Quantcast
PplWare Mobile

Apple diz que Shellshock não é crítico para utilizadores do OSX

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Gabriel says:

    Falta saber o que são serviços avançados ou quais são esses serviços.

    • tavares says:

      Se não sabes o que são “serviços avançados” não te preocupes…estás protegido logo à partida!!

    • Nunes says:

      qualquer serviço que permita acesso remoto (tipo Apache ou SSH) e capaz de interagir com a shell. O OS X não vem configurado de raiz com esse tipo de serviços activados e são poucas as aplicações comuns no Mac que os usam.
      Por isso durante algum tempo muitas destas pessoas estarão protegidas. Serão necessárias outras falhas para poder aproveitar esta falha nesses casos.

  2. Dash says:

    Enquanto não fazem o update e estiverem vulneráveis utilizem a dash que é bem mais recente e melhor.

    Não se esqueçam de renomear ou remover a bash e linkar.

    Quando sair o update actualizem.

    • lmx says:

      pois é uma hipotse,

      mas a dash é muito mais limitada, e para interação do utilizador não é boa.

      A dash é muito rápida, mas muito mais limitada.

      Normalmente a dash(Debian Almquist SHell), é utilizada mais para serviços, e scripts que se querem rápidos…

      A bash é mais utilizada para interagir com o user…ou melhor para o user integragir com ela, mas é uma hipotse! 😉

      No entanto se houver scripts que chamem através do shebang a /bin/sh, e utilizarem coisas da bash, e a shell por defeito apontar para a dash…vai correr mal :S

      porque a dash não interpreta “Bashisms”

  3. Nuno Vieira says:

    Só tenho uma coisa a dizer. LOL. Realmente os SOs pagos são o paradigma da segurança.

    • Marco says:

      Não deixa de ser um problema de segurança. Mas o utilizador típico da Apple não usa a shell, quem usa são os webdev, programadores e sysadmins, todos estes sabem muito bem compilar a bash mais recente para atualizar a que vem de origem, é o que faz ser um nix.

      E o Linux só tem devido aos utizadores padrão, e à utilização padrão (servidores) a redhat como distros paga que era tinha de olhar pelos seus utilizadores.

  4. Hugo Nogueira says:

    “How do I recompile Bash to avoid Shellshock (the remote exploit CVE-2014-6271 and CVE-2014-7169)?”
    https://apple.stackexchange.com/questions/146849/how-do-i-recompile-bash-to-avoid-shellshock-the-remote-exploit-cve-2014-6271-an

  5. João Matos says:

    Cá para mim não sabem é como resolver e mandam estes bitaites.

    Preocupo-me mais com quem comprou um iPhone6 e não o pode por no bolso 🙁

    • Jorge Carvalho says:

      “Consumer Reports released a new video today taking on claims of overly-flexible iPhones that have appeared online recently. Apple noted that only a handful of complaints have come in and gave journalists a look at its testing procedures. Regardless of Cupertino’s claims, Consumer Reports kept its promise to conduct testing that was a bit more scientific in nature than previous YouTube videos.

      To address these claims, several different phones were tested under up to 150 pounds of pressure to see when each model would stop “snapping back” to its original shape. The devices tested were the iPhone 6 Plus, iPhone 6, iPhone 5, HTC One M8, Samsung Galaxy Note 3, and LG G3.

      Overall, the iPhone 6 and 6 Plus weren’t the sturdiest phones tested, though they also weren’t the weakest. That title goes to the One M8, which buckled under only 70 pounds of pressure. Surprising—and contrary to recent reports—the iPhone 6 Plus managed to hold until the 90 pound mark, putting it 20 pounds ahead of the smaller model and making it the 4th strongest phone tested (out of 6, mind you).

      Taking the top prize for durability was the Samsung Galaxy Note 3, which only began to deform under 150 pounds of pressure. The iPhone 5 tied for second place when it lost its shape at the 130 pound mark, on par with the LG G3.

      Consumer Reports also tested how much force was needed to cause the display to actually separate from the case, finding that an additional 20-30 pounds was needed for most phones, with only the G3 and Note 3 requiring no additional weight to separate.

      So while we can from these results that the iPhone 6 and 6 Plus are by no means the most durable phones on the market, they’re not as likely to take any permanent damage from your pockets or bare hands as recent reports would have you believe.”

      Já lias qualquer coisa acerca do tema não ? 🙂 Abc

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.