Quantcast
PplWare Mobile

Europa diz que Apple Music e editoras não lesaram concorrência

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. Safrane says:

    Essa é boa!

    Eles precisam de obrigar as editoras a acabarem com o streaming gratuito?

    Então se a Apple ou Outras vendem a música de forma que lhes dá mais dinheiro, e os clientes acham que o preço é aceitável, porque é que eles haveriam de deixar a Spotify operar da forma que opera?

    A Apple promete converter o utilizador pirata em utilizador pagante em 3 meses, e paga ela por esses 3 meses.

    A Spotify quer fazer o mesmo, mas no fim, acabam por sacar na mesma torrentes, e ouvir um pouco de streaming com anúncios, que é mal pago…

    Interessa muito realmente, a Spotify para as editoras…

    • Kruskal says:

      No Spotify os utilizadores não pagam nada e as editoras ganham algum com a publicidade, na Apple os utilizadores teriam de pagar e por isso sacam a música da net, que até é mais prático e gratuito.

      • Baptista Batos says:

        Sacar da net mais prático que carregar num “+” e ficar logo com o album?

        • Kruskal says:

          Eu teria que criar uma conta, associar um cartão de crédito, que no meu caso significaria criar um cartão mbnet, associa-lo, fazer os logins e talvez mais alguma coisa… ou então vou à net e em meia dúzia de clicks tenho o álbum passado uns segundos, a escolha é óbvia. O período grátis serve para que as pessoas façam este trabalho prévio para que quando este terminar seja quase só preciso carregar no “+” (presumo que exijam algum tipo de autenticação na altura do pagamento), eu prefiro usufruir do “gratuito” para sempre, jamais pagaria 10 euros mensais pela comodidade de “só ter de carregar no +” ou de não ter de ouvir um anúncio de vez em quando nos (poucos) períodos em que ouço música. É claro que na realidade norte americana 10 euros têm outro valor e aí a história é diferente.

          • Baptista Batos says:

            Nem tens cartão de crédito… provavelmente menos de 18 anos.

            Achas que o Apple Music é para ti?

            Em Portugal são 6.99€

    • SSaraiva says:

      Realmente as pessoas nunca estão satisfeitas, é a pagar queixam-se logo é grátis e mesmo assim também se queixam.

      Se pagam mal é lá com as editoras e as empresas de stream, foram os acordos que fizeram. Estão preocupados com as editoras, não estejam eles têm quem se preocupe com eles. Ao menos as editoras ganham alguma coisa que de outra forma não ganhavam. Sacava um album todo da net e aí ninguém via um tostão.

      • Baptista Batos says:

        Não é bem assim.

        No Spotify com anúncios, o que as pessoas fazem é ouvir pouca música em stream com anúncios, e as músicas que gostam e repetem mais, sacam da net para o disco, e ouvem sem anúncios, mesmo na aplicação.

        Ou usam “killers” de anúncios.

        No Apple Music, e outros, como o Tidal e Rhapsody, não faz sentido piratear, 3 meses grátis para experimentar a ver se queres, depois ou pagas, ou vais-te embora.

        Logo, é só normal as editoras desliguem o Spotify, era o que eu faria se fosse editora. São amiguinhas do clientes, mas só à custa dos fornecedores…

        O YouTube já serve para “distribuir música gratuita on-demand com anúncios”.

      • JBM says:

        isso é tudo muito engraçado mas estás a esquecer que nem toda a gente que usa os serviços são pessoas que se limitavam a fazer pirataria sem pagar nada. São também pessoas que compravam ou pagavam por serviços, de tal forma que as editoras já vêem efeitos negativos nas fontes de rendimento.
        Os serviços gratuitos com publicidade pagam pouco e a pretensão das editoras era que incentivassem a maioria das pessoas a pagar por uma subscrição. Há por isso o risco das editoras reverem os acordos desses serviços para que haja mais pessoas a pagar.

        • Kruskal says:

          Quem antes preferia pagar em vez de recorrer à pirataria agora também o pode fazer em vez de levar com anúncios.

          • JBM says:

            claro que pode, mas muitos deixaram de fazer, daí as editoras estarem mais uma vez a ter quedas nos rendimentos, pois as vendas caíram em parte por causa do streaming, mas streaming não compensa a perda de receita.

  2. Kruskal says:

    “não foi possível provar”

  3. 1berto says:

    E quanto ao facto do Spotify não poder reencaminhar os utilizadores para o browser nos iPhones para efetuar subscrição, evitando desta maneira pagar à Apple, um concorrente direto? Alguma novidade sobre isto?

    A UE que não se esqueça de proteger um pouco as empresas Europeias!

  4. xuxu says:

    Hummmm com tanto serviço gratis e legal… Ninguém conhece o Tugaplay.com 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.