Quantcast
PplWare Mobile

Radares de velocidade: Saiba onde vão estar os da PSP em julho

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. jota says:

    Obrigado à Polícia!

  2. Darkny says:

    Apanham o Cabrita em excesso??

    • nimboos says:

      Os veículos oficiais do estado, assim como os veículos prioritários, não estão sujeitos a limites de velocidade.

      • Cabrita a abrir says:

        Na verdade estão. Apenas perdem essas limitações quando em marcha urgente de socorro (que deverá ser devidamente sinalizada ). Ainda assim, perdem nas seguintes prioridades nas seguintes situações: entradas de rotunda, stop e entradas de autoestrada.

  3. SSD says:

    Embora perceba, por um lado, a intenção da PSP, por mim estas operações eram todas secretas. Hoje em dia é inadmissível algumas coisas que se vê na estrada… Ainda hoje ia a mais de 100 na auto estrada e fui ultrapassado por um camião (e bem ultrapassado) que não parecia sequer ir vazio, depois é uma tristeza e ninguém sabe como as coisas acontecem

    • LM says:

      Secreto? Isso é ilegal! Pode não estar sinalizado como os fixos mas têm que fazer uma divulgação publica. Quem for inteligente vai ver e nesse dia tem mais cuidado ou tem um cuidado ainda mais redobrado. Simples. Assim ninguém se chateia. Os menos inteligentes vão continuar a andar feitos aceleras. Mas os radares moveis só tem um propósito que é sacar dinheiro mais nada. Se o governo estivesse realmente preocupado com os excessos na estrada colocava radares fixos.

      • SSD says:

        “Quem for inteligente vai ver e nesse dia tem mais cuidado”

        Esse é exatamente o problema. Eu próprio conheço um artista que gosta de acelerar mas como está sempre atento a estas coisas nem uma multa apanhou ainda. Gajos que não percebem que existe uma razão para os limites de velocidade, não deviam andar na estrada, na minha opinião

  4. ToFerreira says:

    Deviam mudar o título. Não é onde, é quando, porque os sítios são sempre os mesmos, a novidade são os dias.

  5. jorge santos says:

    O problema da sinistralidade não é o excesso de velocidade. Nunca foi, como nos provam as Autobahn na Alemanha.
    Os problemas são:
    1) mudanças de via sem sinalização:
    2) mudanças de sinalização sem sinalização;
    3) saídas de rotundas sem sinalização e vindos das vias centrais;
    4) não respeito pelo sinal de STOP;
    5) etc…

    Estacionamento em rotundas é proibido. Quem gosta de estacionar nas rotundas para fazer operações STOP? As próprias autoridades… que dão o exemplo a condutores incautos que lhes seguem o exemplo. Farto-me de ver carros parados em rotundas para os condutores estarem na conversa fora dos carros.

    A velocidade é somente uma DESCULPA do Legislador para tentar justificar a sinistralidade quando há acidentes a 40Km/h por pessoas que mudam de direcção sem sinalizar a manobra…

    Enfim…

    • Vitolas says:

      O problema não é a sinistralidade mas si (não são acidentes a 30 ou 40 km/h que matam tirando talvez atropelamentos), mas sim quando morrem pessoas na estrada e é isso que se tentar evitar. Como tal, o excesso de velocidade e a velocidade excessiva são claramente as principais razões para ainda morrer tanta gente na estrada.

      Outro problema que vejo é que muita mas muita gente mesmo só sabe andar a direito e ai é fácil meter o pé no acelerador, quando toca a fazer o que quer que seja que envolva ter de rodar o volante é só cagada que por ai se vê.

      • costa says:

        se a formacao fosse rigorosa evitavam muitos problemas. nem todos podem ser medicos ou engenheiros, nem todos tem aptidao e destreza para conduzir..

  6. costa says:

    e os escondidos ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.