Quantcast
PplWare Mobile

Radares de velocidade já detetam quem trava e depois acelera

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. João Ribeiro says:

    Que nabos bastava dois radares …
    exemplo:
    Um condutor a 120 kmh depois de passar o primeiro radar demora 10 segundos a chegar ao segundo radar, se demora-se menos, entao é porque excedeu a velocidade.
    os restantes eram apagados do sistema.
    Aprendam que eu não duro sempre

    • cm says:

      entao e se eu abrandar antes de chegar ao primeiro e acelerar depois do segundo?

      • Marco says:

        Se souberes onde está o segundo talvez te safes mas o problema é que vai ser aplicado ao londo de toda a autoestrada, passas o primeiro, é analisado o tempo entre o primeiro e o segundo, passas o segundo, analisado tempo entre segundo e terceiro e assim por diante, podes vir a ter 50 cameras numa autoestrada ou mais, qual é que irás enganar? Aceleras depois de qual?

    • Realista says:

      Falou-se em implementar esse sistema nos pórticos das portagens virtuais…
      E a Brisa já usa esse sistema há muitos anos, se não estou em erro.

    • Johny says:

      – 1. Ainda bem que não duras para sempre..

    • Ricardo says:

      E melhor manteres o teu atual emprego.

    • João says:

      Dois radares?!?!? Só se for para nacionais, porque nas auto-estradas não era preciso nada disso!

      Bastava fazerem a média entre o ponto de entrada na auto-estrada e o ponto de saída e, visto que sabem as distancias, fazerem uma média…

      bem… por outro lado é bom que não se lembrem…

      Agora para nacionais… ai já é preciso 2 radares mesmo!

      • Ricardo says:

        Então e se eu para numa estação de serviço durante muito tempo e fizer o resto do caminho a mais de 120Km/h? Lá se ia a média….

        • João Ribeiro says:

          e se.. e se…
          O português vem logo com o e se…
          se fizer o resto do caminho a 120 nao leva multa, qual a dificuldade de entender o que eu escrevi ?
          Se parar na bomba e depois for a 300kmh embora nao leva multa tmbem.
          Mas isso vai de cada um .. desde que nao matem os outros por mim façam o que entenderem.
          batam sozinhos

        • RP says:

          Isso também era fácil resolver era meter uma máquinas nas estações de serviço a contar a hora e a saída da estação uns pórticos com via verde e umas máquinas para leitura dos bilhetes obrigatório para quem não tem via verde

        • jorge santos says:

          Mas não é isso que todos fazem ?

      • Jack says:

        E se eu parar 1h na área de serviço até posso ir a 200 que não levo multa. É preciso ver o que se diz antes de mandar uns bitaites.

        • Pedro says:

          Num sistema de controle de trajeto, à entrada e saída das bombas de combustível também há leitura de matrícula. O tempo parado na bomba não conta.

    • System 99 says:

      “Demorasse” não “demora-se”, fala como deve ser rapaz!
      Aprendam comigo diz ele, nem sequer sabe conjugar um verbo!

    • Fabio Silva says:

      Daqui a uns tempos, os carros vão fazer ligação direta com as autoridades (dados GPS). Nem vai ser preciso tanta coisa! Aprendam…

  2. João says:

    Não digam nada ao Governo Português, nunca vi nenhum Governo gostar tanto de dinheiro.
    Lá vem mais multas e radares, eu até já tenho medo de andar na estrada, sinto-me perseguido.
    Depois lá vem a ladainha do costume, a descarbonização. Serve essencialmente para aumentar impostos.
    Quando a Europa produz 9.8% de CO2 a nível Mundial, e os outros Países produzem 90.2%.
    Qualquer dia vamos pagar pelo AR que respiramos, justificação, é poluente, pois o oxigénio oxida as células, como tal toma lá imposto.
    Já estivemos mais longe.

    • Balmer says:

      “Não digam nada ao Governo Português, nunca vi nenhum Governo gostar tanto de dinheiro.”

      Ou o teu mundo é muito pequeno, ou essas palas são FORTES!

      “Lá vem mais multas e radares,”

      Não vejo qualquer problema aqui. Só há multas para infractores.

      ” eu até já tenho medo de andar na estrada, sinto-me perseguido.”

      Parece-me bem. Se o sentido de opressão e perseguição acalmar os rebeldes, pode ser que aconteça menos merda na estrada com vejo pelo menos duas vezes por semana.

      • Rui Oliveira says:

        Conduzo em Portugal com muito receio,da-me a impressão de que os condutores Portugueses fazem da sua viatura a extenção da sua “virilidade”.Só procuram andar coladinhos e em velocidades normalmente acima das recomendadas;porquê?.

        • BlackThunder says:

          os portugueses etc & tal…aconselho o amigo viajar até à mãe Rússia, pegue num veículo e vá pá estrada

        • pedro says:

          talvez porque as marcacoes sao de a mais de 40 anos, e por exemplo: em uma area com 4 faixas sem nada em redor e livre instalase um sina com max de 30km…. e depois aparece todas as semanas um radar movel nessa area.. como condutores podemos nao ser super cumpridores, mas quem esta do outro lado também nao e referencia para nada…. abraço
          no exemplo poderia enunciar muitos mais.

    • Rodrigo Da Silva says:

      Uma pessoa a conduzir em condicoes nao deveria ter medo de apanhar multas

    • Rodrigo says:

      Eu já pago para respirar, baster ter asma de fase avançada que é preciso pagar 30€ /mes 🙂

  3. Tvlio Detritvs says:

    Havia de haver radares em tudo quanto é sítio, com multas de milhares de euros, para ver se se acaba de vez com os chicos espertos que infelizmente por aí abundam.
    Quem for conduzir na Suíça e depois conduzir aqui, a diferença é astronómica.
    Além do civismo que os suíços têm, que os portugueses não têm, as multas lá são brutais, serve de desincentivo aos espertos.
    As normas são para cumprir, e se todos as cumprirem é o melhor para todos.
    Aqui é o salve se quem puder.

    • Rogério Simões says:

      É curioso que os chico espertos dos suíços aqui fazem igual aos portugueses ou pior…. Não sei se quando saem da Suíça deixam o civismo lá bem arrumado… (entenda-se que por suíços falo de carro com matrícula Suíça e dos portugueses igual). Aqui então os tunnings suíços parece que tem que descarregar a adrenalina acumulada de um ano lá no pais do queijo. Tem medo das multas lá mas as daqui são trocos….

      • King Banido says:

        ahahahaha

      • Tvlio Detritvs says:

        Esses de que fala são tão Suíços como eu esquimó.
        São Tugas grunhos.
        Quando vir algum fazer essas coisas pergunte lhe se lá na Suíça tb faz igual.
        Vai ficar admirado com a resposta…
        Multas brutais, que podem ascender a milhares de euros, julgado em tribunal especial para coisas do transito.
        Ao fim de n infracções fica sem a carta e tem que tirar uma nova, especial para chico espertos, que além de super difícil de passar é absurdamente cara.
        O Tuga vai para lá fazer parvoíces fica sem guito em questão de dias… É a única maneira de meter povos subdesenvolvidos na ordem, ir lhes à carteira e tirar o dinheiro todo.
        As normas são para todos.

        • EL Nino says:

          Sim e amputam também o pé direito dos aceleras para que n~eo voltem a fazer o mesmo.

          • Nuno Alexandre da Silva Henrique Frade says:

            Li a palavra dissuasão no artigo. Mas que dissuasão? Trata-se apenas de levar o dinheiro da maioria dos que trabalham. Deixem de gamar, apanhem os verdadeiros ladrões e deixem de ser hipócritas.

    • anónimo Antonio says:

      Os suiços também abusam um bocadinho.. a única multa que apanhei na vida foi na suiça a 37km/h.
      Ia numa estrada onde o limite era 40 e num troço de 200m o limite desceu para 30 porque era a frente de uma escola e eu nao reparei.. paguei mais de multa do que os km/h que ia 🙂
      Mas concordo que deviam haver mais radares por todo o lado devidamente identificados.

      • ervilhoid says:

        Em frente a uma escola a rua devia ter pequenas lombas. em muito sítios a estrada é boa e não é adequada, mas em vez de adaptar a rua colocam radares, sempre é mais lucrativo. claro que os condutores devem ter civismo e ao ver o sinal de escola já deveriam reduzir a velocidade

    • Vasco says:

      Esqueça que aqui, é só cabeças de atum que se julgam os melhores e acima da lei, que é para aplicar aos malandros dos outros. Só quem viaja com alguma frequência consegue avaliar o atraso brutal do nosso povo em termos de comportamento e civismo na estrada. (E no resto é igual, lei do ruído em prédios, etc, etc.) Lagartixa não chega a jacaré nem com muito dinheiro….

    • Alexx says:

      Partindo do principio que os limites de velocidade são adequados (N17, mudança de velocidade de 50 para 70 a cada 50 ou 100 metros), as estradas são estradas e não ruas, a sinalização é a correcta (em Portugal vive-se em sobrecolacção de sinais de trânsito, uns em cima dos outros). O estado não deveria facilitar a construção de cazinhas, cafés e unidades industriais na beira da estrada (vejam a nossa”estrada nacional Lisboa-Porto) e depois por um placa com o nome de uma povoação qualquer que não existia à 5 ou 10 anos, traço contínuos e descontínuos a cada 10 metros só porque estão em frente de uma serventia agrícola muitas veze não utilizada à “bué de tempo” e, para os restantes é proibido ultrapassar, mas para o tratorzinho já pode fazer inversão de marcha, mudanças de sentido à esquerda logo à saída de uma rotunda, só porque … deve ter vereador a morar ali e não quer andar de popó 30 metros para ir à rotunda, etc etc.
      Com uma estrada organizada e planeada, talvez concorde na mão pesada sobre os infratores, mas quando o estado deve ser regualdor permite a desregulação e depois actua de forma penalizadora sobre o cidadão … NÂO.

    • EL Nino says:

      @Tvlio Detritvs

      ÉS da Stasi ou do KGB ?

  4. Realista says:

    Caça à multa…
    Se o objectivo é reduzir a velocidade naquele ponto o objectivo estava cumprido.

  5. marcocm says:

    Eu acho que os radares fazem sentido. Acho é que deviam ser bem visíveis para desencorajarem o excesso de velocidade. Até acho que deviam haver mais. E podiam fazer como fazem no UK onde usam radares de velocidade média, em que o excesso de velocidade é visto usando vários radares que até podem ter limites de velocidades diferentes que se adaptam dinamicamente às necessidades do trânsito.

    • mlopes says:

      ainda há pouco tempo estive, e conduzi, num país europeu em que as coimas são super elevadas e todos os radares estão muitíssimo bem visíveis. para além disso existem imensos quer em estradas nacionais quer em autoestradas (que não são pagas!) mas nem todos estão a funcionar todos os dias.
      conclusão: de forma geral toda a gente cumpre os limites de velocidade, mesmo limites de 30km/h em alguns pontos muito específicos, e muito limitados no espaço, dentro das cidades.
      isto é prevenção rodoviária como deve ser! isto sim, faz com que as pessoas circulem à velocidade que se pretende.
      tudo o que se passa em portugal, radares escondidos, etc, é uma fantochada e tem como objetivo único arrecadar receita!
      aliás, o decorrer das décadas e a evlução da sinistralidade demonstram à saciedade que as opções feitas não têm surtido qualquer efeito prático significativo embora o legislador escreva coisas lendas nos preâmbulos da legislação e os responsáveis administrativos e policiais façam discursos preocupados e consternados

    • Destiny says:

      A razão dos radares estarem escondidos não é para desencorajarem excesso de velocidade, mas sim para tu pagares multa. O governo tá-se a cagar para a segurança na estrada.

  6. Louro says:

    Muito mais simples colocarem vários radares espalhados que medissem o tempo que os carros demoram a passar.

    Se demorarem menos que x tempo a passar em dois pontos, tumba.

  7. Gustavo Jorge says:

    Gostava de saber como conseguem medir vários carros a passar ao mesmo tempo, uns vão no limite e outros não. Não quero ser multado por causa dos outros. Já mandaram parar a minha esposa por ter um carro igual a outro infrator. Um golf GTI versus um golf de 70 CV.

  8. ovingadorortografico says:

    Nunca deixarão de existir acidentes só por haverem mais radares. O problema de fundo é muito mais grave e ninguém quer saber disso . O objectivo dos radares é só arrecadar dinheiro.

  9. TT says:

    Deviam de se preocupar com coisas mais importantes em vez dos radares para as caças à multa, deviam de investir mais na melhor optimização das estradas e das condições que apresentam.

    • Rodrigo Da Silva says:

      melhorar as condicoes das estradas para que? Para os carros andarem ainda mais acima da velocidade?

      • João says:

        Os piores condutores são os vão a 120km/h na faixa do meio da auto-estrada e não há radares para isso…

        • Gerardo says:

          O carro patrulha quem anda à caça de quem acelera também multa quem circula na faixa do meio estando a faixa da direita livre

        • Destiny says:

          Porque não é contra a lei se a direita estiver ocupada. E mesmo não havendo radares, há patrulhas. O ano passado umas boas centenas foram apanhados na via da esquerda com as outras desocupadas.

          • King Banido says:

            “há patrulhas”

            Conto-te com os dedos que tenho numa mão o numero de vezes que vi a policia o ano passado… Se andar as 14h na cidade é estarem a fiscalizar, então não conheço a definição de fiscalização.

          • SergioFerreira says:

            Incorrecto! Está em infração se estiver meramente a circular sem intenção de ultrapassar, como a grande maioria faz! Se é para estarem com velocidade relativa zero, em relação aos que circulam mais à direita, está em infração!

          • Rui Oliveira says:

            Como Portugal é um país visitado por inúmeros turistas,nem todos sabem de certos pormenores com relação à obrigatoriedade de manter-se sempre na última faixa à direita.Eu mesmo,por exemplo,que venho cá todos os anos e aquí fico 06/07-meses;não sabia.Penso que poderia haver uma melhor informação com placas nas estradas.

        • ToFerreira says:

          Não! Se vão no limite, a faixa do meio é ideal, pois deixam a da esquerda livre para os infractores (será que se devia?) e para eventuais viaturas de emergência e por outro lado evitam de andar constantemente a mudar de faixa para ultrapassar quem vai na da direita. Mau é quem vai na do meio ou na da esquerda a pastar.

          • King Banido says:

            +1

          • EL Nino says:

            O que esta escrito no codigo de estrada não é nada disso. Eu circulo todos os dias na AE e quase sempre que me cruzo com idiotas que pensam que são os reis da estrada e vão a circular pela via do meio estando a da direita livre ligo para a BT. Muito gosta este povinho português de circular pelo centro e pela esuerda em vez de ir pela direita

          • Miguel says:

            Chamo a isso PREGUIÇA.
            Tanto a virar o volante, tal como os que pensam que os outros adivinham para onde querem virar, e não fazem o pisca correctamente.

  10. Filipe Rafael says:

    É uma boa notícia, principalmente eu que normalmente ando nos 90/100 na autoestrada e ás vezes passam por mim á velocidade da luz… Pode ser que haja menos acidentes com tantos radares…

    • Pedro says:

      Se for uma autoestrada de 3 faixas, com os veículos que temos atualmente, não é de grande perigo circular até 140 kmh. Por esse motivo é que os austríacos estão a testar aumentar a velocidade máxima nas ae dos 130 para os 140.
      Sendo de 3 faixas, permite carros e camiões na da direita entre os 50(!) E os 100, no meio de 100 a 120 e a da esquerda para velocidades superiores.

      • int3 says:

        140 não é perigo assim como 200 ou 300, só enquanto não te despistares.
        Enquanto o despiste levas mais um, dois ou três carros inocentes pelo caminho e matas mais umas vidas inocentes no processo.
        Bastante seguro. País cívico e sociedade de cidadãos responsáveis.
        Também não fico admirado, não sabes o que é uma faixa e uma via.

  11. ProGuy33 says:

    Só não há radares para quem não paga bilhete de transportes públicos e nao respeita a autoridade e depois fala em xenofobia e racismo.

    • Patinhas says:

      Off topic
      já viram que só “somos” racistas com algumas raças, em especial as que não trabalham?
      Nunca ouvi falar de racismo com indianos, com paquistaneses, chineses, malta de leste…
      Como diz a RFM, “vale a pena pensar nisto”

  12. Jorge Oliveira says:

    Eu até era a favor dos radares mas se eles fossem implementados em zonas criticas, onde costuma haver acidentes, o que em 90% não acontece, preferem-se esconder em zonas onde sabem que rende…

  13. alfa says:

    O problema e’ que nem todos que sao apanhados sao tratados da mesma maneira.
    Deputada, juiza! Vos diz algo…?

  14. coelho says:

    e melhorar a formacao e exigencia dos condutores logo na base ?

    • SergioFerreira says:

      Tenho dito! +1

      Se fossem mais exigentes durante a formação, não tenho dúvidas de que haveriam significativamente menos condutores nas estradas.

  15. Gerardo says:

    Tantos milhões gastos quando os estados só tinham de obrigar os fabricantes a limitar os carros a 140/150 (para ultrapassar) e não lhes custaria um centimo esta medida. Praticamente em todo o mundo a velocidade limite cifra-se nos 120. E se vêem com as exceções dos tracking days e da Autoban, desligam os limitadores nessas pequeníssimas excepções. Desligam noutra altura e vão presos e apreende-se o carro. Fácil, barato e uma grande poupança de recursos materiais e humanos

    • King Banido says:

      Nah percebes que assim o Estado perde uma verba muito grande, proveniente das multas de excesso de velocidade? Depois há quem diga que não existe a caça a multa.

      • Rodrigo Da Silva says:

        ate parece que ‘e o estado que obriga as pessoas a andarem acima da velocidade…ffs

        • King Banido says:

          Nãonão é o estado quem manda o condutor andar a cima do limite legal, mas é o estado que manda na policia. E essa mesma policia, faz com todo o gosto o seu trabalhinho, de andar a esconder radares moveis, em determinadas zonas estrategicas, tudo isso para apanhar a malta. Obvio que se tiveres a respeitar não és apanhado, tudo ok até ai, mas e se em vez de andarem armados em cameraman e se estivessem na estrada? Vais dizer que o excesso de velocidade é a unica coisa que acontece em Portugal? Ja nem toco no assunto das rotundas…
          “N” coisas que o Portugues faz mal e que vai continuar… porque? Zero fiscalização nas estradas(Nao tou a contar com as OP Stops). Mas para muitos, os que principalmente não respeitam as leis, ficam ofendidos com os excessos de velocidade / ultrapassagens pela direita. Se andassem na direita a andar aos vossos 60/70 como manda a Lei, a faixa da esquerda estaria livre, fazendo com que não haja confusões e ultrapassagens mal feitas. Mas depois o acelera é que é o culpado, isso tudo porque o menino é mal educado e egoista e pensa que está a respeitar a lei!

        • Destiny says:

          Estás a misturas as coisas Rodrigo. Obviamente que o estado não incentiva as pessoas a andarem a cima da velocidade. Mas isso não é argumento para os radares escondidos, as patrulhas escondidas ou de pouca visibilidade, a falta de cooperação com os limitadores de velocidade, etc. Estas diversas “operações” pouco têm haver com segurança na estrada, é puramente para caçarem uns trocos.

  16. King Banido says:

    Concordo com tudo o que sejam medidas para aumentar a segurança, mas como estamos em Portugal, o unico objetivo disto é a caça a multa. Tantos problemas na estrada e a preocupação como sempre, é de colocar ou melhorar os radares que cá temos. E se em vez de gastarem dinheiro com radares, colocarem carros de patrulha na estrada a fazerem o seu trabalho? É bem mais perigoso o asno tuga que adora usar os piscas em cima do acontecimento e que faz ultrapassagens a 70, parece que se está a picar com o do lado, que o racer que tá na faixa da esquerda a 140/150.
    As ultrapassagens pela direita só se devem a uma coisa: Tanços que não sabem respeitar o proximo, que pensam que a estrada é toda deles e então toca a andar a 80 na faixa da esquerda.
    Para os que venham dizer que eu é que tou errado e não tou a respeitar os outros e bla bla bla, lembrem-se que a maior parte dos acidentes não se devem ao excesso de velocidade e sim hás distrações, como andar ao telemovel, andar na faixa do meio e do nada, é que nem sequer olham, metem pisca e mandam-se, e fazem a ultrapassagem com a maior das calmas, o gajo que vinha lançado que espere… Depois são ultrapassados pela direita e ficam ofendidas as Marias que não sabem conduzir. Então gajas…. essas são as mais armadas em fiti paudi… andam com a porcaria de um 1.2 TSI, só porque sentem o turbinho já acham que tem um carrão nas maos, essas meus amigos, são as piores.

    • Rodrigo Da Silva says:

      A velocidade mata. Ponto final.
      Podes tentar arranjar as desculpas que quiseres para justificar o contrario mas a velocidade mata.

      • King Banido says:

        Assim como andares a 50 tambem mata, e no entanto estavas a respeitar as leis…

        Justificar é o que tas a fazer, justificar o porque de seres um dos tanços que não respeita os outros.
        “Estou a andar a 70 na auto-estrada, tou dentro da lei, os outros que se lixem!”

        São esses pensamentos que matam. E sabes o que é o mais curioso? É falares que a velocidade mata e numa auto-estrada do pai mais conhecido como a Alemanha, há quase 0 acidente, curioso teres autobahns em que andas a 300km/h e não há acidentes, e depois andas em trajetos de 50 km/h e já há.

        Mesmo que em Portugal houvesse uma especie de Autobahn, ia continuar a pouca vergonha que acontece nas auto-estradas… Malta que ta a andar a 70 na faixa do meio,mas como tem um gajo a 65 a frente dele, mete pisca e manda-se pa a ultrapassagem e quem vai la atras que se lixe, agora imagina essas situações a 160km/h, ja nem falo dos ditos 300 km/h.

        Os espertinhos é que causam acidentes, espertinhos como quem diz, os mal educados armados em espertos!

        • Louro says:

          Antes de falares das Autoban deverias de dobrar a lingua e eventualmente tentar perceber como é que a coisa funciona ao invés de dares a entender que anda tudo a velocidade que quer e nada lhes acontece.

          Primeiro,
          Nem em todo lado tens velocidade ilimitada, apenas pequenas partes onde nao tens limite e passas a ter novamente alguns km depois.

          Segundo,
          As pessoas como sabem que nao há limite, respeitam os outros e só passam para a outra faixa se for necessário, e se virem alguém a vir na mesma que eles mas mais rapido, pura e simplesmente passam para a direita.

          Terceiro,
          Nao ves pessoas encostadas na trazeira dos outros como se quisessem entrar pelo carro da frente dentro.

          Quarto,
          Os Alemaes, ao contrário dos Portugueses, geralmente falando respeitam as regras e as multas para quem nao cumprir sao relativamente pesadas.

          Se Portugal tivesse estradas sem limites de velocidade, iria ser um ve se te avias, se já com limites “ninguém” respeita nada nem ninguém.

          E já agora, se eu quiser ir na auto-estrada a 70, qual é o problema? Se tu vieres a 120, terás certamente tempo mais que suficiente para me identificar e abrandar se assim for necessário, já se fores a 200…

          • King Banido says:

            Tu proprio acabaste de identificar o mal, ouseja, o comportamento das pessoas e não a velocidade.

            Respondendo a tua questão, trata-se de uma questão de civismo, coisa que pela tua pergunta demonstra não teres.
            Faz-te sentido algum, com outras 2 faixas livres andares a pastelar na esquerda? Ja nem falo de transito, que se houver transito nem a 120km andas na esquerda, quanto mais a 200… Em condições normais, que não haja transito serrado, que sentido faz ires a baixa velocidade na esquerda?

            O mal do Portugues é não respeitar os outros, eu proprio não respeito ao ultrapasso pela direita, mas porque que o faço? E com isto não estou a justificar o que fiz de mal, mas é a unica justificação existente, que é de haver tanços com o mesmo pensamento que tu a andarem a 70 na esquerda. Man, custa-te muito aguentares mais 5 segundos para que o gajo que vem a abrir na esquerda passe, e ai sim, fazes a tua ultrapassagem nas calmas? O que eu mais vejo é o egoismo e o “sa foda”, muitos dos casos nem pisca fazem, mandam-se pa esquerda e pronto e só saiem da esquerda, quando ultrapassarem todos o que vao no meio, sendo que ta a ultrapassar a 80.
            Se para ti, esta realidade faz sentido… Então a unica coisa que te posso desejar é levares com um em cima, e olha que lavares com um gajo a 200, vá que ao travar ja só te bata a 140, ainda faz moça… Do torcicolonão te escapas.

      • King Banido says:

        E ainda te faço uma pergunta, eu não sei e vou agora pesquisar para ver se sabes fazer o trabalho de casa.
        Quantas mortes/acidentes houve em Portugal no ano de 2019, que a principal causa fosse andar a mais de 120km/h?

        • Louro says:

          Nao te sei dizer um numero, mas se as pessoas andassem dentro dos limites de velocidade, possivelmente teriam tido tempo de reagir e evitar ou pelo menos tornar os danos causados minimos evitando assim a morte.

          Por isso, quase que afirmo que pelo menos 90% dos mortos nas estradas em 2019 foram derivados a velocidade excessiva para a estrada e condicoes onde circulavam, se nao iam com velocidade excessiva teriam tempo para evitar o acidente.

          • King Banido says:

            Oh Louro, então e todas as pessoas que são atropeladas a 50 ou a menos? Daqui abocado tas a dizer que para conduzir em cidade, tens de andar a 10 e mesmo a 10 é uma loucura !!

            Essas pessoas foram atropeladas por distração e não velocidade. Se conseguia controlar melhor a situação com uma velocidade mais reduzida? provavelmente que sim, mas daqui abocado tas a dizer que temos de andar a 10/20km…

          • King Banido says:

            “foram derivados a velocidade excessiva para a estrada e condicoes onde circulavam”

            Tu preferes olhar para o problema da velocidade, eu prefiro olhar para o alchool… Há noticias de jornais reconhecidos que provam a diminuição de excesso de velocidade em 2019, mas um aumento de casos de alcool…
            A maioria dos acidentes é derivado disto e não da velocidade, mas como é claro, se tas bebado e a andar rapido, a culpa vai pa velocidade, mesmo que os teus reflexos e instintos estejam deturpados pelo alcool, mas a culpa é sempre do raio da velocidade.

      • BC says:

        A velocidade não mata. Parar abruptamente é que mata.

      • ovingadorortografico says:

        Velocidade não mata. Comportamento é que mata.

      • Patinhas says:

        A minha avó morreu parada. Não é a velocidade que mata é a desaceleração

      • Ninguém says:

        E escorregar nas escadas também. Melhor não saíres de casa.

      • EL Nino says:

        @Rodrigo Da Silva
        “A velocidade mata. Ponto final”

        Então não te desloques , nem para ir ao Pc escrever. Fica paradinho e nem te mexas

  17. Abreu says:

    Se visse um sinal desses pensava que tinha WiFi na via..

  18. Renato says:

    Então e quem acelera após o segundo radar!? Mais balelas.. só deram um conceito diferente aos radares que aqui falam sobre ver o tempo de estrada entre o primeiro radar e o segundo

  19. Joao Ptt says:

    E se todos cumprissem a velocidade?
    E se nas eleições mandassem fora todos os políticos que não cumprissem as regras, assim como meter lá gente que também expulsasse todos aqueles dos diversos serviços do estado que não cumprem com as regras só porque acham que a lei é para os outros… ou porque mudam as regras para si mesmos.
    Fica a ideia.

    • King Banido says:

      Se achas que o problema está em cumprir com a velocidade, então tás muito atoa neste assunto.

      Explica-me, mesmo que todos andassem a 100/120, ou 40/50 em cidade, como é que ias resolver os problemas relacionado com o condutor em si,e não com o veiculo?

      Dados estatisticos, provam que 2019 até foi um ano muita bom em relação à velocidade… houve um decrescimo de excessos de velocidade, mas no entanto houve mais acidentes, o que é bastante curioso, todos defenderem que as velocidades são o problema, e depois há estudos que provam o contrario, que na verdade o problema está no espertinho e não na velocidade.

      • SergioFerreira says:

        Esquece King. O “povinho” não vai enxergar as coisas como elas são. Se o governo diz que a culpa é meramente da velocidade, as ovelhinhas acenam que sim!

        Os dados estatísticos que mencionas só provam que o problema não é o excesso de velocidade, mas sim a falta de altruísmo ao volante. Mudam de via sem piscas, ou então porque fazem piscas acham que se podem atirar quando bem querem e lhes apetece. Circulam na via do meio ou esquerda sem ultrapassar, etc…essas sim são as causas dos acidentes.

        Só falta dizerem que a maioria dos acessórios acidentes ocorridos na segunda circular e IC19 são meramente pelo excesso de velocidade, quando grande parte dos “toques” entre veículos ocorre no pará-arranca e a velocidade é reduzida. Vamos esquecer os condutores com veículos de 2017, que trazem bluetooth de série, a usarem os smartphones encostados ao ouvido ou a escreverem SMS… vamos ignorar os “xicos espertos” que mudam de via sem sequer verem pelo espelho lateral se podem fazer a manobra ou nem posca fazem! A culpa é sempre da velocidade!

        Mesmo em situações em que veículos circulam em excesso de velocidade, muitos acidentes ocorrem porque veículos que circulam de acordo com as normas fazem manobras altamente irregulares, forçando aos que circulam a velocidade irregular a agir levando a acidentes.

        Não estou a apoiar o excesso de velocidade. Estou a criticar a forma como, para encherem os bolsos com as coimas e multas, não reduzem as sinistralidades!

  20. Pedro Fernandes says:

    Se uma pessoa for dizer o que está errado 😉
    • Andar devagar na faixa do meio;
    • Ultrapassar pela a direita;
    • Continuar a usar o telem.;
    • Condutores que de repente “atiram-se” para a outra faixa sem se preocuparem com os outros;
    • Condutores que não respeitam as filas, estão sempre à espreita de um buraquinho;
    • etc…..
    Por vezes vejo mais acidentes dentro de localidades 😉 onde supostamente não existe velocidade.

    Os Radares é uma Excelente ideia mas continuo afirmar que alguns é simplesmente uma caça à multa da minha parte podem encher Portugal de Norte a Sul com Radares enquanto não continuarem a fiscalizar outras situações.

    • Gerardo says:

      Podem até haver mais acidentes, só não sei se vai haver mais mortos/feridos graves. É diferente um acidente a 50€ em qe se amolga um bocado de lata, de um acidentes a 200 em por vezes podes morrer só pelo que a desaceleração abrupta provoca no corpo.

    • Destiny says:

      Como é natural, uma das primeiras coisas que eles ensinam nas escolas de condução é que as vias rápidas são mais seguras que as de localidade. Há muitos mais acidentes dentro das cidades que fora, isso é um facto incontestável.

      • Louro says:

        Isso claro, pois estás num ambiente mais controlado, onde tens 2/3/4 vias de circulacao e onde vao todos no mesmo sentido, para além disso, nao tens variantes, tipo o miudo que decidiu atravessar a rua para ir buscar a bola ou o cao que comecou a correr para o outro lado da rua.

    • King Banido says:

      Certo Destiny, mas e porque que há mais acidentes nas localidades?
      Na minha opiniao, enquanto condutor, sei reconhecer que quando tou numa AE a andar rapido, tou atento a todo o transito e não apenas na minha condução, mas em cidade a historia é outra… Como nao tas muito rapido, tens aquele tempinho para mexer no telemovel, conversar com o amigo, olhar para os arredores e curtir a paisagem… é até bateres porque ias distraido…

      Nas AEs os acidentes só acontecem porque alguem não respeitou alguem… e o Pedro tocou em alguns exemplos:
      • Condutores que de repente “atiram-se” para a outra faixa sem se preocuparem com os outros;
      • Condutores que não respeitam as filas, estão sempre à espreita de um buraquinho;

      Isto é o que causa os acidentes e não a velocidade.

    • Pedro Fernandes says:

      Por vezes farto de rir quando vou na estrada, vejo carros numa estrada onde o limite é 100Km já vem não sei de onde a fazer sinais de luzes por virem à volta de 140/150 Km é lógico quem anda a cumprir a lei 😉 num estante de segundos tem um Inconsciente para não dizer outro nome colados à traseira do carro.

      A velocidade tem muito que se diga em acidentes, se for de frente se ambos forem a 50Km equivale a um impacto de 100Km, se for numa viatura parada acredito que não seja os 100Km mas mesmo assim não deixa de ser forte.
      A Consciência das pessoas acaba por prevalecer o que acontece hoje em dia é que a maioria não a tem 😉 acha que se o carro marca 220 é para dar ou neste caso tentar dar.

  21. Beeee says:

    Coloquem radares fixos e móveis na Via Norte no Porto. Atualmente o limite é 70 !!! Deviam existir mais policias a andar em carros normais com radares. Na via norte existem excessos de velocidade, travagens bruscas e ultrapassagens perigosas por excessos de velocidade e tambem sinais de luzes para quem anda dentro da velocidade para esses andarem mais de pressa. Quem vai a 65 vê imensos carros a ultrapassar em excesso de velocidade.

  22. Chuck Norris says:

    Direção-Geral de Trânsito???? Não deveria de ser Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária??

  23. To Silva says:

    Mas os radares servem para caça à multa ou para prevenção ?

  24. Ricardo Costa says:

    Concordaria se o resto da segurança funcionasse:

    Luzes acesas, polícia a chegar às ocorrências em tempo útil e a fazer valer a lei como está escrita, etc.

    Isto de sermos muito rígidos numas coisas e NADA noutras é uma hipocrisia enorme.

    Nota: eu não sou contra os radares, operações stop, etc.

  25. joao martins says:

    Com a tecnologia atual dos automóveis eu não percebo porque não fazem algo do género:
    Existe uma comunicação para o carro a indicar o limite de velocidade da estrada (por exemplo inicio da AE envia 120km/h) . O automóvel, enquanto não receber indicação em contrario, limita automaticamente a velocidade a 120km/h. O único problema disto é que as multas diminuíam muito:)

  26. J says:

    Cá em Espanha isso existe ha um bom tempo. Um radar fotografa o carro a 120, e a 50km volta a fotografar, faz a média, e calcula a velocidade.

  27. ToFerreira says:

    Folgo em ver tanta gente cumpridora dos limites, que nunca os infringe, que nunca andou a 21 numa zona com um sinal de 20 lá esquecido há uns meses, ou que numa AE vazia nunca se distraiu e passou os (ridiculos) 120… só espero que não sejam falsos moralistas 🙂

  28. System 99 says:

    Faixa da direita mínimo 90, faixou do meio minimo 120, faixa da esquerda minimo 140. mai nada, vive a assapar!

  29. Ninguém says:

    Quem bom.. podiam baixar a velocidade limite prata 20km/h e assim comiam todos. A verdade é que apesar do avanço na tecnologia automóvel ainda andamos a velocidades que meu avô andavam como o Austin 1100 sem ABS nem sintoma.
    O limites de velocidade em alguns zona faz com que alguém de bicicleta consiga ser mais rápido.

    Aqui o que vale e o € fácil porque os verdadeiros crimes passam impunes.

  30. Gerardo says:

    Para o pessoal a comentar que os limites são ridiculous e que os carros estão muito mais avançados e tal, existe uma coisa que nenhum avanço pode alterar, a velocidade de reacção. A 240kms o mesmo carro vai precisar do dobro dos metros para parar do que a 120. E isto é física , pode ser a diferença entre morrerem ou matarem alguém, ou não acontecer nada. A não ser que os carros travem sozinhos sem intervenção humana.

    • EL Nino says:

      Pois… mas se o poder de travagem e muito superior que há 20 anos logo compensa a distãncia de travagem derivada do tempo de reacção.
      Que tal circularem a uma distância de segurança correcta em vez de irem como câes em fila a cheirarem o rabo uns dos outros. Isso tambem devia levar multas das grandes dessas que não são apanhadas por radares. Vai um tipo com uma distancia segura e vai alguém colado a traseira do seu veiculo ou algum idiota que ultrapassa e põe-se logo a frente reduzindo a velocidade

    • João says:

      Na realidade o dobro da velocidade dá 4x mais distância de travagem, mesmo descontando a distância de reação que aí sim, será o dobro.
      A energia a dissipar é sempre 1/2 x massa do objecto (carro) x velocidade^2… fazendo as contas… 4x mais.

      https://youtu.be/drMKdcMq3o0

      • int3 says:

        Meh nope. Estás a descartar muita coisa aí. Não te esqueças que a força de atrito cinético varia com a força normal. No momento que o carro começa a travar, o peso tende a ir para afrente e a colocar força sobre as rodas da frente. Logo a força de atrito é bem maior. Por isso não é 4x mais. Depende da geometria do veículo e outros fatores de segurança como por exemplo ABS, tipo de pneu (borracha, superfície de contacto, …).

  31. Jacs says:

    multado na Austria ” Tirol ” circulava a 57km onde devia o fazer a 50km eram para cima das 3 da madrugada sem viva alma , multa apareceu em casa no Porto , custo 30€ paguei

  32. Jopy says:

    Sinceramente… Aquilo que deviam fazer não fazem. Paga Zé Povinho. Bola, impostos e multas. O maior roubo de todos os tempos! Povinho português que és tão trabalhador … paga aquilo que deves, sim porque quando nasceu ja vinha endividado

  33. Miguel says:

    Toda esta conversa dos radares serve para ir ao bolso mais uma vez… Há radares onde quase não há acidentes, e nas localidades em que há mais acidentes nem um radar se vê… Quem tem medo de circular de carro pense duas vezes antes de tirar a carta. Há 30 anos, 120km/h eram uma coisa, em carros de chapa. Estamos no século XXI e qualquer carro com menos de 10 anos a 140km/h ou 160km/h dá a sensação de que circulamos quase parados a estrada! Qual velocidade da luz… Isso nem a NASA consegue atingir (ainda). Já não é só chapa, há muito mais segurança activa e passiva. O problema está nas escolas de condução. Todas as pessoas deviam experimentar uma condução mais exigente e nos limites dos carros (em recinto próprio) para perder esse medo parvo da velocidade. A maior parte dos acidentes acontece a velocidades mais baixas, mais propícias a distração por parte do condutor. Velocidades mais altas exigem mais atenção a quem vai ao volante! Há muitas pessoas com medo de conduzir mas têm essa necessidade. Mas não atrapalhem quem quer deslocar-se de forma eficiente e não por isso menos segura, em menos tempo entre o ponto A e o ponto B.

  34. Antonio Gomes says:

    Eu penso que se ouver mais civismo e menos otarios na estrada de conduzir a esquerda e cada condutor se meter a sua vida as estradas portuguesas eram muito melhor
    Mas é mais fácil as autoridades terem atitudes de cobarde e passar multas do que atuar sobre o civismo e boas práticas de condução
    Porque se os radares estiverem sinalizados vai chegar multas a casa na mesma mas tinham atitudes de homens de fazer comprir a lei…..
    O simples fato de ver os carros a patrulhar as estradas já é uma medida dissuadir as atitudes menos boas dos condutores….

  35. Nuno Alexandre da Silva Henrique Frade says:

    Li a palavra dissuasão no artigo. Mas que dissuasão? Trata-se apenas de levar o dinheiro da maioria dos que trabalham. Deixem de gamar, apanhem os verdadeiros ladrões e deixem de ser hipócritas.

  36. mim says:

    A menos que tenha sido alterado, as margens dos radares de 7km/ 7% são para radares MOVEIS:
    Diário da República, 1.ª série — N.º 235 — 6 de Dezembro de 2007

    Radares FIXOS:
    ≤ 100 km/h tolerância de ± 5 km/h
    > 100 km/h tolerância de ± 5 %

    Radares MOVEIS
    ≤ 100 km/h tolerância de ± 7 km/h
    > 100 km/h tolerância de ± 7 %

  37. Antonio says:

    A do telemóvel treta, então se for a falar apartir do carro radares que fazem estimativa, já agora também vão dizer quando se vai dar um acidente, mais uma vez a tentarem iludir as pessoas andar de vagar, eu não abuso nas velocidades, mas quando apanho um gajo que podia ir a 90 e vai a 60 vou ter que compensar, tudo isto porque tento pagar o que me é exigido de impostos e para ver se tenho as contas em dia, já eles senhores passam a 160/180 não se passa nada, estão com pressa para chegar a casa, para ver se a empregada comprou o que pediram. Isto e só um pequeno desabafo.obrigado.

  38. helder oliveira says:

    bastava acabar com os carros “á policia” e andarem com carros descaracterizados,quem é que num dia nao assiste a tudo possivel e quase o impossivel dentro do seu veiculo.

  39. pedro says:

    so para acrescentar a este assunto, esta tipologia de punir o infrator, especialmente velocidade, da forma como maior parte e feito, tal como o parquimetro pago, nao passa de uma forma de negocio, que tem o objetivo de financiar o estado e autarquias. tudo isto acaba por ser um circo, se fosse para prevenir existe muitos métodos eficazes, mas esses dao despesa e perderiam receitas. abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.