PplWare Mobile

Computadores dentro da sala da aula? Afinal não é boa ideia


Autor: Pedro Pinto


  1. Joaquim says:

    Lol.

    E que tal contra-argumentar este estudo com TODOS os outros que dizem o contrário?
    Que afinal é mesmo boa ideia?

  2. keimatudo says:

    Mentira!!!!!!!!!!!Alguma vez eu me distraí nas aulas de programação e tecnologias a jogar quake 2 em rede e elifoot 98 em pc partilhado? Nada disso…
    Depende das mentalidades…na escola distraía-me, no trabalho não uso papel e caneta à muito tempo (em reuniões, workshops e formações)

    • André Alves says:

      Pois… na escola, no trabalho é diferente.

      • Dreamliner says:

        Há pessoas e pessoas… Por uns não devem pagar os outros. Nunca me distraí com nada, se o professor me propunha fazer aquilo eu fazia aquilo e mais nada – a não ser que terminasse as tarefas antes do tempo estipulado e me dessem indicações que poderia usar o computador para pesquisas diversas.

  3. Machado says:

    A tecnologia deve servir apenas de muleta pedagógica, mas os alunos fazem dela uma autêntica cama!
    😀

  4. Redin says:

    É falso quando se diz que os computadores são um elemento de distração.
    Mas haverá alguma coisa que o professor esteja a dizer que vá distrair um aluno que esteja a ver porno ou o facebook?

  5. joao says:

    É claro que se distraem, o que é querem que as crianças façam se a unica coisa que sabem fazer no computador é jogar e ir as redes socias? Que tal ensinarem-lhes a mexer num computador como deve de ser?

  6. João Rodrigo says:

    Só aprende quem quer! Quem não quiser, paciência 🙂

  7. PedroWM10 says:

    E que tal ser a tecnologia a ser a ferramenta adequada ao estudo e nao a tecnologia por si. É que quando a tecnologia falha, nao se pretende ter um conjunto de técnicos que nada sabe fazer e tecnologicadependentes….

  8. Luís says:

    Mentira. Estou atualmente numa licenciatura e sinto que é indispensável dada a velocidade a que a matéria é leccionada. Permite-me juntar aos apontamentos as imagens relacionadas com o que é dado (estou ligado às artes), permite-me ver conteúdos com melhor qualidade do que é projetado. Claro que há distrações, também as tenho, mas sem dúvida que é uma mais valia. É impossível passar à mão e poder ter a qualidade e os conteúdos disponiveis desta forma (não no sentido de não terem boa qualidade, mas sim eu poder sentir que estão completos para mim.
    E em nada baixaram as minhas notas, melhorou o facto de ter passado de caneta e caderno para computador de um semestre para o outro 😉

    generalizações demasiado facilitadas, é mais fácil criticar e apontar quem realmente não quer fazer nada de quem vê um computador como uma verdadeira ferramenta de trabalho

  9. kekes says:

    Sou super prótecnologias, mas acho que a tecnologia nas salas de aulas não tem sentido, já era o que era com os telemoveis…

  10. Luna Pacheco says:

    Depende muito da pessoa. Acho que o uso de computador na sala de aula deve ser opcional, desde que a pessoa não incomode ou distraia os outros alunos. No meu caso ajudou imenso, devido à rapidez para tirar apontamentos e à possibilidade de pesquisar por qualquer dúvida que me ocorra, sem necessidade de interromper o professor.

  11. Paulo Ramos says:

    Acredito que os computadores na sala de aula, além de promoverem uma maior interação, autonomia e acesso a mais recursos pelos alunos, facilitam claramente o processo de ensino-aprendizagem na medida em que estamos na era dos nativos digitais e retirar este principio a esta geração é como dar um passo atrás na evolução.

    Sou professor e a aula é muito mais fluente com recurso a plataformas de e-learning (criando um report para fora do contexto de sala de aula) porque lhes proporcionamos mecanismos para acederem à informação corretamente, quer para estudo, quer para desenvolverem o seu sentido de pesquisa e sede por informação (inata nos jovens)…tudo da forma correta (porque os pais/professores não estão presentes 24/7 na vida deles).

    Não querendo ser demasiado extenso: quem defende que não se deve usar estes auxilios motivadores numa sala de aula está descontextualizado, desatualizado e é um elemento impeditivo da autonomia do aluno.

    • Danny says:

      O estudo efectuado fala de uma forma geral. Também sou professor, mas não concordo com computadores numa sala de aula. e sou adepto das tecnologias!
      Concordo quando diz que “quem defende que não se deve usar estes auxilios motivadores numa sala de aula está descontextualizado, desatualizado e é um elemento impeditivo da autonomia do aluno.” e atenção a parte dos “auxílios motivadores”. Estes auxílios não devem ser só e unicamente computadores na sala de aula. Quadros electrónicos, por exemplo, são óptimos auxiliares para varias disciplinas, mas infelizmente não é regra para todas as escolas.
      Mas temos de ser verdadeiros. Neste campo, os computadores não ajudavam em nada os alunos. Basta ver o facto dos telemóveis que os usam e abusam ser respeito. é a tal tecnologia-dependente que muitos não conseguem largar.

      Continuando ainda na conversa dos computadores, estes são necessários nas disciplinas de português? matemática? Ed. Visual e tecnológica? ciências? não me parece.

  12. gg says:

    É que tal um botão para cortar a corrente, apenas com acesso ao professor?

  13. Mendes says:

    Era preciso fazer um estudo?

  14. António says:

    Não é preciso nenhum estudo àcerca deste assunto, basta falar com os professores.
    A garotada nos trabalhos de pesquisa limita-se a copiar-colar, não faz qualquer análise aos conteúdos recolhidos. Para não falar daqueles que estão sempre em fuga para FBs e Youtubes.

  15. David Guerreiro says:

    A maior parte dos putos nas aulas com computador, metem-se a jogar e se tiverem acesso à Net, vão para o Facebook, etc.

  16. M.Manuelito says:

    Ui ui a minha autarquia vai inaugurar um Centro Escolar onde computadores e até tablets para os alunos vão ser o grande suporte para um ensino do Século XXI, se eles soubessem deste estudo, passava tudo ao tempo do papel e do lapis 🙂 ah…e da ardósia 🙂

  17. Moi meme says:

    Devem ter feito o estudo com base em windows 8 / 8.1.
    Aquilo era do pior que havia para manter as pessoas concentradas, tanto nas escolas assim como profissionalmente.

  18. Mike says:

    Estar a estudar nas TI ou seja em que área for e não ter pc não deve de ser lá muito boa ideia, lá está, eu sou a favor de haver pcs em todas as aulas, as TI são o futuro e quem não souber usar não vai conseguir evoluir seja onde for e hoje em dia pode-se bloquear os meios de distracção a toda a gente.

  19. Jorge says:

    Epa tirando o cs acho que se aprende muito
    Olhem no japao….eles nao usam computadores???e têm más notas????

  20. RubenS says:

    Este estudo é muito relativo, o uso das tecnologias facilita muito o acesso. Óbvio que tem os seus prós e contras, e depender os alunos do uso das tecnologias é um atraso, pois não podemos estar dependente delas. Hoje em dia os jovens usam muito para jogar e redes sociais, o mesmo se diz com smartphones xpto só para telefonar/sms e ir às redes sociais.

    Fazer aulas 100% interactivas é mau, mas intercalar o seu uso é benéfico. Quem já disse que nunca se distraiu, é pura mentira, nem que seja para consultar algo na net, ou jogar alguma coisa só por uns instantes, etc todos nós já fizemos.

    Respondendo ao titulo, se é benéfico ou não, eu diria que sim. Tudo depende do uso que nós damos e saber usar de forma moderada é muito bom (infelizmente não é o que se passa na sociedade).

  21. Iluminati! says:

    É cortar a Net quando não for necessário. Na minha faculdade os alunos também vão muitas vezes ao Facebook e afins quando se está a dar a matéria, e mesmo assim nem sei como se conseguem safar.
    Já nas salas sem computadores é a mesma coisa… Uma pessoa nem sabe se está nas redes (anti)sociais ou a ver porno.
    Mas, claro, as universidades agradecem, com o valor pago pelos estudantes para irem a exame caso não passem nas disciplinas… Dinheiro esse que nem serve para arranjar uma sala com computadores a caírem aos bocados, mas para organizar eventos todos os dias que dão lucro com a publicidade e, muitas vezes, nem são do interesse dos alunos, aí estamos de acordo… Convido-vos a passarem um dia na minha universidade, que investe a favor dos docentes, mas nada para os alunos…

  22. Paulo Alves says:

    Discordo completamente em associar este estudo à generalidade das escolas. Uma escola com material tecnológico enriquece, e muito, o sistema de ensino. Apesar de nem todos os alunos estarem interessados em captar o que de bom a tecnologia nos pode transmitir, esse interesse não é estimulado pelos professores porque é notória a sua falta de formação, isto sim é um factor importante nos estudos a realizar. Temos empresas em Portugal, com provas dadas a nível internacional, que são pioneiras a equipar escolas e dar a formação necessária. E como diz o velho ditado chinês: “não lhe dê peixe, ensine a pescar”.

  23. Marco says:

    Falta saber em que faixa etária foi realizado o estudo. Isso influência e muito.

  24. Hugo says:

    Interessante saber isso, em cursos como Eng. Informática, as consultas para tirar dúvidas em exercícios são efetuadas ao “Tio Google”, caso os obriguem a resolver problemas em papel, os caso muda de figura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.