Quantcast
PplWare Mobile

Foi há 10 anos que a Apple inovou e lançou o iPhone

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Rui says:

    Massificou… Mas não inovou. O primeiro Iphone era um atraso face ao que existia já no mercado. Quem não se lembra dos HTC (mesmo com o Windows Phone) e todas as funcionalidades que tinham!

    • Rick says:

      Não concordo! Nessa altura não só inovou como conseguiu impor a sua vontade às operadoras.
      Antes do iPhone todas as operadores personalizavam os telefones que vendiam (e ainda fazem em muitos casos hoje). E falaste dos HTC! Sim tinham mais funcionalidades, mas as que o iPhone tinha, funcionavam bem. No Windows Phone…era um suplicio fazer coisas básicas como por exemplo ir à lista telefónica, seleccionar um contacto e fazer uma chamada.

      • Ricardo Sampaio says:

        suplicio? não sei porque e se não gostavas sempre podias instalar outro dialer, não havia app store oficial mas havia suporte de inúmeras companhias.

        e não vamos esquecer a fantástica funcionalidade de copy/past, que só apareceu no iOS 3.0 , dois anos depois…

    • Bruno says:

      Não inovou? Onde é que já tinhas visto um telemóvel com aquele tipo de interface e com aquela facilidade para navegar na Web? Esses HTC eram um atraso no interface, entre muitas outras coisas, por isso é que rapidamente foram à vida e a HTC mudou para Android, só a Nokia e a RIM conseguiram aguentar mais algum tempo.

      • kekes says:

        Isso não foi a inovação. O primeiro iPhone tinha 2G, achas que isso era inovação para navegar na internet?

        • Bruno says:

          O primeiro iPhone tinha WiFi, e já havia WiFi em muitos lados! Ser 2G não retira a vantagem de se poder navegar na Web com um browser que podia ver facilmente, de forma intuitiva, quase tudo o que se podia ver num PC. Até então era um suplício fazer isso num telemóvel.

        • Helder says:

          Tinha WiFi, que hoje é normal, mas na altura não eram todos!

          Mas de que te serve ter 3G, se o browser do telemóvel não acompanha?

          O browser do iPhone era muito, muito à frente dos outros e permitia navegar na Internet normal, esse problema do 2G desapareceu rapidamente e hoje não passa de nota de rodapé.

          Não só o iPhone tinha HTML5 e JavaScript completo para a altura, como tinha YouTube, como tinha Google Maps, e não se borrava todo quando o fazia.

    • Vlad says:

      Lamento mas tenho que discordar. A Apple inovou sim, com conceitos como o pinch to zoom, entre outros.

      • Ricardo Sampaio says:

        ja existia….

        • Bruno says:

          Não existia multi-touch em aparelhos móveis!

          • Ricardo Sampaio says:

            nao da para responder a todos, mas pinch to zoom não requer multitouch de ecrans capacitivos, resistivos conseguem essa capacidade.

          • Bruno says:

            @ Ricardo Sampaio, pinch to zoom é talvez o maior exemplo de multi-touch do primeiro iPhone, que só é possível ser feito se reconhecer separadamente os dois dedos e os seus movimentos, o que é por definição multi-touch, como até o próprio dá a entender!
            Ecrã capacitivo é uma coisa, multi-touch é outra! Os ecrã capacitivos tinham a vantagem de ter melhor sensibilidade para algo como o multi-touch. Mais tarde apareceram ecrãs resistivos que também podiam ter multi-touch

          • Ricardo Sampaio says:

            @Bruno

            pinch to zoom pode ser feito com ecrans resistivos e sem ter multitouch, não conseguir detetar 2 dedos é uma coisa, mas o movimento do pinch dá.

          • Bruno says:

            @ Ricardo Sampaio, pensa bem no que estás a dizer! O movimento de pinch é um movimento de dois dedos e só pode reconhecer que há movimento de dois dedos se identificar os dois dedos separadamente, logo multi-touch!
            Se insistes com essa história explica como se pode identificar um movimento de dois dedos em sentidos opostos sem ser possível reconhecer dois dedos, ou então dá a referência factual para a tua história.

          • Vlad says:

            @Ricardo Sampaio
            Podes-me dizer como é que tu fazes um gesto com dois dedos num ecrã que não suporta a deteção simultânea de dois toques e o controlador consegue detetar o gesto corretamente?

            E ainda estou à espera qual era o dispositivo que disponibilizava o pinch to zoom antes da Apple, tal como tu indicaste.

        • Helder says:

          Não.

          Ponto final.

        • Vlad says:

          Em que dispositivo?

      • R. Amor says:

        Surpreendeu na altura .. hoje é só mais um smartphone, mas quando saiu “era bom”, mas quando saiu o jailbreak .. venha lá quem vier .. o iphone “arrasou” abrindo portas para um novo mundo .. (ter ssh num dispositivo móvel, desbloquear a operadora)

    • José Rodrigues says:

      Ecrãs resistivos e necessidade de pen… Não deves ter usado nenhum para dizeres que era semelhante.
      O iPhone representou uma inovação tecnológica semelhante à que o primeiro PC representou.

    • Toni says:

      Eu lembro-me dos HTC, infelizmente!! Comparar o Iphone com os HTC’s da altura… é como comparar a água com vinho. Esqueça lá as funcionalidades: a resposta ao toque que o Iphone tinha foi, para mim, a maior inovação. Ou quer comparar isso com o HTC e a sua stylus? 😀

    • kekes says:

      Não era o melhor (nem de perto), mas tinha coisas que se tornaram standards.

      Na minha opinião o mais importante que fizeram com o iPhone foi a AppStore. Até então era tudo uma verdadeira loucura. Eu acho que foi o verdadeiro trunfo da Apple, e o que fez com que muitas empresas da concorrencia caissem, abriram os olhos demasiado tarde. C
      Continuaram a pensar que um telemovel tinha que ser como um PC, esquecendo-se que se queres que desenvolvam para o teu aparelho tens que lhes dar visão e possibilidade de lucro.

      Eu acho que essa foi a gande inovação da Apple.

    • Santa Comba Dona1 says:

      +1000

  2. Jeton99 says:

    Olá pessoal eu tenho este equipamento 😉 e a funcionar..

  3. Goncalo says:

    Sim senhor, concordo, foram inovadores, acima de tudo aventureiros, como em situações anteriores, em que outras empresas nao acreditavam e chutavam para canto, a Apple ia buscar e aventurava-se e saia a ganhar, um exemplo disso foi o rato.
    Voltando ao iPhone, na altura era de longe o melhor produto, nao havia nada assim, mas tal como se passou com a Nokia, bastou começar com o pé direito, com um produto inovador e de boa qualidade, depois de conquistar a confiança do público toda a possível falha é desculpavel, e mesmo desacreditada, e mais uma vez, isso passou-se com a Nokia, tinha uma larga gama de equipamentos, muitos partilhavam a mesma board, ate mesmo chassis, muitos foram de fraca qualidade, mesmo assim amados por todos.

      • Zeque Tefodd says:

        Porque te ris? Nao sou fan da Apple, pelo contrario, mas a verdade tem de ser reconhecida.
        Claro que o foco principal da Apple nunca foi o utilizador ou a evolucao tecnologica, e isso esta bem patente nestes factos que acima indico.
        Eles foram inovadores por partirem com confianca para um mercado arriscado, com um produto arriscado. Foram inovadores no amrketing, na aposta por um equipamento dependente de servicos como o itunes. Mas em relacao a smartphones, e ao tao badalado touchscreen, nao, nao foram inovadores, apenas copiaram o que ja ha muito tinha sido feito por outros e estava a dar frutos.
        O iPhone so apareceu em 2007, mas os smartphones ja existiam ha muito, vejam aqui por exemplo, um dos maiores players neste campo: https://en.wikipedia.org/wiki/HTC
        Espero que te tenhas rido por teres percebido o meu sarcasmo no comentario acima, senao percebeste neste fica patente esse mesmo sarcasmo.
        Resumindo: Apple foi inovadora na arte de manipular massas, e isso ainda hoje funciona (ainda nao se sabe bem porque).

    • Vlad says:

      O rato não foi invenção da Apple, nem a Apple foi a primeira a comercializar um computador com um.

      • sómaisum says:

        Nem o touch foi invenção da Apple, nem da Google, nem da HTC, nem uma carrada de coisas. Mas foi às custas da Apple que o touch virou o que é hoje, e às custas da Apple que o rato ficou massificado, e “normal” em qualquer computador.

        Ele já existia prai uns 20 anos antes é verdade… Carros elétricos também já existem à muito tempo, e, como analogia, vais dizer qua a Tesla não inovou?

        • Vlad says:

          A Apple não inovou o rato com o Lisa ou com o Macintosh. Conseguiu sim trazer uma tecnologia que quase ninguém a conhecia e massificou-a. A implementação do rato da Apple na altura era a mesma de várias outras empresas, nomeadamente a Xerox. A Apple inovou o rato quando lançou o Magic Mouse.

        • Bruno says:

          Multi-touch num aparelho móvel foi uma invenção da Apple.

      • Aguamenti says:

        O Goncalo não disse que o rato foi invenção da Apple. Ora lê lá outra vez, mas com mais atenção 😉

        • Vlad says:

          Disse inovadores e aventureiros. Mas a Apple não inovou, pois o rato era o mesmo que as incarnações anteriores. Também não foi aventureira quando já existiam empresas que comercializavam computadores com ratos. Inovar e sucesso não são sinónimos.

  4. Leggo says:

    Apple na vanguarda

  5. Nick Tesla says:

    inovação e Apple não combinam
    melhoramento sim, inovação não

  6. censo says:

    Não concordo com o conceito de inovação. Antes tínhamos os PDA´s. O que apple fez, e bem, foi aprimorar o conceito. Não inovou, mas contribuiu fortemente para a sua evolução.

    • Bruno says:

      Vê no dicionário o que é inovar! Não foi um mero aprimorar dos PDAs, não havia aparelhos móveis com aquela forma de interface. Já agora PDA é um termo criado pela Apple no início dos anos 90 com o Newton, um dos primeiros PDAs, talvez o primeiro se se considerar o interface típico dos PDAs.

      • PGinTheHouse says:

        PDA é um termo criado pela Apple !??!?!?!?!?!?!?
        BIG LOL toma juizo pá

        • Vlad says:

          Correto o termo PDA foi usado pela primeira vez pela Apple com a introdução do Newton. Agora não foi a primeira a lançar um dispositivo daquele tipo. Tal como a Apple foi a primeira a usar o termo Retina Display, no entanto já existiam no mercado aparelhos com uma densidade de pixeis grande o suficiente para também o serem.

          • PGinTheHouse says:

            O termo foi usado pelo CEO da Apple, mas isso não significa nem que tenha sido ele a inventar o termo nem a Apple, pelo simples facto de que se o fosse … os outro teriam que pagar à Apple para designar os seus equipamentos como PDA, ou não achas ?
            Quanto ao que o termo representa, o trambolho que era o newton estava a anos luz dos palm ou do psion da altura.

          • Bruno says:

            Não disse que tinha sido o primeiro PDA, disse que talvez terá sido o primeiro com o interface típico de PDA – ecrã touch com caneta, reconhecimento de escrita, etc.

          • Bruno says:

            @ PGinTheHouse, não sei qual é o teu problema, a origem do termo está mais do que assente historicamente. Por que carga de água haveriam de pagar à Apple, é apenas um termo que foi usado numa apresentação da Apple para designar uma área tecnológica, a marca da Apple era o Newton.
            Os Palm só apareceram mais tarde e os Psion na altura não eram mais evoluídos que o Newton…

          • Vlad says:

            @PGinTheHouse
            Eu não disse que foi o CEO que inventou o termo, disse que foi usado pela primeira vez o tempo pela Apple, e não há registo anterior de alguém que o tenha feito. Ter inventado um termo não é a mesma coisa que um trademark, não confundas as coisas.

          • Vlad says:

            @Bruno
            E eu por acaso indiquei que tu disseste que a Apple foi a primeira a lançar um PDA? Não! A resposta foi para o PGinTheHouse que alguém pode inventar um termo para representar um tipo de dispositivo sem que tenha inventado esse tipo de dispositivo.

        • Bruno says:

          @ PGinTheHouse, o termo PDA apareceu pela primeira quando a Apple apresentou o Newton.

      • Jona says:

        Basicamente nunca ouviste falar do LG prada

        • Bruno says:

          Basicamente não fazes ideia o que fazia o LG Prada! Multi-touch? Não! Gestos!? Não! Browser completo? Não! Smartphone? Não! etc. O LG Prada era um feature-phone que mantinha ainda muito da lógica de interface de menus desse tipo de dispositivos. Nem um teclado qwerty tinha.

      • Ricardo Sampaio says:

        esquece os PDA, um qtek s100 velhicimo (2004) podia ter launcher 3D, widgets e uma carrada de outras coisas, o interface do iphone1 até ao 5 ou 6 é uma lista de apps.

    • Helder says:

      Pois tínhamos, tínhamos o Apple Newton, o primeiro PDA a sério!

  7. Al CiD says:

    …and the “Selfie Sapiens” was born…

  8. V.T. says:

    Parabéns iPhone e parabéns à Apple!

  9. marco720 says:

    Inovou sim, com o primeiro iPhone como um produto inovador inovador e depois com o 4 pela sua qualidade de construção com nada comparável até então. A partir daí, nada…

  10. Rui Matos says:

    A Apple foi a primeira(ponto)…….ainda tenho um 3gs, tenho é pena de ser lento comó raio senão estava a usar.

  11. B@rão Vermelho says:

    É uma grande verdade, na altura só o facto de podermos interagir com o tlf sem ser com a Pen, dos HTC, na altura comprei o de 8GB, e fiquei impressionado com a qualidade do visor, tem de ser visto a altura da sua saída.
    Outra coisa que me surpreende na altura era a qualidade e ainda hoje é a forma de ouvir podcast nos produtos da Apple.
    E fui cliente Iphone até ao 4S, depois fiquei um pouco farto de ser sempre igual, continuo a ser cliente Apple, em Ipad e Ipod.

    • Álvaro Campos says:

      Eu tive vários Palm (M100 e M130, Tungsten E2 e T2), Qtek (1010 e 2020), HTC (Dimond e Dimond 2, Tytn e Tytn II) e Compaq (ipaq) e raramente usava o estilete… E se há coisa que tenho saudades era de conseguir “escrever” em vez de “digitar” e mesmo nessa altura usava as unhas a maior parte das vezes 🙂
      Lembro-me de, em Inglaterra, andar a namorar um dos Sony Clié mas já nessa altura eram muito caros.
      Sim, o ecrã era de uma outra tecnologia (bem fraquinha mas era o que havia para os preços não serem muito altos) comparando com o do iPhone mesmo assim conseguia-se usar com os dedos.

  12. Alex M. says:

    Se a Apple inovou ou não isso não me importa mas que revolucionou o mercado isso é indiscutível.
    Parabéns Apple.

  13. carlos sousa says:

    A ignorância desta malta que comenta aqui …chega a ser triste…não inovou? Se hoje usam o facebook messenger com aquela interface de mensagens bonitinha tipo conversa…deve-se ao iPhone …se hoje acham simples com o dedo passarem listas para baixo e para cima de forma simples…iphone…dois dedos para fazer zoom…iphone…apps…iphone…navegar na web como no pc…sim…iphone…duplo clique para fazer zoom…sim iPhone…etc…etc…etc…podia estar aqui a manhã toda…tudo aquilo que agora acham normal…apareceu primeiro com o iPhone…não existia até ali…não falem do que não sabem…

    • Ricardo Sampaio says:

      Facebook? não foi no iphone 1 de certeza
      usar o dedo para passar listas? windows CE/mobile fazia
      dois dedos para zoom? qtek e htc faziam, mesmo com ecrans resistivos
      apps iphone? market estruturado talvez, mas apps existiam para windows CE/mobile
      navegar na web como pc? windows CE/Mobile
      copy /past? windows CE/mobile fazia , no iphone só dois anos depois… no iOS3…

      a única coisa grande que a apple fez foi o market, antes os makets eram inexistentes ou eram de cada marca, o que o da apple também é, mas como cresceu transformou-se num universal.

      • Bruno says:

        “dois dedos para zoom? qtek e htc”????? Onde é que antes do iPhone essas marcas faziam algo que por definição é multi-touch?
        O interface do Windows CE era minúsculo, estava pensado para usar estilete. Lá por conseguires usar o dedo nalguns sítios não o torna parecido a um interface pensado exclusivamente para haver interacção directa com o dedo.
        Os browsers no Windows CE eram uma porcaria e mais limitados.

  14. TugAzeiteiro says:

    Estou para ver é o que a Apple irá trazer realmente de novo passados 10 anos.. é que o efeito WOW nos últimos anos desapareceu completamente das suas apresentações! Vamos ver…

  15. PGinTheHouse says:

    Parabéns à Sony pelo desenho e Inovação

  16. Aguamenti says:

    A aversão à Apple chega ao ponto de se negar a inovação de um dos seus produtos através de artefactos gramaticais e de dicionário. Não digo que seja “hate” (não em todos os casos, anyway).

    Eu não sou fã nem hater: reconheço factos, entre eles o facto de estar aqui a comentar no meu Android devido ao iPhone lançado há 10 anos atrás. Podiam haver os PDAs, mas eram usados massivamente como os smartphones hoje? Não: eram demasiado complicados e “tacanhos” para uso diário; os Nokia eram o modelo de até então e representava 70% dos telemóveis em Portugal.

    A falta de inovação pode ser debatida nos modelos mais recentes do iPhone… mas debater a inovação do primeiro? Sejamos ponderados.

  17. iDespairing says:

    Tenho um 3G de 2008 como reliquia e ainda funciona 100%.

  18. Filipe says:

    A principal inovação da Apple no iPhone foi o marketing.
    Conceberam um aparelho com um design fantástico e conseguiram criar a ideia de que o iphone era um objecto de luxo ao alcance de poucos, e isso permitiu-lhes vender um telemóvel/PDA a preços super-inflacionados, porque as pessoas têm uma necessidade compulsiva de mostrar que têm mais dinheiro que os outros

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.