PplWare Mobile

Dinamarca gerou 140% de electricidade vinda da energia eólica


Autor: Vítor M.


  1. PTaneco says:

    Cá em Portugal podia ser muito bom, mas a tentação da corrupção começava logo na escolha da empresa exploradora da energia. Assim tipo octapharma, vistos gold etc….

  2. João Pedro Guerreiro says:

    Se milhares e milhares de pessoas tiverem “pequenas” baterias em casa, essa energia excedente pode ser armazenada e usada mais tarde. #Powerwall

    • Concept says:

      Sendo assim acabaria por haver energia excedente na mesma… Hoje guardavam energia nessas baterias e amanha não usavam energia da companhia.

      • JBM says:

        Não! O excedente é em certos períodos do dia, havendo outros períodos no próprio com picos de consumo que necessitam de produção adicional!
        Ao armazenar o excedente reduziria a necessidade de produção adicional nos outros períodos

    • João Reis says:

      Tesla pensou nisso mesmo, comercializam baterias para esse efeito mesmo para casa. O retorno é a média-prazo depende do que usas para gerar.

  3. Rafael says:

    Vitor, onde dizes ” nem sequer estavam a ser utilizados na máquina performance das suas capacidades”, não quererás dizer ” nem sequer estavam a ser utilizados na MÁXIMA performance das suas capacidades”;
    E onde dizes ” sistemas hidrelétricos”, não quererás dizer outra coisa…?

    • Fernando Jorge says:

      Estou a “falar” pelo Vitor… pelo que o que disser, poderá sempre ser desmentido por ele caso eu esteja a meter o pé na poça!! 🙂

      A primeira questão que colocas, também julgo que era “máxima” que ele queria escrever.
      Quanto à segunda questão, o que está escrito pode estar correcto. Muitas vezes, quando há excedente de energia, usa-se essa energia para bombar água de volta para a parte de cima da barragem, para se poder “turbinar” quando a necessidade surge. É como se carregasses uma pilha… (neste caso a pilha é a barragem).
      Tenho ideia de ter lido que isto não é lá muito eficiente, mas sempre é uma maneira de se aproveitar energia excedente.

      • Paulo Gonçalves says:

        Uma nota, o armazenamento de energia nas barragens significa que estas fazem menos descargas ou caso seja possivel interrompem por completo.

    • Vítor M. says:

      Têm razão. Alterado, é “máxima” e “hidroeléctrica”. Obrigado pelo reparo.

  4. Anarca says:

    De lembrar que por causa das renováveis, a Dinamarca tem a energia mais cara da Europa.

    Geralmente as energias renováveis são muito mais caras, e pagamos por isso. Está na moda.

    • Zé M. S. says:

      Não é verdade. O problema foram os contratos feitos inicialmente com fortes incentivos para que a tecnologia pegasse. Por kW (sem incentivos), as eólicas são mais baratas que o carvão ou gás. Os painéis solares têm descido de preço vertiginosamente, já têm um ROI de ~10 anos e uma vida útil de 25.

      Com os preços das baterias sempre a descer é previsível que daqui a alguns anos se armazene energia produzida durante a noite (em que a produção renovável já é maior que o consumo em Portugal) para utilizar as horas de ponta, o que reduzirá ainda mais o custo destas fontes de energia.

    • Pedro Nunes says:

      As energias renováveis são caras na minha opinão porque requerem um investimento e uma manutenção bem grande.

      Porém se não forem corruptos nem ladrões, a longo prazo assim que o investimento tiver sido pago, o preço poderá descer, porém conhecendo as corporações, isso nunca acontecerá XD

    • Marco says:

      Porque é que as energias renováveis são muito mais caras?

      Pergunto devido a desconhecimento de causa mesmo.

      • Manuel says:

        Falta de economia de escala, baixa densidade da produção de energia (o equivalente a uma turbina eólica, consegues através de um gerador que te ocupa uma sala de 100 m2; já no caso da fotovoltaica, ocupam hectares de terrenos); inicialmente, o financiamento era caro porque os bancos não sabiam bem como avaliar; alguma falta de qualificação dos técnicos que te exige a contratação de entidades externas; no caso do fotovoltaico, os materiais para fabrico dos paineis são efetivamente caros; os tradicionais interesses instalados, as contas são feitas para haver retorno em 7 anos; os locais remotos onde estas instalações tem que ser instaladas. São um sem número de razões. Claro que do outro lado te podem dizer, e quem é que financiou os gaseodutos, os portos, e as centrais termoeléctricas que são pagas para estarem paradas, etc. Enfim, é um assunto bastante complexo.

        • Marco says:

          Entendo. Mas se virmos num prisma futuro, não irão baixar os preços? Não compensará? Acredito que energias renováveis tenham mais custos de produção, manutenção e espaço, mas se no final se obtiver a mesma energia, não é isso benéfico? Tanto para o planeta como para quem quer lucrar (embora a margem de lucro possa ser menor).

          Mas uma vez mais, falo apenas por alto. Não percebo muito disso, são apenas curiosidades.

    • JBM says:

      os preços da dinamarca serem elevados têm pouco a ver com as renováveis, é antes uma consequência de aplicar mais impostos. Na Dinamarca chegam a apontar que dentro de pouco tempo a energia eólica será a metade do preço da energia vinda de combustíveis fósseis

  5. Professor says:

    Apple ja produz energia para 100% dos US atraves de fontes renovaveis

  6. Rui says:

    Ui, grande coisa. Em noite ventosas Portugal também tem excedentes de energia eólica, energia essa que é exportada para Espanha a custo quase zero. Esse é o problema das energia renováveis à excepção da energia geotérmica e a hídrica, são fontes de energia variável ou seja o seu máximo potencial raramente coincide com os picos de consumo. Portanto enquanto não encontrarmos uma forma eficiente de armazenar a energia excedente vamos estar dependentes da energia proveniente dos combustíveis fosseis.

  7. jaquim says:

    A energia eólica pode ser conjugada com hidroeléctrica, quando em excesso é usada para bombear água para as barragens. Nos picos de consumo usam essa água para gerar energia. Acontece por cá pelo menos no Alqueva. Deviam fazer isso em vez de a oferecer aos espanhóis, mas quais as razões…

    • JBM says:

      para isso ser possível é preciso haver mais barragens a jusante para acumular a água que depois será bombeada! Naquelas que há esse bombeamento já é feito, mas há limites óbvios

  8. Bruno says:

    Cá em portugal criticaram e até condenaram “os elevados custos de investir em enrgia eolica”. Mais, havia planos para a instalacao de uma fabrica de paineis solares que caiu com a queda do Governo PS. Convém lembrar que Salazar poupava muito mas quando caiu o regime, vimos a fome, ignorancia e cofres vazios que tivemos por poupar anos a fio. É preciso investir, até se alguns projetos correm mal, com o aproveitamento da ondas do mar que correu mal. É fácil apontar o dedo mas ninguém diz que apesar do endividamento, estivemos no topo do mundo em matéria de energia renovável, essa mesma que foi vendida aos chineses a preco irrisório. Se foi caro, agora é mais porque perdemos tudo…

    • Vlad says:

      “Convém lembrar que Salazar poupava muito mas quando caiu o regime, vimos a fome, ignorancia e cofres vazios que tivemos por poupar anos a fio.” Por acaso viveste no regime de Salazar? Não me parece. Existiam mais pessoas abaixo do limiar de pobreza durante a ditadura do que hoje. Tínhamos também um enorme número de emigrantes, número esse que começou a diminuir constantemente logo após o final da ditadura, apenas nos últimos anos é que esse número tem crescido novamente a um ritmo alarmante. O mesmo se pode dizer do acesso à cultura e ensino que melhorou drasticamente após a ditadura, bem como os direitos das mulheres, trabalho infantil,… Podia ficar aqui o dia todo.

      • int3 says:

        muito menos. emigrantes e fugitivos por causa da guerra!! esta guerra que foi os nossos “amigos” americanos que forçaram nós a entrar. agora como levantamos o rabo para esses tipos já estamos “bem”…
        ignorancia….

  9. PPLware says:

    cá em portugal ~30% vem da energia eolica, o problema é que o preço do vento está a subir, poor guy edp
    http://www.edp.pt/pt/sustentabilidade/ambiente/energiasrenovaveis/Pages/energias_renovaveis.aspx

  10. José Assis Ribeiro Filho says:

    Não resta a menor dúvida de que o futuro está reservado às energias renováveis, entretanto venho me questionando sobre se a energia eólica é realmente limpa. Senão vejamos, um parque eólico retira megawatts, gigawatts do vento e manda de forma concentrada para uma, duas, dezenas de cidades, muitas vezes centenas de quilômetros de distância, ou seja, esta retirando energia de uma região e mandando para outra.
    Entendo que o vento carrega energia que vai ser dissipada ao longo do seu trajeto mantendo o equilíbrio da área que ele varre. Se essa energia é retirada e direcionada para outra região certamente vai ocorrer um desequilíbrio. Em pequena escala é desprezível, mas quando se trata do abastecimento de um Pais ou de vários, me parece que à longo prazo podemos está criando um novo problema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.