Quantcast
PplWare Mobile

Apple poderá abandonar os processadores Intel já em 2020

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. IKAROS says:

    Se há empresa que pode fazer isto é a Apple.
    São os únicos que conheço que fizeram a transição de Motorola para Intel com 100% de sucesso com poucas complicações para os utilizadores.

    • Daniel says:

      Erm… essa transição foi uma completa não transição e sim um corte completo com a arquitectura que usavam até então… e todo o trabalho foi feito tanto pela comunidade como pela Intel, ora vejamos:

      – O MacOS X o trabalho de polir e empurrar na direcção certa foi feito pela comunidade (projecto Darwin).

      – O trabalho de concepção da estratégia tecnológica foi da Intel (com pedidos de alteração pontuais da Apple mas em último caso irrelevantes e na verdade em parte deles a Apple acabou com processadores subpar por fazerem pedidos para modelos intermédios que não existiram a não ser para a Apple e mais não eram que a geração anterior mas com minor tweaks comparado com o que a Intel lançaria 6 meses depois, tudo porque a Apple não pretendia esperar – exemplo disso foi a 2ª geração de Macbook que praticamente “morreu” 6 meses após o lançamento, tornou-se completamente irrelevante ao ser lançado os Core2 – os Conroe no desktop e os Merom nos laptop).

      Neste caso tenho grandes reticências pois a Apple terá de licenciar a alguém. ARM podem ser muito bonitos de usar em mobile (ou mesmo em servidores ,em que basicamente usa-se vários cpu’s para alcançar o poder de processamento), e mesmo em desktops e laptops low end, mas o resto? A arquitectura não está pensada para isso (e ainda bem pois é a sua vantagem nos casos de uso em que realmente está pensada). Se for cross-license com a Intel, então prefiro quem faça isso de raiz (a própria Intel ou a AMD). Isso ou vai-se voltar ao ecosistema limitado da Apple pré-Intel, e é ver a Apple a ir ao fundo novamente.

      • Pedro Nunes says:

        Concordo plenamente com a tua opinião… vejo nisto um retrocesso às limitações dos PPC.
        Com a utilização de processadores Intel por parte da apple e o abandono dos processadores PPC da IBM, trouxe à apple imensas novas oportunidades e clientes…
        Eu não vejo isto com muitos bons olhos, eu tenho um MBP e uso o windows em VM porque existem várias aplicações que uso que simplesmente não existem para macOS…

      • Rui says:

        Também julgo que não será uma boa estratégia da Apple. Não tenho dúvidas nenhumas de que grande parte do sucesso actual da Apple deve-se ao facto de um mac correr sem qualquer problema o Windows 10. Quando a Apple mudar para uma arquitectura que ela controle (julgo que para subir a cadeia de valor acrescentado e as margens), vai perder 2 armas poderosas que tem neste momento: correr windows 10 e MS Office!

        • Douglas Ferreira says:

          Acho que o Office não será problema. A MS já disponibiliza as versões para iOS e Android. O que vai acontecer é que vão incluir nessas versões todos os recursos constantes nas versões regulares para macOS. Isso também é importante para a Microsoft, que já demostrou estar disposta a ter presença em Android, iOS e macOS… e acredito que futuramente em Linux, dada a inclusão das máquinas virtuais no Windows.

          A Adobe fez o caminho inverso quando a Apple mudou para x86. Antes desenvolviam em x86 para Windows e PowerPC para Mac, depois passaram a desenvolver em x86 para Mac.

        • Marco says:

          Em 205/2006 não havia windows 10, foi ai que tudo começou. Se a Apple aparecer com uma solução tipo Roseta, como o fez na altura, grande parte do problema dela estará resolvido, o Office não apareceu com os CPU Intel. Se a Apple vier a apresentar como tem sido noticia de uma unificação das API de desenvolvimento iOS / MAC OS, só ficará a ganhar, sim fazer o mesmo que a MS fez, só que no caso da MS a MS não tinha uma grande user base no mobile que fizesse com que os empresas apostassem em grande no desenvolvimento de aplicações UWP, já a Apple….

      • Baruck says:

        Cada um acredita naquilo quer quer, mas a esmagadora maioria dos utilizadores de macOS gosta das ferramentas disponibilizadas pelo sistema, pela sua facilidade utilização, pelo desempenho da interface e muitas outras coisas que não devem absolutamente nada ao Darwin. O Mac OS X utiliza o darwin, como poderia utilizar o freeBSD, linux ou outra coisa qualquer. O que faz o macOS apetecível é a camada ‘vísivel’ do interface. Na parte que me toca são ambos. Trabalho como webdesigner e developer e dá-me imenso jeito muito do que está por baixo… Mas a grande maioria dos utilizadores nem sonha nem lhe interessa nada disso.
        A Intel fez bem o seu trabalho comercial e de desenvolvimento, mas a transição da Apple para a Intel só foi feita porque a Apple já tinha um roadmap do que a Intel iria desenvolver nos 5 anos seguintes e porque tinha garantias que o roadmap era exequível. E se corresse mal poderia também utilizar processadores AMD em alguns modelos, teriam apenas de ter eventualmente dois kernels do sistema…
        E ter a Apple como cliente fez a Intel trabalhar mais certinho… Estas coisas não se fazem sem contratos trilionários por trás.
        Na empresa onde trabalho, desenvolvemos um software para uma pequena comissão da Comissão europeia, e para fazer este trabalho teve de ser feito um contrato com umas condições que implicam pagamentos de vários milhões de euros se fizer-mos alguma asneira… Além disso um seguro também ele milionário!
        No caso Apple/Intel… devem ser números que nem imaginamos a dimensão!

        • Daniel says:

          “mas a esmagadora maioria dos utilizadores de macOS gosta das ferramentas disponibilizadas pelo sistema, pela sua facilidade utilização, pelo desempenho da interface e muitas outras coisas que não devem absolutamente nada ao Darwin.”

          Não deves recordar o quão moribundo estava a Apple pré MacOS X e Intel… O MacOS X É o projecto Darwin… isso e a mudança para Intel salvou a Apple e fez com que voltasse a ser relevante na computacao pessoal e profissional. Isto não é opinião, é facto. Não confundas ambos.

          • Helder says:

            Ó fanfarrão, o MacOS X saiu em 2001 e a Apple só mudou para Intel em 2006.

          • Nuno says:

            Pré macos X e Intel significa antes da ocorrência de ambos, ou seja, antes de 2006. Estou a ver que lógica também não é o teu forte.

        • Cortano says:

          “Apple já tinha um roadmap do que a Intel iria desenvolver nos 5 anos seguintes e porque tinha garantias que o roadmap era exequível.”
          “E ter a Apple como cliente fez a Intel trabalhar mais certinho”

          Se a intel tivesse dependente das vendas da Apple no segmento pc/laptop, já tinha ido à falência.

          Além do mais, todas as máquinas saídas da apple com intel, já vinham com cpu desatualizado ou praticamente desatualizado.

          Isto tudo culpa da Apple.
          Essa conversa de que a apple manda no mundo todo… Não é bem assim… e que a intel treme… Nã…

          • Helder says:

            Calado eras poeta!

            A Apple sempre utilizou e utiliza processadores atualizados.

          • Nuno says:

            Como em 2010, a Apple lançou um modelo do MacBook Pro que vinha com o core 2 duo, mesmo quando esta família já tinha sido substituída à mais de um ano. E olha que este não é caso único. Existem também casos da Apple simplesmente não se importar com o lançamento de novas versões de processadores do seu fornecedor, Intel, para lançar novos modelos aquando este. Tal como foi o caso de em meados de 2015 a Apple lançou o MacBook Pro com a quarta geração do Core i7, quando estava previsto o lançamento da quinta geração do Core i7 no mês seguinte. E este tipo de casos também não é único.

          • Marco says:

            O CPU que saiu nos Macbook air já vinha desatualizado? Noticia para ti foi o primeiro portátil com aquele CPU.

        • Marco says:

          este pessoal esquece-se que um dos motivos que levou a transição para Intel foi a IBM não ter conseguido apresentar um CPU mobile, com power mas com baixo consumo, nisso a Intel, foi melhor soube apresentar CPU com algum poder de processamento mas com um consumo de bateria dentro do que a Apple esperava.

      • Jorge Carvalho says:

        Projecto Darwin foi feito pela comunidade ?
        Qual comunidade ?

        Abc

        Ps: o nome do actual é Marzipan

      • Helder says:

        Lá vem o mentiroso do costume.

        A Apple modificou o seu Xcode para se adaptar a x86.

        A Apple licenciou o Rosetta, um emulador PowerPC para Intel a uma empresa que usa uma patente da IBM.

        Não teve NADA a ver com a Intel.

  2. Amilcar Alho says:

    Lá se vão os Hackintosh’s…

  3. João Bastos says:

    – off topic
    O site do PPLWARE deixou de abrir correctamente no Safari Version 11.1 (13605.1.33.1.2). Apenas carrega o primeiro post.
    Quando se faz scrool para ver os seguintes o respectivo ‘Tab’ do Safari fica ‘bloqueado’.

  4. Belmiro says:

    É apenas um rumor e de longe uma certeza, ainda mais já em 2020. A Intel tem na 8a geração modernos ULV rapidíssimos e que consomem pouco, ainda mais com os modelos G (gráfica da AMD integrada no pacote) onde o SoC Intel dá cartas no CPU e GPU (ao nível duma Nvidia 1050 Ti) em pouco espaço e consumo.

    Um chip ARM da Apple funciona bem tem tablets ou até em modelos tipo Air/ Macbook 12″ , mas está muito longe ainda de atingir o que alcança um Intel ou AMD.

    Acredito sim que a Apple troque a Intel pela AMD e faça processadores à medida como os da PS4 ou Xbox.

  5. Carlos costa says:

    LOL adorava ver isso.

  6. jobz says:

    “… Apple representa cerca de 5% da receita anual da Intel”
    Isto é peanérs, como diz o outro, para a Intel….

  7. Helder says:

    Isso tudo!

    TUDO APPLE!

    Se a Apple fizer isso, vai ter os portáteis mais eficientes e mais potentes do mercado, em CPU e GPU, além de ficar muito mais barato e obrigar a concorrência a apertar o cinto!

    • Alucard says:

      Vai ficar muito mais barato para a Apple, talvez. Para o cliente final, os preços da Apple só vão numa direcção: Para cima.

      • Helder says:

        Dado que o primeiro Macintosh custava $2500 em 1984, o base, base, não é verdade.

        Dado que o primeiro iPad custava $500 e agora saiu um a $329, não é verdade.

        Dado que o primeiro iPhone custava $500 com contrato (que agora custa $199), não é verdade.

        Dado que o primeiro Apple Watch custava $349 o mais barato, estás errado.

        Estás pura e simplesmente errado.

        • E4d1i22 says:

          Ei, o iPad custava 500€ mas tinha o hardware de topo, o mesmo não acontece agora. Por isso não tem lógica essa comparação.

          • Helder says:

            “O hardware de topo” explica lá essa…

            É que o iPad barato actual é superior ao iPad antigo e o iPad Pro é muito mais superior.

          • Toni da Adega says:

            E existem rumores que o proximo iPad vai ser ainda superior

          • E4d1i22 says:

            O iPad na altura custava 500€ e tinha o hardware de topo da marca naquele ano(melhor CPU, maior RAM, melhor Ecrã), hoje o equivalente é o iPad Pro 10,5″ com o preço de 750€.

        • LG says:

          Sim, vamos agora todos fingir que “inflação” não existe…

          (…)

          Tens razão Helder… hoje é tudo mais barato e os preços continuam em queda… em 10 anos tudo será gratuíto a este ritmo…

  8. 1dood says:

    A porcaria da Intel uma empresa estagnada e aborrecida a viver à sombra da bananeira à anos! Está a precisar duma bela concorrência a ver se acorda! Incrementos de 5% gozam muito esses palermas! BASTA
    Carrega Apple rebenta com eles!

    • Rui says:

      Dizem até que a Intel nem sabe fazer processadores!!!!!!

      Agora os mac com processadores de telemóvel até vão voar!!!!!!!

      • Helder says:

        “Com processadores de telemóvel “…

        Se os processadores “de telemóvel” já rebentam com os Intel de “de computador” com ventoinhas, será lindo ver o que acontece quando lhes puserem ventoinhas e baterias maiores…

  9. AlexAlex says:

    Mesmo que até lá (supostamente 2020) a Apple não possua processadores ARM próprios para equipamentos mais “potentes” como o iMac Pro and o Mac Pro, isso não a impediria de manter todos os produtos em ARMv8 pois já hoje podem comprar processadores ARMv8 até mais potentes do que precisam da Cavium (Thundex2 por exemplo), que inclusive é o que a Netflix tem passado a utilizar para o OpenConnect.

    • Helder says:

      A Apple não precisa de comprar nada disso, a Apple faz o processador que for preciso.

      • AlexAlex says:

        Desenvolvimento de processadores não é algo que acontece só porque quer e tem recursos, não é mágica. Leva tempo…

        Se fosse mesmo como diz (e acredito pensa) a Apple não estaria (supostamente) planeando mudar a base para ARMv8 e sim para RISC-V (ou mesmo Cherri), que é o objetivo tanto da Apple quanto da Google, mas também do FB, Juniper etc.

        Todos esses vêm investindo *imensos* recursos para desenvolver processadores RISC-V, porém até agora, até onde é conhecido, nenhum deles conseguiu criar nada para além do suficiente para utilização em embedded systems.

        Dos processadores ARMv8 da Apple *que são conhecidos* até os ThundeX2 da Cavium exite um salto brutal de desempenho, sem falar na absurda diferença de design do próprio processador para isso (além de questões de estabilidade e durabilidade que só se conhece realmente com tempo de utilização).

        Os modelos ThunderX2 são optimizados para fins determinados (compute, streaming, networking, ou custom), pelo que para esses fins os Xeons, quando comparados, viram briquedinhos de criança. Atualmente, só mesmo os Power9 devem se equiparar.

  10. pedro says:

    a apple ainda tem que andar muito para chegar ao nivel dos processadores da intel e/ou AMD !!! vai ser uma estratégia fatal … porque os clientes estão mais informados e exigentes, não vai ser só por ter o logo da maça que é um sucesso garantido !!!! isso era dantes ….

    • Sujeito says:

      Dantes? Quando toda a gente torcia o nariz por ser uma máquina que só vagamente tinham ouvido falar e o mito era de que não tinha compatibilidade com a maioria das aplicações?

      Quanto muito, agora no presente é que mais pessoas podem estar a comprar Apple pelo hype.

      Mas, se calhar, é por estarem mais bem informados que hoje em dia mais pessoas compram Apple por se adequar melhor ao que pretendem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.