PplWare Mobile

iPhone 7 sem jack para headphones? Os utilizadores não querem


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. PeFerreira98 says:

    Até não achava um roubo enorme caso eles retirassem o jack e mudassem do lightning para o usb-c. Assim os hphones passavam a dar não só no iPhone como em todos os novos devices com usb-c.
    Contudo pelo o que vejo o lightning veio para ficar e sendo assim temos de comprar hphones próprios para um iPhone o que acho uma tremenda estupidez. :/

  2. R o B says:

    Têm sempre alternativa dos outros fabricantes que já têm música sem fios.

  3. Luis Costa says:

    Se não gostam das inovações então que vão comprar a outro lado

    • Marco B. says:

      Nem tudo o que e diferente é inovação, por vezes é simplesmente desnecessário.
      Esse mindset de que tudo o que a apple faz é inovação já parece mais moda do que outra coisa.
      Se por exemplo a samsung fizer algo do género, de certeza que não pensavas da mesma maneira.

      • JBM says:

        Pode não ser a altura correcta para fazer isto, se é que vai acontecer no próximo modelo, e irá desagradar a muita gente, mas é uma inevitabilidade que esta porta venha a desaparecer no futuro, é um resquício de outros tempos e acabará por vir a ser um empecilho no desenvolvimento de novos aparelhos, necessitando por isso de alternativas.

      • Scheldon says:

        1) antes do iPhone o 3mm já estava caindo em desuso, foi ela que o trouxe de volta.
        2) hoje não têm porque mantê-lo, a qualidade de som é ruim, já estamos em 2016 TODOS usam audio Bluetooth

        • Daniel says:

          todos? não conheço ninguém que use, ainda usam todos o tradicional bluetooth

        • pedro says:

          Em desuso? Bem, com cada mentira por aí…

        • sa says:

          Todos usam bluetooth?? Fala por ti…

        • Vlad says:

          “antes do iPhone o 3mm já estava caindo em desuso, foi ela que o trouxe de volta.” Estás a brincar presumo. Como é que as pessoas ligavam uns headphones antes da Apple o ter trazido de volta. Deixa-me adivinhar, as pessoas não ouviam música ou qualquer outro tipo de som.

        • Pedro says:

          Bluetooth gasta bateria, jack 3.5 não. Acho que isto é suficiente para se manter como algo útil.

          • Arkop says:

            o jack 3.5 gasta bateria sim senhor, pode ser menos que o bluetooth, dependendo do equipamento que usas, tal como pode ser mais, para não falar que os equipamentos bluetooth têm a sua própria bateria, podendo ter mais qualidade e “potência” por poder ter um fluxo maior de energia do que o jack deixa passar, corrige-me se estiver errado.

          • JBM says:

            O jack de 3.5 também gasta energia, deve é gastar menos.

          • Mylittlelife says:

            Ambos (BT e Jack) gastam energia, mas óbvio que o BT gasta mais visto que tem que alimentar BT + Phones, e o Jack só os Phones.

            Ainda assim eu tenho um auricular A2DP Sony Stereo BT 3.0 (que tem um ecra OLED e uma bateria minúscula) e a bateria dura imensas Horas (nunca contei, mas mais que q.b. para me parecer mais que suficiente).

            A questao aqui nao me parece ter haver com energia, mas com o preco: uns headphones Bose “fio” vs. irmao “BT”, a versao BT para o mesmo som custa uns 50-75% mais!!! E como digo, há imensos players com DSP interno com um som bombástico (via fio), que via BT o som é enviado digital quase Sem processamento, e daí que se os phones nao tiverem um DSP / DAC tao bom como o Player, entao tem um som fraco apesar de phones caros.

            Continuo afirmar que tudo isto é para a Apple vender Headphones caros da Beats.

          • JBM says:

            Mylittlelife
            o som por bluetooth não é muito bom porque as suas normas usam codecs que perdem muita da qualidade do som, o sinal digital é bastante transformado no smartphone antes de ser enviado no intuito de poupar energia. É essa a principal causa e não o DSP e DAC nos headphones

        • Full says:

          Eu nao uso nem nunca usei lool Mas se eles fornecerem o sistema completo, nao vejo porque nao retirar o jack.

        • M says:

          Scheldon, não sei se tens noção, mas o que estas a dizer é a maior parvoíce de todos os tempos!
          Um audio bluetooth decente custa uns bons euros, bem mais do que os tradicionais equipamentos com fio e jack 3.5, seja headphones, earphones, colunas de som…whatever.
          Não me parece que TODOS (como tu dizes) estejam dispostos a pagar bem mais de 50€, por exemplo, por uns earphones bluetooth de jeito.
          Mas já dizem as estatísticas, os clientes apple são os que mais dinheiro gastam, seja em acessórios, seja em compras na app store…porque será?!

    • Carlos says:

      Inovação!? So para ganhar 1 mm ,fonix 1 mm! So para rir…

    • Mylittlelife says:

      Se os aparelhos profissionais desde sempre usaram jack (seja de que tamanho for) e o som sempre foi de topo, não vejo qual s preocupação em trocar.

      Inovação é trazer alguma vantagem para o consumidor, e é óbvio que se tivesses phones de Jack de 200 ou 300€ e já não te funcionassem com o novo iphone, irias”amar” a decisão. Algo que na notícia (inglês e português) é falarem dum DAC: se funciona por lightning vao ter que meter um DAC no AURICULAR (o som digital terá que ser descodificado nos phones). Ou seja, se fizerem isto em teoria:
      – o som deixa de ser processado no iphone ou então tem um DSP mas sai digital, e depende quase inteiramente dos phones. Resultado: preço dos phones vai ser elevadíssimo mesmo para uma qualidade mediana!
      – a Apple baixa os custos de produção e aumenta os lucros (especialmente na venda de phones …)
      – a alteração do som ao nosso gosto fica limitada às opções do DAC dos phones, quando antes dependia do hardware e software do iphone. Assim que a moda vão ser phones de 200-300€…

      • JBM says:

        Os aparelhos profissionais preferiam jacks de 6,35mm, permite que entre muito menos ruído e haja menor distorção do que os de 3,5mm. Ao usar um sinal digital é possível reduzir ruído e que os auscultadores sejam melhor optimizados.
        Adaptadores permitirão usar os mesmos “phones” que a pessoa já tenha
        Não faz qualquer sentido achar que o som deixa de ser processado no iPhone. Não só o iPhone tem colunas que requerem processamento como o sinal audio digital enviado pela porta não é o ficheiro audio guardado no aparelho (isto já está definido há muito tempo)
        A alteração do som ao teu gosto depende do software ao nível do processador ou do DSP não do DAC, por isso não perdes nada, sendo que esta especificação até permite que os headphones sejam especificamente ajustados.

        • Mylittlelife says:

          A título de exemplo: Tu podes aplicar efeitos num vídeo (DSP no áudio) mas se o ecrã onde estás a ver o vídeo por de baixa qualidade, pixelizado, pouco contraste, etc (DAC e headphones) então de pouco te adianta. Tu podes ter um DSP no iphone muito fixe, mas se para teres um bom DAC precisas de gastar muito dinheiro…

          • JBM says:

            estranhamente não assumes o erro.
            Quanto a precisares de gastar muito dinheiro no DAC, certamente não fazes ideia quanto é que os DAC nos smartphones custam. Não confundas os componentes extra a usar num headphone (que obviamente não os tornam mais baratos) com os DAC/amplificadores externos que andam por aí à venda.
            Quanto à qualidade, eu digo-te que se torna mais fácil ter um headphone optimizado e com melhor som tendo um DAC incorporado e bem conhecido pelo fabricante, do que nos headphones comuns que têm de contornar os problemas de ruído, distorção, impedância e amplificação dum sinal analógico, com outputs de diferentes qualidades vindos de diferentes aparelhos.

    • Delta says:

      No meu antigo LG Cookie não tinha jack 3,5mm, a ficha para auscultadores e carregamento era a mesma (como se espera que aconteça no iPhone) e isso é simplesmente ridículo, não podes ouvir música enquanto o telemóvel carrega. Se a ideia era por os utilizadores a ouvir com auscultadores com Bluetooth já deviam ter preparado o mercado colocando earpods nesse formato nos iPhones já vendidos. Podiam pelo menos trocar por um jack 2,5mm.

    • Luis M. says:

      Inovação ou regressão? Existe o jack 2,5mm que fazia o mesmo efeito na redução de espessura.

      • JBM says:

        O jack de 2.5mm tende a fazer pior contacto com o conector. A mudar então que mude para alguma coisa que possa melhorar a qualidade – o que se pode argumentar é que faria mais sentido passar a usar USB-C
        E o problema do conector é mais com o espaço que rouba internamente do que com a espessura

  4. k says:

    Bem, isso exclui bastante oferta na escolha de fones e acho que pode ser um tiro num pé. Os que vieram com o ipod shuffle e o iphone 5s dum membro da minha familia sao deploráveis em som. Os meus sennheiser de 22€ são de muito longe superiores. Alienar 99.x% de todos os fones do mundo pela contrapartida de 1mm de espessura, parece-me um bocado estúpido. Por mim, eu simplesmente não o comprava. Mas isto é a apple. Se fosse com qualquer outra marca estava morto a nascença, mas com a maça, se eles avançarem, podem perfeitamente ter sucesso e introduzir uma nova geração de muita coisa. A ver no que dá.

    A petição é ridícula. Não é preciso “chorar” para algo não acontecer. Tudo que é preciso fazer é votar com a carteira. Qualquer marca, apple incluída, sai-se com uma manobra ridícula que as pessoas não gostam e tudo que as pessoas tem que fazer é não comprar. Se as vendas forem um desastre eles mudam muito rapidamente de ideias. Não fazia nada mal à apple, até pelo ponto de vista da inovação, sofrer um bocado nas vendas. De certeza que ia ajudar a ver algo de inovador a acontecer.

  5. Zé Montanelas says:

    Não percebo porque é que o padrão 2.5 mm não sobrepôs o comum 3.5 mm ao longo dos tempos

    Ainda tenho aqui 1 HTC de 2008 com jack 2.5 mm e phones originais, se quiser 3.5 basta usar 1 adaptador

    Não faz qualquer sentido adoptar um jack proprietario

  6. ZarkBit says:

    É a mesma treta de história em relação aos carregadores… cada marca quis ter o seu conector depois o cliente é que se ****

    Apple fanboys, façam algo por isto e não deixem que a Apple siga para a frente com esta ideia.

  7. Defesa do consumidor says:

    Eu sinceramentenao sei o que se passa com o povo, honestamente nao devem ter mesmo nada que fazer se nao tem que procurem um emprego.
    Se nao querem ou se nao gostam nao compram,… prontos situacao resolvida. Inventam agora peticoes,… seriously!!!
    Isto so demonstra a inutilidade de muitos individuos,… get a job!!! Advice from Steve Jobs!!!

  8. Joao Magalhães says:

    É o melhor que podem fazer, incluir uns auriculares sem fios ligados por bluetooth ou NFC ( este ultimo tinha que ser desbloqueado, visto que neste momento não serve para quase nada ), aliás, nem precisavam de incluir um jack, chega de fios

  9. Antonio Ferreira says:

    Se suportar audio nos formatos HD e disponibilizarem um conversor Lightning para jack, que venha a alteração. De qualquer forma, agrada-me a ideia de poder escolher uns auscultadores com DAC Integrado.
    Se for só para ganhar 1mm, não me parece que valha a pena.

  10. EC says:

    Também sou a favor da mudança, porém não para um sistema proprietário e exclusivo duma marca. Que tal a aposta para o novo USB C? Todos os novos dispositivos eletrónicos (smartphone, pcs, tvs, hifi, autoradios, etc) deviam trazer esse tipo de ligação e assim teríamos um standard universal não so para o fones, mas para todos os periféricos de ligação. O principal obstáculo para esta mudança são os lobbys e interesses económicos dominantes.

    • Mylittlelife says:

      Liga os phones e tenta meter o telemóvel a carregar e já me dirás algo. Ja para não falar que ligar/desligar para carregar + ouvir música, o conector há-de durar muito …

      Quanto a phones por Bluetooth, tenho 2, já experimentei vários e não encontrei nenhum abaixo de 100-120 euros que me desse o mesmo som que consigo com uns de 25-30 euros por Jack. Mas ok, la vai a Apple inventar uma razão para emagrecer o iphone e a carteira dos clientes que pelo menos no papel soe bem …

  11. Serato says:

    Os clientes insatisfeitos sempre podem ir para um sistema melhor… Windows Phone 10

  12. Electronics says:

    DAC = Digital to Analog Converter/Conversion

    Não existe conversão digital para audio, o audio é por si um sinal analógico.

    • Mylittlelife says:

      o DAC converte o Audio digital (MP3, MP4/AAC, FLAC, etc) em Audio…audível. Ao teres um (bom) DAC ele vai converter a informacao Audio digitalizada num som analógico audível de altíssima qualidade, frequencias e baixo ruído.

      Em headphones sem fio tens 2 possibilidades:
      1) o DAC está no iPhone, ele converte em analógico e o sinal é enviado aos headphones em analógico (precisa de muuuuita largura de banda)

      2) o sinal pouco processado é enviado via wireless para os headphones, e o headphone tem um DAC que faz o trabalho.

      Problema de headphones sem fio:
      1) precisam de bateria e serem carregados
      2) precisam na segunda opcao dum DAC bom, o que sai muito mais caro que implementar no iPhone
      3) ao teres um DAC nos headphones, eles vem pré-programados, daí que tens pouco espaco de manobra. (se o DAC está no iPhone, entao muitas vezes as Apps de Musica tem acesso a API para programar o DAC como bem querem)

      Eu se gasto muitas centenas de euros num terminal, quero poder escolher Jack ou BT (em desporto uso o BT, para ouvir com a máxima qualidade em casa uso o Jack), e nao obrigarem-me a “deitar fora” Headphones de várias centenas de euros, e depois comprar Headphones “certificados by Apple” que irao ser ainda mais caros e podem nao ser os que eu queria.

      • JBM says:

        O iPhone, bem como a maioria dos smartphones, não envia sinal audio analógico sem fios. Se quiseres fazer uma coisa dessas terás que arranjar um emissor que se ligue ao aparelho.
        Audio por Bluetooth é bastante processado no smartphone, o codec standard reduz bastante a complexidade de processamento no lado do auricular (para poupar energia), mas tem um impacto negativo na qualidade do som. Há codecs alternativos no entanto, mas o suporte existe só nalguns equipamentos e não asseguram qualidade equivalente ao som com fios – pode ser que mude no futuro.
        Não é o DAC que programas com o equalizador, é o DSP, e no iPhone ser sem fios ou com fios vai dar ao mesmo na capacidade de usar o equalizador. Mas até há alguns headphones sem fios com o seu próprio equalizador que pode ser programado.
        Deitar fora? Os teus headphones bluetooth é quase certo que podem ser usados com qualquer iPhone, e com fio é uma questão de arranjar um adaptador.

      • JBM says:

        O iPhone, bem como muitos dos smartphones, não envia sinal audio analógico sem fios. Se quiseres fazer uma coisa dessas terás que arranjar um emissor que se ligue ao aparelho.

      • JBM says:

        Audio por Bluetooth é singificativamente processdo no smartphone, o codec standrd reduz singificativamente a complexidde de processamento no lado do headphone (para consumir menos), mas reduz a qualidade do som. Há codecs em alternativa no entanto, mas o suporte existe apenas nalguns equipamentos e não assegura qualidade idêntica ao som com fios – pode ser que se altere no futuro.

    • JBM says:

      O sinal audio pode ser analógico ou digital. O mecanismo de produção de som é que requer um sinal analógico

  13. fr says:

    lol o único motivo para comprara uma bosta da apple é pelo fator swag. Se é pela porra do jack de música então compra-se um huawei ou um samsung por metade e as mesmas ou melhores características técnicas.

  14. CS says:

    não querem vão comprar à mesma. lógica

  15. Mazola says:

    Vão criar um jack só para eles e vão cobrar mais. “the apple way” “think different”

  16. jesus jones says:

    a coisa esta preta na apple

    • JoMa says:

      Não está assim tão preta que eles vendem que nem tremoços. A proxima inovação talvez seja um smartphone sem ecrã. Com certeza lá arranjarão uma qualquer justificação (telepatia, talvez) e conseguem covencer até os mais cepticos.

  17. Daniel says:

    O problema não é a espessura do telefone, o problema é o módulo para a colocação do jack e o conversor de digital para analógico. Estes são o terceiro e quarto elementos que mais ocupam espaço dentro dos telefones… Maior do que isto só a bateria e a antena

    Pessoalmente, não vou dar a minha opinião. Tenho um 6s, o que significa que não vou trocar tão cedo de telefone. A Apple tem um longo historial de deixar de suportar “open standards” para avançar com a tecnologia. Fez isso com a remoção dos drives de CDs, por exemplo. Mas também tem um historial de falhanços neste departamentos… firewire vem logo à minha cabeça.
    A meu ver, se isto for verdade (e sublinho o “se), isto pode ser bom para o consumidor no longo prazo para fornecer melhor áudio.
    No entanto, para isto acontecer, a Apple tem de incluir com o iPhone headphones que superem a qualidade de headphones que custam centenas de euros (e creio ser possível, dadas as condicionantes das ligações analógicas). No entanto, eu seria a favor de um período de transição, em que a Apple inclua headphones com ligação digital, mas mantenha a porta analógica. Esperar pela reacção do mercado, e depois remover a entrada

  18. daiquiri says:

    Querem querem, porque é a Apple que diz que querem, vão ver :-p

  19. Steve says:

    Acho piada que a apple esteja preocupada em retirar o jack de 3.5 mm do próximo iPhone para conseguir diminuir a espessura em cerca de 1 mm e se calhar mantém a câmara com aquela protuberância horrorosa. Faz sentido…

  20. Mario Silva says:

    La esta é a típica coisa da Apple e dos seus produtos exageradamente caros, como é que é possível um utilizador pagar 600-700€ senão mais para não ter as portas necessárias e comuns que são bastante usadas hoje em dia?

    E não falo nos processadores dual core (são x64 bits) no entanto já deviam estar era nos quadcore e nos octa core

    A final de contas, isso é o risco de comprar coisas overpriced.. uma delas é os produtos da Apple

    Enviado do meu LG G4.

    • Realista says:

      LG G4 é também ele overpriced quando comparado com outros…

      Enviado do meu Lumia 950

    • Wistfultale says:

      Para já, ninguém quer saber de onde “enviaste” o teu comentário. Até o podias envia-lo escrito no papel de um rolo higiénico, ninguém iria querer saber. Em segundo lugar, esta notícia é treta. Nada disto foi confirmado, isto são apenas rumores, será que não conseguem meter isso na vossa cabeça?!

    • acs says:

      Essa do quadra cores –‘

    • Mylittlelife says:

      Mario Silva, a Apple nem nenhuma marca precisam de 4 ou mais Cores se os cores que têm sao já muito potentes. Isso é o mesmo que teres 4 veículos pequenos ou 2 grandes: a capacidade de carga é similar, mas a fórmula para atingir é diferente.

      No caso da Apple a arquitectura (variante dos ARM) está optimizada para o iOS, e sao Core grandes; no caso das outras marcas os Core sao mais genéricos e pequenos, daí necessitarem de mais relógio e quantidade. O método Apple é o melhor, mas como a ganância é de tal ordem, metem baterias pequenas, pouca RAM (obriga imenso a swap) e usam ecras LCD que sao menos poupados que os AMOLED de última geracao, e daí o resultado final / Euro é igual.

      • JBM says:

        O iPhone não faz swap (e acho que nem o Android), apenas escreve alguns dados no disco sobre o estado da aplicação que é libertada da memória (não passa a memória para o disco), o que também depende da eficácia da gestão de memória que é feita. E dado que + RAM do mesmo tipo consome + energia existe claramente uma quantidade ideal da RAM para minimizar o consumo, e isso difere entre sistemas e uso típico.

        • Mylittlelife says:

          JBM, o iPhone tem disco? quanto ao swap, dá igual se é a App toda ou parte dela, em todo o caso tem que escoar a aplicação da RAM para caber outra, e dos voltar a ler a App e respectivo conteúdo paralizado. Este processamento custa muito mais energia que ter mais um módulo de RAM, que hoje em dia é do mesmo tamanho físico, tem é mais densidade de circuitos. E ter mais RAM significa ter mais coisas activas ex: widget, launcher com efeitos, torrent a descarregar ao mesmo tempo que o es file explorer envia algo para ftp e o programa de zip descomprime algo. Isso é possível num Quad ou Octa Core com 3 ou 4 gb RAM sem stress.

          • JBM says:

            percebeste perfeitamente o que disco significa neste contexto – não lhe chamei disco duro, pois não?
            E não dá igual, e tanto assim é que ninguém classifica isto como swap. Em termos de rapidez e consumo há uma grande diferença entre as duas soluções.
            Afirmares que isto custa muito mais energia do que ter mais um módulo é uma profunda falsidade intelectual. São coisas com comportamentos temporais diferentes – um é constante outro ocasional – por isso qualquer comparação que se faça não é linear, havendo condições em que ocorre igualdade entre as duas ou que uma é maior que a outra e vice-versa, dependendo do uso, da eficiência das aplicações, do sistema, da tecnologia da RAM, etc.
            A tecnologia de RAM de hoje não serve de argumento para discutir o hardware de “ontem”, nem isso torna falso que um módulo de RAM a mais implica mais consumo em permanência. Por isso 1GB de RAM pode ser o melhor em termos de consumo para um aparelho com determinado sistema e tecnologia, e não ser para outro com outro sistema e tecnologia.

            Ter mais RAM não significa ter mais coisas activas, apenas significa ter mais coisas na RAM. O activo depende das aplicações e da gestão que o sistema faz dessas aplicações e do processador. Também não significa automaticamente que consegue manter mais aplicações em RAM que qualquer outro aparelho com menos RAM, pois isso depende da eficácia do sistema em gerir a RAM e na eficiência das aplicações nesses sistemas quanto à RAM que necessitam para funcionar.

    • Zaark says:

      Mas para que querem quad e octa cores num smartphone? Eu acho ridícula esta pancada que ad marcas conseguiram impingir… Tanta gente a falar de ecrãs de alta resolução e imensos cores num smartphone – e metem-se em altas “argumentações” com outras pessoas à conta disso – e os portáteis, com ecrãs bem maiores, ainda nem Full HD têm por defeito – só a partir dos 800€, o que é ridículo – e a maioria dos seus CPUs é dual core (alguns hyperthreaded, mas são dual). Mas isto faz algum sentido? A pancada pelos smartphones é tão grande que o mercado de portáteis estagnou há mais de 3 anos nestes padrões ridículos, e o consumidor tem uma boa fatia da culpa: deixou-se ir nesta tanga que as marcas lançaram e em todo o marketing à volta das specs que se contentam com 1380×768 num PC de 15” e fazem desdém de phones 5” com esta resolução – ou mesmo com Full HD – porque já há marcas a fabricar com ecrãs com resoluções abismais. Prioridades… Pah, eu tenho 720×1280 no meu Phone e chega-me muito bem! Já para ter Full HD no laptop 15,6” como queria tive ver laptops com specs acima do que precisava – não precisava de um i7 (que por sinal é dual core hyperthreaded, e estes 2 cores com 4 threads fazem tudo o que peço – e ainda falam em octa cores…) e bastava uma gráfica integrada Intel HD, mas querendo Full HD, no mercado dos laptops tive de ir “por aí acima”.

      • Mylittlelife says:

        Estás a comparar “alhos” com bugalhos. Os telemóveis são aparelhos usados a muito curtas distâncias dos olhos e daí que a resolução tem que ser maior. Além disso os core são ARM que são mais pequenos, daí necessitarem normalmente de mais, e tem haver com optimização de consumo. Os core do intel são x86 CISC + tradução em RISC, daí os core serem maiores.

        Estás a comparar coisas incomparáveis. Eu tenho um telemóvel QHD e um híbrido com ecrã 12″ >Full HD , e quando uso um PC de 15.6″ Full HD ou um telemóvel Full HD, sem me fazerem marketing, esses últimos parecem-me antigos e rascas. Isso é o mesmo que comparares um MBP (sem retina) vs MBP Retina, e a diferença é como da água para o vinho.

        Se tu te contentas com menos está ok, mas eu já não suporto ecrãs Full HD, e já preparo a compra de uma tv 4K com HDR, para juntar ao meu telemóvel QHD e híbrido. O meu pai con catarata também dizia que os 1366×768 do portátil dele eram bons, depois foi operado, viu o meu híbrido e agora quer trocar.

        • Zaark says:

          Apesar da curta distância a que usamos os devices, não vejo a necessidade de mais do que Full HD num device de cerca de 5”. Para mim chega 720×1280, mas admito o Full HD como uma opção bastante válida. Mais que isso é só dizer “eu tenho”, IMHO. Pelo menos para já – daqui a uns anos as coisas podem ser diferentes.

          Já num monitor, e se leste bem o que escrevi, estamos de acordo. Eu só não tenho mais do que Full HD porque não comprei um MacBook, e o melhor que havia – e há – até 1000€ continua a ser o Full HD. Eu acho ridículo o padrão ainda ser 1366×768.

          Continuo a achar que esta pancada pelas specs dos smartphones levaram à estagnação de outros produtos, nomeadamente laptops – se os users andam a esgrimir argumentos pelas specs dos smartphones mas não dos laptops, então elas desenvolvem specs brutais para os smartphones e deixam estar os laptops como estavam há 3 anos atrás.

          A minha principal crítica vai no sentido de se exigir tanto de um smartphone mas ninguém parece olhar para os laptops e pensar “humm, talvez 1380×768 seja uma resolução ridícula para um monitor de 15 polegadas.”

          Há uns 5 anos atrás, dado o ritmo de evolução dos laptops e dos novos standards de resolução/dimensão, achava que em 2015 no mínimo era o Full HD o padrão e os laptops hidh-end estariam acima disso. Mas não, os laptops pararam nos 1380×768 (excepto a Apple, e aí tiro o chapéu) e ha smartphones que já ultrapassaram o Full HD dos laptops high-end! I mean, WHAT?

          Os cores vão na mesma medida – procura-se imensos cores num smartphone, mas apesarem das CPUs serem mais pequenas, os devices também não fazem o mesmo género de serviço. Em boa parte, culmina no software em si: por algum motivo os users de iPhones e Windows Phone estão perfeitamente felizes com dual-cores e 1/2 GB de RAM e os users Android ja falam em octa-cores com 3 e 4 GB de RAM.

  21. Steve Jobs says:

    Isto no meu tempo não era nada assim!

  22. jorge says:

    Por favor alguem me responda acham que quem compra um Iphone, se preocupa com o jack? que isso os fáz decidir entre um Android/Win phone ou o iphone, não! Amigos quem compra um Iphone é porque gosta e que quer, atem podiam vir com defeito ( e vieram “BendGate”) ouve quebras de venda? ouve uma imigração para a concorrencia? Não!
    Apple trás lá sff essa porta nova, que ninguem vai de deixar comprar o Iphone7, já agora preciso investir numa empressa chinesa que faça conversores ;P alguem conhece alguma? vai render….

  23. brunuu says:

    Eu não quero um iphone mais fino, eu quero um iphone com melhor bateria, qual é a importancia de ser assim tão fino?
    Cada vez mais fino, mais estranho é fica agarrar e mais fragil fica

  24. MacMemory says:

    Não se devem lembrar mas a Apple foi a primeira a “mandar para as urtigas”: as disquetes – quer de 5″1/4, quer de 3″1/2 – e o leitor de CD´s… E seguir-se-ão as portas USB assim como outros periféricos…

  25. Tony says:

    Use phones Bluetooth mas como uso regular desaconselho, quando estão a carregar não se podem utilizar. Será assim com todos os modelos?

  26. Tony says:

    será que os Apple car vão ter Janelas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.