PplWare Mobile

Neurónios artificiais imitam totalmente células do cérebro humano


Vítor M.

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Estoiro says:

    OHHH MYY!! então depois de ter acabado de ver o ultimo episódio de Wayward Pines vir aqui e ler esta noticia!
    humans are changing…..

  2. Tecnico Meo says:

    simplesmente uau

  3. k says:

    Pessoalmente, não afirmo nem discordo, não pesco muito da área, mas parece-me um belo de um avanço de qualquer maneira. 🙂

    Mas se este é o mesmo artigo que li a dias, então o título, embora seja igual ao original, pode não estar correcto. Há um comentário no reddit que fala sobre como um neurocientista comentou esta notícia onde explica que eles não imitam totalmente um neurónio “real”. É logo o primeiro comentário para quem estiver interessado e diz o seguinte:

    “Fully mimic? No they don’t. Top comment from /r/science by a neuroscientist:
    As always, great exaggeration in the press release of the university where this was done.
    Yes, the researchers managed to mimick a very basic function of neurons, namely translating chemical signal input by a neurotransmitter into an electrical signal and trigger the release of neurotransmitter molecules on the other end.
    But neurons do way, way more than that:
    They integrate signals from many different excitatory and inhibitory synapses (Edit: Basically this means summing up positive and negative inputs). I can see this being realized by electric circuitry in a model similar to the one described here, but as I understand it, they didn’t do that.
    Neurons generate new synapses, kill off existing ones, and strengthen or weaken existing synapses. These processes are called synaptic plasticity and are the fundamentals of brain function. The “artificial neuron” does none of that.
    Neurotransmitter release is highy regulated by extremely complex mechanisms. It’s not simply “put in electricity, dump neurotransmitter into synaptic cleft”. The amount of released molecules and the timing of release is utterly important. Not present in the “artifcial neuron”.
    Elimination of neurotransmitter molecules from the synaptic cleft can happen in different ways, one of them being re-uptake by the releasing neuron. I don’t see this happening in the model, either.
    Is this interesting and promising research? Most definitely. Is it an “artificial neuron”? Absolutely not. It’s like saying you build a CPU when all you did was invent the extension cord.”

    https://www.reddit.com/r/Futurology/comments/3bpynn/scientists_have_built_artificial_neurons_that/

  4. Arlindo Pereira says:

    cYBoRgS estão a chegar…

  5. Arlindo Pereira says:

    Filmes como Robocop e Exterminador implacável começam a fazer sentido.

    • Rodrigo Gameiro says:

      Mas não sabes que as pessoas que criam filmes estã a criar o futuro sem o saber? Os cientistas acham o filme X interessante e futurista e imitam-no.

      • Marco says:

        Ou seja, só foram criados neurónios artificiais para imitar um filme qualquer?

        • Megabyte says:

          A evolução acontece através da necessidade de resolver determinado problema, ou então através da imaginação do ser humano, ao querer fazer algo novo ou ir mais além. filmes de ficção costumam ser resultado da imaginação fertil de algúem, por isso é normal que alguns filmes assentes em bases cientificas, acabem sendo uma visão do futuro. Lembram-se dos tricorders do capitão kirk? Ainda não chegaram exactamente lá mas os smartphones e tablets vão a caminho de serem o resultado dessa imaginação.

  6. Ivan says:

    Simplesmente fenomenal.
    A complexidade deste neurónio artificial e a ajuda que poderá vir a ter na substituição de células danificadas, substituindo a sua função, tornando o que era até hoje irreversível, em algo reversível.

    Se bem que um neurónio do tamanho de uma impressão digital é algo hipoteticamente ‘grande’ para a implementação no cérebro, mas a partir de agora vão começar a trabalhar em protótipos mais pequenos com certeza.

    Já conseguem por cegos a ver através de implantes no cérebro, conseguem que pessoas amputadas sejam implantadas mãos biónicas que até à pouco tempo era somente possível controlar estes membros e atualmente já conseguem processar a sensibilidade ao toque.

    Amazing.

  7. Maria says:

    As pessoas que fazem comentários idiotas sobre cyborgs ou terminators vê-se claramente que não conhecem de perto o drama das doenças neurodegenerativas, e não conseguem perceber a esperança num tratamento ou melhoria da vida destes doentes que esta notícia traz.

  8. Rafael says:

    Vou encomendar uns quantos para umas pessoas que cá sei… 😀

  9. MariLuz says:

    Grande avanço em prol do bem estar humano , uma das grandes vantagens da aliança informática com a medicina

    Haja criatividade e mundo avança

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.