PplWare Mobile

O Presente e Futuro das linguagens de Programação Funcional


Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.
Artigo escrito por e.near para o Pplware

Destaques PPLWARE

  1. Nuno says:

    Sai esta noticia e eu aqui a estudar para o exame de programação funcional(haskell) é um tipo de linguagem bem diferente tem de se pensar de maneira completamente opostas as linguagens tradicionais e sinceramente nao lhe vejo grandes vantagens

    • Security says:

      Por isso que vais chumbar xD

    • João M. says:

      Haskell está lá para ensinar lógica e aprender a resolver problemas usando programação. Linguagens
      aprende-se qualquer uma usando apenas a internet, alguma pratica, uns Ctrl-c Ctrl-v e tá a andar. Agora, aprende a “pensar” com lógica e “ensinar” o computador a fazer o que nós fazemos sem pensar, já são outros quinhentos. Haskel está lá para isso. Depois tens C no ano seguinte para ajudar… Como me disse o professor de C, na universidade “quem aprende a programar bem em C, sabe programar em qualquer coisa depois..” ^_^

    • Xx says:

      Porque ainda estás verdinho, e achas que Java ou JavaScript ou PHP é que é bom.
      Se tiveres a sorte de ter disciplinas como compiladores, ou teoria da computação, lógica, métodos formais e verificação, programação segura, entre outras disciplinas, usando linguagens da família ML, como por exemplo, Haskell, Ocaml, standardML, vais passar a gostar bastante e vais ver muitas vantagens.
      Olha, queres um exemplo para o teu nível de conhecimento (já tiveste um semestre de Haskell)?
      Já que estás a estudar para o exame de programação funcional, presumo que já tenhas feito uma pequena DSL (domain specific language). Para teres um ponto de comparação, toma Haskell como o standard de comparação, depois pega nas linguagens que achas vantajosas, e implementa a mesma DSL nessas linguagens.
      Aposto que descobres logo qual é a mais vantajosa.
      Quanto ao artigo, tem algumas falhas, mas pronto, pelo menos tem de muito bom de pintar um quadro geral e apresentar o evento.

    • AJ says:

      Eu detestei OCaml…

  2. Tadashi says:

    Turing não inventou o lambda cálculo.

  3. Xuizy says:

    Turing não inventou o cálculo lambda, mas sim Alonzo Church.

  4. Pedro Coelho Silva says:

    Excelente artigo, do melhor escrito que já vi em media genéricos, parabéns! Explica bastante bem as vantagens e características deste paradigma. Como sempre tem prós e contras e depende do contexto pode ser melhor usar este ou outro.

  5. José klinger says:

    Muito legal essa matéria sohre linguagem de programação.
    É o mundo em costante evolução…

  6. Manuel Capita says:

    Legal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.