PplWare Mobile

Recursos naturais da Terra para 2019 esgotam esta segunda-feira


Fonte: SIC Noticias

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. BlackFerdyPT says:

    Na verdade, um falso problema. Pois, não existem realmente “Limites do Crescimento” – como diz o Clube de Roma, fundado por certas elites.

    Se tivesse sido já permitido o desenvolvimento da Energia de Fusão (https://www.youtube.com/watch?v=Wbtj29ERG-Y) com a enormíssima quantidade de energia barata que teríamos ao nosso dispor, poderia dessalinizar-se água do mar, criar artificialmente recursos em falta etc.

    E, o verdadeiro problema, é que este avanço tecnológico está a ser propositadamente adiado pelas mesmas pessoas que andam a propagandear a mentira do “aquecimento global” antropogénico – sendo que, o objectivo de ambas as acções é reduzir a população mundial para números que sejam mais fáceis de controlar (https://larouchepac.com/green-fascism).

    • blablabla says:

      É para meter o chapéu de alumínio enquanto lemos isto?

    • BlackFerdyPT says:

      «condicionar, em muito, o mundo da tecnologia»

      É exactamente esse o objectivo deste tipo de propaganda…

      Pois, sabem as pessoas bem informadas que “o progresso e desenvolvimento da sociedade é directamente proporcional à densidade populacional”. Ou seja: mais pessoas = maior, ou mais rápido, desenvolvimento tecnológico = maior nível de vida = maior acesso à Cultura.

      E, isto representa um sério problema para quem quer *controlar* a sociedade.

      Se fizerem como os juízes e ouvirem ambos os lados da história, relativamente a estas questões “ambientalistas”, irão constatar que estas assentam em mitos e mentiras.

      (E, escreve estas palavras alguém que já foi, ele próprio, um “ambientalista”….)

      • Áquila Freitad says:

        Concordo, engraçado a reação de desprezo e não debate democrático dos que discordam. Todos nós sabemos que energias verdes e sustentabilidade anda a passos de caracol, mas elas existem e são a solução.

    • Tiago Castro says:

      que tapadinho man… em vez de andares a ver teorias da conspiração no youtube, pensa um bocadinho por ti… quando todos os rios tiverem demasiados poluídos vais perceber que não comes nem bebes dinheiro nem essa energia.
      “dessalinizar-se água do mar, criar artificialmente recursos em falta”-> ok tudo bem, mas porque ter esse desperdício de energia quando já tens esses recursos, simplesmente não os lixem.
      por ultimo “mentira do “aquecimento global”” acho que nem mereces uma resposta.

    • RM says:

      Só um cego é que não vê o que é necessário produzir para sustentar tantas pessoas (parasitas!) que vivem neste planeta. É que não é só alimentos mas tudo o que é produzido para satisfazer o consumismo desnecessário de muitas pessoas!

    • Toni da Adega says:

      E podes explicar como é que desenvolvimento da Energia de Fusão vai resolver o problema de água potável, aumentar a quantidade de comida disponivel, combater a desflorestacao ou aumentar a Fauna ou Flora.
      É que quando se fala em recursos naturais fala-se nisso, nao se fala no petróleo. Mas talvez todos esses problemas nao existam e é tudo propaganda.

  2. Fundou says:

    Tudo é uma grande manipulação. Nem conhecemos 90% de nossa planeta. Nem sabemos o que está dentro. Há provas que hidrogênio, água e petróleo tem recursos infinitos ( reciclagem infinita quasi dá para bilhões de anos).

  3. Daniel says:

    Esse é um dos grandes problemas da humanidade… A falta de regra e o culto do desperdício… Não há consumo regrado de nada, e como tal, os recursos são consumidos de forma mais voraz…Mais cedo ou mais tarde, esse recurso excessivo, vai ser “cobrado”…
    É preciso mudar hábitos…

    • jose says:

      Mesmo que tivesses regras, não tivesses desperdicio e tudo fosse feito de forma sustentável, o simples factor tempo associado ao crescimento exponencial da população iriam provocar precisamente a mesma coisa, talvez noutro timming, ou talvez não.
      Ninguém tem solução para o problema porque ninguém tem coragem para identificar o problema, o problema é excesso de população, as soluções são mais que muitas e muito simples, apenas impactam economica e politicamente quase todos os países do mundo.

      • RM says:

        Não há nenhum político que tenha ‘cojones’ para implementar uma medida para que haja um número ideal de filhos por casal, se queremos resolver o problema do excesso de população! Seria uma medida muito impopular.

        • João M. says:

          RM, isso é uma forma muito simplista de pensar o problema. Enquanto que na India, por exemplo, tens uma natalidade descontrolada; na Europa tens os paises a envelhecer porque a natalidade é baixa.. basta veres o exemplo de Portugal, em que por cada 2, quase 3, idosos tens uma criança para “compensar”.. Como disse, quem vai decidir isso do excesso de população? Basta ver o problema que foi na China quando eles tinham uma politica assim; os problemas sociais que isso criou, por ter pais a matar as próprias filhas bebés para evitarem problemas… RM, falar “teoricamente” é sempre bonito e simplista. Quando tiveres de ser TU a escolher – e até podes escolher já não ter flhos para não estares a contribuir para o excesso de população… – então vamos ver 🙂 (mas seres tu próprio a escolher, não um politico com cojones a fazer por ti)

          • RM says:

            Eu sei que não é um problema simples de resolver, mas alguma coisa tem que ser feita e não continuar a ter filhos a torto e a direito.
            E às vezes tẽm que ser os outros a escolher/fazer/decidir porque somos egoístas. Cumps.

          • jose says:

            A questão na china teve uma abordagem comunista, 1 filho por casal, se tivessem mais que um e fosse homem ia para o exercito, se fosse mulher era morta. Lógico que isto teria os dias contados pela pressão ocidental.
            A forma mais correcta de fazer as coisas seria definir per capita por Continente/País/Estado/Cidade ou então a minha favorita, 2 filhos por casal, em caso de divorcio se já tiverem atingido a quota não poderão ter mais, caso tenham mais multas pesadas e entrega para adopção. Com doenças, acidentes, catástofres naturais, o problema da sobrepopulação ficava resolvido em 2 gerações.

  4. Bacardi says:

    Ainda no outro dia descobriram um reservatório de água potável enorme debaixo do mar. O que existe não é falta de recursos mas a má utilização dos mesmos.

  5. João Santos says:

    Podiam começar com proibir a #¿$?%!¡ da indústria do consumo e fazer algo que dure mais de 1 ou 2 anos. Depois é começar a controlar a população Mundial com políticas onde está em excesso de proibição de procriar. As cadeias que estão cheias pelo mundo pena de morte para elas e são menos uns quantos a viver e assim poupase mais um pouco

  6. João M says:

    Nestas questões ambientais existe sempre um pingo de hipocrisia.
    Por exemplo, por um lado temos os ambientalistas a dizer que temos de deixar de usar carros a combustão e trocar pelo eletrico porque é mais amigo do ambiente. Por outro lado, encontra-se uma mina de litio em Portugal – Material indispensável para criação de baterias usadas nesses mesmos carros eletricos – e os ambientalistas dizem que deve ser priobido e ilegal abrir essa mina.
    Por um lado temos a malta a dizer, e bem, que o aquecimento global afecta e irá afectar negativamente o nosso futuro mas, por outro, não há mudanças de atitudes, os mesmos que falam do ambiente são os mesmos que num festival deixam tudo cheio de lixo pelo chão, são os mesmos que falam mas continuam os mesmos consumistas (nem todos temos de virar “hippies” a viver no monte, mas podemos viver com moderação). O que gosto mais de ver é um “protector do ambiente” com um novo Iphone ou outro smartphone de ultima geração… porque o velho já era,… velho e tem de ir para o lixo.

    O que não falta neste planeta é espaço. Africa é dos continentes mais férteis, é enorme (a Europa cabe lá umas 2-3 vezes, o UK cabe lá 120) , cabe lá muita gente … no entanto agricultura é quase zero, a malta não se entende e nunca se entendu e depois nas televisões daqui do burgo temos as noticias de sempre – “há fome, não há recursos, etc..”.
    Temos os israelitas que tornaram um deserto num óasis; nós aqui no burgo, há quase 2 decadas para cá queixamo-nos todos os anos de que há seca. Eles lá investiram e onde havia seca agora há agricultura e água potavel; mas foi preciso investir.
    Enfim, há falta de vontade de quem governa mas também o povo interessa-se muito pouco por mudar comportamentos.. no fim do dia, comprar 50 pratos de platico descartaveis para uma festa é bem mais barato do que comprar os mesmos mas de papel reciclado.

    • Áquila Freitas says:

      Concordo plenamente.

    • Jorge Carvalho says:

      “O que não falta neste planeta é espaço. Africa é dos continentes mais férteis, é enorme (a Europa cabe lá umas 2-3 vezes, o UK cabe lá 120) , cabe lá muita gente … no entanto agricultura é quase zero, a malta não se entende e nunca se entendu e depois nas televisões daqui do burgo temos as noticias de sempre – “há fome, não há recursos, etc..”.”

      Experimenta fazer agricultura em Africa e depois falamos.

      Abc

      • João M says:

        Jorge Carvalho… a sério? África não é um deserto com pirâmdes. Aconselho a informar-se muito bem porque África não é só pó, não é só o que vê nos filmes, nem é apenas petroleo e diamantes. O grande problema é falta de investimento, a insegurança e guerras constantes (locais ou entre paises). Agora, se o teu comentário – vago e sem nada a acrescentar À discussão – se refere À segurança e falta de investimento, então estamos de acordo.

        • jose says:

          Os problemas são os mesmos que em 90% de 3º Mundo.
          Falta de infraestruturas, falta de meios mecânicos, corrupção, falta de subsidios, falta de terras para o proposito, financiamento.
          Como podes perceber, para fazer agricultura num país do terceiro Mundo, primeiro tens de trazê-lo para o 1º Mundo.. Irónico?

  7. Tita says:

    Um dia seremos todos banidos da terra, sem explicações, teorias ou avisos prévios… A intoxicação do planeta chama se “o HOMEM e a sua ganância.

  8. Elisabete says:

    O papel reciclado é papel e a sua produção também sacrifica o ambiente…

  9. EFV says:

    Vou dar uma dica pra o revisor da matéria (se é que existe). O Título da matéria está com erros de português. Veja o correto:

    Recursos naturais da Terra para 2019 “se” esgotam (esta) “nesta” segunda-feira.

  10. AlexX says:

    Nada que possamos fazer nem o ser humano, por muito desrespeito que tenha pela natureza, é culpado. Ser parasita não implica ser culpado. São ciclos naturais, e quem governa sabe muito bem o que anda a fazer, se bem que apenas possam adiar o inevitável. À medida que a radiação aumenta na Terra, mais espécies animais e vegetais serão extintas e isso reflectir-se-á mais cedo ou mais tarde nas prateleiras dos vossos super-mercados.

  11. censo says:

    O planeta está contaminado por um vírus que não dá sinais de fraqueza : o ser humano.

  12. leinha says:

    Eu acredito!

  13. Filipe Sousa says:

    Eu tenho uma solução para isto. Chama-se comunismo. Porque ninguém ouve as minhas ideias?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.