Dispositivo incrível que consegue transformar poluição em energia

Por António Ferreira para Pplware.com

Destaques PPLWARE

14 Respostas

  1. Zeque Tefodd says:

    Fantastico. E assim volta a renovar-se a esperanca de um futuro mais promissor para o planeta e consequentemente para todos nos.

  2. BdC says:

    A ideia é não haver poluição! Não é poluir para gerar energia para continuar a poluir… dah

  3. Alves says:

    Portanto quanto mais poluir mais estou a ajudar???? 🙂

    Fora e brincadeiras, concordo com o que é escrito no ultimo paragrafo, “esse tipo de inovação é a chave para o progresso”, vamos ver se isto não é o começo de algo muito positivo.

    • Vítor M. says:

      Mesmo a brincares hoje até nos “confundem”, uns dizem que de facto o aquecimento global é uma realidade… o Trump diz que não.

      • Napoléon Bonaparte says:

        Sim, claro! Vitor…
        Mais cego que o cego, é aquele que não quer ver!
        Mas ele foi efetivamente eleito pelos americanos…

      • Pedro says:

        Não é só o Trump que diz isso. Há cientistas que também o dizem. Por isso mesmo já não se fala no aquecimento global, mas nas alterações climáticas.
        Por isso mesmo é que se deveriam separar as duas questões – a poluição do planeta – problema muito grave e que não é só do ar, mas também de rios, mar, solos, etc. – e o outro, as alterações climáticas, que exigem medidas diferentes e de maior vulto. Meter tudo no mesmo saco faz que nem umas nem outras avancem.

  4. Bruno M. says:

    De facto as alterações climáticas não estão a abrandar e isso deve-se ao facto de uma tecnologia criada já no tempo da Guerra do Vietname com a “Operação Popeye” e que foi massificada, e hoje é utilizada para criar chuva, ou seja, as alterações climáticas que hoje vemos!

    A China já usa oficialmente à algum tempo para criar chuva em alguns locais.

    Para uns é só uma conspiração, para outros é uma realidade cada vez maior!

    https://psmag.com/social-justice/origins-chemtrail-conspiracy-87502
    https://en.wikipedia.org/wiki/Operation_Popeye
    https://www.youtube.com/watch?v=H7vjLU-KrTE
    https://chemtrailsplanet.net/2015/09/19/court-orders-monsanto-to-pay-victims-of-toxic-aircraft-contrails/

  5. MLopes says:

    muito bom!
    ideal(ista): não poluir; realista: “aproveite-se” a poluição e faça-se algo útil (é o caso) diminuindo ou eliminando-se a mesma no processo

  6. David says:

    Hum… Interessante! Fantástico!!! No entanto… parece-me que se a ideia resultar vamos ter mais poluição para rentabilizar o negócio da despoluição. Preso por ter gato, preso por não ter… Fáz-me lembrar as farmacêuticas que não têem qualquer interesse em eliminar doenças, O negócio, o poder lucrar fala mais alto: Formulo votos para que esteja redondamento engando neste caso.

    • Ricardo says:

      Apesar de ter toda lógica de poder vir a acontecer, não acredito que tal suceda. Estamos num bom caminho para o combate às alterações climáticas através de FER, veículos elétricos e aumento das eficiência sendo o caminho inverso impraticável!

  7. blimb says:

    Extrair hidrogénio do ar é mais eficiente que extrair hidrogénio da agua? WTF

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.