Quantcast
PplWare Mobile

Será que carregar um telemóvel no carro danifica a bateria?

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Jorge Pinto says:

    Um dos maiores perigos é quando se liga o carro com o telemóvel já ligado ao isqueiro. Há muitos carros que têm tendência a enviar um quantidade excessiva de energia nesse momento. Podem fazer o teste com um voltímetro e vão ver que tenho razão.

    • Pedro Pinto says:

      Exacto! Eu noto, no meu carro, que quando está ligado ao isqueiro o motor de arranque nem tem o mesmo comportamento.

      • Ruben says:

        Nos ultimos 5 anos troquei varias vezes de telemovel, sempre pelo mesmo motivo, quando começo a carregar muitas vezes o telemovel no carro, a bateria começa a perder capacidade até ficar viciada. A bateria do carro continua impecavel. Mesmo com um adaptador de isqueiro de 2.1A isto me acontece, embora não tão rapidamente…

      • Pedro Alexandre Costa Arantes says:

        O motor de arranque pede uma grande corrente da bateria num curto período de tempo. Logo qualquer consumo por pequeno que seja afeta. O meu clio de 99 desliga o rádio nesse momento. O kia de 2017 desliga apenas os médios.
        Perigo para os periféricos é Zero! O carro nao envia energia mas sim consome-a. Logo todos os periféricos irao sofrer por falta de energia! É um princípio básico da física!

        • Ja says:

          Caro pedro alexandre arantes, nitidamente não sabes do que falas. SIM – os carros podem danificar o circuito de alimentação do telemovel, provocando todo o tipo de problemas – desde falhas no carregamento da bateria assim como falhas do SOC; circuito do ecrã, etc…e nao é algo “raro”. Vai ver este vídeo e talvez aprendas um pouco: https://youtu.be/RZvJGCtanOI

      • Ricardo says:

        Está na hora de reveres esse teu motor de arranque… Ou estás a carregar um Nokia 1011 ??

    • Miguel Silva says:

      Os carros a dar ao motor de arranque consomem muita energia, o alternador (o regulador de tensão nesse momento preciso) envia a corrente máxima para “compensar”. Nos carros novos isso já não acontece ( meados do ano 2010 para cima ) pois o carro o regulador de tensão só ativa quando é mesmo necessário 🙂

      • Alfie says:

        No preciso momento do arranque de um motor quem fornece energia é a bateria e não o alternador.
        Enquanto o motor não estiver a trabalhar o alternador não consegue fornecer o mais pequeno watt de energia. Durante o processo de arranque são desligados os circuitos das luzes, auto-radio, isqueiro, etc., para que a bateria não seja sobrecarregada inutilmente.
        Só depois de o motor já estar a trabalhar e estabilizado é que o fornecimento de energia é retomado pelos vários circuitos.
        E quanto à tensão medida, por exemplo na tomada de isqueiro, ela é de 12 volt se o motor estiver parado e de cerca de 14 volt se o motor estiver a trabalhar e o alternador a carregar a bateria.
        E o resto, como dizia o programa, são cantigas. Ou de forma mais clara: mitos urbanos.

        • Charles says:

          +1 (concordo…)
          O resto é conversa de quem não faz ideia do que está a dizer!

        • Rui Ribeiro says:

          Plain and simple!
          Os restantes mitos carecem de qualquer lógica.
          Só um reparo: o facto de desligar alguns consumidores quando damos à chave no carro varia de carro para carro: alguns desligam tudo, outros algumas coisas, outros não desligam nada.

      • Pedro Alexandre Costa Arantes says:

        Miguel Silva para começar não tem a menor noção do que é um alternador!… Para terminar o comentário do alfie explica tudo de forma inequívoca!
        O alternador não é um regulador de tensão mas sim um gerador de tensão com uma saida regulada. Ao contrário dos dínamos cuja tensão depende da velocidade de rotação, o alternador é capaz de oferecer sempre a mesma tensao de saída com uma variação muito pequena, mantendo sempre os valores acima do exigido pelo circuito. P

    • Belmiro says:

      Jorge Pinto, qualquer carregador de isqueiro de qualidade média tem um pequeno chip que independente da tensão/potência (se for mais elevada) regula para ter a mesma saída, só se fosse algo brutal queimava o carregador (que nunca acontece, senão queimava rádio, etc). Agora se compras um carregador de isqueiro de baixa qualidade e estradas a bateria, isso não é culpa do carro.

      • jfma says:

        Este é o único comentário de jeito. Tanta asneira dita nos comentários anteriores.
        Cumprimentos.

      • José Cabral says:

        Vou falar por experiência própria, tenho um Corsa de 88 e como já tem muita kilometragem e eu próprio faço a maior parte da manutenção decidi ao acaso estava a pesquisar no Aliexpress e encontrei um voltímetro adaptado só para medir a tensão do isqueiro, pensei logo que era boa ideia porque daria a leitura com maior precisão visto ser digital e mesmo antes de ligar o carro poderia verificar existência de consumo durante a noite bastaria que a leitura estivesse abaixo dos 12 volt sendo este o seu estado normal, para quem percebe do assunto isto pode acontecer principalmente nos velhinhos. Ora vamos ao que interessa ao ligarmos o carro exige muito da bateria devido ao motor de arranque, nesse preciso momento o alternador ainda não começou a repor a energia necessária, após o arranque o normal é manter-se estável como foi dito antes à volta dos 14 volt isto estamos a falar de baterias em perfeito bom uso, então o que aconteceu com as minhas medições foi o seguinte antes de ligar 12volt no arranque houve umas pequenas oscilações sempre muito próximo dos 12volt e após arranque estabilizou nos 14 volt, fiz o mesmo em outro Toyota Corolla de 98 e as medições foram praticamente as mesmas por isso a norma será isto e fiquei muito satisfeito com os meus velhinhos, agora quanto a carregar telemóveis no carro nunca o fiz porque aí a historia é outra.

    • AJEIRAS says:

      Que eu saiba uma bateria apenas tem no MÁXIMO 13,2 vdc, nunca vai dar mais do que isso.
      A nível de corrente, apenas fornece o que lhe é exigida pois tudo tem haver com alei de OHM.
      Se não há carga não há corrente (amperes) e a tensão (volts) não se multiplica, a não ser que haja circuitos precisos para isso, fontes comutadas dos autoradios, por exemplo, que estão dentro dos autoradios e não a fornecer para o carro.
      Depois temos uma bateria de carro, que pelo menos 40 amperes hora consegue fornecer, digam-me como um telemóvel a carregar no máximo 2,1 ampere vai deixar o motor de arranque deixar de trabalhar.
      Para além do mais, se repararem, na maioria dos carros, quande se dá à chave para o motor arrancar, tudo o resto desliga, incluindo o autoradio.

      • jfma says:

        Perfeito comentário.
        Se os comentaristas souberem interpretar a lei que rege os circuitos elétricos não faziam comentários como alguns acima.(U=RI)
        Cumprimentos

  2. Paulo says:

    Não concordo com isso, hoje em dia como foi dito e bem, os carros despõem de controladores de corrente elétrica sistemas inteligentes que para um maior binário do motor a bateria não esta a carregar enquanto o carro esta em faze de pedido de potencia, então como é que ele carrega a bateria para a compensar? ?? Existem duas formas uma delas é ao ralenti e a outra é em desaceleração, quanto ao arranque do motor a bateria de 12V que na realidade tem mais um pouco caso seja nova ou meio uso, no arranque o sistema vai canalizar a potencia (amperes) da bateria para o motor de arranque e a voltagem tem uma quebra normalmente para os 10V, portanto nunca pode ser um excesso de corrente.
    A corrente depois sim aumenta quando o motor já esta a trabalhar e pode ir ate aos 14,5V, resumindo o carregador USB convem ter um estabilizador de corrente, não aconselho um carregador do CHINÊS.

    Fação a experiencia , coloquem um multímetro nos bornos da bateria e de seguida ponham o carro a trabalhar para verem a descarga de voltagem da bateria, depois fação a mesma experiencia no isqueiro do carro, e vão ver que é diferente.

    • AJEIRAS says:

      Tanta asneira, até dá dó só de ler.
      PRIMEIRO APRENDE SFF A DIFERENÇA E O QUE É A TENSÃO(volts) E A CORRENTE (amperes), DEPOIS COMENTA SFF.
      “A corrente depois sim aumenta quando o motor já esta a trabalhar e pode ir ate aos 14,5V,”
      Fiquei sem saber qual é esta CORRENTE 14,5V, deve ser o tamanho do cabo.
      O resto nem comento.

      • Paulo says:

        AJEIRAS eu sei o que é a tenção e a potencia no que tu comentaste corrente, eu escrevi bem , se caso leste com atenção.
        Eu não disse que a tenção não aumenta quando o carro esta a trabalhar, que que eu disse é que a tenção da bateria tem uma quebra de tenção na fase de arranque e depois sim aumenta ao ralenti, e falei também que para um maior binário do motor essa tenção deixa de existir, sendo a bateria compensada ao ralenti ou em desaceleração, eu sei bem o que escrevi.
        Podes ter interpretado mal

      • José Cabral says:

        Faço minhas as sua palavras, já está tudo dito

  3. V.T. says:

    Só uma pergunta, porque é que nos vossos artigos aparecem quase sempre iPhones nas imagens? Há alguma razão especial? Obrigado.

  4. Helder Coelho says:

    Olhem que não…
    Só depende da qualidade do circuito electrónico dos carregadores de isqueiro.
    Especial incidência no LM7805, (o verdadeiro regulador de tensão e o mais usado), do condensador e da resistência associadas. Este é tipicamente o “filtro” que gere os picos de corrente e de tensão eléctricos que possam ocorrer no circuito eléctrico do próprio carro.
    A seguir o circuito do telemóvel ainda volta a filtrar , e á bateria só chega o que a montante não foi regulado.

    • AJEIRAS says:

      Pode ser o LM como o UA como outro qualquer , desde que seja regulador de tensão e seja o 7805 , serie positiva, se fosse negativa seria o 7905, mas este regulador já tem mais de 40 anos, agora há uns mais eficazes, e de 5 patas como ouço muitas vezes falarem, principalmente “muidos” estagiários, ainda há uns tempos tive um que me falou num transístor de 4 patas, apontando para uma ponte rectificadora, uma simples B500.
      É a escola e professores que temos.

  5. Nuno Oliveira says:

    A bateria no arranque sofre um pico já que imediatamente após o grande comsumo, entra o alternador em cena com mais de 14v…
    No entanto, pelo menos no meu carro, no isqueiro tenho sempre 12v estáveis independentemente de ter o carro desligado, ligado, ou mesmo mo momento do arranque…

    • imanonuser says:

      “No entanto, pelo menos no meu carro, no isqueiro tenho sempre 12v estáveis independentemente de ter o carro desligado, ligado, ou mesmo mo momento do arranque…”

      Vem assim de fábrica ou foste tu que fizeste algo?

      • Nuno Oliveira says:

        De fábrica claro… E é um Leon. E verifiquei agora que o Ibiza da mulher (de 2007) também têm a tensão regulada nas tomadas de isqueiro.
        Além disso, testei também as portas USB do meu e anda nos 5,02v independentemente de estar o carro desligado, ligado ou a ligar. A única diferença é que baixa para os 4,92v quando estou a puxar 2A para carregar o telemóvel…

  6. Jotaeme says:

    O meu carro em duas baterias. Uma situa-se no compartimento do motor e destina-se exclusivamente para fornecer corrente para o motor de arranque. A outra encontra-se por baixo da bagageira e a sua finalidade é alimentar tudo o resto. Alguém me sabe dizer alguma coisa sobre isto? Agradeço.

    • Luís M says:

      É para evitar ficares apeado.

      • Jotaeme says:

        Se essa resposta era para ter piada, não teve!! A pergunta foi feita com seriedade e educadamente e esperava uma resposta apenas em relação ao teme do artigo. Se não sabe, fique calado. Além disso não me conhece de lado nenhum para usar o tratamento por “tu”.

    • Nuno Moreira says:

      Presumo que o seu carro seja híbrido (por ter duas baterias como referiu).
      Os híbridos da Toyota não têm motor de arranque.

    • Pedro Alexandre Costa Arantes says:

      Jotaeme tens um carro com mala automática, bancos eletricos e mais uma parafernália infindável de sugadores de energia?? O Peugeot 607 nalgumas versões também tem 2 baterias. Normalmente uma fica reservada exclusivamente para o motor de arranque quando a tensão desce ao mínimo indispensável ela é desconectada do resto do circuito

  7. Carlos Rocha says:

    Não se deve confundir o carregamento na saída de corrente eléctrica para o isqueiro (volts), com o carregamento na saida/entrada de dados USB (byts), que os carros mais modernos possuem…..

  8. imanonuser says:

    Este assunto realmente é interessante.
    Devido ao meu trabalho, todos os dias uso o GPS, ou seja que consome imensa bateria, e sou obrigado a ligar a carro.

    O meu telefone antes (Tenho à 2 anos) dava bem com a bateria. Depois por vezes eu ligava ao carro (Por mim próprio nunca gostei, tenho essa teoria na minha cabeça e ninguém me tira.) ou seja, que a bateria começou a ficar “viciada”.

    Então começou assim:
    0% Total da bateria
    5% desligava-se
    15% desligava-se
    30% desligava-se
    45% desligava-se
    60% desligava-se

    Aqui comprei outra bateria e nunca liguei ao carro. Ou seja, bateria nova tudo bem, e continuava a desligar-se aos 60%?

    Então, fiz um resert por completo ao telefone, restaurando todo o sistema como de fabrica, fiz todos os updates, não meto nada de aplicações no telefone apenas whatsapp, facebook (eu sei que consome muito) GPS, e uma ou outra aplicação e nada mais.

    E continuou na mesma. Então e continua

    65% Desliga-se
    70% Desliga-se
    75% Desliga-se

    Ou seja, agora uso apenas 25% da bateria pq ele se desliga sempre ou quase sempre quando bate os 75% e outra coisa mais engraçada. Eu meto o telefone à carga e meto o alarme para 6h00, (100% da bateria) sem usar o telefone, ás 7h tenho 80%..

    Ainda fiz a calibragem de bateria, ou seja, quando chega aos 100%, desligo o telefone e torno a ligar, ele está com 60 ou 70. Então carrego de novo, e faço o mesmo processo. Nada resolveu!

    Até encontrar um GPS ando com este telefone que só dá dores de cabeça! Usando assim uma bateria externa para ajudar, mas o facto é que ele também consome a bateria externa com uma velocidade enorme!! ( fora de normal)

    O telefone é o Note4
    Um colega de trabalho tinha o HTC e era a mesma coisa, ele comprou agora um iPhone e já começa a mesma coisa. (Mas ele é viciado em jogos e por isso carrega sempre o telefone no carro)
    E um outro colega que tem um Sony, e ele falou-me do mesmo problema. Ele também usa o carro para carregar o telefone.

    Qual é a explicação?

    As empresas enviam updates para consumo de bateria? Assim gastamos dinheiro a comprar telefones?
    Os telefones tem alguma coisa que no espaço de x tempo ficam “doidos” da “cabeça”, de forma a levar-nos a comprar outro?

    Para mim é mesmo por ligar o telefone ao carro. E a lógica que eu li aqui num comentário, faz todo o sentido.. Se estou errado ou não, não sei..

    “Nuno Oliveira:
    A bateria no arranque sofre um pico já que imediatamente após o grande comsumo, entra o alternador em cena com mais de 14v…”

    • Cabeça perra says:

      “Qual é a explicação? ”
      A explicação é que o telemóvel ou bateria do telemóvel deu as ultimas, não?

      Não significa que a culpa foi do carregamento no carro, mas sim que, se levou uso intensivo a bateria entregou a alma ao criador mais cedo. Para quê criar teorias ridículas?
      As baterias e telemóveis avariam desde sempre.

      De qualquer maneira, já tens a cabeça feita e ninguém te tira a ideia, portanto leva lá a bicicleta para que não penses que o mundo está contra ti…

    • mavidoor says:


      Para mim é mesmo por ligar o telefone ao carro. E a lógica que eu li aqui num comentário, faz todo o sentido.. Se estou errado ou não, não sei..

      “Nuno Oliveira:
      A bateria no arranque sofre um pico já que imediatamente após o grande comsumo, entra o alternador em cena com mais de 14v…”

      Esqueça essa teoria . como ja foi dito e bem…quer o carregador de esqueiro quer o transformador que temos têm as tensoes controladas,alem disso o smartphone ou outro dispositivo qualquer que use baterias de litio tem o seu proprio circuito de gestão e protecção de carga.
      A electronica é uma ciencia exacta ,não é desporto nem politica
      O seu problema será outro que não o carregador de esqueiro,a não ser que este esteja danificado…
      Um dos principais inimigos de uma bateria de litio como ja muitos devem saber,é o aquecimento excessivo.O uso intensivo pode lever a esse mesmo aquecimento e reduzir o tempo de vida util da bateria…..no seu caso …. a bateria(nova) que colocou tem a certeza que esta em bom estado?

    • José Tavares says:

      A calibração da bateria não funciona dessa forma e na realidade não faz nada à bateria física. O que acontece é que (pelo menos em Android) há uma parte do sistema que vai monitorizando o estado da bateria e por vezes ele interpreta mal o nível 0 e 100%. É recomendado que se deixe fazer uma descarga completa (atenção porque deixar descarregar as baterias até 0 faz com que percam capacidade máxima de carga) a cada X ciclos (um ciclo corresponde a uma descarga completa quer seja de uma só vez ou em segmentos, por ex deixar chegar aos 90% e carregar até aos 100 dez vezes faz um ciclo). Isto para dizer que a calibração faz se deixando a bateria chegar ao 0 e carregando até 100. Há guias no XDA que explicam tudo direitinho (estou mobile), aconselho a informar-se sobre isso.

      Em relação ao resto, ao usar o tele como GPS, leitor de música, net ligada e carregador faz com que ele aqueça imenso. Temperaturas altas são sem dúvida alguma dos factores que mais contribuem para o desgaste. É natural que o uso constante do smartphone nestas condições faça com que a bateria não dure muito. Eu próprio já dei cabo de uma a jogar ingress em tardes super quentes no verão.

  9. Pedro Alexandre Costa Arantes says:

    Imanonuser fizeste calibragem da bateria? De todo o comentário estúpido que vi por aqui acima a dizer que o alternador da corrente muito alta no arranque a coisas que nem consigo lembrar mais, o teu comentário matou-me de riso! Calibração de bateria é um placebo, poderia eventualmente corrigir a informação de carga ( por exemplo quando desde dos 50 para os 1% em minutos e depois esta 2 dias com 1% … Bons velhos nokias!!) Mas jamais corrige tempo de utilização!

    Quanto aos idiotas que dizem que o carro da uma corrente muito alta ao ligar o motor deviam olhar para o que acontece com as luzes do vosso carro no momento so arranque… A corrente é tao forte que muitos carros ate desligam as luzes… Os mais antigos ve-se as luzes a ficarem fracas!…
    No entanto concordo con voces se tiverem um carro anterior a 1940 alimentado por um dínamo cuja TENSÃO é variável e directemente proporcional a rotação do motor… Ah esperem afinal nao concordo em nada porque nesse tempo nao se carregamvam telemóveis no carro!
    Depois de um pouquinho de sarcasmo com os comentários “sábios” vou directo ao texto com ainda mais sarcasmo!
    Quem não gostar na próxima faça melhor…
    Carregar o telemóvel com o motor desligado danifica a bateria do carro??? Simmmmmmm obviamente que se fores ao carro carregar o telemóvel e nunca o puseres a trabalhar, a bateria do carro por norma tem 60Ah e o telemóvel em.medis actualmente tem 3Ah, logo ao fim de 20 cargas a bateria do teu carro estará morta provavelmente…. Se usas o teu carro apenas para carregar o tele recomendo a comprar um carregador de tomada e ires ao café mais próximo de vez em quando!
    Quanto aos picos de corrente vindos do alternador, nao existem nos carros com alternador a menos que este esteja defeituoso! Nesse caso recomendo que nao carreguem o telemóvel e muito menos usem o isqueiro para acender o cigarro pois podem sofrer uma sobrecarga no cigarro!! Se existir picos de tensão existe um regulador de tensão no vosso carregador que reduz a tensao de 12 ou 14v para 5v! Normalmente estes reguladores podem aguentar entre 15 a 30v de entrada! E nunca passará nada alem de 5V para o vosso telemóvel!
    Como alguns referiram tudo se resume a lei de Ohm.
    Procurem conhecer os princípios da Electricidade antes de tirar conclusões precipitadas

  10. albino negro says:

    Sempre carreguei o iphone ligado ao isqueiro do carro. Dou imenso uso ao telemóvel.
    Tive um 5S durante 3 anos e nesse período fiz 1642 cargas completas de bateria (teste feito com software da apple).
    Nao contando as diversas (e imensas) vezes em que fica a carregar durante algum tempo mas sem carregar por completo.
    Nunca vi que isso tivesse afectado mais o desgaste da bateria do telemóvel que se tivesse feito as mesmas 1642 cargas no carregador de corrente.
    Claro que nao há milagres e nos últimos 3\4 meses que tive o telemóvel, quando o indicador de carga mostrava ainda ter uns 30\40% o telemóvel desligava-se.
    Quando à bateria do carro.. bom ai o caso muda de figura. Tive que chamar o reboque umas 3 ou 4 vezes para dar carga na bateria do carro porque se estivesse 1 hora com radio e com o carregador de telemóvel a ser usado a bateria do carro pifava.
    Ja tive outros iphones e apesar do modus operandi ser o mesmo a sensação que tenho é que a bateria se desgasta pelo imenso uso que lhe dou e nao pelo facto de estar a ser carregado no carro ou ligado à corrente.

  11. imanonuser says:

    De tudo o que li aqui, a melhor explicação é derivada ao aquecimento. De facto o telefone sempre fica muito quente, por vezes eu desligo o telefone por estar tão quente.

  12. kinzinho says:

    pois e os volts? tenho smartphone usb tipo c, carrega a 2 amperes mas e os volts? preciso de 9v 2A ou então 12v 1.5A para meter este menino a carregar, porque se são 5v o que acontece é que o smartphone continua a drenar energia da bateria porque os 5v não são suficientes… posso desligar o smartphone, mas mesmo assim demora pra caraças comparando com os 40 minutos que demoro a carregar os 3100MAH da bateria com os 9v 2A… e com o smartphone ligado! desligado são 30 minutos…
    tar a demorar 2h para carregar o smartphone a 5v 2A…

  13. Pedro almorin says:

    Os volts são definidos pela arquitetura o padrão do USB são 5V
    Caso tenhas um telemóvel com fast charge ou tecnologia semelhante que possa ir aos 9V necessitas de um carregador especifico para esse equipamento , caso contrário será sempre 5 volts(com 2.1A max).
    Abaixo tens a norma de correntes para USB
    U I P
    USB 1.0 5V 0.5A 2.5W
    USB 2.0 5V 0.5A 2.5W
    USB 3.0 5V 0.5A/0.9A 4.5W
    USB 3.1 (USB-C + USB-PD) 5V – 20V 0.5A/0.9A/1.5A/3A/5A 100W

    A notar que muitos fabricantes de telemóvel para USB2.0 põem 2A o que isto quer dizer é que os cabos oficiais irão carregar a esse corrente caso contrário poderá detetar como um cabo normal e carrega a 0.5 A

    Toda a maneira todos os equipamentos estão eletronicamente preparados para anormalidades no carregamento para protegem as baterias/ telemoveis

  14. Ze says:

    Os electricistas só escrevem…
    Para que falarem tanto se ninguém está a ouvir? Podem ser mais objectivos e terem um auditório maior!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.