PplWare Mobile

Apple TV+ trará qualidade e não só quantidade, a alfinetada à Netflix


Fonte: The Sunday Times

Desenvolveu desde cedo o gosto pela escrita e comunicação. Em leis formado, tem como hobbies a aquariofilia e a música. Mas é na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e no Pplware a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.

Destaques PPLWARE

  1. Filipe says:

    Quantidade não é sinónimo de qualidade. Por isso, até ver se é mesmo bom, não vale de muito a gabarolice por parte da apple (pois, como de costume, a qualidade “fica na gaveta”: o que interessa é o preço exorbitante por uma coisa medíocre que na esmagadora maioria dos casos só serve “para mostrar que se tem”; mas os fanáticos nunca o irão admitir).

  2. Fulano says:

    Mais um producto overpriced que não vai trazer nada de novo e em comparação com outros serviços será inferior… como sempre.

  3. SE says:

    Ui, que “alfinetada”… Os responsáveis da Netflix já nem devem de ter conseguido dormir descansados…

  4. V.T. says:

    Mais um flop… mas com muita estilo… de pacóvio!!! LOL…

  5. Aníbal says:

    Estamos a falar de filmes e séries… O que é que ele quer dizer com isto mesmo?

  6. Ze says:

    Os comentaristas de fim de semana são os primeiros a dizer que não se pode afirmar que será um sucesso pois é “preciso ver para crer”, mas afirmam já a pés juntos que será um flop.

  7. Joao says:

    Parece-me a mim que estão a criar o pretexto para justificar um catálogo reduzido praticando preços altos.
    Esta questão da qualidade é absurda neste contexto porque é altamente subjectivo. E a qualidade não está relacionada com o preço/custos de produção..

    • Mateus Pinto says:

      Eu tenho netflix e a maioria dos conteúdos são tecnicamente fantásticos mas a qualidade dos filmes e séries muito fraquinhos. Basta ver que a maioria dos filmes produzidos pela netflix vão de 4.5 a 5.5 (Em 10). A oferta é imensa mas falta… qualidade. O netflix tem uma imagem e som fantásticos, nada a apontar, mas o filme ou série em si nada de especial.

      Se este serviço da Apple tiver boa imagem e som e apesar de menos quantidade mas melhor qualidade artística, então terá sucesso

      • Joao says:

        Discordo completamente. Claro que tens muita “porcaria” na Netflix não só por uma questão de dimensão (se tens muita coisa não pode ser tudo bom) mas também para agradarem a gregos e a troianos. Mas também há conteudos de qualidade e não me refiro especialmente às produções proprias…em matéria de documentários então tens muita coisa boa.
        Por outro lado, essa questão da qualdiade artística é completamente subjectiva.
        Acho que a Apple com esta postura de “vamos ter pouca coisa mas o que vamos ter vai ser o melhor” não conseguirá vingar neste mercado que já não está propriamente em fase de seed e que tem concorrentes de peso já existentes e que estão para chegar. Acho muito dificil conseguirem competir em tal cenário..

  8. Cortano says:

    Se as outras plataformas não tivessem qualidade, percebia-se a ideia da Apple. O problema é que as outras plataformas têm muita qualidade em algumas séries, com actores e realizadores famosos, com grandes scripts e grande produção.
    Quando foi o evento e todas aquelas “estrelas” desfilaram em palco, alguém disse: “A Apple este ano gastou mais dinheiro a contratar estrelas do que investiu em inovação”.

    Hoje em dia com a Apple é ver para querer.

  9. Jose Bernardes says:

    O marketing tem destas coisas, eles estão a tentar baixar as expectativas para se poderem defender depois, se as coisas não correrem bem. É óbvio que a Apple não entra para perder, mas vai ter de pedalar MUITO para fazer valer a pena ter o serviço. Creio que é mais um caso de WInner Takes it All, ou seja, só há lugar para um grande player no mercado. Nos EUA talvez não seja bem assim, mas em Portugal e em muitos outros países do mundo será… Quem tem dinheiro… e sobretudo TEMPO para usufruir de serviço de TV linear + canais de cinema + canais de desporto + DUAS plataformas de streaming? (partindo do princípio que Netflix vale o que custa). Vai ser difícil e a única esperança deles é o mercado americano, que é gigante e no qual o poder de compra é igualmente “gigante”.

  10. Dc says:

    Apple a parte, Netflix até há uns tempos era sinómimo de séries de qualidade, agora cada vez que vejo o simbolo da Netflix no poster a minha vontade de ver diminui consideralvemente já quando é da HBO a historia é outra, qualidade e não quantidade.

    • JP says:

      Concordo!
      A HBO peca pela assistência e pelos app´s, ou ausência deles, como é o caso da XBOX.

    • Crow- says:

      a HBO tem de facto conteúdos interessantes, mas enquanto serviço o Netflix a meu ver, e para já, dá 10-0.
      Desde a UI, funcionalidades, qualidade de imagem, etc.
      Tem sido desolador acompanhar o Game of Thrones com uma qualidade de imagem tão má, se sabia tinha antes assistido no ScyFy HD.

  11. censo says:

    É mais um nicho de mercado a explorar justificando assim desde o arranque o preço que possivelmente será superior à concorrência. A questão é : quem define o que é qualidade ?? A qualidade é um conceito que tem 90% de subjectivo e 10% de objectivo, portanto isto vale o que vale.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.