TOP 5 – Carros Eléctricos que marcaram o Ano de 2016


Destaques PPLWARE

39 Respostas

  1. alguem says:

    O Tesla está para receber (ou até já recebeu) uma atualização de software que o permite fazer 0-100 em 2,4 segundos. Assim fica ao nível de alguns carros desportivos de mais de um milhão de dólares.

  2. Rui says:

    O problema destes carros é que poupam o ambiente, mas não poupam a carteira do dono!

  3. Nunes says:

    E o Chevrolet Volt? Que vai ser introduzido na europa pela Opel como o Ampera e. Tem + de 400km de autonomia e um preço “pagável” pela classe média?

    • Nunes says:

      Correção: Chevrolet Bolt.

      • Luís Costa says:

        Nestes artigos da treta nunca entram carros económicos , acessíveis ou funcionais .

        Mantêm-se a mentalidade que coloca o ênfase na potencia e velocidade máxima em detrimento do factor económico / autonomia .

        Para mim a lacuna continua na falta de um eléctrico , tipo SW , com uma velocidade máxima de 120 km/h ( ou pouco mais ) e uma autonomia ( real ) acima dos 500 km em autoestrada e com um preço dentro do normal .

        • Vítor M. says:

          Bem posso também dizer que este é um “comentário da treta” 😉 porque normalmente e tal como vemos nos Tesla, os segmentos têm sempre modelos que são os que introduzem os conceitos mais elementares, pese o facto do preço da inovação ser sempre alto. Se não fosse assim, tínhamos já carros eléctricos com autonomia acima dos 400 km há muitos anos e não é verdade. Não é verdade em termos de veículos e muito menos verdade em termos de veículos económicos como o Luís está a querer dizer. Pelo que como em tudo, há os que apenas são conceitos, modelos para um mercado, tendências tecnológicas e incentivo para o comércio.

          Repare que o seu exemplo era de louvar, um veículo que até aos 120 km/h de velocidade média tivesse uma autonomia de 500 Km… mas onde vê isso? Não vê porque as baterias capazes de debitar tal potência e autonomia são muito caras, a tecnologia envolvente é caríssima e ainda não é possível tal conjunto em modelos “acessíveis”. Percebe?

          • Luís Costa says:

            E tem toda a razão em relação ao meu comentário foi mesmo um “comentário da treta” dado que nada acrescentou ao assunto. . Quando escrevi ” artigo da treta” não quis por em causa o que escreveu nem a veracidade do mesmo , apenas que considero que mais uma vez o ênfase é dado no sentido errado .

            Em relação a existirem eléctricos puros de facto não temos , temos sim o Ampera ( com extensor de autonomia ) que se bem que não sendo eléctrico puro que em termos de espaço/conforto/segurança transmitida na condução é o que até hoje mais gostei de conduzir .

            Foi pena a Renault ter descontinuado o Fluence Ze a autonomia na altura era reduzida …. mas não estava assim tão longe do Leaf ( versão de 2011 ) .

            Quanto aos Zoe ,I3 e Leaf , dos 3 prefiro o ultimo ( o I3 não conduzi ) agrada-me o Leaf sendo que para o ter como opção precisa de chegar pelo menos aos 400 km ( reais ) em autoestrada e ter uma versão SW .

            A questão do preço das baterias tem estado a ter uma evolução favorável e que certamente será muito maior se o caminho for o de as marcas ( Nissan ) abandonarem o fabrico de baterias sendo que ai o mercado se encarregue de as desenvolver e a economia de escala permita reduzir fortemente o preço das mesmas .

            Resumindo apesar de “artigo da treta” venham mais que continuarão a ser lidos com toda a atenção .

          • Vítor M. says:

            Caro Luís, sem dúvida que o mercado tem essas ofertas e sem dúvida que embora tendo pouca autonomia são importantes para pressionar o desenvolvimento de mais e um custo menos e com mais capacidade… esse é o foco de 2017 (eu próprio só troco de carro para um eléctrico quando houver uma oferta que preencha esses requisitos, mas também só troco agora para eléctrico.)

            Obrigado pelo seu contributo.

  4. RF says:

    Fica como nota que por ex. na Alemanha, a partir de 2030 será proibida a venda de qualquer veículo novo com motor de combustão… Portanto é bom que os carros eléctricos baixem o preço até lá.. porque a continuar assim, só vai haver carros velhos!

    • Paulo Santos says:

      Mas já há carros elétricos acessíveis.

      • Rui says:

        Isso é verdade, mas para carros com autonomia inferior a 200Km (a autonomia que diz no papel não relevo para o caso). Imagine um emigrante fazer o percurso de carro para a Alemanha por estrada num carro eléctrico com 200km de autonomia, numa viagem de 2.000Km!!!!! Ou quem é do norte rumar ao Algarve……….

        • Brta says:

          Acaba por ser um incentivo aos transportes públicos nessas longas viagens . Hoje em dia vêm cada vez menos de carro, tendo em conta o preço das alternativas, por exemplo avião.

          • Rui says:

            Está muito enganado! Provavelmente vive no litoral, mas se lhe disser que existem literalmente dezenas ou centenas de empresas de transporte de emigrantes, com carrinhas/autocarros mais ou menos legais, acredita?

            Veja os carros de matrícula estrangeira que entram e saiem do país! Fala de transportes públicos…. onde? Só tenho conhecimento em Lisboa, Porto e pouco mais, no país que fica para lá de 20km do litoral, se você não tiver um carro não consegue ir a lado nenhum, porque não há transportes públicos!!!!!!

            Falou das viagens de baixo custo……. imagine uma família inteira e mesmo assim vai ver que não é assim tão barato, para além de não poder trazer roupa e outros tarecos pessoais para 1 mês numa low cost!

      • David Guerreiro says:

        Os alemães ganham bem, podem pagar o preço dos Tesla.

      • RF says:

        A acessibilidade depende da carteira de cada um.. para ti 40mil pode ser acessível, para mim 30mil e para outros 20mil ou 10mil..

  5. Helder Bandeira says:

    O 4 ???? Aceleração tão rápida que nem se vê!

  6. Nao tenho says:

    Acham mesmo que a Alemanha pode proibir carros a combustão e aquelas pessoas que tem clássicos o que vão fazer com eles deitar fora o mesmo a divisões desportivas como bmw m ou Mercedes amg que nao podem criar carros eléctricos porque quem gosta desses carros quem um carro que não e só rápidos dos 0-100 mas também que chegue aos 360 km ou mais porque os carros eléctricos tem que ser limitados de velocidade máxima senão a bateria não dura o que eles dissem.

    • Joao says:

      ninguem disse que era proibido andar.. o objetivo é começar a extinguir os carros de combustão, começando por não os vender (as marcas), sendo que devem poder andar com eles à mesma…

    • Rui says:

      Uma coisa é o Governo Alemão proibir a venda de carros a combustão novos em 2030! (sinalizam às empresas que têem de mudar de paradigma), outra coisa totalmente diferente é proibir os carros de combustão de circular (em lado nenhum diz que proíbem os carros de combustão de 2029, 2028….. de circular a partir de 2030). A lei é dirigida às empresas e têem 14 anos para resolver o problema!

  7. Traveller says:

    Não me parece que sejam esses salvaguardando o testa mas sim o renault zoe 40 que até foi apresentado ao mundo em Portugal este mês com autonomia real 300km. O novo Opel ampera mas não vai ser comercializado este ano em Pt.
    Os dados do Porche não podem estar correctos bateria 440 Kwh

  8. RichardCooper says:

    O problema é o mesmo para todos os eléctricos, a autonomia das baterias, e velocidade de carregamento, quem dominar a proxima geraçao de baterias, domina o mercado.

  9. nlkln says:

    o vídeo do Lucid Air não funciona 🙁

  10. Rui says:

    Não a volta a dar, tal como nos telemóveis no início eram para os muito ricos, um luxo, hoje é banal e acessível a qualquer um, sendo Portugal um caso de estudo neste campo.
    Até a pouco tempo atrás quem conhecia a Tesla ou Elon Musk? São tecnologias desroptivas que mudam as sociedades drasticamente, hoje ninguém imagina carroças a circular pelas cidades e daqui a uma meia dúzia de anos iremos pensar o mesmo dos carros a combustão e muito provavelmente lamentar que deveríamos ter feito está mudança mais cedo. 70% da poluição é causado pelos carros.
    Bom Ano e que a mudança seja rápida.

  11. T0PL0ser says:

    Quer dizer, isso são carros só para ricos, andava eu aqui a ver se encontrava algum bom carro que custasse menos de 30.000 surf pós e nada….

  12. Alvega says:

    “Há muitos carros a povoar as estradas por este mundo fora. Pese o facto do lobby do petróleo ainda ser muito forte, a verdade é que é irreversível o processo de erradicação dos motores a combustíveis fósseis das estradas.”, vai sonhando, e repetindo isso que pode ser que alguém acredite.
    ERRADICAR…nem sei que te diga.
    Este BLOG tem uns articulistas, que sao uns deslumbrados, eu também gosto e adoro TECNOLOGIA, mas entre o que existe e o que a GENERALIDADE dos mortais podem ter vai um MUNDO de distancia.
    Nao seria melhor ponderarem na realidade socio-economica , antes de sugerirem, SEMPRE os artigos tecnologicos TOPO (isto no preço, nao tanto em desempenho) ?
    Acabei de ler neste blog um artigo “Escolhas Pplware 2016”, e confirma o que acabo de escrever.
    Pois voltando ao tema automóveis, actualmente o supra sumo, sao os FORMULA 1, e nao estou a ver que existam tantos assim a “povoar as estradas por este mundo fora”, EXISTIR, nao quer dizer que seja acessível ao grande publico, e nao sendo, nao tem ESCALA, e consequentemente é quase como se nao existisse.
    A TESLA, tem boa IMPRENSA, especialmente neste blog, vá lá saber-se por que, mas se o argumento é o ambiente, porque nao falam dos COMBOIOS ?
    Neste pais ainda existem MUITOS comboios a diesel, e quanto a poluição estamos falados.
    Porque nao falam das SUCATAS, ( AUTOMOVEIS e CAMIOES) importados em 2ª mao que deveriam estar no lixo, pois muitos deles nao cumprem as normas ambientais ?
    Porque nao falam dos SOFTWARES , ALDRABADOS que sao colocados nos carros actuais para permitir ludibriar as normas ambientais ?
    – Bom ano para todos, saúde, e continuem o trabalho de divulgação das novas tecnologias, ( o facto de criticar, nao quer dizer que nao vos aprecie), e eu me confesso, adepto dos carros eléctricos (é neles que trabalho e ganho a vida), mas nao posso afirmar taxativamente, ao contrario do articulista “mas também só troco agora para eléctrico”, com muita pena minha, mas o ARTIGO enferma de alguns “erros” neste aspecto pois tem demasiados “zeros” para meu gosto no preço dos veículos.

  13. Gustavo Jorge says:

    Nenhum dos carros aqui anunciados para o meu bolso e duvido que seja para mais people. Deveriam investir em carros para as massas, e o mais em conta possivel, isso sim seria uma boa estratégia.

  14. Josue says:

    Imagina atravessar o Brasil com um carro destes, mesmo com autonomia de 500km ia deixar qualquer um irado com tanta recarga!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.