WhatsApp: Informação dos utilizadores cai em servidores externos


Destaques PPLWARE

41 Respostas

  1. josé lopes says:

    Uso apenas o telegram e o skype….mas não sei se sofrem do mesmo problema…

    • arkan says:

      telegram ja abriu as pernas para russia, e outros paises tb 😐

    • Spoky says:

      O Skype não é encriptado! E sim sofre do mesmo problema, principalmente o Skype. Não sei como podes dizer uma coisa dessas, tens de ler mais e te informares mais acerca disto.

      O Skype não é seguro, pertence a Microsoft e não tem nenhuma encriptação nem privacidade, o teu IP é exposto e qualquer um pode ver nos Skype Resolvers.

      O Telegram, Signal são os melhores de momento para conversar com alguma privacidade, até agora são os únicos que oferecem uma tecnologia e uma encriptação adequada.

      Microsoft, Google esquecam os produtos deles, eles guardam logs e nem sei como em pleno 2017 ainda há quem acredite e não saiba isto! Enfim! Skype é a pior coisa que podes ter, a nível de privacidade.

      Até o Teamspeak é melhor que o Skype lol

      • anonimo says:

        E o que diria sobre o qTox?

        • Joao ptt says:

          O qTOX (segundo esta descrição: https://tox.chat/faq.html ) parece ser bastante bom em termos de cifrar as comunicações (não pode ser desligado) e tem o seu próprio sistema de identificador (não tem de partilhar e-mail, telefone, etc.)
          O seu IP é partilhado com os contactos na lista de autorizados, contudo não está disponível para os outros. Se quiser prevenir que os utilizadores na lista de autorizados possam ver o seu IP, tem de usar algo como o TOR ou alguma VPN.
          Dito isto, só falo na teoria, porque não experimentei para compreender se na prática recomendo ou não… quem quiser existem diversos clientes dependendo da plataforma: https://tox.chat/clients.html

      • Sul says:

        Spoky e o Wire, será recomendável? https://wire.com/
        Eles têm também chamadas de vídeo e de voz, pelo que dizem no site terá privacidade mas nada percebo acerca do assunto. Será seguro e privado?

        • Joao ptt says:

          O Wire, pelo que li da documentação deles, parece ser bastante mais seguro / confidencial, desde que confirme a chave pública do outro utilizador. Não é a coisa mais intuitiva do mundo, mas consegue-se.
          O que me preocupa é o facto de ser gratuito, apesar de me parecer ter lido que tem planos para introduzir futuramente planos pagos deixando eventualmente um plano básico com funcionalidades reduzidas grátis (sabe-se lá por quanto tempo)… ou é o cliente ou é o produto, em algumas empresas parece ser as duas coisas.
          Para já o Wire, se cumprirem o que escreveram parece ser uma boa plataforma para conversar e trocar mensagens.

  2. RUI says:

    É desta que deixo de usar o Whatsapp. Gosto do telegram, é pena os meus contatos nao o utilizarem muito.

    • Spoky says:

      É desta? Mas é preciso vir isto a publico para ser desta? Quem procura privacidade, segurança já devia imaginar que o Whatsapp não é a aplicação correta.

      Só ficaste com o Whatsapp porque quiseste, até parece que isto já não acontece a vários meses, isto e muito mais! (Não tens é como saber!)

      Signal é outra alternativa ao telegram

    • Joao ptt says:

      O único com segurança mais a sério em termos de confidencialidade e privacidade é o Threema (não precisam de e-mail, nem número de telefone… podem colocar mas é opcional para ajudar a encontrar o vosso nome de utilizador que é independente do e-mail/telefone), mas não faz chamadas, só dá para enviar mensagens de voz… o que é muito limitador… de resto é mais orientado para o segmento de utilizadores que gosta de trocar mensagens, imagens, vídeos e outros documentos de forma segura.
      Tem, por enquanto, um custo único de aquisição nas lojas dos sistemas operativos e supostamente eles tentam ter dinheiro a entrar a todo o momento através da disponibilização de interfaces externos (API’s) para o interior da rede, ou seja: tentam que as empresas e particulares paguem um determinado valor por mensagem enviada de fora da rede (exemplo: recuperação de senha de web sites, confirmação de operações online, etc.).

      Existe também o Wire, que dá para fazer chamadas, trocar mensagens, que eventualmente será a pagar todos os meses, mas para já é gratuito, e talvez venham a ter um plano gratuito com funcionalidades reduzidas quando introduzirem os pagamentos. Mas eles exigem ter no mínimo o e-mail, e tentam por todos os meios obter o número de telefone, pelo que a privacidade é no mínimo algo questionável… mas a confidencialidade das chamadas e mensagens parece ser boa, já que a encriptação e autenticação parece ser boa.

  3. Carlos Silva says:

    Mau…… Então mas se as msgs são supostamente encriptadas ponto-a-ponto, como kerem que a WhatsApp saiba que partilharam um link? Obviamente que tem de ser o cliente (qq um deles, a fazer isso)

    • K says:

      Esse é o contraponto que torna esta notícia sensacionalista. E foi demonstrado algures que os outros fazem o mesmo. Basta acrescentar uma opção (se é que não existe) que desactiva a pré-visualizacao do link e está a questão arrumada.

      • Vítor M. says:

        O Carlos não deve ter lido o artigo completo, se não não dizia o que disse, que não é exatamente a realidade. E por isso enganou-o caro K. Leia, não vá se deixe enganar, vejo o que lá está. Apenas isso, leia o que está escrito no artigo que nada tem de sensacionalista. Tem apenas factos, onde está o sensacionalismo nisso?

        “Ao contrário de outros serviços que usam servidores para fazer esse trabalho de validar um determinado URL de um site, o WhatsApp usa o próprio endereço do cliente para realizar o pedido. Esta não é certamente uma boa política, até porque, desta forma, passa a ser possível fazer o tracking do cliente.”

        Depois o “basta acrescentar a opção….” é muito vago, estamos a falar no que está agora, no presente sem qualquer subjectividade do “basta acrescentar”. Pode ser isso, sem lhe tirar qualquer razão ou mérito na injeção de solução, mas estamos a referir o que se passa. Veja o vídeo.

        Cump.

    • fartote says:

      se vires no vídeo acima, no exemplo do twitter, não é usado o endereço do cliente, mas um endereço associado ao twitter. pessoalmente acho que a pré-visualização de links deveria ser opcional, deveria ser possível escolher o que eu quero que saia da conversa ou não; não sendo, o mínimo é que o whatsapp use o seu serviço (e um endereço seu) para fazer pedidos e pré-visualizar os links

  4. rui says:

    isto porque a malta partilha links que não viu, ou seja não tinha ainda acedido ao site em questão… supostamente acabaram de o abrir pelo dispositivo ou então partilham em manada também não se importam com o acesso.
    A questão aqui era poder eventualmente haver uma filtragem de links maliciosos ou phishing com base na reputação e histórico do url se esse acesso fosse feito pelos servidores do whatsapp

  5. Lisbon lover says:

    Já nem uso o WhatsApp há muito tempo, mas ainda mantenho instalada a aplicação no caso de surgirem mensagens novas. Se estes problemas se agravarem meto um ponto final nisto.

    • Spoky says:

      «Se estes problemas se agravarem meto um ponto final nisto.»

      Aiii, o que me fazem rir!!! Até parece que o Whatsapp tem privacidade, não pensei que ainda havia tanta gente que acreditasse nisto! lool pelos vistos.

      • Joao ptt says:

        Durante anos nem cifravam as conversas, e ninguém parecia muito incomodado.
        Mesmo agora tem de se activar as notificações para saber se alguém mudar a sua chave privada que garante que veio daquela pessoa… logo a maior parte não utiliza essa funcionalidade e nem sequer é notificada da possibilidade de estar a ser interceptada… e mesmo que avisassem as pessoas iam fazer o que fazem sempre “ignorar” e seguir em frente. Se o sistema permitir que a pessoa falhe, a pessoa irá falhar, se não todas, a maior parte.

  6. JF says:

    Existe um aplicativo chamado Telegram, que mete o Whatsapp no bolso; mas o cómico no meio disto tudo, é o facto de os portugueses só começarem a usar o Whatsapp para comunicação agora, quando antes diziam mal do aplicativo, e que não tinha qualquer utilidade, olhando para o mesmo com desconfiança.

    É incrível como é que passando tanto tempo de este aplicativo já sere conhecido e utilizado lá fora, os portugueses, somente agora ficaram curiosos para o utilizar; foi preciso dar na novela e nos programas da manhã ou da noite para que esta parolada clerical usasse o aplicativo.

    No meio disto tudo, e com o Telegram a destruir a pouco e pouco o Whatsapp, esta gente diz que tem que utilizar o último porque todos os outros também têm, é aquilo a que se chama carneirada que nada questiona e tudo segue atrás do rebanho.

  7. Rui says:

    Quem me dera que os meus contactos comecassem a usar telegram… Desinstalava logo o whatsapp

  8. AlCiD says:

    O mais ridículo ainda é que o WhatsApp passa todos os contactos para a “mãe” FaceBook – sejam clientes do WhatsApp ou não… por isso ficam com informação de quem se conhece.

  9. Tus says:

    Quem sabe uma solução open source e livre ao skype e whatsapp —> https://wire.com/en/

    • Tus says:

      E tem versões, desktop e móveis, para android, windows, linux e mac.

    • anonimo says:

      Qual dos dois terá mais privacidade: o wire ou o qTox?

      • Joao ptt says:

        Sem dúvida o qTox.
        Não precisa de partilhar dados pessoais nenhuns com o serviço (nem e-mail, nem telefone) e o identificador de utilizador é próprio da rede.
        O seu endereço de IP só é partilhado com os utilizadores na sua lista, já que o conceito é cifragem de ponto-a-ponto… mas pode utilizar o TOR ou uma VPN se quiser proteger-se nesse aspecto, no Wire não sei, eles não dizem se é de ponto-a-ponto ou se passa pelos servidores deles. No Wire eles tentam obter o e-mail e o telefone, e no mínimo querem o e-mail.

        • Tus says:

          Dizem sim, está escrito em letras garrafais (abaixo da palavra “Secure”) “Full end-to-end encryption”. Salvo se o usuário guardar segredos de Estado, for fugitivo da justiça, de algum país ou órgão internacional, ou não souber sequer criar uma conta fictícia de email, não pedir email não tem muita relevância. Na verdade, utilizar uma conta de email permite sincronizar mais facilmente seus aplicativos wire em diversos dispositivos. Também não adianta usar um aplicativo very-ultra-mega-infinity-power protetor da privacidade se ninguém mais usar; será só vc e o dispositivo, tipo o Tom Hanks e o Wilson no filme Náufrago.

      • Tus says:

        Não acho q seja uma questão de quem “terá mais” privacidade, mas sim “quem garantirá” a privacidade dos usuários. Sendo os dois open source, é pouco provável q haja violação nesse sentido, a princípio.

        • Tus says:

          Competição de fãs, à parte, eu apostaria no Wire, não pq não goste do qTox, mas pq o Wire facilita a transição p quem vem do Whatsapp/Telegram por ser bem intuitivo (tanto para instalar quanto para usar) e ter um excelente visual. Isso é muito importante já q o fator determinante p qq aplicativo desse tipo é o número de usuários. Ah sim, o Wire tb tem uma versão Web q pode ser utilizada em qq navegador (chrome, firefox, …).

        • Tus says:

          E também o protocolo de criptografia do wire (proteus) é baseado no código do aplicativo Signal q, por sinal, é bem seguro.

  10. ervilhoid says:

    o Wickr usado na série Mr. Robot? alternativa válida?

    • Joao ptt says:

      O Wickr é um caso estranho, eles falam de cifragem sob cifragem, sob cifragem, mas a parte de autenticação népias… aquilo supostamente dá para autenticar mas você consegue que aquilo autentique sem sequer perceber como o fez (parece fazê-lo “mágicamente”/ automaticamente), e depois não tem como confirmar que está a falar com a pessoa autenticada correcta… pelo menos quando o testei o ano passado.
      Também divulgam muitos dados a qualquer um que supostamente seja da policia: https://www.wickr.com/legal-process-guidelines embora digam que as mensagens em si não. Diria que o Mr. Robot não deveria utilizar o Wicker mas si outro como o qTOX se precisassem de falar, se não até o Threema parece bom para mensagens e trocar mensagens de voz, e pelo menos visualmente é muito apelativo.

  11. Deep Web Surface says:

    Whatsapp o pior apps já criado.

  12. sakura says:

    Sim, é uma falha, mas se em vez do Whatsapp for o browser o site provavelmente fica com a mesma info.
    mas claro o Whatsapp supostamente devia ser “”Privado””…..e não deve ser só isso que é recolhido!!

  13. João says:

    Nada é privado ao utilizador que troca informações da web de forma gratuita. A empresa que oferece o serviço tem acesso a tudo. A forma como trata os dados é que pode ser ético ou não.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.