PplWare Mobile

Portugal vai testar sistema que bloqueia carros em casos de excesso de álcool

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Repara says:

    O negócio dos balões de oxigénio para soprar no alcohol-lock vai dar lucro.

  2. Camões says:

    Portanto, o único jeito de impedir a guerra total (excesso de álcool) é os indivíduos abrirem mão da liberdade (bloqueia carros) em troca de segurança e paz, assinando um contrato social que transfere todo o poder a um único soberano (Criterio do Leitor).

    “O sistema, no entanto, não será para todos os condutores.” Inicialmente, depois para os outros todos porque o primeiro passo ja foi dado.

  3. MinisssssParaTodos says:

    tenho de ir ao sucateiro comprar um chaço…

  4. Manuel Araújo says:

    Consumo moderadamente e nunca fui autuado por esse motivo: se esse autobloqueador servir para que não apanhemos com algumas bestas alcoolizadas nas estradas portuguesas, venha ele, o quanto antes…ontem já era tarde!

  5. Vasco says:

    Deveria de ser assim e também com um pequeno sistema de analise de imagem que impedisse a condução em caso de detectar o uso de telemovel por parte do condutor e, sem ironia, com notificação imediata para a polícia.

  6. SteveRobs says:

    E quem garante que foi o condutor que soprou? LOL

    • Reforma says:

      Condutor parado numa operação da GNR depois de soprar no balão e o ponteiro ter ido ao vermelho:
      – Ó sô guarda, a máquina tá avariada, dê aí à minha mulher.
      A mulher sopra … e ponteiro no vermelho …
      – Ó sô guarda tá a ver?! A máquina tá avariada! Dê aí ao puto!
      O puto sopra o balão … ponteiro no vermelho.
      – Tá a ver! Tá avariada!
      Para a mulher, depois do polícia se ir embora:
      – Olha se não temos dado o bagaço ao puto!
      Passa a ser:
      – Ó Maria, não dês o bagaço ao puto que tem que por o carro a trabalhar!

  7. B@rão Vermelho says:

    Acho muito bem, até deviam era ir com uma mascara no focinho, o tempo todo, não vá o Chico esperto pedir a alguém que sopre a coisa e depois vá ele a conduzir, tipo sensores dos cintos, detetar quantos passageiros e irem todos de mascara 🙂

  8. André says:

    O que interessa é limitar as pessoas da liberdade. Isso é facto. Bastou ver com a fraudemia. Todos carneirinhos. Engraçado que continuam a morrer e mais com taxas elevadas de picadinhas. Não é só proibir a venda do álcool e acaba com o problema? Hoje querem dizer que é para os recorrentes, amanhã para todos, depois de amanhã é para os que votam no Ventura. Aceitam tudo desde que… Sempre assim desde que. George Orwell puro e duro.

    • Mr. Y says:

      Depois os outros é que são maníacos e não os que têm a mania da perseguição em tudo o que existe…

    • Magistrada says:

      Deixa de tentares convencer as pessoas que tens 2 anos de idade. O que é que o Covid tem a ver com o facto de que se estiveres bêbado não podes conduzir? É que há muita gente que só pela força é que cumprem as regras, infelizmente. E tu pareces ser uma dessas pessoas. Se estás bêbado não podes conduzir. Chora um rio se quiseres. Ficas triste por não te deixarem ser um possível assassino na estrada. Eu fico muito contente.

    • donkeykid says:

      Caro Sr. André,
      Disse: “Bastou ver com a fraudemia. Todos carneirinhos.”
      Na minha opinião, você pode ir chamar “carneirinho” a um familiar seu que eu cá sei…

      Quanto ao tópico em questão, sou de acordo e que venha esse sistema.

      Abraço a todos e boa Páscoa.

  9. Figueiredo says:

    Uma medida ilegal, criminosa, e infundada, pois o consumo de bebidas alcoólicas para além de não interferir nos actos, comportamentos, e acções do Ser-Humano, não prejudica a condução de veículos nem provoca acidentes com viaturas, conforme comprovam os estudos efectuados sobre esta matéria.

    É preciso que as Entidades e Autoridades competentes investiguem o que está por de trás desta medida por parte da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

    • Mr. Y says:

      Se calhar é a Luso, a Vitalis, ou quem sabe a Coca Cola que estão por trás deste lobbies para prejudicar a venda de bebidas alcoólicas.
      Dizer que estar bêbado não influencia em nada é ridículo. Vais dizer que tens a mesma velocidade de reacção? É lógico que não é o único factor mas é um deles.

    • Manuel Araújo says:

      Aqui, o crminoso parece ser o figueiredo que pelos vistos quer beber até ficar inconsciente e matar tudo o que mexa, na estrada, na rua e arredores:
      temos novo bozo tuga? Junte-se ao ventura!

  10. Repara says:

    Concordo com a lei que diz que “não se deve conduzir sob o efeito do álcool”..
    Não sei se o valor da medição do álcool do tinto (do bom) é esta, mas do que tenho percebido – “um copo de três” (à volta de 2dl) não acusa, mas “1/2 garrafa”, a chamada meia garrafita (à volta de 3,5dl) acusa e dá multa. Não se fiem nisto, porque não tenho a certeza, até já pensei em comprar um medidor para ter no carro.
    Mas o que eu quero dizer é: nem toda a gente tem a mesma resistência (e experiência) ao consumo de álcool. Enquanto para uns com “meia garrafita” conduz na boa, quem não bebe com regularidade – com uma imperial já fica toldado. Pelas alminhas de quem lá têm – se não estão habituados a beber, bebam água, mesmo que estejam longe do máximo permitido.

  11. matemática não comigo says:

    Espera lá, eu não bebo por motivos de saude “vou ter de ter essa m…no carro?” Why

  12. jorgeg says:

    Mas isto aplica-se tb aos agentes da policia e politicos, naaaaa provavelment e para o povo.

  13. Pintor says:

    Em Portugal não faz sentido, o negócio são as multas assim da menos multas logo menos dinheiro.

  14. compro essa também says:

    Talvez se fizerem metade dos testes que os agentes fazem, talvez existiam muito menos acidentes …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.