Quantcast
PplWare Mobile

Tags: cães

Atenção às burlas: Há sites falsos para a venda de cães…

O mundo online oferece aos utilizadores um conjunto enorme de serviços. No entanto, como é normal, há também quem se aproveite para criar esquemas fraudulentos.

Além das campanhas de burla mais conhecidas, há agora o alerta para a existência de sites falsos que dizem vender cães (e outros animais de estimação)… mas trata-se de um esquema para roubar dinheiro aos compradores. De acordo com as informações, os anúncios falsos de venda de animais cresceram significativamente nesta era da COVID-19.

Atenção às burlas: Há sites falsos para a venda de cães...


Sabia que “existe um odor específico nas pessoas infetadas com COVID-19”?

O mundo procura em tudo o que é possível para descobrir uma forma de parar a pandemia. As razões são fáceis de se perceber. Atualmente, foram já infetadas cerca de 5,5 milhões de pessoas, o que já provocou mais de 340 mil mortes. Como não há “cura”, nem um tratamento eficaz, os testes para identificar as pessoas portadoras da doença é uma das formas de tentar conter o surto. E como se pode saber quem são as pessoas assintomáticas que estão infetadas com a COVID-19?

Há várias abordagens a caminho, mas agora sabe-se que existe um odor específico nas pessoas infetadas com COVID-19. Estão já a ser treinados cães para detetar o cheiro da doença!

Imagem cão a cheirar amostras de COVID-19


Insetos equipados com tecnologia podem substituir cães na deteção de explosivos

Os cães polícia têm sido usados desde a idade média para fazer cumprir a lei. Nesse sentido, são usados até aos dias de hoje para detetar variados produtos, entre eles droga e explosivos. O olfato canino é um dos melhores nesse sentido.

Apesar de os resultados serem muito positivos, capacitar um animal para cumprir esta tarefa é uma atividade dispendiosa que exige muito tempo e dedicação. Nesse sentido, há estudos que referem os insetos para realizar estas tarefas.

Imagem gafanhoto que deteta explosivos e pode substituir os cães


Estudo mostra que cães podem detetar com precisão cancro no sangue

A tecnologia já desenvolve sensores que permitem analisar diversos fatores outrora impossíveis de validar. Contudo, há sensores naturais que podem ter uma serventia incrível. Os cães têm recetores olfativos 10.000 vezes mais precisos que os humanos, tornando-os altamente sensíveis a odores que não sentimos. Agora, um novo estudo mostrou que os cães podem usar o seu olfato altamente evoluído para recolher amostras de sangue de pessoas com cancro.

Este novo método tem tudo para ser barato, acessível e eficaz.

Imagem beagle a detetar cancro em sangue de paciente


Micro sensores de gás poderão ser usados para localizar pessoas soterradas

O cheiro é uma identificação extremamente fidedigna aos narizes dos cães, por exemplo. O mundo da tecnologia tem agora a possibilidade de usar minúsculos sensores capazes de detetar pessoas pelo cheiro.

Uma utilidade incrível para esta tecnologia é a utilização destes sensores na procura de pessoas soterradas em acidentes, como terramotos, avalanches ou deslizamentos de terra.

Micro sensores de gás que imitam nariz dos cães