Quantcast
PplWare Mobile

Tags: jornalistas

Afinal, Facebook paga para usar conteúdo jornalístico na Austrália

A Austrália aprovou recentemente uma lei que prevê que empresas como a Google ou o Facebook dividam os lucros obtidos através da partilha de conteúdo noticioso com os seus criadores. Pretende-se assim tentar combater a crise que o setor está a atravessar e valorizar o trabalho dos jornalistas.

Depois da Google ter fechado acordos com uma das maiores empresas do setor, a News Corp, a empresa do Facebook, simplesmente decidiu bloquear tudo o que eram conteúdos jornalísticos do país. Mas a história agora mudou.

Afinal, Facebook paga para usar conteúdo jornalístico na Austrália


Esmagadora maioria dá razão à Austrália sobre o Facebook

Recentemente os vários canais de informação divulgaram uma polémica que envolvia a Austrália e a rede social Facebook. De forma resumida, a nova lei australiana pretende que as empresas de difusão de notícias online partilhem os lucros com os jornalistas. Mas o Facebook não concordou ao início e até bloqueou a plataforma no país. No entanto agora já parece estar disponível para negociar.

Neste sentido, questionámos os leitores sobre este confronto e a esmagadora maioria dá razão à Austrália.


Disputa entre Austrália e Facebook: Afinal, quem tem razão?

Na semana passada começou uma disputa entre a Austrália e a popular rede social Facebook. No centro da questão está a nova lei australiana que pretende que as empresas de difusão de notícias online partilhem os lucros com os jornalistas. Mas o Facebook não concordou e bloqueou mesmo a plataforma no país. O bloqueio já foi, no entanto levantado, e a rede social de Zuckerberg terá mesmo que pagar os conteúdos jornalísticos.

Este é um assunto que divide opiniões e, por isso, queremos que nos diga quem considera que tem razão nesta disputa: a Austrália ou o Facebook?


Microsoft despede jornalistas para os substituir por Inteligência Artificial

O Homem continua a ser substituído pela máquina em muitas áreas. Trata-se, na verdade, de uma evolução natural que ocorre já desde a primeira Revolução Industrial no final do século XVIII e início do século XIX. Mas este continua a ser um tema que provoca contestações por causa dos empregos que são substituídos no curto prazo.

A substituição de jornalistas por sistemas de Inteligência Artificial não é um tema novo, só que agora chegou a uma das grandes empresas de tecnologia. A Microsoft está a despedir jornalistas para dar lugar à Inteligência Artificial para a seleção e edição de artigos nas plataformas Microsoft News e MSN.

Microsoft despede jornalistas para meter Inteligência Artificial a escrever notícias