PplWare Mobile

iPhone 11 Pro Max: Custo de produção ronda os 440 euros


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. carlos says:

    E os custos de desenvolvimento do produto?

  2. Njag says:

    E os custos de 5 anos do IOS?
    Sim porque a papinha não vem feita de outra empresa.

  3. Pedro says:

    E os custos dos salários milionários da malta que desenvolve isso? E os custos megalomanos da sede e lojas?

  4. Fixo says:

    E os impostos – pelo menos 23% de IVA (240€)?

  5. yamahia says:

    Os custos dos componentes estão sobrevalorizados.
    Quem compra em quantidades industriais tem descontos, no mínimo, de 40% no valor final da factura.

  6. Ze says:

    Os custos dos componentes a preço da China são bem inferiores, assim como o custo da mão de obra.
    Ainda assim deixo a pergunta , e os que interessa isso? O custo final à saída de fábrica não será mais de 50€ porque se assim não fosse quem pagava toda a cadeia? Não brinquem com o Povo sff.

  7. DC says:

    A pergunta é tão absurda que soa tremendamente a clickbait. Até fica mal a um órgão de comunicação social colocá-la deste modo sem qualquer sentido crítico mas fica aqui uma ajuda:

    Os custos indicados são para os componentes e montagem do equipamento. Desconfio que o custo unitário de montagem incluirá o custo de mão de obra e de utilização dos equipamentos necessários à execução do mesmo. Duvido que esteja aí incluída a amortização dos equipamentos e instalações mas até dou essa de barato.
    Logo a seguir, temos logo 23% que vão direitinhos para o estado – IVA.

    Voltando à produção, depois de montados, não saem sozinhos da fábrica. Há um custo de distribuição à escala global.

    Depois, e mais importante, há um custo de desenvolvimento e investigação (venham daí as piadas que a Apple hoje em dia só cópia e por aí adiante. Há equipas de milhares de pessoas a trabalhar que não ficam baratas).

    Depois, temos o custo do software. O iOS é gratuito para o utilizador mas tem custos de desenvolvimento e manutenção. Sendo um SO exclusivo do iPhone/iPad naturalmente uma fatia considerável dos seus custos será amortizada nos equipamentos.

    Por último e não menos importante, há uma componente interessante que é o lucro. Vejo às vezes artigos na internet quase a crucificar as empresas por terem lucro nos produtos que vendem mas, e está revelação pode chocar muita gente, elas existem para dar lucros. Ninguém se chateia a criar coisas para não ganhar dinheiro com elas. Portanto, depois de pagar os componentes e a mão de obra, depois de cobrir os custos de desenvolvimento e logísticos, depois de pagar os impostos sobra ainda uma parte que é lucro (a razão de existir produtos à venda) que servem para pagar a accionistas e manter a empresa a funcionar.

    • Sujeito says:

      Tal e qual.

      É preciso estar completamente fora da indústria para achar que estes números são descabidos.
      São perfeitamente normais e bastante eficientes até.

  8. Miguel says:

    Hum… nenhuma novidade.
    Desde muito cedo que o lucro da Apple num smartphone ronda os 35% dos quais já com impostos deduzidos, marketing, desenvolvimento e pesquisa, publicidade. Aliás, ainda fogem a impostos dos quais devem perto de 840 milhões em vários países por nem deduzirem respectivamente o imposto.

    Todos telemóveis custam mais do que custam a produzir mas a margem de lucro não precisa de ser tão elevada.

    Os artistas adeptos e fanáticos da marca irão sempre argumentar que os lucros e valores se prendem ao facto do custo de desenvolvimento (para não falar que eles pouco inovam) mas adiante, também ao factor do sistema operativo. Ou seja, pagamos mais por um iOS que um Windows? Funny. O iOS está longe de estar perfeito, nós últimos anos mostrou graves falhas e graves problemas que muitos tentam “desvalorizar” para manterem o estatuto da marca que morreu no dia em que Steve Jobs morreu.

    Eu como ex utilizador de produtos Apple costumava valorizar a marca pela fluidez e simplicidade, hoje encontramos o mesmo no Android. O senão aqui são mesmo os produtos como iPad e iMac que são bons para a área profissional, como consumo geral acho que não são indicados e “overpriced” porque se acham que um iPhone é cargo experimentem verem o custo de produção de um iMac com características ridiculamente fora do normal!

    Depois temos o chamado “falsa” publicidade que a marca adora impor. A manipulação psicológica que foi provada por neurologistas o significado que a Apple tem para as pessoas, não a consideram como objecto mas sim como uma pessoa. Aqui está algo que me preocupa como profissional de saúde, porque estes estudos comprovados mostram que as pessoas são manipuladas. Ok, todas as marcas tem a sua forma agressiva de publicidade, mas a ideologia que incutiram por detrás da Apple é muito mais obscura e complexa do que possam imaginar. Cada vez que me recordo da publicidade engraçada em torno do smartwatch que fazia ECG´s (para quem não sabe aquilo nada mas NADA faz porque jamais um dispositivo consegue sequer analisar o ritmo através do pulso seja para o que for!

    Actualmente nos iPhones X estimaram-se que o lucro era de 45% agora, resta saber, se nestes novos modelos o lucro é igual ou inferior (senão for superior).

    Em média a Apple tem lucro face a concorrência 20% superior enquanto que os lucros não revertem senão para encherem as suas carteiras, porque ao contrário da concorrência e pode parecer “ódio” mas são factos, não ajudam pessoas, desenvolvimento nem nada do género como muitos fazem crer! Por exemplo, a economia da Coreia do Sul depende imenso da Samsung já que a mesma é 72% do valor económico do país!
    Quando se compra um Galaxy, estamos a dar % para o estado, mas também estamos a dar para a economia do país, escola, desenvolvimento, saúde (sim Hospitais). Acho que os lucros da Huawei financiam algo parecido embora o impacto é bem inferior.

    No final de contas, Apple é lucro, símbolo de estatuto que deixou de ser um prestigio, de ser algo que “só” um rico pode ter.

    Ao que parece, o hype foi tanto que no norte andaram a agredirem-se por causa do equipamento tal como havia muita gente que queriam ser os “primeiros” a terem-no chegando a dormir à porta do Shopping (Norte).

    A ilusão e fanatismo não inovam, está a vista que a marca tem muito que provar as pessoas pelo menos como ex consumidor, tão cedo não volto para lá, não por falta de capital mas pelo “nonsense” que é dar-se lucro a uma empresa que foge a impostos e nada ajuda no mundo. Aliás, seja qual a marca, nunca ultrapasso os 600€ por um equipamento o que por si só já é ridículo 😉

    Tenho o iPhone 7 Plus (quase nunca uso) e o meu “tijolo” que mete num canto até o novo iPhone seja na autonomia, fluidez ou camera que é um simples Mate 20 X. Não de todo o melhor telemóvel MAS para mim pelo preço que nem 600€ foi, acho bastante capaz de fazer o mesmo que um suposto “inovador” iPhone de 2019 que custa mais do dobro. Estatutos sociais, aparências é disto que vivemos em Portugal. Se comparamos à outros países, Portugal é onde se vende mais produtos Apple 🙂 Afinal, somos um dos países da Europa mais ricos, right?

    Anyways, fica apenas a minha ideia, pesquisa, quem não acredita, bem, pode sempre perder umas horas e fazer uma pesquisa tanto a nível de saúde, impacto social, económica e por ai adiante que não sejam pagas e manipuladas pela marca Apple 🙂

    Abraço!

    • Daniel Lopes says:

      Concordo contigo em muitos aspectos, mas discordo quando se fala que é um telemovel “banal” ou “igual” aos outros.
      De momento, sim, IOS ou Android é quase a mesma coisa, mas quando o Iphone saiu, esteve durante 5 ou 10 anos, a frente da concorrência, é inegavel essa questão.

      Eu troquei o meu iphone7 por um MiA3, porque achei um absurdo ir gastar 1400€ para dar upgrade ao ecra e bateria, que para as minhas necessidades básicas, chega e sobra.
      Mas comparando os dois telemoveis e eu sei que são gamas distintas, notasse sim a diferença para o Iphone. Quanto ao SO, tenho Android one(o mais puro possivel) e não noto falta de algo, que exista no IOS, mas as experiencias de utilização e de ecossistemas são bem diferentes. Como não tenho Mac/Ipad tou-me nas tintas po ecossistema, mas é uma mais valia, para quem ja tenha parte desse ecossistema.

      Quanto aos lucros, acho que é justo, visto que a Apple não é simplesmente uma empresa de smartphones… é como a Tesla, são ambas empresas visionárias nos seus mercados e como tal, é preciso pagar aos Visionarios, que tem as ideias e montam o produto.

      A Apple estica-se tambem nos seus preços, devido à influencia que tem na mente das pessoas e porque é a unica com IOS. IOS para muitas pessoas é imprescindível e eu tenho casos de 3 pessoas, que nunca se deram bem com o Android e voltaram ao IOS.

      • Miguel says:

        Em parte eu compreendo-te.
        Eu tenho o iPhone 7 Plus (e tive na altura o primeiro iPhone) e de facto devemos ao que hoje temos como chamado smartphone à Apple. Porém e a verdade seja dito, nos anos ao primeiro lançamento do primeiro iPhone a Samsung criou algo sempre superior com a excepção do iOS que na altura era inegável algo muito superior algo que nos dias que correm é diferente, isto porque o Android consegue ser fiável, estável e ter as mesmas funcionalidades e qualidades que o iOS antigamente tinha como exclusivo e único.

        Vejamos o que mudou ao longo do tempo à Apple desde a morte do Steve Jobs: Design, andaram anos com a mesma coisa, hardware, embora o iOS requer menos acho que a nível geral pelo que se paga deviam por algo mais future proof. As actualizações desde 2018 que tendem em piorar o serviço do equipamento, criando bugs, problemas de desempenho e autonomia para de um modo ou outro forçar o utilizador a comprar um novo iPhone (este esquema existe desde sempre noutras empresas, era um forte da Apple podermos usar um iPhone antigo com actualizações recentes sem perda de nada, coisa que agora é diferente).

        Eu não sou anti-Apple mas sim anti-Consumismo no geral sem lógica. Seja Apple ou outra marca, nada justifica o valor que eles pedem de mercado e a Apple costuma ter a mão de obra mais barata do mercado face a concorrência, basta olhar para a fabrica deles na China que já visitei e é triste ver aquelas condições de trabalho, onde pessoas se suicidam devido a depressão e pressão causado pela Apple em si!

        O problema aqui e já foi falado num estudo neurológico é o fundamentalismo e idealismo criado pela marca que de um modo activa enzimas no nosso cérbero a pontos de reconhecermos o produto Apple não como um “Produto de consumidor” mas como uma pessoa. É assustador como a marca conseguiu um domino de manipulação social tão grande. Não há marca perfeita, seja Huawei (que agora vai morrer), Samsung ou outras marcas que até começaram com preços bons mas que agora custam fortunas (Xiaomi, Huawei, One Plus). Posso te dizer até que eu era viciado em telemóveis, era raro estar 3 meses com algum (excepto o iPhone) quando falávamos de android porque havia sempre algo com um senão sobretudo na gama Samsung!

        A simplicidade do iOS ainda hoje é apelativo e bom, não vou negar o que é um facto, contudo não é actualmente pretexto de venda ou dos preços que pedem, porque a mente em si atraí a venda. Digamos que os fanboys ou os chamados fanáticos que todos os anos compram os produtos da Apple são os que mantêm a Apple viva, senão, a quebra de vendas era muito evidente, porque há sempre pessoas cegas que estão psicologicamente vidradas em algo que não tem lógica! Maioria dos utilizadores dos iPhones nem o usam por necessidade mas sim por estatuto social, nada mais, então em Portugal onde vivemos de aparências é quase obrigatório, basta ires a uma faculdade e veres estudantes de direito, medicina com um bom carro e um bom iPhone, claro que as aparências contam porque são futuros Drs!

        Eu não vivo dessa aparência, chegam até a gozar me por ter um tijolo que nem considero grande, mas que mete qualquer iPhone num canto, até o iPhone 11 Pro que todos adoram dizer ser um dos melhores smartphones do mercado, acho até ridículo afirmarem isso sem nunca terem testado outros lado a lado. Uma das vantagens de ter tudo o vicio de andar sempre a cair no consumismo que felizmente mudei, foi ver a realidade de todos os lados! Confesso que eu fui durante anos ridículo a pontos de gastar dinheiro sem necessidade! Estamos quase em 2020 e ainda há gente que anda a porrada para defender uma marca que se esta nas tintas para o consumidor, a Apple era uma das que ligava muito ao que o consumidor pensava, actualmente “give me your money” é a politica deles, pelo qual, como uma empresa SÓ focada em smartphones de gama alta deveria ter outro rumo e politica.

        Existem de facto muitos utilizadores da Apple que tinham todos produtos deles que agora só utilizam android, que dizem que a Apple já deu o que tinha a dar, o feedback destes é vital porque falamos de pessoas que viveram Apple no sangue e actualmente acordaram para a realidade.

        Eu apelo sempre as pessoas em vez de andarem a criar créditos para comprarem uma maça ou outro que seja igualmente caro, que pensem se vale a pena, porque actualmente existem coisas igualmente boas por um preço mais em conta.

        Posso te dizer que faço um tempo de ecrã de 12 a 13h com 4G e Wifi ligado no meu Mate 20 X, tenho um excelente ecrã natura que não prejudica os olhos como os da Samsung ou Apple (sim estudos provam isso) e que tem uma camera que de noite bate qualquer equipamento (esta a par de um P30 Pro). Para mim e para o que eu uso, chega e sobra, e acredita, sou heavy user de redes sociais para divulgação de coisas relacionadas com a área da saúde e claro, para outros fins.

        Apple para mim morreu e espero que volte ao que era, deixem a ganância de lado e de facto inovem, de preferência que mudem o departamento de design que a gama deste ano é a coisa mais feia que já vi na minha vida, acho que nem Steve Jobs iria aprovar aquilo!

        Outra aparte, não sei se na televisão nacional passa a publicidade mas já vi uma publicidade em que o iPhone 11 é posto numa camera de testes de pressão, onde é lhe atirado (coisas de borracha) e ainda leva com um bolo de casamento, tudo para provar que é o telemóvel mais resistente do mercado, para variar não se focaram na fotografia nas publicidades de venda mas na resistência que é ridículo, porque o mesmo risca-se como se nada fosse!

        Se a Apple praticasse valores abaixo de 1000€ na melhor da gama, ai ainda poderia dizer ter algo, mas sendo a Apple como é e não só esta marca, mas a tendência de mercado geral em subirem os preços, qualquer dia damos 2000€ para algo que anda nas mãos.

      • Pedro says:

        A Tesla praticamente faz por 100mil euros o que a Porsche apresentou por 200mil. Linhas e dinâmica a parte, não pretendo discutir issso, a Tesla continua a ser senhora e rainha no que toca a baterias e relação eficiência km/kWh. Sempre vem Elon musk afirmar que oferece melhor por muito menos, então apesar se nao ir comprar nenhum, o roadster vai ser o super desportivo com um preço 1/10 abaixo da concorrência. E se admiro a Tesla sim admiro muito, trabalhei 4 na os na distribuição dos mesmos pelos centros na Suíça, desde o p85 até ao p100d passaram me todos pelas mãos e realmente se houve carro elétrico que mudou paradigmas e apaixonou foi com o surgir do model S.
        Apple aproveita o marketing, a ilusão, o status, as tendências, os estilos de vida etc, com preços abusivos, para se afirmar como peça fundamental no viver de cada um, como acessório de moda, como afirmação, aliás chega se ao ponto de afirmar que a comunidade masculina tem mais sucesso com o público feminino se tiver um iPhone, enfim ao que chegamos! A todos os consumidores apple espero que se encontrem felizes e continuem no futuro felizes com os equipamentos e o ecossistema iOS. Cumprimentos a todos

    • Pedro says:

      Acho que todos os fanáticos proprietários e não proprietários, cépticos, clientes na dúvida, haters etc deviam ler o seu comentário. Muito bem elaborado.
      Realmente é ridículo dormir a porta é agressões por ser o feliz contemplado do dia com um novo iPhone absurdamente caro para o que oferece. E lá esta a imagem associada a apple, estilos de vida em voga associados sempre ao iPhone ao lado. Além da exploração dos trabalhadores chineses como já foi mostrado há uns anos numa reportagem a apple nada faz por ninguém além de margens de lucro enorme.
      Com preços cada z mais em conta e agora cada x mais no mercado surgem grandes marcas oriundas da China com excelente qualidade, Xiaomi/Redmi, oppo/realme, oneplus, meizu, vivo, apesar da alguns equipamentos realmente interessantes não terem uma versão global e um software devidamente trabalhado ao gosto europeu.

  9. Fulano says:

    O iPhone 11 Pro Max é um dos melhores smartphones da atualidade, atrás do Note 10+ e de outros Huawei.
    O custo, segundo a Consumer Reports, está a ser exagerado para criar a ideia de um produto mais premium, quando até o vidro risca por contacto….

  10. Buckethead, o meu coração só tem uma côr, azul e branco says:

    Se o vidro risca,, é para ficar personalizado ao bolso do utilizador.
    Nem que custe 5000 euros, irei sempre comprar carradas de iPhones.
    O que seria de mim sem iPhone, o meu status, a minha inteligência aparente, o meu elitismo… Iphone iPhone, vá, cantem comigo…

  11. Fixo says:

    E falta falar das expectativas sobre as vendas do iPhone 11.
    São tão altas que o valor da Apple ultrapassou o máximo anterior: 1,07 biliões de dólares.
    (Bi = Millhão x Milhão)

  12. SG says:

    Todos os anos a mesma conversa… Seja da Apple, dos topos de gama da Samsung…
    Utilizo este exemplo para aproveitar a info do artigo, não por ser Apple, ou isto, ou aquilo.
    Coloco por pontos, para facilitar a leitura.

    1- O Preço de custo (apenas componentes e montagem) é de 440 euros.

    2- A distribuição da fábrica para centrais logísticas (na Europa, na Ásia, na América, etc) nunca é assumida pelo fabricante. Quando muito um único envio para uma única central, mas tendo em conta o valor da mercadoria, a possibilidade de furto e também o facto de a distribuição começar antes do lançamento oficial (caso contrário, nunca chegaria a tempo), é assumida pela Apple (ou pelas respetivas delegações).

    3- Pego na última palavra da frase anterior: delegações. Quanto não custa ter delegações (não estou a falar de representações, essas pagam para o fazer, mas de delegações) em diversos países?

    4- O prazo de elaboração de um novo smartphone (topo de gama) vai de 1 a 3 anos, mediante a marca. Planear as features que se queira, testar modelos, aguardar que determinada tecnologia esteja pronta, testar novamente (não é só ter a ideia e lançar o telemóvel, há que testar). Utilizemos aqui o exemplo da IKEA, conhecida por, por exemplo, testar milhares de vezes o ciclo de fecho e abertura das gavetas, portas. Sei que é um exemplo básico, mas apenas para clarificar.

    5- Durante esse tempo, há salários a pagar: a engenheiros, designers, gestores de produto, departamentos comerciais, marketing, e um loooongo etc.

    Para não tornar isto maçador, avanço outros passos e coloco apenas os mais práticos.

    6- Estando o modelo aprovado e decidido: toca a planear grande campanha de publicidade, todo o design na mesma, e colocar a mesma em marcha. Já repararam, por exemplo, que basta um dia após lançamento oficial para todas as Fnac terem na devida secção já publicidade ao novo aparelho? ACham que são os funcionários FNAC a colocar/fazer a publicidade) Sabem quanto custa ter merchandisers a fazer isso a nível nacional? E só estou a falar de uma cadeia de retalho, num país pequeno como o nosso.

    7- Voltemos a falar de valores, que é o que o pessoal gosta. 1279 euros (iPhone Pro Max) : 1.23 (retira-se o IVA) = 1039 euros. Realmente, ainda é muito. Tanto quanto sei, a FNAC, a WORTEN, e qualquer outro retalhista ainda não são a Santa Casa e não trabalham de borla. REgra geral, neste género de equipamentos, mediante a marca, trablaham com margens de 10 a 15% de lucro (sim, margens pequeníssimas, daí que por vezes estes artigos não entrem em determinadas campanhas, na acumulação de pontos e afins=. Ou seja:

    1039-15%= 883 euros (não sei se repararam , mas o valor já está a baixar).

    Ora, neste momento, se fosse este o valor que a Apple ganhasse, ainda seriam 440 euros de lucro… Pois, mas quem é que leva os artigos à Fnac? Quem os traz para armazéns em Portugal? Quem assume o stock? Quem paga a tradução do site oficial para Português? Manutenção do mesmo?

    E, no caso do iPhone, tdoos os anos há uma equipa de engenheiros (muitos, mas mesmo muitos) dedicados a otimizar o sistema operativo para os equipamentos mais antigos. No iOS 12 houve equipamentos com 5 anos, e até 6 anos (6 anos!!!) a receber o novo sistema operativo, no mesmo dia que todos os outros equipamentos novos.

    Isso custa dinheiro.

    E nenhuma empresa existe a não ser para lucros. Pode ter ideologias mais bonitas, mais feias. podemos todos identificar-nos mais ou menos com a “filosofia de vida”, mas, no final do dia, todas elas querem e, mais importante, precisam, de uma coisa muito simples: de subsistência.

    Não nos iludamos a falar de empresas que só querem lucro, todas elas o querem. Umas, claro, necessitam de mais, pela dimensão que têm, é diferente pagar salários a 1000, 10.000 ou 100.000 pessoas…

    No final do dia, o que eu acho é que pessoal como nós, que gosta de tecnologia, gadgets e afins, só tem de ficar contente com a evolução da tecnologia e com as cenas incríveis que já conseguimos fazer, neste caso, com os nossos smartphones. Eu, pelo menos, adoro!

    • Daniel Lopes says:

      Texto bem estruturado e a apontas os varios factores, para um telemovel destes, ser 1400€.

      Quem quer o que é bom, tem de pagar… sempre foi assim na vida, e sempre será. Quem não precisa de um Iphone, tem imensas marcas e modelos, por onde escolher, mas lembrem-se que não é nenhum Iphone…

      Por mais que digam, continuo a achar, que mesmo após todo o plágio que já sofreu, o Iphone continua a ser o melhor produto do mercado(Melhor SO, bem mais construido que os restantes e com um design elegante). Não tem carregamento wireless? USB-C? NFC? é tudo features que não são necessárias para o dia a dia. Pelo menos nunca morri por usar um QRCode no MBWay ao em vez de NFC…

    • Marco says:

      Bom texto!! É uma coisa cada vez mais rara na secção de comentários.

      Acho q o pplware devia fazer disto um artigo, a ver se iluminava algumas almas que andam por ai.

    • Pedro says:

      Resumido a apple precisa de nova direção e gestores. 1 a 3 anos para desenvolvimento é por isso que os novos iPhone 11 nada trazem de novo.
      Outras marcas teem tempo para criar conceitos, tendências, e utilizar todas as novidades tecnologias do momento de 6 em 6 meses… ☺☺☺

  13. applefan says:

    Infelizmente vão sempre existir os “haters” sem noção (seja para que marca for) a vir comentar um artigo da marca concorrente, mas no caso da Apple é por demais e até enjoa… para mim é simples: não pago 1400€ por um iPhone mas também não abdico de ter um, seja modelo mais antigo ou não, desde que realize as tarefas que preciso e não me de chatices! Ecosistema? Uma maravilha, tenho iPhone 7 Plus, Apple Watch, iMac e Apple TV 4K e funcionam entre eles sem chatices e sem problemas de compatibilidades ou ter de instalar software de terceiros.
    A nível de software nunca tive stress nenhum, volta e meia instalo versões beta, testo e se gostar mantenho se não volto a traz e já está.
    Eu sou consumidor Apple e tão depressa não me vejo a mudar, e sim já tive vários modelos android de gama média/alta, e mesmo assim prefiro iOS!
    Quem gosta de android também tem várias opções de nível elevado e que certamente satisfazem as suas necessidades.
    Relativamente ao artigo em si: acham que é só na apple que isto se reflete? acham que a samsung, huawei, microsoft etc não têm lucros semelhantes? (ou pelo menos tentam)… não sejamos ceguinhos a acreditar em tudo o que lêm e só um é que é o mau da fita…

  14. Rui Daniro says:

    o interessante seria ver também os custos dos outros flagships do mercado como forma de comparação.

  15. EuPerceboDistoPapaMisto says:

    UTILIZO ANDROID!

    Começo assim para não acharam que sou apple boy.

    Digam-me uma coisa, será só assim com o iphone? ou com todas as outras ” grandes ” marcas ?

    E tenho certeza que mesmo as ” pequenas ” cobram o triplo do que custa a fabricação.

    Abraço a todos os iluminados!

  16. Luís Martins says:

    Com este rumo de a Apple se transformar num produto de luxo É 100% certo que a Apple vai desaparecer ou ficar numa empresa muito pequena para um nicho de mercado elitista. Só dou um pequeno exemplo, estou a usar um Xiomini de 274 euros que faz quase tudo como um iPhone de 1200 euros , só na a tirar fotos é que se destaca o iPhone no resto mal se nota pois eu uso o smartphone para uso profissional para trabalhar e não para jogar ou andar a brincar . Agora alguém me sabe explicar racionalmente como é possível gastar mais de 7x ? O mesmo se passa nos carros, um bom carro gama média custa entre 25 a 35 mil euros agora se multiplicar por 7x temos carros entre 150 a 250 mil , estes carros não são para o povo normal com salários médios ou mesmo salários médios altos, o mesmo se passa com o iPhone , é uma imbecilidade extrema um assalariado com baixos salários comprar um iPhone ou um carro acima dos 150 mil euros, e quando digo baixo salario sãos salários até 1500 euros liquidos .

  17. arnaldo says:

    Fica bem mais caro que isso. Aponto para uns 650 euros, juntando mão de obra, desenvolvimento e afins.
    O valor de venda não é descabido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.