Gravit Designer – O Software de edição de imagem perfeito

Download Gravit Designer

Homepage: Gravit Designer


Destaques PPLWARE

37 Respostas

  1. Freitas says:

    Ia para instalar e acusou como vírus.

  2. Osório Rios says:

    Muito bom, para o que preciso até é melhor que o que uso o inkscape. Obrigado. Já cá canta.

  3. Maionese says:

    Boa tarde.

    Estou a pensar comprar um monitor pela Amazon será que o produto para na Alfândega?

    Se parar quanto terei de pagar para levar o produto para casa?

  4. Rui Pinto says:

    Isto tem por base o ‘electron’ ou é impressão minha? 😀

  5. Mario says:

    Obrigado pela dica. Gostei

  6. Tiago says:

    podiam fazer uma review ou deixar a opinião sobre o affinity designer ou o affinity photo? agradecia

  7. Redin says:

    Sempre me questionei e nunca obtive uma resposta satisfatória… Como é que raio se fazem milhares de app e programas deste calibre grátis a competir com ferramentas pagas e usadas no mundo empresarial e mesmo assim conseguem estas empresas progredir? De que é que vivem? Não me parece que a publicidade seja suficiente para conseguir captar a atenção de investidores.

    • Belmiro says:

      A maior parte das apps dão gratuitas para isso privado, pagas para isso profissional.

    • Joao says:

      Algumas dessas aplicações são feitas em parte time por programadores opensource
      que gostam do que fazem e partilham com o mundo gratuitamente.
      Não há interesses económicos envolvidos.
      Os interesses às vezes são: criar uma comunidade, aprender uma tecnologia nova
      (e para isso nada melhor que criar um produto, nem que inicialmente seja apenas para testes);
      desenvolver um software à medida que serve para resolver um problema que têm
      (e assim muitas vezes criam coisas com melhor qualidade do que os softwares ditos profissionais).

      Os softwares profissionais são desenvolidos por empresas que querem ganhar dinheiro
      explorando uma necessidade que existe no mercado. Contratam equipas de programadores e
      designers que muitas vezes nunca trabalharem na área a que o produto se destina.
      É 6ªfeira à tarde e o programador empresarial tem de acabar uma funcionalidade por causa
      de um deadline, mas está cansado e quer ir para casa, ver o futebol e beber umas cervejas.
      Faz um hack ao código, apenas o suficiente para passar nos unit testes e pronto.
      Além do mais ele detesta os standarts de escrita de código da empresa e o gestor
      do projeto é uma besta quadrada que não aceita sugestões de melhorias.
      O designer fez uns botões muito bonitos, mas não tem bem noção de como é que os utilizadores
      usam o programa.

      O programador opensource chegou a casa e está entusiasmado, tem umas idéias porreiras
      para implementar no seu projeto pessoal. Afinal ele também é utilizador do seu programa e sabe
      como quer que ele funcione. Algumas funções já funcionam bem, mas como geek que ele é,
      faz uns testes de performance e vê que ainda pode otimizar o programa para ser mais rápido.
      Faz uma melhoria que reduz uma execução de 3 segundos para 50 milisegundos. Yeahhh!!!
      Os menus podem ser melhorados para não ter que dar tantos clicks com o rato para chamar
      uma função que ele precisa. Há outros geeks online que descobrem o programa no github,
      entusiasmam-se com o projeto e começam a contribuir patches e bugfixes.

      Qual dos programas tem potencial para vir a ter melhor qualidade ?

      Pode fazer confusão a muita gente, mas da mesma forma que há muitas pessoas que gostam
      de ir ao café, ao futebol, etc, há outras que gostam de programar, desenvolver software é uma forma de arte.
      Lembro-me de uma entrevista de um programador do LibreOffice que já tinha investido
      centenas de horas pessoais no desenvolvimento do mesmo, sem qualquer remuneração, só por que sim.

    • paulo g. says:

      A maior parte dos programas que funcionam em linux, que tal como o S.O. são opensource e o financiamento pode ser feito de várias formas. Podem ser fundações como o FireFox ou LibreOffice em que as contribuições podem ser por dinheiro e muito trabalho voluntário ou até por interesse de empresas privadas em desenvolver um produto. Se por exemplo o estado português desse 1/10 do que paga pelo M$Office em licenças para o LibreOffice todos ganhávamos…

    • José Carlos da Silva says:

      O Figma é algo semelhante, mais indicado para UI design. Também começou grátis e agora que estabeleceram utilizadores, tornou-se pago. Não me admiro se o mesmo vier a acontecer com o Gravit.

  8. Filipe Covas says:

    Boa referencia do meu canal 😀
    Por sinal um excelente software!
    Abraço

  9. Nrsantos says:

    Desculpem, mas o gravit é tudo menos um programa de edição de imagem. Pelo título, estão a compar ao Photoshop e não é o caso.

    É de desenho vectorial, onde estão o o skectch, affinity designer, ilustrator, etc.

    Se quiserem tratar uma imagem, como remover o fundo oi fazer uma montagem este não é certamente a solução.

  10. Mário says:

    Instalei, já experimentei e fiquei fã.
    Nota máxima para esta dica! Obrigado.

  11. Jota says:

    “O Software de edição de imagem perfeito”. Instalei, tentei abrir um jpeg e deu logo erro! Quando diz “Edição de imagem” não devia abrir jpeg´s, tiff´s, bmp´s, etc?

  12. Cfpinto says:

    Para vectorial prefiro o Inkscape. Não sou ilustrador mas conheço alguns e eles dizem que nenhum opensource se bate com o ilustrador para ilustração. No entanto para icon e pequenos elementos gráficos já trabalhei com designers que preferem o Inkscape sobre o illustrator. A minha mulher e designer UX mas nos tempos livres gosta de mexer em imagem e aí Photoshop bate a concorrrencia

    • Sandro Doart says:

      Sou todo a favor do Inkscape e é o que uso mas olha, o Gravit Designer está potente… vale a pena instalar.

    • Porfirio says:

      Sou super fã do inkscape, e vou continuar a usar, principalmente quando quero svg’s optimizados para usar na web ou como componentes React, limpando todo o lixo necessario.

      Sempre que o designer me manda um SVG exportado do Illustrator, dou me sempre ao trabalho de o editar no inkscape, só para tentar ao maximo reduzir lixo, optimizar/unir caminhos etc
      Resultado, svg’s com metado do tamanho 😀

      Quanto ao Gravit, desconhecia. Experimentei no linux e gostei.
      Provavelmente irei usar nalguns designs pessoais que faço ás vezes, pois parece funcionar melhor para publishing, com multi page etc…

  13. paulo g. says:

    Já vi que funciona bem em Ubuntu o que é óptimo. Qual o tipo de licença?

  14. António Paulo says:

    Boas,
    Gostava de experimentar, segui as instruções de instalação mas ao fazer o duplo clic em vez de iniciar aparece-me outro ficheiro na mesma pasta e que têm uma extensão estranha (não recordo qual pois apaguei tudo). Tenho instalado a versão Linux Mint 18.1 Serena 32-bit com o ambiente gráfico MATE 1.16.1 e o Kernel Linux 4.4.0-53-generic i686. Alguém pode ajudar ?- Agradecido desde já.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.