Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: medicamento espanhol reduz a quase 100% carga viral

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Ricardo says:

    Reduz até 99% e não 100%.

  2. Carlos says:

    este é que é o caminho. Algo que trate rapidamente esta doença que se tornará endémica. É necessário é que o seu custo não seja um problema para que fique disponível para as massas.

  3. Pedro says:

    No título falam em 100% mas na notícia em lado nenhum é referido que a carga viral é reduzida totalmente. Foi lapso vosso ? Ou vocês voltaram como costumam a adaptar e alterar os fatos ao vosso belo prazer de forma a ter mais clicks nas notícias ? Vejam la isso! E não censurem este comentário também sff.

  4. Miguel says:

    “reduz a 100%”? Vinha dos 2000%?

  5. falcaobranco says:

    A primeira foto é verídica?

    Esperemos que entre rapidamente em testes para acabarmos de vez com isto…

  6. Miguel Nóbrega says:

    Quero comprar disso

  7. vitor says:

    “reduz a 100%” eficácia de 0 então.

  8. Asdrubal says:

    Tinha lido noutro local que reduzia 100 vezes mais que um outro medicamento.

  9. luís says:

    Se estão com dúvidas vão ao site da revista science!!

    Mas como só gostam de comentar (criticar) e não se dão ao trabalho de pesquisar eu já deixo aqui o link para os mais preguiçosos!!

    https://science.sciencemag.org/content/early/2021/01/22/science.abf4058?rss=1

    • Toni da Adega says:

      Nem vale a pena colocar esse tipo de informacao. Se não estiver publicado no FB e youtube ninguem vai ligar ou levar a sério.

    • SSD says:

      Acho que neste momento é mais ser céptico que outra coisa. Quantos medicamentos é que supostamente foram indicados que faziam maravilhas e depois vamos a ver e na prática não tem quase efeito? (Até me admira o Spoky ainda não ter publicado a mítica lista de 6 ou 7 e mais o estudo da vitamina C).
      Ainda a semana passada o médico que tanto defendeu a cloroquina veio admitir que afinal havia falhas no seu estudo e que o medicamento não fazia assim tanto efeito quanto o que ele esperava. Ou seja neste momento acredito quando vir um ensaio clínico bem executado e que produza os mesmos resultados em humanos.

  10. ernez says:

    Calma, que para a semana que vem, o poligrafo já vem meter pimenta na língua de nós, enfim, a minha ex-esposa trabalha no Hospital de Santa Creu i Sant Pau em Barcelona e como compreendem, isto não é fácil, este vírus potencializa as doenças que nós temos, é um meio termo do hivs, muito complicado para pessoas, com características mais vulneráveis; bem, como ia dizendo, existem vários fármacos a ser administrados e com bastante eficácia neste momento e que reduzem a carga vira,l substancialmente, em pacientes pré-uci e uci, estão já publicados na literatura medica e a ser administrados em toda a europa, em Portugal não se entende, o porque, de certos fármacos, não estarem em pratica nas alas covids, ou não tem dinheiro para comprar ou os fármacos não chegam a Portugal ou então, são desviados para os países mais ricos, não se entende que a taxa de mortalidade em Portugal seja a mais elevada do mundo, algo não está a funcionar corretamente, algo muito estranho e complicado se passa, enfim!

    • Luis Rosalino says:

      Ernez a taxa de mortalidade em Portugal está dentro da média. Aliás, esta abaixo… Os infectados novos é que estão acima…

      • ernez says:

        Então eu retifico, é o primeiro do mundo com mais casos de covid por 100 mil habitantes e o (1º) primeiro do mundo com mais mortes por milhão habitantes. Ai mãe que paciência que se tem que ter, enfim. Bibliografia: dados publicados pelo observador a 25 de janeiro de 2021.

        • Luis Rosalino says:

          Ernez, com os dados que tenho a taxa de mortalidade dos casos totais menos os casos ativos dá uma percentagem de 2,28%. Ora se a média está em 2,5% a 3% estamos abaixo da média.
          A taxa de infetados por 100mil é que é realmente preocupante.

    • Hugo Sousa says:

      É que não há nada que tenha dito que explique o fenómeno covid em Portugal. Não é assim que se vê o problema. Nem sequer dá para fazer grandes comparações entre os países. Portugal não está na mesma fase que a Espanha, por exemplo. Os dados e os resultados não se tiram ao dia, nem sequer à semana. E não é verdade que Portugal tenha o pior rácio do mundo. Quanto muito tem tido o pior rácio de novas infecções por dia, em alguns dias, e com uma maior quantidade de testes por dia que a maioria dos países europeus, o que praticamente impossibilita qualquer comparação de curto prazo. É contudo um facto que temos vindo a descer muito na eficácia que temos tido, e estamos a ficar para trás, onde inicialmente fomos dos melhores a reagir.

    • Manuel da Costa says:

      Quem é que lhe diz que não se aplicam? Lá por a sua esposa trabalhar em Espanha, esse local que matou 67000% do SARS-COV-2 e abriu as discotecas todas, durante o Verão para receber 152 milhões de turistas, depois perderam 154000 vidas…
      Cá em Portugal também se usam os mesmos fármacos. A diferença é que não andam por aí a anunciar que os estão a usar, principalmente porque a maioria deles são MORTAIS, caso ultrapassem a dose máxima que um humano suporta. Já bastou o que se passou na Índia, com a ivermecticina, que terá matado mais de 10000 pessoas, que seguiram as instruções online e diluíram pepitas de cães e gatos, para fazer o medicamento que “elimina o SARS-COV-2”.
      Entretanto, era fácil importar 300 tabletes de comprimidos de ivermecticina, do Brasil, onde é vendido para eliminar parasitas instestinais… com o problema que tomar mais de 2mg diárias é sentença de morte. Os testes dizem que com 25mg diárias, conseguem erradicar o Covid-19 em menos de 12 horas. Portanto, mais de, 12 vezes acima do limite máximo que um humano pode tomar.

  11. Sergio J says:

    Então isto é um tratamento não uma vacina. Se reduz a carga viral significa que pelo menos os doentes que estão em estado critico poderão ficar muito melhores ou quase curados.

    • Manuel da Costa says:

      Calma que o teste em ratinhos deu aquele resultado.
      Passando para os humanos, vai acontecer o mesmo que a ivermecticina… a dose necessária é mortal para o SARS-COV-2 e para quem a tomar.

  12. carlos says:

    Era bom que alguém do meio cientifico/médico explicasse aqui que medicamentos se estão a usar em Portugal nos doentes covid em estado mais grave.

    • ... says:

      Provavelmente aspirina ou tic tacs…

    • Há cada gajo says:

      Estão a ser usados todos os protocolos aprovados pela OMS e Centro Europeu Prevenção e controlo das Doenças. O país só se pode queixar da população que tem e que finalmente se mostrou ao mundo !

    • João André Costa says:

      Está a ser ainda utilizado o Remdisivir, apesar de muitos países já desaconselharem a utilização da mesma. Mas a DGS está à espera (mais uma vez) que toda a gente diga que deve ser proibido, para depois avançar.

    • Manuel da Costa says:

      Estão a ser usados 9 medicamentos, que a autoridade europeia do medicamento autoriza.
      Não são apresentadas as designações, porque TODOS são de venda PROIBIDA e só podem ser usados por profissionais de saúde, pois as dosagens tem de ser MUITÍSSIMO bem calculadas.
      Já bastou a estupidez das redes sociais quando se falou da ivermecticina…

  13. Jota says:

    …que estará pronto/aprovado daqui a quantos meses/anos?

  14. supersilva says:

    Já tão dando vacina que é comprovado que tem 50% de eficácia! Pra tomar remédio com 99% é bom demais

  15. Pirata das cabernas says:

    calma que isto foi so em ratos… tambem havia um medicamento tuga com boas probabilidades e nunca mais ninguem ouvi falar disso

  16. j says:

    Na minha opinião nada até hoje há uma cura certa. Só vendo quando isso acontecer.

  17. Teoria da constiapação says:

    a ultrapassar a conspiradora Suécia em 3..2..1

  18. cm says:

    Isto parecem noticias tipo as das baterias!

  19. Carl says:

    Só vai sair para a população daqui a 2 anos se entretanto passar em mais 400 testes…. Este tipo de notícias já enjoa

  20. Manuel da Costa says:

    Este medicamento tem um princípio muito parecido com a ivermecticina.
    Também funcionou em ratinhos e cobaias, quando passaram para animais maiores, a dose necessária era muito para lá do limite que os corpos suportam.
    O que este estudo diz é o mesmo que mais 6530 (até ontem) deram. Só 12 passaram para a testagem em humanos, os restantes foram abandonados por ser tóxicos para serem usados. 9 já estão em uso na Europa, 11 nos EUA. Só que a eficácia é demorada (o melhor fica pelos 6 dias reduzindo a carga viral em 64%) e exige utilização hospitalar, não é de venda ao público, pois a sobredosagem é mortal.

  21. Paulo says:

    Reduz a quase 100% ou reduz em quase 100%?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.