Quantcast
PplWare Mobile

China perde controlo da sua estação espacial que cairá na Terra

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Vítor M.


  1. Amilcar Alho says:

    Lá está… “Made in China”… 😀

  2. nocode says:

    Lá vai o bruce willis salvar a terra.

    Ou então la vai um missil acabar com a cena

  3. obs says:

    Made in china, Drop in china…Eu espero

    • Bruno M. says:

      Para variar, Made in China, Drop in the rest of the World….

    • Hugo says:

      Sempre ouvi dizer “what happens in China, stays in China” 😛

    • Vlad says:

      Estranho ninguém mencionar que a única estação espacial americana, o Skylab teve precisamente o mesmo destino, bem como a NASA na altura apenas soube dizer mais ou menos onde esta cairia uma semanas antes da re-entrada. Os destroços atingiram a Austrália em vez dos EUA.

      • Paulo says:

        Estranho também não mencionares que a Skylab foi para o espaço em 1973, não em 2011.

        • lmx says:

          tendo em conta que foi para o Ar em 73 e caiu em 79…5 anos…acho mesmo que se pode comparar dados os 5 anos da chinesa…que cairá aos 6 anos!!

        • Vlad says:

          Ainda faz pouco tempo que os japoneses perderam controlo do satélite Hitomi, no entanto não vi aqui ninguém ultrajado por isso. De notar que ao contrário do Skylab, Tiangong-1 já tinha ultrapassado o seu tempo espectável de vida. Esse tempo era de dois anos. Esta não vai cair por avaria, mas sim por desenho. Esta estação espacial era uma plataforma de testes para tecnologias e materiais a serem usadas na estação espacial modular chinesa. O Skylab no entanto caiu quase a metade do tempo de serviço que era de 9 anos.

          Até ao momento a única nação que sozinha conseguiu manter uma estação espacial em órbita de forma estável e de longa duração foram mesmo os Russos (na altura União Soviética). A Mir manteve-se em órbita mais de 15 anos, e apenas se procedeu à sua re-entrada de forma controlada porque esta tinha sido sucedida pela ISS. A Mir foi também a primeira estação espacial modular, existindo apenas outra estação espacial modular alguma vez lançada, a ISS, estação esta que os russos foram cruciais no seu desenho e construção.

          • Paulo says:

            Mas estando em 2016, mesmo passando o tempo de vida util, uma estação tão recente não exigiria um pouco mais de competência?

    • Paulo Jaime says:

      Não deseje aos outros o que não quer para si…sempre ouvi dizer ! E que tal os mísseis balísticos made in qualquer lugar , caírem nesse mesmo lugar ? É assim que devemos pensar ? A cair na Terra que caia no mar…é isso que deve desejar …não vá algum pedaço cair-lhe na cabeça ….

  4. Luiz Carlos G. Filho says:

    Como qualquer outro tipo de exploração, a espacial tem seus riscos, alguns podem ser evitados e outros não.

  5. miguel says:

    e que tal abater aquilo antes de entrar em colisão ??

    • miguel says:

      ja sei porque as probabilidades de acertar uma zona habitada é muito menor que numa não habitada.

      • joao says:

        Sabes que para haver uma explosão precisas de oxigénio logo no espaço como não tens oxigénio os mísseis não fazem efeito… Mesmo uma onda de impacto provocada por qualquer detonação precisa de oxigénio para se propagar

        • miguel says:

          “uma explosão precisas de oxigénio logo no espaço como não tens oxigénio os mísseis não fazem efeito”
          realy?? ate a pólvora que foi inventada há tanto tempo consegue rebentar “sem oxigénio”, na verdade na mistura “pólvora” encontra se oxigénio, só precisa de haver o inicio da reacção em cadeia, quanto mais arde mais oxigénio a mistura liberta. (acho que isto é censo comum, ou como achas que uma bala “explode se esta dentro de encapsulamento metálico, ou plástico no caso dos cartuchos??)
          teoria 1: reprovada

          não precisas de oxigénio para se propagar uma onda de impacto.(alias nem sei qual q tua cena com o oxigénio)

          contudo a mesma tecnologia “velha” das granadas que libertam vários fragmentos, poderia ser usado para desmantelar a estação espacial, o que tornaria o processo de desintegrarão da matéria na orbitra terrestre mais facil

        • miguel says:

          joão estavas a tentar dar aqui uma lição de Quimica/Fisica , mas parece que saio furado.
          Ao menos usa o google antes de escrever tanta coisa errada de uma vez.

          mas sim para haver combustão é preciso oxigenio.

          • me and me says:

            o problema é que isso pode criar muitos (ainda mais) detritos a orbitar a grande velocidade. detritos que apesar de serem pequenos para sobreviver a uma reentrada na atmosfera, sao grandes o suficiente para causar danos irreversiveis nos satelites que la estao e na ISS

    • joao says:

      Sabes que para haver explosão “fogo” precisas de oxigénio e no espaço não o tens. Logo os mísseis são pouco eficazes. Mesmo uma onda de impacto só se propaga se existir oxigénio…

      • me and me says:

        certo….

        MAS, existem explosões no espaço, ou no vácuo. nao ias era ter a onda de choque, essa sim criada pelo arquente gerado pela explosão… mas nao tem de ser forçosamente oxigenio.
        como ele disse, se usarem fragmentos conseguem causar destruição.

        aqui a questao é que podes criar uma “bola de neve” com detritos a orbitar a grande velocidade, que apesar de serem pequenos o suficiente para nao conseguirem reentrar na atmosfera, podem causar danos nos satelites ja em orbita.

        explosões no espaço existem, mas com pouca onda de choque, sem som e muitos detritos

  6. luislelis says:

    Tem processador MTK? O GPS nunca conseguirá encontrar a terra.

  7. censo says:

    Aquilo é tão bom, tão bom, mas tão bom que se vai desintegrar toda na atmosfera ! É chinoca !

  8. R41M31 says:

    há ali um spot em Lisboa onde se juntam regularmente 200 e tal maganos que poderiam levar com isto na tola…

  9. PRETOgues says:

    Não haveria uma nave capaz de a amarrar e puxar para a orbita da lua? E ela cair lá ou ficar como primeiro satélite residente? Então? Era tipo um ensaio para capturar um asteróide.

  10. Marco Rua says:

    Olha nem mais…. tiras-te me as palavras da boca. KKKKKKKKKKKKKK

  11. Homo Erectíssimo says:

    Espero que caia na tola do Donald Trump. 🙂 🙂

  12. António says:

    ” Os chineses têm tentado fazer sempre estas pesquisas à parte do resto das agências espaciais.” Não é bem assim. O que se tem passado é que o ocidente, em especial os USA, têm bloqueado o acesso da china a projetos internacionais, em especial à Estação Espacial Internacional (EEI). De resto tem havido alguma cooperação com a ESA, embora limitada.

  13. dajosova says:

    Hi, tá a chover….

  14. manelito says:

    acho engraçado que anunciam que não sabem onde vai cair, e dizem depois a seguir que tem um cemitério….para as naves… ?? qual o mais inteligente,,,fonix

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.