PplWare Mobile

Proxmox VE: Uma solução a sério para Virtualização


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

22 Respostas

  1. SF says:

    VirtualBox rules yet

    • Cláudio Barbeiro says:

      Falando em ambientes de servidor proxmox é algo genial, só o sistema de clustering fala por si.
      Relativamente em ambientes de clientes (workstations) sim o virtual box é de mais.

      • Fernando Jorge says:

        Gostava de saber… qual é efectivamente a diferença entre os dois?
        O VirtualBox conheço e uso… este Proxmox nunca ouvi falar (confesso a minha ignorância) :), mas pelo teu comentário, parece-me ser de um segmento diferente de utilização.

    • Fernando Rodrigues says:

      Que parvoíce comparar o Proxmox com o Vbox! Ambos fazem virtualizações, é um facto, mas com finalidades diferentes. É como comparasses um carro desportivo com um camião TIR para fazer transporte logísticos!

  2. ze says:

    Conheço bem o proxmox mas continuo a preferir ESXi gratuito. Só pena a limitação de memória e clustering.

  3. Faria says:

    @ze,
    a ESXi já não tem limitação de memória, apenas de vCPU para guests, que é de 8. Caso isto não seja um entrave, vmware é sempre a melhor opção.

    • Carlos M says:

      https://communities.vmware.com/thread/458412

      Citando, “That hard limit on memory was only till 5.1. Now you can go upto 4TB RAM on free ESXi from version 5.5”

    • Gabriel Martinez says:

      Experimenta fazer um cluster altamente disponível em cima do Esx gratuito. com proxmox podes integrar várias tecnologias Linux como DRBD p ex. Também podes costumizar todo o sistema operativo conforme queres e não ficares limitado ao que VMWare suporta. Atualmente tenho alguns clientes onde implemetei está solução e funciona perfeitamente e a custo zero.

  4. Cenerentola says:

    Que eu saiba o Virtual Box nao faz virtualizações de tipo 1 … está sempre em cima de um sistema operativo, logo o desempenho é mais fraco…
    Mas é como o Cláudio diz, workstation VBox ou VMplayer, Servidores o bom suporte do vSphere!
    Ainda não conhecia esta solução… sendo open-source tenho de experimentar!
    Têm-me falado muito bem dos containers, em termos de performance, escalabilidade e flexibilidade mas fica sempre dependente do kernel do host 🙁

    • djx says:

      Dependente do kernel do host? Como assim?

      • Cenerentola says:

        Não serei o melhor para te explicar isso pq não trabalho profissionalmente com containers, mas sei que ao abrires o gmail, o google docs etc… está a abrir um container.
        A primeira vez que ouvi a sério falar de containers foi a propósito do SLES12! Mas transcrevo-te um excerto de um artigo que o amigalhaço me mostrou:
        “…Like with any container technology, as far as the program is concerned, it has its own file system, storage, CPU, RAM, and so on. The key difference between containers and VMs is that while the hypervisor abstracts an entire device, containers just abstract the operating system kernel.
        This, in turn, means that one thing hypervisors can do that containers can’t is to use different operating systems or kernels. So, for example, you can use Microsoft Azure to run both instances of Windows Server 2012 and SUSE Linux Enterprise Server, at the same time. With Docker, all containers must use the same operating system and kernel…”

      • djx says:

        Eu trabalho com containers daí estar a perguntar quais os motivos de estares a dizer isso 😉

      • Alexandre says:

        Cada container depende to kernel do host. significa que, se um dos teus containers gerar um problema no kernel, todos os teus containers vão ficar afectados.
        Isto não se passa no caso do XEN ou VmWare, uma vez cada máquina virtual está isolada das restantes. A única excepção é problemas no xen ou vmware em si.

  5. Seemog says:

    Esta é cada vez uma solução mais válida, nomeadamente para Home Lab’s, dado que o ESXi free está cada vez menos gratuito. Depois para quem usa desktop linux, não tem cliente nativo (temos de usar o workstation, que tem funções limitadas ao ligar com o ESXi), dado que a nova interface web não é grátis.
    Experimentem o proxmox. Acho que vão gostar

  6. Pedro says:

    Tive de utilizar o proxmox num projecto de redes na universidade. Dada a limitação do hardware que tinhamos, das soluções que encontrei disponíveis, o proxmox foi a melhor solução a nível de baremetal (hypervisor).

    Experimentei também uma solução disponibilizada pela empresa ThinkDigital, o Virtualizer que corre através de uma PEN, por exemplo. Isto é, fazer o boot do servidor via PEN e orquestrar tudo pelo Virtualizer:
    http://www.virtualizer.pro/en-us/home

  7. Gerardo says:

    Já que se fala de virtualização por aqui, gostaria de perguntar aos colegas se alguém usa a solução Oracle? Parece-me bastante poderosa para o preço: free

    Já fiz alguns testes, mas infelizmente não tenho servers disponiveis para teste mais profundos, e testar um hypervisor em cima de outro hypervisor não funciona.

  8. angeiras says:

    como contornar a inibição “Could not read from CDROM (code 0004)” quando se tenta implementar uma VM com uma ISO de (por exemplo) o Windows XP

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.