PplWare Mobile

Apple: Quanto vão custar os novos modelos do iPhone (2018)


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

38 Respostas

  1. Vitor says:

    Nem me passa uma compra dessas pela cabeça…pertenço ao grupo (residual certamente) que ainda espera algo de “brilhante” da parte da Microsoft no segmento de smartphones! O “velhinho” Lumia continua a funcionar sem problemas para já…

    • bom senso says:

      por parte da Microsoft no que toca a smartphones, podes esquecer, a propria criou e matou esse segmento por razões mais que discutidas um pouco todo lado…

    • MArco Silva says:

      Como eu o entendo. Não tive um telefone tão versátil e estável como o meu 640XL. Integrado com toda a plataforma da Microsoft é algo simplesmente fantástico. Espero ansiosamente que a Microsoft lançe algo para substituição dos velhos equipamentos.

    • Hugo Gomes says:

      Ui entao podes ja pedir ao coveiro para te tiras as medidas. Tenho um lumia mas perdi as esperanças em alguns segmentos da Microsoft. Eles prometem e dao rebuçados depois tiram tos e dizem te acabou mas depois dizem que num futuro voltarão a ter mas mais tarde dizem que esse futuro nunca vira. Na parte do segmento movel a Microsoft perdeu a sua credibilidade. Muitos compraram lumias e ficaram agarrados, porque todos iam levar o windows 10, ate estavam a fazer uma versão para os utilizadores que so tinham os 512 mb de ram, na qual foram abandonados. Alguns ainda compraram modelos recentes qis no fim so alguns modelos é que foram actualizados para o windows 10. Tambem ficaram agarrados. Microsoft para mim é so windows s.o para pc e x box esse mercado sim da.

    • José says:

      + 1. Tenho os três sistemas. Mas não consigo encontrar tanta versatilidade e facilidade de uso como no Windows Phone. Os detractores podem falar o que quiserem mas quem o tem e usa outros sistemas sabe que assim é. Tão fácil e rápido como o IOS, e tem a capacidade de adaptação e personalização do Android. Que pena as empresas terem sido tão obtusas apontando apenas em dois sistemas. Ficamos muito mais pobres sem este sistema. É muito estúpido estarmos reduzidos a dois sistemas nos smartphones, não faz sentido algum em pleno século XXI.

  2. Ricardo says:

    Apple paga 500 milhões a virntex por infrigimento no uso de patentes. Já todo mundo sabe desde ontem. Mas não interessa aqui. Vamos lá proteger a imagem da mais que tudo Apple. Do meu iPhone 7 Plus.

  3. Carlos Reis says:

    Gostava mas o meu 5s ainda vai andando

  4. ilda says:

    Comprar telemóveis a mais de 400€ é burrice e roubo.
    Mas se o pessoal gosta, força… continuem a sustentar chulos.

  5. Joao says:

    Continuam a subir preços?? Será que algum dia chegaremos a um ponto de rotura? Se não, daqui a 10 anos quanto custará um flagship?

  6. José Fernandes says:

    Acho que o meu 8 vai durar uns aninhos. Cada vez fazem os telefones maiores…

  7. Djoje says:

    “O estudo revela ainda que, este ano, 70% dos compradores estará disposto a investir mais de 700 dólares por um iPhone. De referir que nos anos anteriores a percentagem rondava os 40%.”

    Está tudo dito!

  8. Já tive um iPhone says:

    O máximo de valor que dei por um telemóvel/smartphone foi por um Mi6 128Gb ceramic, 450€. Acho que o valor máximo de um flagship não deveria passar os 600€~700€ (claro que há a inflação). Mover para valor muito acima disto é ridículo e só prova o consumismo a que nos sujeitamos hoje, ainda mais por as diferenças acima de 500€ serem minúsculas.

  9. Vitor Correia says:

    Estou a ler este artigo no meu Mi A1 que custou 168€ e custa me acreditar que um mobile valha 5 vezes mais, para o uso que o comum dos mortais faz.

  10. Hugo Gomes says:

    Tudo chega a um ponto que depois vem por ai abaixo se quiserem sobreviver. Outras optam por entrar no mercado mais fechado, o mercado de luxo onde so alguns o podem ter. Depende dos objectivos que a Apple tera para o futuro.

  11. José says:

    Há algo que me deixou furibundo com a Apple o facto de o telefone I-Phone 6 de 64 gb da minha mulher ter ficado como um tijolo, dentro da garantia, por ter detectado humidade! Ora, com estes dias que temos tido, humidade é coisa que não falta! A reparação dizem que não existe. Pretendem substituir por outro “recondicionado” por 329€! Só vejo nisto má fé. Ela como muitas mulheres venera o raio do telefone. Gastou um balúrdio e agora não usufrui dele. Nem sabia que havia esta limitação tão premente nestes telefones: ficar inoperacional por causa de umas possíveis gotas ou vapor de água? O que eu entendo é ver nisto um excelente negócio. O telefone dela fica referenciado, trocam outro e mais 329€, que nem sequer é verdadeiramente novo, para ficar depois com dela, que já lhes valeu perto de 700€, para por sua vez o vender ou trocar pelo de outro pacóvio! As empresas já não têm vergonha! Sobretudo esta. O meu, se o usava pouco, agora até tenho medo de sair com ele, enquanto o meu Lumia continua sendo de combate (e a construção destes telemóveis nem era nada de especial, note-se), continuará a ser o meu telefone do dia-a-dia. A minha mulher prefere ver se ainda tem hipóteses de ressuscitar este apesar de eu já lhe ter dito que a Apple é famosa por impedir reparações fora da sua alçada. Já coloca a hipótese de comprar outro, mas custa, ao ver este ainda na garantia e a brilhar como novo. As marcas nunca contam a história toda. sei que o mesmo problema existe com outras o que torna muito difícil a decisão para optar por um novo modelo, seja lá pelo valor que for. Estou cada vez convicto que há muita vigarice neste meio encontraram uma forma de fazer as pessoas largarem dinheiro para nada, para ficar com aquilo que já tinham antes ou pouco mais. Desde as “garantias limitadas” às obsolescência programada é uma perfeita burla que fazem aos clientes.

  12. Hefesto,o Grande says:

    “Já a versão “low cost” do iPhone irá rondar os 700 a 750 dólares.”—«Como ?? Mesmo a versão mais barata do novo iPhone que a Apple poderá lançar este ano irá custa este valor,que em euros pelo câmbio andará à volta dos 600 euros(fora as taxas inerentes+IVA) ?? Viva o luxo,novamente aí está um smartphone da Apple que rondará os 700 a 750 euros no preço,que “novidade” !! É como eu disse,nunca mais os iPhones irão descer de certo ponto.Olhem,quem não os compra sei eu bem !! 🙂

  13. El Pibe says:

    Isto é muito fácil!!! Tenho iPhone desde o 3, e o único modelo que não comprei foi o 7, de resto tive todos. Quem usa iPhone depressa se habitua no manuseamento do mesmo, e pelo que sei existe mais pessoas que mudam de qualquer marca para iPhone do que o inverso. Eu sou um defensor que a qualidade seja em que for, paga-se, agora se me perguntarem se os equipamentos da Apple são caros, eu digo que sim mas não os deixo de comprar porque revejo qualidade nos produtos. Agora uma pergunta: Será que se a Samsung baixasse os preços a Apple também o não faria? Isto é uma guerra comercial porque um faz e outro imita e estamos nisto. Podíamos também referir que quem é que paga 700€ por um LG?? Pouca gente porque a marca não tem “histórico” de preços altos mas também muita gente desconhece que é a LG que fabrica ou pelo menos fabricava os écrans da Apple e da Samsung. Isto não passa de guerras comerciais. Para terminarem, por favor, não me lixem a dizer que a Xiaomi, a Huawei seja melhor que o Apple ou Samsung. Neste momento vejo a Huawei como uma grande potência que ameaça o mercado dos telemóveis, nada mais…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.