PplWare Mobile

França vai proibir a venda de carros a gasóleo e a gasolina


Fonte: Lusa

Autor: Pedro Pinto


  1. jonhy says:

    Impressionante que és coisa são sempre com prazos sempre muito lá para o Futuro (os outros que se preocupem), porquê 2040? Porque não 2025?

    • Luis carreira says:

      e poder económico para a maioria das pessoas comprar um a pilhas?

      • jonhy says:

        tou a falar em relação a novos. há carros a pilhas que são tão baratos como uns a diesel/gasolina que para aí andam.
        Já para não falar que existem várias marcas que esperam lançar carros a pilhas abaixo dos 15mil até 2022

      • TugAzeiteiro says:

        Mas precisas de comprar já um a pilhas? O teu não te serve? Os carros a combustão ainda vão estar presentes nas estradas por muitas décadas. Se tivermos em conta que a média que uma pessoa mantém um carro são 10 anos, depois desses 10 anos ainda há alguém que o vai comprar e utilizar durante outros 5, 6, 7 8, 9 anos…. Portanto a proibição de 2040, só lá para 2060 é que se começa a reduzir a presença de veículos a combustão nas estradas! Se calhar 41 anos é pouco de mais….. Mas… com a evolução que as baterias estão a ter, acredita que daqui a 10 anos poucos são aqueles que vão querer comprar um carro novo a gasolina!

        • John Doe says:

          E quem é que diz que um carro a pilhas é menos poluente que um a combustão?

          Eu não defendo um nem outro, simplesmente acho que nenhum deles é a solução… Esta ideia de “ah agora vou comprar um elétrico e já sou super amigo do ambiente” é completamente falsa. A energia com a qual o carregas não vem só do vento e das barragens, a produção de um veículo elétrico é muito mais poluente que a de um a combustão, as baterias são completamente tóxicas para o ambiente… Portanto quem achar que os carros elétricos são a solução está enganado. E se tivermos todos estes factores em consideração, aquilo que um veículo elétrico polui ao longo da sua vida desde a sua produção até ao seu abate não é tão diferente do que um carro a combustão polui…

          Queres ajudar o ambiente neste momento? Não uses carro. Usa transportes públicos, anda de bicicleta, apanha Ubers, vais ver que te fica mais barato do que comprares um carro tendo em conta o que pagas pelo carro e pela sua manutenção.

          • rui says:

            O objetivo não é “não poluir” é atingir “neutralidade do carbono” no País, pelo que diz no artigo. Ou seja ser neutro na emissão de CO2 (não considera sequer os NoX e afins) e um carro 100% elétrico emite 0 CO2, a produção do mesmo assim como dos carros de combustão, irá ser considerada nas partes que ocorrerem no país, eventualmente montagem, etc. nos custos de operações das fábricas que também podem eventualmente ter medidas de neutralidade de CO2.
            A Mineração dificilmente será no país logo não entra nas contas, assim como as emissões das bombas de extracção de petróleo, só conta as emissões dos veículos e eventualmente a refinação se for efetuada no país.

          • John Doe says:

            Estou de acordo, e por isso é que comentei neste comentário e não na notícia em si.

            Se reparares o meu comentário vai no sentido de alertar que o carro elétrico apesar de não emitir CO2, está longe de ser amigo do ambiente, tanto que referi que não acredito que nem o elétrico nem os a combustão sejam o futuro 😉

          • ervilhoid says:

            e um carro a combustão? oleo e filtros, co2.. o gasoleo e gasolina que compramos vem num navio petroleiro, poluente

          • Louro says:

            Claro que a questao ambientalista nao é 100% verdadeira no ponto de vista do consumidor… No entanto e falando por mim, é verdadeira no ponto de custos, com o bonus do ambiente.

            Tenho dois Tesla, Model X e S, tenho performance de um supercarro e gasto zero em combustível, carregamentos nos superchargers sao grátis até ao fim da vida dos carros, custo de manutencao é próximo de zero…como bonus, emito menos cO2 NOX e por aí fora.

            Que posso eu querer melhor?

            Vai mais um ano saber tao bem, ir de férias a Portugal e pagar zero em combustível… (Mais de 3000km)

          • TugAzeiteiro says:

            Eu certamente não digo que um carro a pilhas é menos poluente que um a combustão… mas tu no teu comentário dizes que é! Há estudos a dizerem que o eléctrico é mais poluente, outros dizem o contrário… portanto tudo depende de quem paga o estudo!!
            Agora temos todos que ver o seguinte…. na primeira metade do século passado também, com a ascensão do carro a combustão, estes eram muito mais poluentes do que os actuais, não só na produção do carro em si, como na produção do combustível, óleos, emissões, etc… O carro electrifico só agora é que está em ascensão e em desenvolvimento! A energia para o carregar não é limpa? Pois não… mas em portugal a renovável já representa 56%… pode ser que daqui a 20 anos já represente 80% e daqui a 40 anos 90%… Pelo menos irá ajudar na necessária mudança de produção de energia e na estabilização das redes! As baterias de lítio são poentes na sua produção? Pois são… mas são apenas uma tecnologia em desenvolvimento (tal como os primeiros a combustão) e irão sofrer uma grande evolução…. Basta lerem um pouco sobre o novo método da maxwell que reduz significativamente o impacto poluente na produção!
            Evoluímos a nível tecnológico mais nestes últimos 10 anos do que nos últimos 40…. dêem tempo ao tempo!
            Já agora se não acreditas que o electrifico ou o combustão sejam o futuro, acreditas que será o a célula de combustível? É que fores por aí vais muito mal….. e aí já há muitos estudos a indicar o porquê do hidrogénio não ter/vir a vingar!
            https://cdn.motor1.com/images/mgl/OrLRA/s1/efficiency-compared-battery-electric-73-hydrogen-22-ice-13.jpg

          • John Doe says:

            Onde é que eu disse que o carro eléctrico é menos ou mais poluente que o que quer que seja? Eu só digo que um carro elétrico também é poluente…

            Não sei se o Hidrogénio será ou não o futuro, que eu saiba só existe 1 modelo acabado e penso que ainda nem está à venda, pelo que se não consegues entrar um consenso entre carros a combustão vs elétricos depois de tantos anos, imagina nos carros a hidrogénio dos quais pouco se sabe ainda.

            Na minha opinião, a solução, tal como eu disse no 1º comentário, passa pelo abandono do carro individual nos moldes em que é usado hoje. Obviamente que hoje em dia não é fácil imaginar isso, porque não existem transportes para os gostos de cada um, e nem todos trabalham no centro da cidade das 9 as 18 e eu percebo isso. Mas o futuro, para quem quer ser amigo do ambiente, deve ser esse e devemos pensar em arranjar maneiras para tornar isso possível.

            Falas, e bem, da produção renovável de 56% em Portugal. Agora vamos pensar numa coisa, achas que podes depender em 80% de energias renováveis? E caso não haja vento durante X tempo? e caso não haja sol? vivemos à luz das velas ? Além do mais, com o crescimento dos VE o consumo será cada vez maior, e novamente não vão buscar energia só às renováveis. Uma central termoelétrica demora 2 dias a aquecer e estar pronta para produção, pelo que nunca será desligada… Mas bem, se houver um abandono geral de carro individual, esta produção poderá muito bem chegar para todos!

            Pode até parecer que sou contra os VE.. garanto te que não sou, há uns anos até era grande entusiasta. Simplesmente percebi que as coisas não são tão fáceis como fazerem querer parecer… E a solução passa mais por nos adaptarmos e sabermos viver de maneira sustentável

          • Napoleon Bonaparte says:

            @ Loiro
            Então espera que a eletrificacao chegue em massa e vais ver o que o Governo decide quanto aos carregamentos! Vais ver que o paradigma dos carregamentos ao preço da chuva das tuas máquinas de origem americana, quiçá amanhã de origem chinesa ou indiana até passam a levar-te o couro e o cabelo. Em suma : o coiro inteiro!
            Ou pensas que o Governo, para quem o automóvel é a vaca leiteira vai abdicar disso?!
            Oh pá! Cresce, acorda e aparece…

          • João says:

            John Doe não vou comentar os carros de combustão/eléctricos mas sim a sua frase “Uma central termoelétrica demora 2 dias a aquecer e estar pronta para produção, pelo que nunca será desligada…” onde você viu/leu tamanho disparate?
            Eu digo disparate, pois estive mais de trinta anos ao comando de grupos termoeléctricos convencionais.
            Paramos e arrancamos muita vez com os grupos em função das necessidades da rede.

        • Louro says:

          @Napoleon Bonaparte
          Na questão de impostos pagos, sim é bem possível, mas tendo em consideração que hoje pago zero…

          Depois, a marca disse aos clientes que carros comprados antes de uma determinada data tinham carregamentos grátis para a vida nos superchargers, logo isso irei continuar a ter, para além do facto de que cada vez há mais ainda.

          Mesmo que isso acabe daqui a 20 anos(e não tenciono ter estes carros daqui a 20 anos), já fiz milhares e milhares de km gratuitos que pagaram os carros em si.

          • Luis carreira says:

            Ainda bem que tens dois eletrodomesticos mas não deve ser bem assim como pintas ate porque tens “n” questões mecânicas que tens igual a um carro a combustivel… Logo a questão das revisões não é como dizem… Tens anticongelante, rotulas, casquilhos, travões (que podes usar menos é certo), transmissões, suspensão, pneus e por aí fora e ate acho que os motores têm uma certa lubrificação (posso estar enganado). Ao que parece há vários casos de motores trocados (não em PT). A questão a ires de férias é porque para onde vais tem postos de carregamentos porque a maioria das pessoas não o têm. Eu no meu caso tava lixado… Tinha de estar a empurra-lo

      • Daniel says:

        Pior das hipóteses: mas agora automóvel é direito universal e ninguém foi avisa?

      • Pérolas says:

        Até 2040 não nos doa a cabeça…

    • Pintor says:

      Para poderem dizer que fazem alguma coisa pelo ambiente.
      Daqui a 20 anos podem sempre dizer que não é possível.

    • ACS says:

      Porque é preciso tempo para desenvolver alternativas baratas em massa. Os eletricos ainda precisam de mais 5 a 10 anos no minimo para ficarem minimamente maduros.

    • Hugo Nabais says:

      Porque não existe infraestrutura nem tempo para a preparar até 2025 para abastecer todos os carros se fossem eléctricos.
      Nem vai haver em 2040 pelo menos cá.

    • Nuno says:

      E porque não 2060?

  2. Tim says:

    Acho bem.
    A proibição de veículos a de combustão nos centros da cidade deveria entrar já em vigor.
    Andamos nos a correr e a fazer exercícios pela cidade e a levar com os gazes dos escapes. Pulmões q precisar de oxigénio e só entra NOx , PM e CO2.

    • Ricardo Santos says:

      Talvez devas ir correr para outra lado… tipo um parque verde… montanhas, etc…

      Sei lá, digo eu.

    • LA says:

      Sr Tim, sempre pode ir correr e viver, para o campo. É bem mais saudável.

    • João M. says:

      ACho que quem corre sabe que deve ir para locais verdes e arejados.. não va levar também com o fuminho dos fumadores.

      Essa ideia de “acabar com tudo” é de quem percebe muiti pouco do impacto de medidas destas no dia-a-dia das pessoas e da economia. Quando eu tiver transportes publicos DECENTES que me levem de A a B sem ser em tipica sardinha enlatada ou a demorar quase 2 horas.. então penso no assunto..

  3. THATISNOTGONNSAVEUS says:

    Em 2040 já estão as florestas todas queimadinhas e já estão mais uns 3 graus…

  4. Dani says:

    Demonstra pouca vontade de mudar as coisas… 2040 uma década mais tarde do que seria o mínimo admissível.

    Qualquer proibição depois de 2030 não mudará as coisas na indústria nos próximos anos…

  5. Radamel says:

    Alguém acha que este prazo não foi definido com as marcas automóveis? Principalmente com as marcas francesas? “Ora então digam lá quando é que vos dá jeito? daqui a 20 anos? OK.”

  6. djoje says:

    Como se o fabrico dos a “pilhas” não poluicem….. ok

    • Luis carreira says:

      pois… portugal vai continuar a ser esventrado por causa das pilhas

    • rodrigo says:

      e a extracao, transporte, refinamento e finalmente a combustão de petróleo nao polui mais??

    • Nuno says:

      já a extração do petróleo refinamento transporte para todos os cantos do mundo não polui nadinha e ainda vou deixar outra dica a produção de bateria polui nos sítios em que são produzidas que pode ser contornado facilmente colocando arvores a volta por exemplo para absorver o co2 já os carros tradicionais poluem por todo o lado é impossível de contornar

  7. Ze Carlos N says:

    Um horizonte que talvez garanta alternativas ao litio.

  8. Vasco says:

    Excelente notícia. O fim anunciado do carro particular. Carsharing é o futuro e devemos usar um carro em função das deslocações, tipo via verde: entra um utilizador, usa até ao destino, sai e entra outro. Ainda mais, tendo em conta que o futuro passa pela condução autónoma. Pessoalmente, não vejo a hora de me ver livre do chaço e das despesas associadas a ele e prefiro poupar esse dinheiro que ao fim do ano daria para muita coisa.

    • AJ says:

      Concordo a 100% e aguardo também pela hora de me livrar das despesas ao carro. Apenas pagar o que usar.

    • Cortano says:

      Podes desfazer-te do chaço já!! Porque é que não o fazes?

      • Vasco says:

        Total ausência de alternativas para me deslocar para o trabalho. No dia em que puder, marcha logo, disso não tenho a menor dúvida. (Ao fim de semana nem lhe toco.)

      • Toni da Adega says:

        Quem puder é a melhor coisa que faz.
        Cá em casa tinhamos 2 carros e ja nos desfizemos de um deles. Foi a melhor coisa que fizemos prefiro demorar o 20 minutos de bike para o trabalho que arriscar a apanhar transito e demorar 45 fechado num carro.
        E quando for para comprar um novo muito provavelmente vai ser electrico

    • Luis Santos says:

      pessoalmente tambem fazia isso ,não fosse ter um horário a entrar ás 3 da manha ,sem qualquer alternativa de transportes ,e com este horário duvido que algum dia vá ter .Ridiculo é que entra ás 9 da manha em lisboa ,morar nas periferias ,e levar carro com transportes á porta .

  9. Don says:

    Nada contra a notícia, mas seria bem mais rentável melhorarem toda a rede de transportes para que as pessoas podessem deixar de pensar no carro particular.
    Assim reduziam muito facilmente a quantidade carros a circular nas estradas, mesmo sem “obrigar” as pessoas a usar carros eletricos ou outra alternativa menos poluente.

    • Pedro Ferreira says:

      Efectivamente esse deveria ser o caminho. Mas parece-me mais que com esta conversa, lá descobriram que o aluger de extras associados ao ownership de modelos alternativos (comprando um carro electrico em que se alugue uma bateria por exemplo) garante rendas mais vantajosas aos construtores do que simplesmente a venda de automoveis a combustão a cada 10 anos.

  10. David Guerreiro says:

    É uma meta perfeitamente atingível, daqui a 21 anos já os automóveis eléctricos devem estar a preço bom e com mais autonomia.

    • Luis Santos says:

      o problema não é só a autonomia ,é o carregamento ,tem de haver tecnologia que permita carregar o carro no mesmo tempo que se enche o deposito .E isso ainda não há,nem vai haver tão cedo

      • rodrigo says:

        talvez haverá mais cedo do que pensas! Tesla recentemente adquiriu a Maxwell que se especializa em ‘ultracapacitors’. Isso ajudara diminuir o tempo de carregamento drasticamente! ‘E tudo 1 questão de tempo.

      • Nuno says:

        é so para mim que o tempo de carregamento não interessa é que eu pessoalmente durmo 6/7horas e estou em casa umas 10 da perfeitamente para o carro carregar e faço 45km por dia que já é acima da media uma bateria da me para uma semana sem me preocupar

  11. LSousa says:

    Está mais que provado que os carro eletricos de ecológico neste momento pouco ou nada tem . As pessoas esquecem-se da poluição que se faz para produção de eletricidade bem do que isso significará em termos de custos e reforços da rede elétrico para suportar cargas de milhões de veiculos…. Obviamente que o renovável não chegará a menos que se opte também por poluir mais tudo com milhares de aerogeradores a povoar as montanhas e painéis fotovoltaicos espalhados por todo o lado e cujos espelhos contribuem eles também para alteração do clima com a reflexão dos raios solares….
    Porque não se deixam as coisas com meios termos, porque não se preocupam em produzir motores a hidrogénio ou mesmo em melhorar as emissões dos motores a combustão interna?
    Isto é mesmo típico de pressões financeiras (durante anos do lado do petróleo e agora do lado da eletricidade) bem como de pessoas mal informadas que se limitam a andar atrás do rebanho…..

    • Louro says:

      Sim porque a gasolina e o gasoleo nasce ali debaixo dos postos de abastecimento…

      Nao é necessária energia para o extrair, nao é necessário ser transportado em navios que poluem, nao é necessário serem transportados depois em camioes que poluem…

      Por isso mesmo é que devemos apenas considerar o fabrico e reciclagem das baterias quando falamos da poluicao.

      • John Doe says:

        Claro que é. E por isso é que não é sustentável, tal como os carros elétricos não são. Aliás nem a rede está preparada para um crescimento brutal de VE. E caso isso aconteça, as renováveis nunca chegarão para alimentar tanto carro. Simplesmente não é sustentável…

        A melhor opção que vi até agora até me parece o hidrogénio tal como LSousa falou, mas como ainda existe muito pouca informação sobre isso não se pode concluir grande coisa a nível ambiental.

        • rodrigo says:

          infelizmente os carros a hidrogénio nao são tao eficientes como os eléctricos. Talvez um dia mais tarde sejam.
          Para nao falar que uma pessoa comum nao poder fazer hidrogénio em casa enquanto que facilmente se pode criar energia com paneis solares por exemplo.

        • Louro says:

          Sim andar com um depósito de hidrogénio atrás é o meu maior sonho…

        • Alguem says:

          Utilizas muito mais energia num carro a hidrogénio do que num elétrico, e achas que o hidrogénio pode ser mais sustentável que a eletricidade? A vantagem do hidrogénio é poder concentrar mais energia no depósito de um veículo, e poder abastecê-lo mais rapidamente, o que é perfeito para camiões e autocarros que fazem regularmente viagens longas e mal param num lugar.

          Já agora tenho a ideia de ter lido que os carros a combustão têm um quinto da eficiência dos elétricos. E não me admira que um elétrico seja bem mais eficiente. Olha só, não seria preciso nem metade da energia para abastecer a frota atual de veículos em versão elétrico.

      • LSousa says:

        Meu caro nunca disse que a gasolina não poluia agora essa febre do elétrico é uma pura falácia e sei do que falo mais uma vez pergunto se sabem quanto representa em termos de consumos energéticos se toda a população mundial colocasse todos os carros a carregar. E pergunto, só as renováveis dão vazão a esse consumo? As redes de distribuição estão preparadas? Gostam de ver milhares de aerogeradores e painéis fotovoltaicos a povoar o horizonte? Volto a referir não compreendo estes fundamentalismos, elétrico sim mas para quem quiser, alternativa? O hidrogénio, neste momento faltam é locais de abastecimento pois já existem motores capazes….

  12. gigbola says:

    Quem polui mais? Carros ou a produção de energia para uso industrial e da população?
    As soluções mais eficazes para alimentar a rede elétrica europeia nao interessam a ninguém, excepto ao povo……mas o povo vale o que vale, para a elite é so um número…. descartáveis quando da jeito…

  13. MrB says:

    E vou eu comprar um velhinho do ano 2000 porque preciso de um carro,porque moro numa aldeia a 10 km do local de trabalho,também gasto menos para o caso de Portugal se lembrar de adoptar uma lei do gênero

    • Toni da Adega says:

      Eu moro a 10 km do trabalho e vou de bicicleta, ou de mota muito raramente. Para distâncias assim curtas carro é completamente indispensável.

  14. Zé Duarte says:

    Que engraçado, num país não querem eletricos, no outro ao lado só querem eletricos. Decidam-se ou vamos mesmo usar bicicletas puxadas por esquilos!

  15. O verdadeiro eu says:

    É lixado, um gajo trabalha para ganhar € e depois não pode nem comprar o carro que “quer”…simples, basta comprar um carro a combustão em 2039 (deve durar uns aninhos).

  16. Pedro Ferreira says:

    Boa medida. Mas estamos a falar de países com alternativas de mobilidade melhores que as que temos cá (comboios, metros, autocarros). O calcanhar de Aquiles não é os carros per si, é o ownership de carros e o quão insustentável e mortal esse modelo é (independentemente do combustivel que o move). Precisamos é de uma rede integrada e eficiente (sim, de custo) de transportes que elimine essa necessidade.

    PS – será que em 2040 os cargueiros vão poder atracar nos portos franceses ou esses não poluem?

    • Don says:

      Essa é outra questão, concentram os esforços em atacar os automoveis (consumidor).

      Ninguém fala nos Camiões, Camionetas, Aviões, Barcos.

      Se só atacamos o “mais fácil” vamos continuar com o mesmo problema, segundo já ouvi falar um Cruzeiro polui o equivalente a 1 milhão de automóveis…

      • rodrigo says:

        temos de começar nalgum lado nao? Se proibíssemos os camiões, aviões, barcos, etc era o fim do mundo para a maioria da população. A nao ser que sejas agricultor, a comida vem tudo transportado de fora por exemplo.
        E também tens de ver que o gasolina que se usa nos carros vem transportado nesses barcos e camiões. Se deixarmos de usar gasolina haverá menos barcos e camiões a transportar esse produto.

  17. eu says:

    Portanto, se comprar um carro novo agora e durar 10/15, que é o fim de vida, ainda nem chegarei ao inicio da nova norma.
    Se querem fazer à séria, há macho, é colocarem já em 2025 essa meta.

  18. Monteiro says:

    Os carros a bateria só são uma solução sustentável e amiga do ambiente para citadinos, com pouca autonomia e baterias pequenas.

  19. João says:

    A ideia de baixar a poluição é muito boa.
    O problema é que a principal fonte para carregar as baterias dos carros vai ser as centrais a gasolina e carvão que a contrário dos carros não tem qualquer filtro para poluição. Moral da história o ar vai ficar mais poluído que com os carros a combustão.

    • rodrigo says:

      mais um que nao sabe o que diz. Os centrais de carvão vai sendo cada vez mais raros enquanto que a energia verde vai aumentar com os anos.
      Aconselho-te a ler mais acerca do assunto

  20. N1ldo says:

    Pq estão tão preocupados com o CO2 se é um gás exencial a vida?

  21. Luís Barros says:

    Quem está perto de trasportes obrigado a utilizados por lei reduzir as entradas nas capitais trabalharem mais perto de casa era está a situação

  22. Manuel says:

    Alguém acredita? Se a Renault, que é maioritariamente do Estado Francês, vai-se fundir com o grupo Fiat e tornar-se o terceiro maior fabricante no mundo deixa de vender daqui a 20 anos. Só para parecer bem.

  23. tootall says:

    os coletes amarelos vão ajudar ao arder mais uns, os deles não, so dos outros.

  24. José Teixeira says:

    É como o plástico, quando se usava pratos e copos de papel nos anos 90 quiseram acabar por causa do ambiente e do abate árvores, para o negócio do eucalipto agora é ao contrário, nos países asiáticos que são mais poluentes que na europa ninguém faz nada isto do ambiente só serve para muitos se enrriqueserem á custa do povo , ordenados baixos e o custo da alimentação cada vez mais caro só burocracia faz falta uma nova guerra Mundial

  25. Vitor Rocha says:

    Já pensaram como vão ficar pobres os países da OPEP. Deixam de poder extrair petróleo e vender. E que será das grandes empresas de produção de gasolina e gasóleo como BP ou GALP ou CEPSA, REPSOL, ETC etc… Vamos vender as ações dessas empresas e apostar nas companhias eléctricas. Tudo é muito estranho. Porque não colocam os carros a combustão mais caros do que os elétricos, e o público depois decidia.

  26. Artolas says:

    Afinal são mais malucos do que eu pensava.

  27. Manuel says:

    Gosto destas medidas
    Bicicletas, vamos passar a ir trabalhar e ao supermercado de bicicleta?
    Nesse caso não vamos necessitar de carro, Como fabrico componentes para carros, vou vender menos, logo necessito de menos colaboradores, como não vou conseguir pagar os encargos do investimento com uma redução da faturação o negócio abre falência.
    Compreendo agora o porquê das bicicletas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.