Quantcast
PplWare Mobile

PhotoMath: Resolva equações matemáticas fotografando-as

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. Marco B. says:

    App muito interessante! ;D

  2. Fernando Rodrigues says:

    Porquê não há link para Android? Chiça!

  3. Eduardo says:

    Big Bang Theory 😀

  4. Ace Young says:

    WP antes de Android? WOOW.
    Fiquei embasbacado 😮

    You sir have my respect!!!

    Windows Phone FTW!!!

  5. Francisco says:

    O que resolve é um “apenas” provisório. Mas é engraçado!

    Quanto a associar a não estar disponível de imediato para Android, a uma decadência do sistema operativo é uma barrigada de gargalhadas.

  6. Deixa-me rir says:

    O android começa a ser deixado para segundo?? Deixa me rir o android está em 80% dos smartphones rapaz -.-

    • berto says:

      Android não é primeiro, nem segundo, nem terceiro, ou melhor, nenhum dos sistemas é. Depende tudo da estratégia da empresa.

      Se queres atingir as massas, sim, Android é o telemóvel a desenvolver, pois tal como Facebook ou WhatsApp são aplicações extremamente populares e usadas pela grande maioria. Se queres atingir um grupo de pessoas mais qualificadas, vais para iOS, pois o seu custo torna-o um produto para classe média e alta (atenção não estou a dizer que não há doutores com android, mas a verdade é que grande parte dos utilizadores de iOS são mesmo pessoas com vários níveis de educação, pois tiveram dinheiro para isso, ao contrário de utilizadores Android, que na maior parte vende smartphones low-end, pois são adquiridos por muita gente sem interesse em tecnologia e outras que só querem é o Facebook e mandar mensagens). Se queres entrar num mercado que já está saturado, então Windows Phone é uma boa solução para lançar aplicações pois conseguem ter maior relevância em menos tempo, devido ao terem poucas alternativas (aplicações concorrentes).

      • Opetion says:

        what? !
        Vais me dizer que dinheiro = qualificações?! o.O
        Engraçado eu pensava que grande parte da clientela de iOs era pelo cool effect de ter um dispositivo caro.
        Pensava que Android por ser open source tinha uma comunidade muito maior de programadores e de “hackers”.

        Se fores jogar pelo iOs dá mais dinheiro porque as pessoas que gastam 600€ por um telemovel tem mais tendencia a gastar dinheiro em aplicações nessa parte so te posso dar razão. Android tem muito mais low cost devices que trazem numero mas não trazem compras no mercado e tambem as pessoas em Android não estao dispostas a pagar por aplicações quando provavelmente vão aparecer muito mais alternativas gratis.

        • Berto says:

          Tal como disse, não quero dizer que não há doutores a utilizar Android, mas o que é certo, grande parte do mercado do Android são smartphones low-end, que não são utilizados pelos doutores que querem andar a espalhar conhecimento. São utilizados pelos jovens que se focam nas redes sociais e adultos sem conhecimentos tecnológicos (compram o mais barato da loja).

          Já o iOS está mais presente na classe média alta, em que por norma têm bons cargos e educação para tal (não venham falar da corrupção em portugal se faz favor, que em nada tem haver com o mercado da Apple), em que até muitas empresas no estrangeiro oferecem equipamentos da Apple aos funcionários.
          Isto muito por culpa do Android não ter um ecossistema. Tens telemóveis e tablets, mas não tens produtividade além disso, ao contrário do que é possível encontrar nos produtos da Apple e até Microsoft, as escolhas das multi-nacionais!

          Dou-te o exemplo da aplicação do Quora, um serviço de perguntas e respostas, que se distancia do Yahoo Answers pela qualidade das mesmas. A aplicação iOS foi a prioridade, de forma a chegar rapidamente às pessoas mais capazes de desenvolver as respostas, economistas, advogados, etc. e não apenas engenheiros tecnológicos, que estes sim acredito estarem em maior parte no Android.

          Atenção que eu não quero desrespeitar o Android, nem nenhum sistema, mas é evidente, que existem vários nichos de mercado diferentes para cada sistema, e se formos a comparar os sistemas utilizados nos escritórios das multi-nacionais em todo o mundo, o Android não ia ter 80% do mercado, nem nada parecido.

  7. Rui C says:

    Agora é que vai ser só boas notas nos exames e testes em matemática. 🙂

  8. AA says:

    Nao funciona com raizes quadradas 🙁

  9. João Terra says:

    Agora que sai da escola e deixei matematica por fazer é que elaboram uma APP boa.
    Era de pensar voltar e fazer matematica e copiar com essa aplicação 😀

  10. nephrops says:

    Apesar de ser só apontar e fotografar, que já temos o resultado. Nada substitui o Mathlab, que continua uma referência na área do cálculo matemático.

    • Isabel Couto says:

      Não substituiu de todo o Matlab nem o Mathematica. Está acho que ainda tem de voltar para a escola primaria. 2+2 ela reconhece 1+2…. Mas a ideia é excelente.

  11. David Ferreira says:

    o dono da app não deve gostar mesmo nada do android 😛

  12. Francisco Castro says:

    No meio disto tudo, o meu comentário é que não foi aceite! O conceito de (pseudo-)moderação é curioso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.