Apple Park – Drone mostra que ainda há muito a fazer


Destaques PPLWARE

63 Respostas

  1. Glitchmaker says:

    -What do you need ,besides a Miracle?
    -Trees, lots of trees

  2. Bruno says:

    Os edifícios não são totalmente autónomos em termos energéticos, haverá alturas em que terá que usar energia “gerada” no “California Flats Solar Project”, onde a Apple investiu na construção.

    • Vítor M. says:

      Possivelmente, mas em que alturas serão essas?

      • Bruno says:

        Nas alturas que a Apple menciona nos seus relatórios (ex: Environmental Responsibility Report de 2017), em que fala sobre a nova sede.

        • Vítor M. says:

          Certo certo, mas em que alturas é que irá necessitar? E em que quantidade?

          • Bruno says:

            Estás a duvidar de que a Apple diz? Basta ires ao relatório indicado!
            “It’s powered by 100 percent renewable energy, 75 percent of which is generated onsite by a 17-megawatt rooftop solar installation and 4 megawatts of baseload biogas fuel cells. Any additional energy required is drawn from the California Flats Solar Project in nearby Monterey County”
            Ou seja, não é totalmente autónomo!

          • Vítor M. says:

            Não, não estou a duvidar, apenas a energia que poderão necessitar é de infraestruturas da própria Apple ou com investimento Apple. A autonomia é em relação a fontes externas à gestão Apple, até porque como diz no texto “Os painéis solares instalados no telhado do campus podem gerar 16 megawatts de potência, suficiente para fornecer 75% durante o pico diurno. Os outros 4 megawatts serão gerados no local recorrendo a células de combustível Bloom Energy Server, que são alimentadas por biocombustível ou por gás natural.” Ora quando os painéis não conseguem recolher a energia suficiente, são estruturas de apoio que o farão, estruturas com gestão da Apple, entenda-se. Por isso é que esta estrutura é autónoma, em termos energéticos.

          • Bruno says:

            A “California Flats Solar Project” não é gerida pela Apple, a Apple é que investiu antecipadamente no constructor da central para ter direito a parte da produção de energia para cobrir o consumo de edifícios em diferentes locais do país!
            De qualquer das formas a tua ideia de ter autonomia não faz sentido pois o fornecimento é pela rede eléctrica do fornecedor, não tem uma ligação eléctrica directa e exclusiva ao projecto solar no exterior. Se está ligado e recebe da rede, não é autónomo!

          • Vítor M. says:

            Assim sendo, o gás natural que chega aos queimadores, vem de camião ou pela rede do fornecedor… raios, também já não é autónomo. É obvio que o que a Apple tem é uma autonomia eléctrica da sua estrutura alimentada quer pelos painéis solares dentro do Apple Park, quer pelo fornecimento de energia que a própria é proprietária.

          • Bruno says:

            @ Vítor M., Será que ainda não entendeste que a Apple não é proprietária do outro projecto (o que tem é um contracto de longo prazo a bons preços), nem que a energia que chega às instalações será forçosamente aquela que foi produzida na outra central solar? Em segundo lugar, a questão levantada era sobre os edifícios serem totalmente autónomos, o que é significativamente diferente da Apple ter segurança de contractos de fornecimento de electricidade. Edifício autónomo tem uma definição que não é a que estás a querer dar.

          • Vítor M. says:

            “… nem que a energia que chega às instalações será forçosamente aquela que foi produzida na outra central solar?” Aaa tu sabes isso com certeza. Não não sabes, estás a inventar. Não fazes ideia do que a Apple necessitará, nem os consumos nem os proveitos de uma estrutura onde a Apple investiu para ser autónoma energicamente.

          • Bruno says:

            @ Vitor, sim Vitor, sei, primeiro porque a Apple já disse em mais do que uma ocasião como é que a coisa funciona em termos de distribuição de energia, segundo porque quem tem um mínimo de conhecimentos percebe que as redes eléctricas de distribuição junto ao cliente final, não são feitas para ter energia separada consoante a central eléctrica – há mais do que uma central a fornecer uma área daquele tamanho e as redes estão interligadas com muitas fontes! Tal ainda mais evidente fica quando a central solar onde a Apple investiu está a mais de 200km de distância.
            O artigo fala em EDIFÍCIOS serem totalmente autónomos… característica dos edifícios.

          • Vítor M. says:

            Como referi, o edifício (o conjunto de edifícios do Apple Park) serão energeticamente autónomos. Esteja onde estiver a central externa, o que a Apple produz chega ou chegará para abastecer o seu Campus novo.

          • Bruno says:

            Um edifício autónomo é definido por não estar ligado à rede eléctrica, não percebes?
            Já te disse que a central não é da Apple, a Apple compra energia à central a preços mais favoráveis!
            Também já te expliquei que a energia que os edifícios recebem não vem forçosamente daquela central. Pensa um pouco sobre como a distância afecta uma rede eléctrica!

          • Vítor M. says:

            Forçosamente? Não estás a perceber. O investimento que a Apple fez é para ter o Apple Park autónomo em termos de fornecedores externos. Aqui não é forçosamente, aqui é a produção onde a Apple tem investimento terá o peso necessário para o consumo ser autónomo. Por isso é que a Apple além da energia eléctrica tem outras fontes de energia renováveis. São totalmente autónomos no que toca ao consumo de energia. Não há energia a não ser, como diz no texto, energia renovável. É a Apple que o diz, são 100% energias renováveis e são totalmente autónomos face a esse consumo.

          • Bruno says:

            E tu a dar! Edifícios autónomos não têm nada a ver com ter contractos que asseguram energia dum fornecedor. A Apple continua dependente dum fornecedor externo, com uma ligação à rede eléctrica, sendo que a energia que entra pode vir doutras centrais – não tem como ser doutra forma, a rede é alimentada por outras centrais.

            Dizer que a empresa usa energia 100% renovável não implica ser autónomo (a Apple nunca disse que era autónomo), nem que a energia exacta que entra nos edifícios é 100% renovável. O investimento que a Apple fez junto do fornecedor serviu para assegurar que havia um real aumento global de produção de energia renovável na Califórnia e pudesse ter créditos de energia renovável que cobrissem o consumo da Apple em vários locais diferentes. É com isso que diz que usa energia 100% renovável – tem os créditos e contribuiu para aumentar a produção dessa energia.
            Para que entendas duma vez, deixo-te uma entrevista com a responsável da Apple pela área em que ela explica, numa parte da entrevista, o princípio por detrás:
            https://daringfireball.net/thetalkshow/188/transcript

          • Vítor M. says:

            Isso do não implica és tu que estás a dizer. O que é referido é que eles são autónomos me termos de energias renováveis.

            “The site will be powered entirely from renewable energy, and will be one of the most energy efficient buildings in the world. The solar panels installed on the roof of the campus can generate 17 megawatts of power, sufficient to power 75% during peak daytime. The other 4 megawatts will be generated onsite using Bloom Energy Server fuel cells, which are powered by biofuel or natural gas. The air will flow freely between the inside and outside of the building, providing natural ventilation and obviating the need for HVAC systems during nine months of the year.”

            Além disto, como referiste, a Apple tem ainda investimentos noutros parques solares, além do que está a criar no Apple Park. Como referi e como está referido, o Apple Park é autónomo em relação ao consumo de energia 100% renovável.

            au·tó·no·mo
            adjectivo
            1. Que tem autonomia.
            2. Independente, livre.

          • Bruno says:

            @ Vitor.
            “edifícios serão, em termos energéticos, totalmente autónomos.”
            Edifícios autónomos – definição – não estão ligados à rede!
            https://en.wikipedia.org/wiki/Autonomous_building
            A Apple não diz em lado algum que os edifícios são autónomos, e dizer que usa energia 100% renovável não implica autonomia (mais uma vez o edifício está ligado à rede eléctrica).

            É incompreensível como escreves o significado de autónomo e não entendas que se está depende de outro para culmatar as necessidades não pode ser independente.
            Vai ler o link que dei, para ficares a saber o que é que a Lisa Jackson diz sobre energia, e como ao usar a rede não se tem a garantia donde vem os “electrões” que chegam!

          • Vítor M. says:

            Diz que são 100% dependentes de energias renováveis, portanto, autónomos a 100% de energias renováveis.

            Vou ver se arranjo outro dicionário….

          • Bruno says:

            lol
            “100% dependentes de energias renováveis, portanto, autónomos a 100% de energias renováveis”
            tanta vontade em escrever palha que já nem sabes o que dizes:
            “autónomo” = “independente” (segundo a tua própria definição), logo,
            o que dizes é que:
            “100% dependentes de” Y => “autónomos a 100% de” Y = “”independentes” a 100% de” Y
            um absurdo em termos de lógica a vários níveis! Sendo Y – “energias renováveis”

            E já cansa repetir que a frase é: “Os edifícios serão, em termos energéticos, totalmente autónomos.”

          • Vítor M. says:

            Já não sabes o que dizer mais e dizes asneiras. Sempre estivemos a falar das energias renováveis e agora vens com essa treta. Se não sabes mais oq ue dizer de proveitoso… não digas disparates. 😉

          • Bruno says:

            Tendo em conta que desde o primeiro comentário a questão era “Os edifícios não são totalmente autónomos em termos energéticos”, etc… treta e asneira está desse lado.

          • Vítor M. says:

            Tu é que não percebeste e distorceste as coisas. Até porque o artigo fala em energia 100% renovável e é isso que está lá referido. Mas como não percebeste… começaste a inventar 😉

          • wishmaster says:

            Não é autónomo porque irá buscar energia à rede, quando o seu sistema não fornecer energia suficiente.

          • Vítor M. says:

            Energia renovável. 100% autónomo.

          • Bruno says:

            Eu é que distorço? Desde o início que digo e explico que os edifícios não são autónomos… e tu quantas desculpas diferentes é que já deste para teimares em dizer que o edifício é autónomo (coisa que a Apple não diz)? Primeiro desculpavas que era autonomia em relação a fontes externas à Apple (demonstradamente falso)… no fim já é porque usa 100% energia renovável…

          • Vítor M. says:

            Estás errado, e eu estou a explicar-te desde o primeiro comentário. A Apple refere que os edifícios são 100% autónomos em termos do consumo de energias renováveis. Mas tu teimas em dizer que não. A frase é esclarecedora, fala-se em energia renovável e a Apple refere isso, mas tu teimas em dizer que não são…

          • wishmaster says:

            Não. “Totalmente” ou “100% autónomo” não poderá ter qualquer ligação com a rede eléctrica, seja ela qual for, ou outra rede de fornecimento de energia, proveniente de terceiros.

            Autónomo pressupõe ausência de dependência, ou seja, não pode existir qualquer apoio seja do que for. No que respeita a edifícios e energia, não é considerado totalmente autónomo o edifício que tem conexão a uma rede, embora o mesmo edifício consiga sustentar-se a si próprio em termos energéticos.

            Só para reforçar o que estou a dizer:
            https://folgoso.wordpress.com/2015/03/17/o-primeiro-predio-de-habitacoes-sem-qualquer-conexao-com-a-energia-externa-sera-na-suica-e-sua-construcao-e-transmitida-em-webcam/

            Transportando, por exemplo e para tentar fazer uma analogia, para os carros autónomos, a Tesla não refere, que eu saiba – e isto é só um exemplo – que o seu veículo seja totalmente autónomo, pois, de facto, não o é. O veículo pressupõe assistência do condutor, embora se calhar nunca precise dela.

          • Vítor M. says:

            Isso entras noutra esfera, então tudo é questionável, o autónomo não existe, o seguro não existe, o cheio não existe… tudo é relativo… passamos então para a E=mc2 a tal equação da física moderna utilizada como parte da Teoria ou Princípio da Relatividade, desenvolvida por Albert Einstein. Agarrando no veículo da TESLA, então a empresa tem assim nos documentos apresentados às devidas autoridades: “Tesla conducts testing in simulation, in laboratories, on test tracks, and on public roads in various location around the world. The testing covered in this report represents the autonomous vehicle testing performed only on California public roads for reporting year 2016.”

            Kind Regards,

            Tesla Motors Inc.

          • Bruno says:

            @ Vitor, e tu a dar-lhe!
            1- em lado algum a Apple diz que os edifícios são autónomos em termos de energia

            2- já te disse que ser autónomo significa não estar ligado à rede, significa não depender de outras fontes exteriores. É a convenção.

            3- usar energia renovável não significa ser autónomo. Os edifícios não produzem energia renovável suficiente para serem autónomos no seu consumo.

            4- já te expliquei que os edifícios não têm garantia de que a energia efectiva que recebem é toda renovável, podem receber de centrais alimentadas a combustíveis fósseis. A própria responsável da Apple admite isso, que a afirmação sobre ser 100% renovável é via incentivo ao aumento de produção de energia renovável com compra de energia e créditos. De modo a tua “teoria” nem tem pés para andar, sem precisar de perder mais tempo a discutir a má semântica das tuas frases.

            5- se a frase fosse “esclarecedora” não terias arranjado outra explicação no início, que qualquer um pode ler. Deixa de atirar areia para os olhos

          • Vítor M. says:

            Tu não chegas lá, não vale a pena. Diz sim senhor que os edifícios são 100% abastecidos com energia renovável e logo, são autônomos no que toca á dia dependência de outras fontes de energia. E o assunto para mim já deu, não posso estar a dar-te informações vezes sem conta quando tu não entendes. Não vale a pena, não consegues perceber.

          • Bruno says:

            Outra vez: usar 100% de energia renovável não significa autonomia. Tu próprio já defendentes que a autonomia era sobre fontes externas à Apple, mas agora já é por outra coisa…
            E outra vez: aqueles edifícios não têm garantia de que a energia exacta que entra é 100% renovável, já te expliquei que a rede de distribuição não separa energia que chega ao consumidor consoante a centrais que produzem, é uma mistura de fontes. Ou seja o edifício continua dependente de fontes não renováveis pois sem elas a rede que abastece a região não teria capacidade suficiente e ía abaixo. O consumidor é que pode pagar a um fornecedor específico para cobrir determinado tipo de fonte, ficando com um crédito de energia renovável, mas isso é contabilidade abstracta, não o que sucede na rede de distribuição. Da mesma forma que se tu em Portugal mudares de contracto de fornecedor continuas a receber energia das mesmas centrais eléctricas que o teu vizinho, que não mudou para o teu novo fornecedor.

            Já que tens dificuldade em ir ler as referências que te dão, em que os responsáveis da Apple explicam isto, tens aqui uma parte do texto, havendo outros excertos e outras referências a reforçar esta ideia:
            “When people ask me, “Well, that means you’re not always using the exact clean energy electrons that you generate,” because we have solar panels on top of Apple Park, solar farms at our data centers, we have wind power that we purchase here in California, we even have micro-hydro projects in Oregon. We don’t always have that [direct] connection; it has to go through the grid, and the grid plays an important role.
            But it’s like an ATM: We make sure we’re putting enough clean energy — new clean energy — in to cover what we have to take out. And although that’s not the absolute optimum, to us it feels like if every company did that, we’d have a lot more clean energy on the grid, and demanded on the grid, and that would displace brown power.”

          • Vítor M. says:

            Agora já dizes que não têm garantias, mas eles falam em energias 100% renováveis, e têm os edifícios projectados para serem autónomos no consumo dessa energia. Quem diz que tem energia 100% renovável é a própria Apple, por isso, tal como referi, são eles que tomaram o rumo de tornar o seu consumo autónomo de qualquer outro tipo de energia. E mais, eles próprios dizem “We make sure we’re putting enough clean energy — new clean energy — in to cover what we have to take out”… não percebo o teu problema em ler. Seguramente que estás em contradição.

          • Bruno says:

            Agora? Já te digo há vários comentários que a energia que recebe não é forçosamente aquela. Já te digo há vários comentários que a energia que se recebe da rede não tem como distinguir entre fontes. Já te digo há vários comentários que a responsável da Apple explica que o 100% renovável não significa que a energia que “entra” nos edifícios é exclusivamente renovável (clean), e dei referências para ires ler. 100% de energia renovável é uma afirmação simplificada, a explicação completa vem da responsável da Apple. Mas não leste as referências antes e parece que agora, para não variar, fazes-te de desentendido!

            “e têm os edifícios projectados para serem autónomos no consumo dessa energia”
            Onde é que eles dizem que têm os edifícios projectados para serem autónomos no consumo dessa energia? E um edifício é projectado da mesma forma quer a energia que vem da rede exterior seja renovável ou não (a energia renovável não tem nenhuma aura especial para se captar e usar só energia renovável fornecida à rede), e este edifício está dependente de energia do exterior, logo não é autónomo!

            Não pegues em pequenos excertos para te fazeres de desentendido e distorcer o que é dito, ignorando que diz que nem sempre é possível ter uma ligação directa a energia renovável tendo que usar a rede (como neste caso), e que a rede tem fontes não renováveis (brown power), o que significa que nem sempre se está exactamente a usar energia renovável – ““Well, that means you’re not always using the exact clean energy electrons that you generate””
            “But it’s like an ATM: We make sure we’re putting enough clean energy — new clean energy — in to cover what we have to take out. And although that’s not the absolute optimum, to us it feels like if every company did that, we’d have a lot more clean energy on the grid, and demanded on the grid, and that would displace brown power.”
            Não tem qualquer contradição, tal como já expliquei “dezenas” de vezes, o que é dito é que eles contribuem para aumentar a produção de energia renovável para a rede (compram energia renovável, etc), e isso serve para que cobrir contabilisticamente o consumo a partir da rede. Mas a rede não fornece energia exclusivamente renovável e a responsável admite isso dizendo que não alcançam a situação ideal, mas que com as suas acções conseguem reduzir o peso da energia não renovável na rede (brown power). Se a rede continua dependente de energia não renovável e a Apple continua a depender da rede, então a Apple continua a depender de energia não renovável (depende de todos os tipos de produção de energia na rede). Logo não podes dizer que o seu consumo é “autónomo” de qualquer outro tipo de energia” – sem os outros tipos a rede falhava e haveria falhas de energia nas instalações!

          • Vítor M. says:

            Resumindo que já meteste os pés pelas mãos ” 100% de energia renovável é uma afirmação simplificada” então autónomo encaixa como uma expressão simplificada que deixas de estar sempre a dizer a mesma trapalhada. Enfim, a cada comentário mais te enterras. Agora 100% para ti deve ser uns 99, 7… 99,8… mais coisa menos coisa. Deixa-te de conversa fiada.

          • wishmaster says:

            Tenho que postar aqui o parecer de um engenheiro para acabar com a contenda…lol

          • Vítor M. says:

            Nada disso, vamos lá ver pessoalmente, eu acho que assim é que era de valor 🙂

          • Bruno says:

            @ Vitor, lá continua com a “desconversa”! A afirmação de “100%” não é uma simplificação na percentagem é uma simplificação (da Apple) daquilo que os 100% representam na metodologia que a Apple está a usar, isto é, os 100% na realidade é um valor contabilístico (já por diversas vezes disse isto). Cerca de 25% da energia do Apple Park virá da rede exterior, e na Califórnia cerca de 70-75% da energia gerada anualmente para a rede não é renovável.

            ” serão, em termos energéticos, totalmente autónomos”, se agora para ti é uma expressão simplificada estás basicamente a admitir que não é totalmente autónomo – ou é ou não é, não há meios termos para totalmente. O facto é que não é, por mais desculpas que tentes arranjar.

          • Vítor M. says:

            Simplificando, tal como andas de volta da mesa, as energias são renováveis a 100%, eles são autónomos energeticamente como referi, estamos a falar de energias renováveis. Não inventes mais, já andas pelos 70%, daqui a nada estás a dizer que a Apple não sabe o que diz. Mas está lá, 100% de energias renováveis. Ponto. (qualquer dúvida, vai ler de novo o que está no relatório, faz isso, quando acabar uma, começa outra).

        • Bruno says:

          Bastam conhecimentos sobre redes eléctricas para perceber que se se depende da rede então depende-se de todas as fontes que alimentam a rede na região.

  3. Idk says:

    Sou o único a achar que o filme “The Circle” tirou ideias da Apple incluindo o edifício? xD

    (Não tenho nenhum produto da Apple foi só uma curiosidade.)

  4. RUI says:

    Quando ficar pronto será um excelente centro de produtividade.

  5. sakura says:

    Impressionante, Grande obra da apple, tinham qua gastar o $$ dos fans,
    em algum sitio e gostava de conhecer a TEk do edifício, Lab, etc, mas isso
    mesmo a pagar entrada a apple acho que não o vai permitir.
    User Linux/Gnu, Windows 10.

  6. Helder says:

    Deve ser espetacular é quando andarem de bicicleta pelo meio…

  7. correia says:

    lá terão de usar os monitores coreanos.

  8. golf says:

    É preciso que os iFans invistam mais umas massas para acabar a coisa, que eu estou curioso para ver como vai ficar. O último grande legado de Steve Jobs, e porventura a última grande coisa (de jeito) da Apple.

  9. Gustavo Dezen says:

    Um ótimo lugar para que muito mais inovações venham à luz!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.