Quantcast
PplWare Mobile

iPad 8: O novo iPad que é duas vezes mais rápido que o portátil Windows mais vendido

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Tuaregue says:

    Custava muito ir ao site da Apple e colocar o preço para Portugal?

  2. Cicrano says:

    Pena é que o surface faz 2x mais coisas que o iPad… Mesmo sendo mais “lento”

    • Rio says:

      +1 ya que comparação, ainda se trouxesse MacOS Catalina, agora traz o iOS, muito limitado.

    • O servente says:

      +1
      Eu tive o Surface Go 1 e agora o 2 e são brutais, posso fazer tudo e até jogar uns jogos antigos. Como tablet ou apps/ jogos tablet é muito inferior ao iPad, fora isso bate o iPad em tudo.

      • Alexx says:

        E a bateria meu ? alguém se esquece de referir dados comparativos de consumo. Eu tenho o Surface e Ipad Air e lamento dizer, o Surface faz coisas que não posso fazer no Ipad, mas acabo por andar com Ipad pelo peso (mais leve) e pela bateria (maior duração). Gostava de ver esses confrontos serem feitos, não em laboratório, mas no confronto do dia a dia.

        • Celso says:

          Se ficares limitado ao Windows S deve durar mais

        • O servente says:

          Se falas do Surface Go não me fales de peso que é diminuto e com teclado não notas nada. Quanto à bateria, se estás muito limitado, de que interessa ter muita? Eu consigo ir e voltar de avião (6h) em negócios e estar sempre a ver filmes e trabalhar e chegar a casa com 20 a 30% de bateria. Como carrega por usb c (power delivery) tenho um carregador para telemóvel e surface, logo zero stress mesmo se precisasse.

  3. Ricardo Pinto says:

    “Duas vezes mais rápido que o Surface mais vendido…” – isto é bem diferente do que aquilo que a vossa equipa colocou no titulo…

  4. Rafael says:

    O processador do iPad de 7 geracao é o A10, o mesmo que o iPhone 7, não o A 11, como é referido na notícia

  5. Euzinho says:

    O Surface não é um gadget, mas sim um computador completo. A comparação é, simplesmente, ridícula.

    • Tadeu says:

      e o que é ser um computador completo?

      • Euzinho says:

        Penso que percebeu o meu comentário precedente. Não se agarre a preciosismos de escrita. Um tablet pode substituir muitas funções de um PC, mas não é um PC. Comparar um tablet a um PC, com um propósito e SO completamente diferentes, é disparatado. A comparar, dever-se-ia utilizar um Mac Book, ao menos partilham muito do ecossistema iOS.

        • Tadeu says:

          Não me estou a agarrar a preciosismos, estou a perguntar o que consideras por computador completo, já que se calhar não sabes o que um iPad pode fazer neste momento.
          A comparação feita foi com um conjunto de tablets, um MacBook não é um tablet, já um modelo Surface pode ser um tablet.

          • Toni da Adega says:

            Um Surface é um PC portátil com a diferença (extra) que possui ecran táctil e teclado removível.
            porque em termos de funcionalidades e potencialidade é exactamente igual a qualquer computador portátil (ultra portatil) do mercado.

          • Tadeu says:

            Toni, um iPad também pode ter um teclado removível, também funciona com muitos dos programas que encontras no Surface.
            Há Surfaces que não são exactamente iguais em funcionalidades a qualquer computador portátil, e esse argumento invalidaria qualquer comparação com computadores com outros sistemas operativos.

          • Toni da Adega says:

            Se não são dispositivos comparáveis e com funcionalidades diferentes, o que é que falta num surface para ser igual a um computador portátil?

          • Tadeu says:

            Toni, sabes bem que há pelo menos 1 modelo Surface que tem limitações face aos restantes portáteis: Surface Pro X.
            E outro vem com um sistema que limita o acesso a aplicações…

  6. Mr.T says:

    Ja tem cartao SD? Nao? Entao passo. (400€ por um ipad com apenas 32gb de espaço é gozar…)
    Pra ser aceitavel, 128gb, sao 500€. Mais uns 135 pra caneta, mais 180 pro teclado.
    Tudo junto, fica acima de 800€. Para gastar este valor, de certo que arranjo melhor no mercado…

    • Zé Maria says:

      Não é para quem quer, é para quem pode 😛

      • Mr.T says:

        Para quem pode? Qualquer pessoa nos dias de hoje pode facilmente gastar 800€ ou mais… ja querer, é outra história. No meu caso nao me agrada gastar dinheiro mal gasto. Todo o dinheiro que gasto, gosto de sentir que foi bem gasto…

    • Alexx says:

      Com USB C tens acesso a discos externos, pen’s . Qual é a necessidade de cartões SD? A Apple utiliza a colocação na Cloud como “pen ou disco”, pelo que o armezamento externo acaba por não fazer sentido, na lógica da Apple. Mas apesar de tudo, possibilita-o.

  7. bla says:

    UAU!!!!!!
    Prefiro o Surface….

  8. Barquense says:

    Apoio o Surface!
    Tal como já referido. São realidades incompatíveis, o Sistema Operativo faz toda a diferença.
    A produtividade em ambiente Windows continua muito mais além. Aliás, não se vê software-houses a produzir versões para Apple, o que se já vai vendo é versões web que funcionam aqui e ali ou então.. como muita gente que conheço, tem o seu macbook (pelo status) e depois instalam uma Máquina Virtual com Windows.

  9. Pedro Reinel says:

    E também dá para trabalhar a sério, com programas a sério? É que eu tenho um surface e um iPad e sei bem para que serve um e para que serve o outro. E para trabalhar a sério é o primeiro.

  10. Marcelo Correia says:

    Mais do mesmo com os ecrãs da década passada, fazem um processador um bocadinho melhor e chega para limpar as carteiras às pessoas. Todos os anos é isto.

  11. Nuno Moreira says:

    O processador A12 é da Samsung, como os anteriores do iPad?

  12. Nuno Moreira says:

    Fiz apenas uma pergunta.
    Como não obtive resposta aqui, fui a outro lado.
    O processador Apple A12 é fabricado pela TSMC.
    Os mais recentes processadores dos iPad têm sido da TSMC.
    Nota: A Apple não fabrica nenhum componente para iPad nem para iPhone. É política da empresa, que tem dado muito sucesso.

    A Samsung fabrica processadores em instalações próprias na Coreia do Sul. A Samsung é uma empresa multifacetada, que é também um conglomerado industrial. Não significa que não utilize outros, em alguns equipamentos.

    • Tadeu says:

      e os snapdragons são da Samsung? AMD, Nvidia?

      • Nuno Moreira says:

        Os processadores (CPU) Snapdragon são fabricados pela Qualcomm.
        Snapdragon é uma marca interna da Qualcomm.
        A Samsung fabricas os CPU Exynos.
        Nvidia fabrica os CPU Tegra e as gráficas (GPU) Geforce.
        A AMD (Advanced Micro Devices) fabrica as GPU AMD (antigas ATI que a AMD comprou) e CPU diversos (Ryzen Athlon, Duron, etc).

        • Tadeu says:

          E assim ficamos a ver o preconceito…
          Os Snapdragon são obviamente da Qualcomm, mas a Qualcomm, tal como a Apple, não fabrica os seus Snapdragons – umas vezes é a Samsung, outras a TSMC.
          Nvidia não fabrica os seus processadores. Tal como a Apple contracta outras empresas para fabricar os processadores.
          AMD também não fabrica os seus processadores. Tal como a Apple contracta outras empresas para fabricar os processadores. Já lá vai muito tempo desde que a AMD tinha fábricas próprias.

          • Nuno Moreira says:

            Não tenho nenhum preconceito.
            Se há empresas que deixaram de fabricar, que passaram a subcontratar e eu escrevi diferente, estou desatualizado. Apenas isso.
            A indústria está em constante mudança e raramentes essas mudanças são anunciadas. Bem pelo contrário.
            Em todos os casos, manteve-se a propriedade industrial, mas o produto tem origem numa empresa diferente (mesmo que sejam as mesmas instalações e as mesmas pessoas).
            Ou seja, os Snapdragon que não sejam fabricados pela Qualcomm, são de outra empresa, a quem os compra.

          • Tadeu says:

            Não estás desactualizado porque a Qualcomm nunca fabricou snapdragons, nem a Nvidia fabricou GPUs.
            Os processadores não são de outra empresa nem os compra, contrata o fabrico, a propriedade é de quem contrata, sendo que o produto final até pode ainda passar primeiro pelas mãos de outra empresa para fazer o pacote, etc

          • Nuno Moreira says:

            Quanto à Qualcomm e NVIDIA, estava enganado.
            A propriedade é de quem compra. Isso não está em causa.
            E quando chega ao consumidor final, é deste (quando eu compro, passa a ser meu).
            E depois há a questão da patente (quando existe) que torna tudo mais complicado, por que muitas vezes o proprietário da patente a única coisa que fez foi pagar por ela e não teve qualquer ideia, nem qualquer intervenção no fabrico.
            Quando se refere na indústria que um produto é “de” uma determinada empresa, corresponde à empresa que fabrica o produto e não o proprietário. Seja quem for.
            Há muitos produtos em que o fabricante é ocultado e que se paga ao fabricante para não o divulgar.
            Como muito bem refere, existem empresas que dão a ideia que fabricam os seus próprios produtos, mas que na verdade são outros (por vezes fabricados por concorrentes diretos).
            Por exemplo, noutra indústria, o Toyota Supra é “da” BMW. Tal é divulgado. Apesar de ser uma parceria para dividir gastos, o fabrico é da BMW, numa fábrica BMW, etc.
            Antes dos computadores e afins, já o era assim na indústria automóvel no início do século XX.
            A Apple para o iPhone e iPad decidiu não fabricar. A Apple é, sobretudo, uma “casa de ideias” (provavelmente, a melhor da atualidade). A Apple prefere não dispender energia no processo produtivo, mas apenas na criação de ideias e na sua colocação em prática, sobretudo no software. Tem corrido bem assim e é para manter. Os componentes necessários são obtidos no mercado industrial por recurso ao que já existe ou por solicitação de um componente específico. É preferível por componentes que já existem por questão de preço e de fiabilidade. Componentes específicos encarecem muito a produção e a fiabilidade é mais difícil por falta de experiência. Não sei a história da TSMC, mas deve ser interessante. O que diferencia os iPhone e iPad não são os componentes, mas o software que os gere e esse é idealizado e fabricado pela Apple. Pelo que os fabricantes dos componentes não é o mais relevante.

          • Tadeu says:

            Nuno Moreira, estás enganado sobre muita coisa!
            Uma delas é achar que o chips alguma vez são das fábricas… não são! Os chips são sempre propriedade de quem contracta, não há compra, é um contracto, com base nos desenhos e propriedade intelectual da Apple, Qualcomm, etc!
            Nunca “na indústria” se referiu aos produtos com sendo da empresa que fabrica, nunca! Tanto assim é que pelos vistos nem fazias ideia como é que os chips de imensas empresa são produzidos, sendo que não é nenhum segredo e ninguém é pago para ficar calado. Uma boa parte das empresas de componentes electrónicos não têm fábricas e não deixam de ter milhares de trabalhadores a desenvolver chips. O que dizes não passa dum conjunto de desculpas para esconder os teus próprios conceitos.

            “O que diferencia os iPhone e iPad não são os componentes, mas o software que os gere”
            essa é boa… enfim… preconceitos!

          • Nuno Moreira says:

            Eu expliquei, mas não pretende entender…
            Picasso faz um quadro. Eu compro o quadro.
            O quadro é de Picasso. Eu tenho a propriedade do quadro.
            Mais simples que isto, não consigo.
            Quanto à indústria, há um produto à venda à vários anos em supermercados, de uma marca portuguesa conhecida há décadas, que é de uma outra empresa, mas que está contratado que isso não será divulgado. Tanto é assim, que de quando em vez a empresa portuguesa é contatada pelos distribuidores de Portugal para uma proposta de produção de uma marca branca desse produto. Declinam sempre a proposta, nunca dizendo o verdadeiro motivo… Neste caso, tenho acesso às faturas e contratos correspondentes e as propostas mencionadas foram me informadas pelo Administrador da empresa.
            Este espaço deve ser de partilha de ideias e de esclarecimentos. Dei o meu melhor.
            Cumprimentos.

          • Tadeu says:

            como disse, só desculpas para esconder os preconceitos! Nem sequer reparas nas tuas contradições.
            O quadro é do Picasso porque ele é o criador, o artista. Ele não pinta o que tu desenhaste, é uma obra original.
            Os chips são das empresas que os criam, não de quem fabrica. Quem fabrica reproduz o “desenho” dos chips da empresa que contrata o serviço. Nem sequer há uma compra, é um contrato dum serviço. O próprio chip é propriedade intelectual exclusiva de quem desenhou.

            Vires para aqui misturar marcas brancas com fabrico de propriedade intelectual original é mais do que ridículo. Confundir as normas e história da indústria de componentes electrónicos com itens de supermercado é anedótico.

  13. upedreiru says:

    .. para o dia a dia e em qq lugar, sem espinhas o iPad ganha sempre.
    O surface é outra coisa , e outra coisa é mesmo outra coisa.

  14. Cortano says:

    No meio disto tudo fiquei sem saber qual o portátil Windows mais vendido!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.