam.

          • Rui says:

            Ora nem mais. É esse o meu ponto de vista.

            Muito boa gente não faz ideia do prejuízo que representa para uma empresa porque por exemplo a lata velha que trata da facturação rebentou e ficou tudo parado! Ou a expedição com as balanças electrónicas……

            Fazem as contas a 1 técnico a reparar 1 equipamento …. e o custo de estarem dezenas ou centenas de pessoas de braços cruzados, dependentes de 1 só máquina (infelizmente há muitas empresas assim)!

    • Rui says:

      Se és tu que fazes a manutenção, quanto é que custas à empresa? Quantas horas perdes por ano para manteres as máquinas a funcionar?

      São essas as contas que fizeram no estudo. É um estudo.

      • Jorge Rodrigues says:

        devo perder uma hora ou duas por mês
        Actualizações de dois em dois dias e desfragmento os discos uma vez por semana. O antivirus é automático mas dou sempre uma olhada.
        Devo custar á empresa uns 40 euros por mês na manutenção das máquinas

    • RaCcOn says:

      Para uma utilização básica efetivamente o custo está exagerado, no entanto se vires no ponto de vista de um utilizador avançado, com necessidades especificas no que diz respeito a aplicações e segurança irás ver que faz todo o sentido…

      Como é natural, o sistema operativo deixando de ter suporte pelo fabricante(Microsoft) todas as outras marcas deixam de se preocupar com ele, logo o software deixará de ser compatível.
      Imagina trabalhares nos dias de hoje com Windows 95, consegues instalar e fazer lá tudo o que fazes no Win8?Win7?Vista?Xp que seja?

      Óbvio que não…isso irá refletir-se em falta de produtividade para o utilizador, logo em custos…

  6. Rafael says:

    Este estudo é tão válido como o da Standard & Poor’s em relação a Portugal… São só números “despejados” por ignorantes que passam o dia sentados atrás de uma secretária e que não conhecem nem se dão ao trabalho de conhecer a realidade.
    E o que faço com uns IBM com 10 anos, rijos como o aço, P4 com 512MB de RAM? Deito-os para o lixo e vou a correr comprar i7 com 8Gb de RAM para ter o fenomenal 8.1??!!
    Esses valores (€) não contam?

    • JJ says:

      O teu IBM, pode correr Windows 8. Se for Win7, não te safas, mas se for 8 é na boa.

    • Rui says:

      Estás enganado, a Standard & Poor’s sabe fazer contas à nossa dívida, melhor que quem nos governa!!! Por isso eles acham que a nossa dívida é insustentável. Para teres uma ideia, pagamos juros a 3,5% em média, a que corresponde um valor de 8.000.000.000€ (8 mil milhões de euros) todos os anos!!! É só 2/3 de todo o IRS que o estado recebe, coisa pouca! A nossa dívida só aumenta desde 2002 entre 6 e 14% ao ano!!! Coisa pouca.

      Rafael, não sei se já ouviste falar em amortizações, se não ouviste, é muito provável que a tua empresa esteja a perder benefícios fiscais, ano após ano!!!! Não sei se sabes, mas as empresas internacionais trocam todo o equipamento informático ao fim de 3 anos, sabes porquê? 1º lugar, planeamento fiscal, porque ao fim de 3 anos o equipamento está totalmente amortizado, logo deixam de ter benefícios fiscais. 2º Porque apostam na fiabilidade do equipamento, qualquer aparelho mecãnico, electrónico ou eléctrico, tem uma vida útil estimada!!!

      São assuntos que normalmente passam ao lado de técnicos informáticos 🙂

      • MM says:

        E há o leasing também que é cada vez mais o caminho escolhido – paga-se mais no final, mas há a vantagem da parte da assitência e troca imediata de equipamento avariado por um novo sem aumento de custos (entre outras coisas).

        • Rui says:

          Sim, também. Mas infelizmente hoje em dia os bancos cobram spreads altíssimos, mas face aos números de substituição de todo o parque….. lá terá que ser.

  7. carlos mateus says:

    Manutenção… tretas.
    Tenho o XP na empresa, centenas de utilizadores e está muito bem.
    Um sistema operativo + um pacote de office não é para trocar todos os anos como se fossem telemóveis, como os nerds gostam.
    SO novo + outro software novo compative com o SO + novos computadores para correr o novo oftware cheio de cores e florzinhas… cheio de tretas + empresa externa de consultoria a m.a.m.a.r
    Só tretas.
    O XP está muito bom e vai durar durante muitos anos. E a minha equipa interna de TI é suficiente.

  8. Tiago says:

    Este artigo para 99% dos casos é completamente lixo.
    A única coisa que posso dizer é que aqui na empresa 70/80% dos pc’s são ainda com windows xp e dão tantos problemas como os computadores com o windows 7. Só daria 500 euros de prejuizo se tivesse de comprar uma licença windows 8 e office 2013 ou 365. Deviam era de dizer como a Microsoft é vergonhosa ao ter tirado a possibilidade de instalar as novas versões do office no xp e os problemas que começam a aparecer com os updates do windows xp após a formatação.
    Já agora, só para lembrar esses iluminados da situação económica das nossas empresas e do nosso país, caso se esqueçam estamos a ser “ajudados” pelo FMI.

    • Vítor M. says:

      Se 1% tirou partido… já tem muita utilidade.

      • Tiago says:

        Nesse caso o que dirão estes iluminados do windows 8 e dos problemas que tem trazido aos utilizadores empresariais? É que mais de metade não gosta, não quer… temos de andar a martelar o windows para ficar igual ao 7. Quanto tempo se perde nisso, olha… que engraçado… mais do que no xp. Quanto custa isso às empresas?

        • JJ says:

          Então o problema não é das equipas de TI nem do Windows, nem Microsoft… é das pessoas que não gostam… não querem! O Win8, não da problemas empresariais, ao não ser os mesmo que davam outros SOs, mas sim porque as pessoas não querem/gostam.

          Eu também conheço empresas que ainda trabalham com programas MS-DOS, porque não querem… não gostam mudar. Se o programa funciona? Funciona… Se a empresa gasta mais dinheiro com ele? Gasta e muito, quando não gasta dinheiro com ele já não faz coisas que fazia a 15 anos atrás. Por isso quase todos os meses tem que ir lá um técnico, só para fazer um ou outro ajuste para o programa ir funcionando…

          A culpa é de quem?
          Na base nessa teoria, deve ser da Microsoft que deixou de dar suporte ao MS-DOS e a incentivar as empresas de software a continuar a desenvolver para MS-DOS.

          • Rui says:

            Quando cheguei ao meu actual trabalho, a primeira coisa a fazer foi substituír todo o equipamento informático obsoleto que demorava uma manhã inteira a tirar uma listagem da contabilidade!!!! Estavamos a falar em 486DX2 e impressoras de agulhas em 2001!!!! Com uma laser a preto e novos computadores, a mesma listagem demorava 2 minutos…. a produtividade disparou evidentemente!!!! Não gosto de esperar 🙂

          • Rui says:

            Existem sempre os velhos do Restelo JJ, deixa lá.
            O XP foi lançado à 12 anos, deixem lá morrer em paz que já fez imenso, evoluam….

            Não me digam que andaram a protelar a troca do equipamento informático e SO, anos a fio e agora a crise não deixa!!!! 🙂

    • RM_Dragao says:

      Muito bem!
      O meu apoio a 100%.

      Sim, o grande problema que agora existe foi criado pela Microsoft. Agora e numa tentativa de empurrar os utilizadores para as novas versões, após uma instalação de raiz do XP não se conseguem fazer updates. Sempre que se activa o windows update ou o Microsoft update um processo SVCHOST.EXE toma conta do processador a 99%e não deixa fazer mais nada.

      Já segui várias dicas que aparecem na Net e … nada! Já começam a haver muitas queixas acerca deste assunto.

      Por isso, se planeiam fazer uma instalação de nova de raiz do XP, pensem bem pois provavelmente ao fim de uma semana ainda não conseguiram actualizar o SO.

      RM

      • Miguel says:

        Se é esse o problema é esse sempre pode comprar um disco de vários TB e fazer clonagem dos dos vários PC com uma instalação de raiz com as devidas configurações , afinações updates de software necessário á empresa de modo a poder realizar a clonagem de todos os Pcs para um unico disco e fica o assunto resolvido….quando não se tem cão caça-se com gato

    • RaCcOn says:

      Não te tiro razão em alguns pontos, mas certamente que deverás de ter em atenção que nada é eterno…o Xp também não…quando instalas-te XP vinhas de onde?Porque mudas-te?

      Quanto ao facto de estarmos a ser ajudados pelo FMI, acho que deverás saber que a Microsoft é alheia a isso, que é natural que o XP perca suporte ao fim de tantos anos, que é natural que não seja possível instalar as mais recentes aplicações no mesmo por incompatibilidade(office incluido)…

  9. JJ says:

    Apesar dos valores apresentados, serem deveras exagerados. Esta lógica de um Windows, deixando de ter suporte por parte da Microsoft, fica mais dispendioso, não é de todo descabida.

    Temos que ver, que estamos a falar a nível empresarial, não particular. E temos de perceber, que a maioria das PMEs não tem permanentemente alguém ou um departamento de TI, e na sua maioria não tem conhecimentos suficientes para manterem os equipamentos com a correcta manutenção.

    Nesse sentido, essas PMEs tem de recorrer a departamentos de TI externos, pagando a hora a manutenção dos seus equipamentos por parte do técnico.

    Por sua vez, se um Windows deixa de ter suporte, a empresa passa a precisar (gradualmente) que o técnico visite mais vezes a instalações da empresa, para ajustar e por algo a funcionar.

    Basta por exemplo, a empresa comprar um novo equipamento ou um novo software, a probabilidade do Windows não ter os codecs ou drivers standars para fazer funcionar essa nova aquisição, um técnico terá de instalar esses codecs/drivers. Com isso já estão a gastar mais dinheiro, do que se tivesse um SO mais actual.

    O mesmo acontece, se tiver um PC com o SO mais recente, e depois o software ou os periféricos terem uns “15 anos” que a probabilidade de eles darem problemas e precisarem de suporte técnico aumenta.

    Por isso, o XP deixar de ter actualizações, de forma gradual vai exigir mais tempo por parte dos departamentos de TI, para manter o SO a funcionar correctamente.

    Isso mesmo, se aplica a sistemas mais recentes. Por exemplo, o upgrade do Win8 para o Win8.1, demora uns 10 minutos, porque ele faz quase tudo sozinho e se calhar nem vai ser preciso instalar programas, codecs ou drivers. Já fazer um upgrade do WinXP para o Win7 ou do Vista para o Win7, vai demorar muito mais tempo.

  10. joao says:

    na empresa onde trabalho, 95% dos computadores sao ainda p4 (lol eu sei).. e usam o XP, por isso prevejo problemas para breve

  11. Rui says:

    Muitas empresas se pudessem, ainda tinham os Pentium 4 e o windows XP a funcionar até torrarem completamente, lá para 2020 ou 2030 (já vão em 12 anos no activo!!!!), mas outras empresas com pessoas mais esclarecidas à frente, procuram sempre mais e mais do sistema informático que têem até chegarem à conclusão que têem de substituír, 3 anos ou pouco mais depois da aquisição!

  12. David S. says:

    Como promover as pessoas a largar o windows XP e usar o Win 8 coisa que ninguém quer… Simples se faz estudos ridículos sem pés nem cabeça… Conheço gente que trabalha TI que meu deus como alguém pode ter um trabalho sem perceber quase nada… Sobre custo tanto se tem no XP, Vista Win 7 e por ai fora.
    Só para terminar usando GNU/Linux os custo seriam muito baixos por varias razões.

    Abraços.

    • JJ says:

      Mas que custos estas a referir? De software e hardware ou de manutenção?

      O que se fala aqui é de manutenção, não de licenças ou equipamentos!

    • Rui says:

      Poderiam ser se todos os programas que utilizam as empresas, pudessem correr sem alterações em Linux, podem? Pois bem sei que não…. o maior custo de software de uma empresa não é o SO, mas sim os programas que trabalham sobre o SO. Para teres uma ideia, o nosso programa de contabilidade + gestão de alunos + vencimentos custou 5.000€ + 111€ mensais!!! PHC soma-lhe + 1.500€. Desmaterialização dos documentos custou 4.000€ + 300€ mensais. Percebes onde se gasta dinheiro? Já nem falo em sistemas puros de gestão como o SAP que só ele custa várias centenas de milhares de euros!!!!!!!!!

      • JJ says:

        Nem mais! Concordo plenamente!

        Tomar para muitas empresas, só gastarem dinheiro no SO e Office… compravam todas as versões mal saiam.

        Talvez muitas empresas ainda usam o XP, porque a despesa e o tempo que gastam com outros programas não lhes dê “tempo” para se dedicarem ao SO.
        Por isso ficam com ele o máximo de tempo possível ou melhor enquanto o tempo que tem de gastar com o SO seja pouco. Isso acontece, enquanto é a própria Microsoft que vai fazendo as actualizações ao SO, que são automáticas e não dão grande trabalho as TI. Quando a Microsoft acaba com esse suporte, as equipas de TI, começam a mudar de SO.

      • David S. says:

        Lamento te informar mas estão a ser roubadinhos a pala ou essa tua historia está bem mal contada…

        • Rui says:

          David, imagina que te contratava para desenvolveres os programas que nós precisamos, para linux. Quanto é que isso custa? E quantos anos teria de esperar para ter os programas a funcionar? O linux é bom, mas só tem alguns programas, quase todos em língua inglesa e que segue legislação totalmente diferente da nossa…..

        • JJ says:

          Uma empresa de Desing, se quiser comprar a suite de produtividade da Adobe, tem um custo a rondar os 2500€… Qual é os programas em Linux, que estão ao MESMO nível dos da Adobe? Nenhum… por isso, o Linux, para esta empresa não serve!

  13. Xoxota says:

    Não entendo o porquê de tanta admiração e revolta pelo XP deixar de ter suporte. Isso acontece com qualquer sistema operativo ou software. Mais tarde ou mais cedo deixa de ter suporte. End of life. Period! Acontece nos carros, nas torradeiras, em tudo.

  14. Paulo says:

    Só mesmo a Microsoft, para inventar um estudo destes e é preciso ser muito ignorante ou muito otário para acreditar nele.
    1º As empresas que utilizam um determinado Windows
    (XP por ex.)também utilizam softwares que são compatíveis com ele e não irão precisar de passar a utilizar outros softwares novos, só porque saíram alguns Windows novos.
    2º Ninguém, a menos que seja completamente burro, vai utilizar seja qual Windows for apenas com os sistemas de segurança internos e existem no mercado dezenas de soluções de segurança, absolutamente óptimas como por ex. o Norton internet security 2014, que funciona perfeitamente no XP e ainda vai poder ser utilizado por bastantes anos, isso significa que os problemas apresentados pelos sistemas operativos continuam a ser os mesmos que sempre foram com ou sem actualizações o que obviamente vai manter iguais os custos de manutenção, salvaguardando-se aqueles que aumentem em consequência do aumento da inflação.
    3º Eu sou técnico de TI à 22 anos (do tempo do Windows 3.1) tenho uma empresa que presta serviços de manutenção às PME’s, logo quando tenho que dar manutenção a um PC com o Windows XP (por ex.) gasto muito MENOS tempo a resolver um problema que ele apresente do que com o Windows 8.1, porque obviamente conheço muito melhor um sistema mais antigo do que um novo, pela simples rasão de que já tive muito mais tempo para o estudar, dissecar e perceber a “linguagem dele”.

  15. Paulo says:

    Só mais uma coisa … Voçês sabiam que ainda existem empresas que utilizam o Windows 3.11, o 95, o 98 e até mesmo o OS2, como base de operabilidade para os diversos programas de gerenciamento que utilizam e que essas empresas estão satisfeitas com os sistemas que têm, não apresentam problemas de segurança acrescidos e portanto não têm necessidade de andar a correr atrás da Microsoft com actualizações de três em três anos ou coisa que seja,
    porque isso sim, é que lhes iria aumentar os custos.

  16. Paulo says:

    E ainda … porque motivo os grandes hackers internacionais ou não,
    (aqueles que oferecem grande e verdadeiro perigo)
    iriam gastar ou perder tempo a atacar as máquinas das pessoas comuns, para roubar o quê ?
    É preciso não esquecer que quando um exploit ou um backdoor é criado, tem a finalidade de deixar um sistema Windows vulnerável, mas os ataques com intenção de invadir uma máquina, são feitos de modo individual, com um objectivo específico, que sempre é dirigido a uma grande empresa. Já no caso dos vírus que são propagados pela internet o objectivo é apenas destruir e para isso e como já foi dito temos os programas antivírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.