PplWare Mobile

NASA vai levar um drone voador autónomo a Marte para fazer história


Imagem: NASA

Fonte: Space Flight Now

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Toni da Adega says:

    Obvio que sim, todos sabem que marte não existe e que não se possui tecnologia para se fabricar um drone

  2. just saying says:

    Andaram os teus pais a gastar tanto dinheiro nos teus estudos para chegares a 2019 e fazeres estes comentários brilhantes na internet.

  3. Nuno V says:

    Esperemos que tudo corra conforme planeado. Usar uma aeronave em marte é mais difícil do que na terra devido à muito mais baixa densidade atmosférica (60x inferior à nossa na superfície). A NASA tem uma boa equipa de engenheiros, e tenho muito poucas dúvidas que vão conseguir tal feito. Não desejo boa sorte, porque sorte não tem nada a ver com isto, mas sim muito trabalho.

  4. William says:

    E será que vai conseguir voar numa atmosfera que equivale a 1% da terrestre? Quase um vácuo?
    Estou mais interessado no drone que vai pra Titã, uma pena que se recusaram a escolherem um local perto de lagos para análises e ainda vai demorar muito pra chegar lá com nossas latas velhas espaciais.

  5. cra2sh says:

    William, a NASA tem a capacidade para simular a atmosfera de Marte e testar o equipamento cá. Mas uma simulação é sempre uma simulação.

    • gui says:

      Tem razão, simulação é sempre simulação. Mas isso não é problema pra NASA. Fizeram um monte de testes com os módulos lunares na Terra com vários fracassos, mas o projeto Apollo foi tudo uma maravilha. Foram pra Lua e voltaram várias vezes sem nenhum problema. Acredite se quiser.

      • Nuno V says:

        Então as mortes do apollo 1, não aconteceram. A morte de um trabalhador no apollo 4 não aconteceu. O incidente do apollo 12 que impediu a conclusão da missão e quase que custou a vida aos tripulantes, não aconteceu. A falha de um dos motores do apollo 13, não aconteceu. A falha de um dos paraquedas do apollo 15, não aconteceu. O acidente do projecto Apollo–Soyuz, não aconteceu. É tudo ignorância de tua parte, ou desonestidade.

        E já agora, nesta matéria, eu não tenho muita escolha no que acredito. Se algo é demonstravelmente verdadeiro, eu não tenho escolha. Se não encontro-me numa situação da negação da realidade, que é onde tu te encontras.

        • gui says:

          Supondo que tudo isso fosse verdade e não uma encenação, nesse caso a NASA é uma irresponsável, já que foram vários testes onde foguetes e módulos lunares explodiram pouco antes dos lançamentos. Claro que os ‘atornautas’, viram e sabiam desses desastres, mas mesmo arriscaram a vida nessas viagens? Se você for maçon talvez seja escolhido para ir na próxima. Se prepare. Pena que eles perderam toda ”tecnologia” daquela época.

          • Nuno V says:

            Suponde que isso é verdade? Tu por acaso tens a mínima noção do número de pessoas envolvidas? Também penso que tu supões que os familiares dos falecidos, também não eram familiares que perderam um ente-querido, era tudo uma encenação. As tua alegações não são meramente ignorantes, nem muito idióticas, mas sim no limiar da insanidade. O que tu propões é uma conspiração tão grande que envolveria milhares de pessoas, que cada uma destas poderia ser um elemento de fuga de informação. As conspirações são mais duradouras quando menos pessoas estão envolvidas, mas tu deves pensar que é o inverso. Conseguimos manter o segredo desta massiva conspiração com mais de 100 anos sem uma única fuga, no entanto, nem um bico na Casa Branca conseguiram manter o segredo.

            E não, não foram assim tantos os acidentes como os que tu mencionas, foram bem mais os testes bem sucedidos, do que os não bem sucedidos. Claro que havia sempre o risco de algo correr mal, mas os ganhos suplantavam os riscos. Se calhar também deves ser daqueles que achas que as marcas de automóveis e motociclos são irresponsáveies ao participarem no desporto motorizado em que várias pessoas morrem todos os anos.

            Diz-me uma coisa meu caro amigo de visão curta. Existem vários tipos de cartões perfurados que nos já não temos a tecnologia para os ler sem ter que reconstruir tudo do início, significa que nós nunca utilizamos esses cartões perfurados? É básicamente isto que estás a argumentar.

        • gui says:

          Porque eu acreditaria na NASA se os 7 astronautas supostamente mortos no acidente da Challenger, tem sósias idênticos com os mesmos nomes dos astronautas e com a mesma idade que eles teriam na data que foram encontrados. Vai me dizer que são 7 coincidências?

          • Nuno V says:

            E tu tens provas que essas pessoas realmente existem para além de um meme na net? Já sei, já sei, apenas as fontes crédulas são válidas… Alguém encontra pessoas parecidas, algo que é extremamente comum e afirma que são a mesma pessoa. E tu, como bom ignorante, engoles absolutamente tudo…

    • William says:

      Você tem razão, e aparece que as sondas serão bem pequenas, é possível de voar pois até existe uma atmosfera, mesmo que fina. O problema é ver na prática. Há outros fatores também, como a radiação, que pode afetar o maquinário interno da sonda.

  6. Rodrigo says:

    Nem à Lua conseguem voltar quanto mais à Marte.

    • Nuno V says:

      Como assim? Ainda à pouco tempo aterrou uma sonda lunar chinesa na lua. A NASA tem uma tonelada de missões a marte com sucesso.

      • gui says:

        A realidade é algo extremamente diferente da ficção científica propagada pela NASA como se fosse verdade. Você não não tem ideia, não viu e não sabe absolutamente nada sobre nenhuma missão da NASA a qualquer lugar. Você apenas ‘acredita’, ou seja, és um ‘crente’ útil do sistema.

      • Nuno V says:

        Já sei, já sei, é tudo uma conspiração que pelos visto envolve todas as organizações espaciais, não só a NASA. Portanto passamos de uma conspiração de milhares para milhões.

        Deves pensar que as rochas lunares foram apanhadas no quintal do Zé povinho, e que os múltiplos geólogos que analizaram as rochas são de uma incompetência brutal por caírem que nem patinhos. Bem como o espelho que se encontra na lua para medir a sua distância matetializou-se lá que nem milagre. As naves que múltiplas seguiram via radar eram na realidade mosquitos que pairavam no visor. Tu precisas de ajuda profissional psiquiatrica.

        • gui says:

          Deves pensar que as rochas lunares foram apanhadas no quintal do Zé povinho:
          O Museu Nacional da Holanda publicou que a rocha lunar que recebeu era na realidade madeira petrificada.

  7. Nuno V says:

    Na realidade a rocha lunar da Holanda do museu Rijksmuseum nunca foi uma rocha lunar, nem nunca foi oferecida como tal. As duas rochas lunares da Holanda estão não museu nacional da história da ciencia e medicina de Leiden. E foram geólogos que determinaram que a rocha de Rijksmuseum era madeira petefricada, no entanto geólogos analisaram as rochas lunares verdadeiras e determinaram que estas não eram oriundas da terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.