Quantcast
PplWare Mobile

O Lollipop está finalmente a crescer no ecossistema Android

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. Manuel Martins says:

    Vamos la falar mal do Android com notícias repetidas que toda a gente já sabe

  2. pedro says:

    tenho varios dispositivos androids, smartphone tablet. um deles sendo o google nexus 7. acontece que aquando a actualizacao do android do 4.4 para o 5.0 o dispositivo ficou super lento, impossivel de manusear com facilidade aconteceu o mesmo com outros smartphones, tendo mesmo de recorrer a um downgrade do nexus. mesmo o samsung s6 que ja tem a versao 5.0 de origem instalada acho que para as caracteristicas que tem a nivel de ram cpu deveria ter um desempenho melhor. por isso digo sera a actualizacao do android positiva??? ajuda em alguma coisa. eu mantenho a versao 4.4 e estou contente com esta versao nao vejo melhorias significativas na 5.0

    • Anónimo says:

      Em contrapartida tenho um SonyEricsson Arc S (single-core de 2011 com apenas 512MB de RAM) o qual corre a última versão do Lollipop (5.1.1 através da team LegacyXperia) tão bem quanto correu qualquer outra versão do Android (oficial ou não).

      Uma palavra de força para actualizar: Stagefright.
      E este é só o argumento mais recente, pois há outros tantos antes deste.

      PS: Não sei o que se passou com os Nexus 7, mas esses são conhecidos por ter esses problemas após o upgrade.
      Reconheçamos que a actualização para 5.0 foi “problemática” para todos dispositivos, mas com o 5.1 as coisas finalmente ficaram suaves (para a maioria) tal como estavam no 4.4.

  3. pedrostrik says:

    aguardam-se trolls da apple e M$

  4. Tiago says:

    Por muito que me custe dizer isto, a versao 5 do android foi uma das piores que já experimentei…

    Estou verdadeiramente na expectativa que o Android M venha mudar o +panorama actual caso contrario o meu proximo smartphone terá de ser um Windows Phone.

  5. Carlos Fernandes says:

    A Google bem que podia arranjar um manual para actualizar as roms.

  6. Realista says:

    Cresce com as vendas dos novos equipamentos pois não é devido a actualizações como o Windows Phone com certeza!

    • RATM says:

      É o grande problema do Android, demasiada fragmentação, fruto dos milhares de modelos disponíveis e de fabricantes (culpados) que não se dão ao trabalho de dar o devido suporte aos equipamentos. A Google faz a sua parte, fabrica alguns modelos que são muito bons, os outros que façam melhor! Se não gostas não comas, fica lá com o teu Microsoft! Já agora, até há pouco tempo a cota rondava os 5%, acho que é uma melhoria substancial!

    • Jorge Gabriel says:

      Realista as marcas tbm podiam ajudar ao mandar os updates a tempo e horas!
      Eu tenho um pop c7 (7041X) que morreu no 4.2.2 e para ter o sistema mais fluido tive de colocar o sistema de outro modelo tbm pop c7 (7041D) mas mesmo esse não tem mais do que o 4.2.2

    • Cap. Kirk says:

      Mas aqui é que…
      a) A Apple tem negócio em equipamentos + ecossistema + sistema operativo.
      b) Google tem negócio essencialmente em ecossistema + sistema operativo + equipamentos parcos, linha nexus).
      c) A Microsoft tem o negócio centrado no sistema operativo + equipamentos (parcos: Lumia).
      d) Os fabricantes que utilizam Android (de outrem) tem o negócio centralizado na venda de equipamentos. Nunca irão atualizar os SO dos equipamentos… apenas qb. Quem quiser que compre um novo equipamento.
      A Apple apoia o seu negócio nos três pilares, tem de os manter atualizados.
      A Google essencialmente em dois, pelo que irá se preocupar com dois.
      A Microsoft tem um (Sistema operativo) pelo que pretenderá essencialmente dinamizar tudo o que se relaciona com o sistema operativo. A compatibilidade de APPs é uma decisão estratégica e boa. A linha Lumia acaba por ser um extra, uma ferramenta para dinamizar o WP no mercado. Se os vários fabricantes colocassem equipamentos com WP no mercado, acredito que a Microsoft equacionaria a “paragem” de Lumia.
      Os fabricantes apoiam-se na venda de equipamentos, pelo que não lhes interessa grandemente a disponibilização de versões atualizadas do SO Android, mas sim equipamentos cada vez melhor apetrechados e com especificações muito boas.

      Quem sofre? Essencialmente os consumidores, que compram belos equipamentos dos fabricantes e que nunca irão ser atualizados. O que fazer? É uma verdade de La Palisse. Principalmente, ou mantem o equipamento com o SO desatualizado (ou metem-lhe um rom “de fora”), ou trocam o equipamento por um com um SO diferente ou trocam por um novo equipamento novo dentro do mesmo SO (esta última a preferida dos fabricantes).
      O S6 Edge , IMO, é um equipamento até bonito demais para ser um smartphone. Assim como o Note. No entanto, não duvido que se corressem o iOS ou o Windows, seriam equipamentos com um tempo de vida útil muito dilatado (apoiada pelas atualizações) fabuloso. Mas como a obsolescência programada é um facto para esses senhores, os consumidores é que são prejudicados.

  7. Bob says:

    Para muita gente, estes artigos são um pouco de novidade. Nem toda a gente segue sites internacionais 🙂

    Sendo utilizador de Android desde o inicio, concordo que o grande problema é a fragmentação. E adorava ver o problema resolvido, ou bastante melhorado.
    Normalmente, não são as marcas, mas a comunidade que mantém versões para diversos equipamentos, actualizadas o melhor possível. Mas nem sempre optimizadas para dado hardware.
    Nem comprando equipamentos de topo, temos garantias de upgrades rápidos, ou nem que sejam lentos…. e claro, existe descontentamento.

  8. Ocg says:

    Surpreendentemente até um Lenovo tab2 a7 recebeu lollipop

  9. Rui C says:

    O aumento é porque as marcas estão a colocar a versão 5.0 nos equipamentos, de certo que em relação ás actualizações o universo é simplesmente ridículo comprado com outros ecossistemas, por exemplo APPLE!

  10. A vocunha says:

    Como posso ter o lolipop no meu wiko(gingerbean)??

    • Bob says:

      Não conheço esse Wiko…. não queres dizer que está a correr o Android Gingerbread?

      Se a marca não tiver esse firmware, só se alguém da comunidade fizer uma rom 🙂

      Procura no google, pelo teu modelo exacto e lolipop, e pesquisa.

    • JS says:

      Gingerbean? LOL
      Isso é o quê? Uma mistura de GingerBread e JellyBean?

  11. David.pt says:

    Esta percentagem deve ter crescido desta forma por causa do update da xiaomi para o miui 7

    • sómaisum says:

      (provalvemente desde que saiu que se encontra a crescer..)
      O único problema é que deve sair o 6 antes de atingir sequer metade do mercado, e depois a mesma historia.

      Infelizmente a politica da Google (ok são os fabricantes os culpados) era obrigar os fabricantes a actualizarem os dispositivos num espaço de 6 meses depois de estar cá fora.
      Android até pode ser porreiro, mas peca muito nisto. Tirando 10 (se tanto!) dispositivos no universo Android, o resto leva um update de segurança, e nunca ve os novos SO por vias normais.

      • david.pt says:

        Não pode obrigar porque trata-se de um Open Source. O que poderia fazer era, nas próximas versões do Android , existir um pacote actualizar no play store que resolvesse todos os problemas de segurança que é o único problema na desfragmentação. É só uma opinião e acredito que seja possível tal e qual é possível por exemplo nas versões do Ubunto Desktop

  12. androidnostelefones says:

    Horrivel o android para telefones. Montes de bugs, muita fragmentação, apps mal construídas, tudo muito complicativo para se aceder a coisas básicas. Ainda ninguem fez um so para telemovel como o amiga workbench :)… Era altura de simplificar tudo cada vez mais dada a enorme capacidade tecnologica existente mas em vez disso optam pelo ‘fancy’. Os smartphones deviam nascer integrados com

  13. Andy says:

    O que verifico é que passado quase um ano do lançamento é que o Lollipop começou a ter alguma expressão, mas já aí está a chegar o Marshmallow e novamente vai-se voltar a estaca zero – alias como se passou com o Jellybean e o Kitkat. Sabendo a Google destes dados estatísticos não seria melhor mudar o ciclo de actualizações de 1 para 2 anos? Assim as versões lançadas teriam uma implementação mais sólida e menor seria a fragmentação. No entanto também é verdade que, com a novo política de actualizações que a Google pretende implementar a partir do Marshmallow, as actualizações ao sistema operativo passarão a ser efectuadas através da playstore ou sistemas OTA da propria Google e deixaremos de depender dos fabricantes e operadoras. Estou curioso em ver como irá correr a mudança para o Marshmallow

    • Bob says:

      Também espero que ajude a resolver o problema da fragmentação, e dependência dos fabricantes.
      No mínimo, para updates de segurança para a versão que existe no modelo adquirido.

  14. Joao Peixoto says:

    sinceramente não sei porque fazem tanta polémica com as versões do android. se não está partido, não mexe…
    lá por 80% dos aparelhos terem kitkat (já ia um) não quer dizer que seja mau. última versão não quer dizer que seja a melhor para um determinado aparelho até pode ser pior. como tenho dito SO deve ser o mais invisivel possível. é uma ponte entre o hardware e o software. desde que existam apps para resolvar os vossos problemas e aumentem a vossa produtividade caso se aplica, em paz. se querem um SO que faça isso tudo de raiz, tem que ir para o BB10.3.2 é o único que pensa nisso. para correrem jogos e apps qualquer um dá para isso. forma de navegar? existem um milhao de skins…se querem versão simples que não é preciso pensar em nada..IOS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.