PplWare Mobile

Acha o Gmail seguro? Há programadores com acesso a milhões de e-mails


Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. Luiz L. Marins says:

    A única coisa boa no Gmail é o “concentrador de e-mails” … todo o resto é ruim!

  2. Carlos Mogas da Silva says:

    Por isso é que o meu está todo self-hosted. Deixei-me dessas tretas do gmails

  3. Mentecaptor says:

    Uma coisa é ser analisado “por computadores”, por algoritmos, outra coisa é ser analisado por humanos, essa sim é uma verdadeira quebra de privacidade.

    • Amilcar Alho says:

      Venha o diabo e escolha…

    • arc says:

      Diabos à solta….

    • Paulo Martins says:

      O algoritmo tem que ser desenvolvido de alguma forma, um programador não advinha que tipo de e-mails é que as pessoas recebem para criar um algoritmo eficiente e poder realizar debugs… Reparem que o artigo apenas menciona que os e-mails foram apenas acedidos por programadores para desenvolver algoritmos, claro que não há forma de saber senão foram usados para outras coisas, mas o pessoal está de tal forma escaldado que qualquer notícia assumem logo o pior.
      Se alguém tiver algum solução para que um programador desenvolva algoritmos eficientes e possa realizar debugs às suas apps sem acesso a dados concretos, que a venda porque irá fazer uma fortuna, até lá há que ter alguma boa fé com estas empresas senão vamos estagnar em termos de evolução na internet.

      • Mentecaptor says:

        Não precisa de acesso total às mensagens, de forma alguma. Pode realizar testes com dados simulados e validar com os dados obtidos da análise automática das mensagens, podem saber rapidamente o tipo de e-mails e todos os dados que necessitam, de forma (relativamente) anónima.
        Há casos em que é de facto necessário quebrar a privacidade e temos de confiar na ética de quem o faz, mas aqui não é de todo necessário.

    • Sujeito says:

      Claro, porque analisado por computadores não é para depois ser usado por humanos. Certamente que não.

    • Mentecaptor says:

      Para quem não está a ver: uma coisa são humanos terem acesso aos emails, completos e estarem a ler as mensagens (e aceder a fotos, p.ex., ou outros anexos), ou seja, uma quebra total da privacidade. Outra coisa é ser feito um parsing automático das mensagens e no final obter algo como: user 1234, palavra X 3 ocorrências, palavra Y 4 ocorrências, total de mensagens 123, tamanho médio das mensagens 12, número de anexos total 123, 1 anexo do tipo X, 2 do tipo y, 3 do tipo z, e por aí adiante. Não me parece difícil entender as diferenças óbvias.

  4. pedro says:

    As tretas da cuscoid do costume.
    Lembra a empresa ACME do bipbip e a outra empresa do Robocop… Tudo quer ter, tudo quer controlar, bolas parece um estado fascista.

  5. jorge santos says:

    Pelo que percebi, a culpa é dos utilizadores, não do Gmail.
    Deixem de instalar aplicações e extensões…

    • says:

      Não. A culpa é da Google por ter um meio que permite que a situação aconteça.

      • Paulo Martins says:

        A culpa não é de ninguém porque até se prove o contrário não foi feito nada de errado. O tratamento dado aos dados tem como único objetivo dar aos programadores ferramentas para desenvolver as aplicações, para a Google isto é uma situação normal, o pessoal é que nunca tinha pensado nisso, mas é uma situação óbvia.
        Ninguém consegue desenvolver correctamente ou fazer debugs sem ter acesso a casos concretos.

    • Tiago C says:

      Isso é como saíres de casa, e deixares o porta aberta.
      Os ladrões (utilizadores) é que entram de forma facilitada (por tua culpa, aqui o Gmail).

      • AqueleGajo says:

        Quais ladrões? Seria o equivalente a entrarem-te empregados do super mercado, espreitarem-te o frigorifico e a despensa e depois meterem mais produtos parecidos aos que tens na loja deles…

  6. José Moreira says:

    Mas… Haverá alguma coisa segura, na Internet? Haverá algum cliente de e-mail seguro?

  7. Spoky says:

    Usar emails gratuitos estão a espera do quê? Que não façam lucro com voces? Estão é doidos.

    http://hushmail.com para quem quer um email a sério e seguro.

  8. UnTrust says:

    Para que serve um acesso HTTPS, TLS, SSL ao Gmail? Não serve para rigorosamente nada. Os princípios da Google estão todos invertidos! É capaz de ser pior a nossa informação estar nas mãos deles do que nas mãos de hackerzitos….
    Ao que isto chega….

  9. Sandro Franco says:

    Eu acho que devia estar explícito, e obrigatório ao criar um e-mail de um qualquer serviço/ empresa o utilizador a forma com esse serviço é fornecido. Por exemplo, quando criei o Hotmail, 2003 ou 2004 não me recordo, havia uma versão paga (Plus) e a básica (a minha) tinha 16 megas de espaço e um número limitado e e-mails a enviar por mês. Mais tarde com a concorrência entre serviços creio eu, passou a existir publicidade nas side-bars e o e-mail tendencialmente gratuito. Agora, como estão as coisas, o facto de ser gratuito pode não ser de borla (citando Gato Fedorento), devido a isto que mostram aqui. Hoje em dia, por exemplo e voltando ao início, continuo com a conta Hotmail sendo subscritor do Office 365 continuo ainda assim sem conhecer ao pormenor o que faz a empresa Microsoft e como gere se é que gere de alguma forma que não o espaço de armazenamento a conta (s).

    • Sujeito says:

      Menos mau. Mas vai ler as leis sobre as quais assenta e pondera bem a escolha.

      • Couto says:

        Não entendi onde pretendes chegar.

        • Pintor says:

          Se leres os termos de utilização em algum lugar diz algo como:
          Se alguma autoridade solicitar damos acesso aos dados.
          Agora uma autoridade do governo chinês, do Russo e tratada da mesma maneira que uma da Noruega ?

          • Anónimo says:

            Não é assim, pois o Protonmail usa zero-access privacy, ou seja, nem os autores do Protonmail conseguem ler as nossas mensagens de e-mail. O único senão é que só é garantido zero-access privacy para transferência de mensagens entre contas Protonmail.

          • Anónimo says:

            Melhor dizendo, o conteúdo encriptado pode ser transmitido às autoridades nalguns casos, mas se estas não tiverem a chave criptográfica, provavelmente não lhes servirá de muito, admitindo que a chave é suficientemente complexa. De novo, salvaguardo que o zero-access privacy só ocorre na troca de mensagens entre contas Protonmail.

  10. falcaobranco says:

    O que eu li foi que não era o Gmail no browser, mas sim nomeadamente na app e apps que precisam de autenticação e notificação por parte do nosso email, se tivermos gmail… porque sabemos que existem imensas app’s que precisam de autenticação do nosso email, que antes era do hotmail e agora, maior parte do mundo, tem gmail…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.