Quantcast
PplWare Mobile

Astrónomos detetaram um misterioso sinal de rádio vindo do espaço

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Vítor M.


  1. LG says:

    Pelo som é claramente o USS Enterprise a sair da velocidade wrap…

    ou uma onda gravitational?

  2. censo says:

    A última notícia do gênero redundou na descoberta de um …microondas no laboratório lá do sítio!

    • Vítor M. says:

      Sim, alias, há vários casos desses. Há uns anos também se passou um caso muito interessa, não sei se se lembram, com um cortador de relva da iRobot: Astronomers say Roomba gadget interferes with sensitive telescopes.

      Basicamente estes radiotelescópios são altamente sensíveis e tudo o que é frequência radio eles captam e têm como missão identificar a origem. Estes acontecimentos, por mais bizarros que sejam, servem de aprendizagem.

      Isto porque a “maneira” de “alguém” comunicar a distâncias que vão de uma ponta a outra do universo é via ondas rádio e por isso, estes observatórios levam o assunto muito a sério.

  3. Diogo says:

    Foi um tesla a arrancar

  4. Zeca says:

    Foi um grito do Bruno de Carvalho.

  5. Nuno says:

    Bom artigo, apenas não concordo com a frase: “Quem estará a bombardear a Terra com estas explosões rádio?”. Isto porque implica que alguém nos está a bombardear com os FRB, quando o mais provável é ser um fenómeno com uma causa natural e não actividade extra-terrestre. Acho que seria mais correcto dizer “O que” em vez de “Quem”, pois cobre todas as hipóteses. De resto, parabéns pelo artigo.

    • Vítor M. says:

      Sim, mas tem uma razão a utilização do “quem”. Isto porque empreguei o quem como referência a alguma coisa personificada… isto porque em várias vezes estes FRB eram entendidos como uma espécie de “mensagem extra terrestre”.

      Mas tens razão porque genericamente o pronome “quem” só se empregar com referência a pessoas ou a alguma coisa personificada.

  6. jm says:

    A Radiação cósmica de fundo foi descoberta porque se pensava existir uma ‘anomalia’ (ruído mais alto que o esperado) num radar. Isto pode ser outra coisa…

    • Nuno says:

      O CMB foi descoberto no ocidente por Penzias e Wilson (o CMB já tinha sido descoberto por 3 cientistas soviéticos em duas ocasiões) quando trabalhavam num radiómetro que serviria de rádio telescópio e meio de comunicação com satélites e não num radar. No entanto, o CMB já tinha sido previsto quase 10 anos antes da sua primeira descoberta. No caso dos FRB estes não eram previstos em nenhum dos nossos modelos, e embora tenhamos algumas hipóteses sobre as causas, ainda não conseguimos as conseguimos “confirmar”. Portanto, é preciso investigar mais para descobrir as causas destes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.