Quantcast
PplWare Mobile

Quantenna – Wireless a Gigabit em casa já em 2012

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Rui da Silva says:

    Pois, evitava de ter andado a passar cabo cat6 pela casa toda :S

  2. M.Manuelito says:

    Posso ir dizer uma grande asneira, mas transferir, por exemplo um filme numa rede que funcione a 1 Gigabit com a capacidade de escrita dos discos e outro hardware actual é viável? Eu às vezes copio ficheiros entre dois discos e a velocidade de escrita dos meus discos parece-me um bocado lenta, será que dão conta do recado os discos e board´s actuais!!

    • Andros says:

      Esse é, na verdade, o grande calcanhar de aquiles das novas tecnologias de transmissão de alta velocidade…

      • Joao Reis says:

        Exacto. Esperemos que os SSD baixem, quando as marcas largarem a mama dos discos mecanicos. Meter SSD em tudo, boas velocidades de escrita e leitura.
        Fácil!

        • Vander Pereira says:

          as SSDs nao sao uma boa opção, pois elas possuem limite de leitura e gravação. por isso ainda investem nos HDs fisicos…

          • Joao Reis says:

            Que limite, o limite é superior em muito ao disco mecanico. A limitação de nº de leituras foi no inicio. A unica razão de se vender mecanicos é o lucro das maquinas que os fabricam ainda serem usadas. Quando todos forem para SSD os preços baixam. É como a tech 3D com mais de 30 anos de existencia, enq as pessoas nao terem melhor a preços normais, vai se manter a farsa.

      • tiago says:

        Isso não é bem assim!
        A velocidade de transferência é em bits e o coeficiente é 1000 e não 1024 como nos bytes, por isso uma rede Gigabit, consegue na melhor das hipóteses (com bom hardware e já com alguma margem para erros e para os cabeçalhos tcp/ip) uma velocidade na ordem os 100/110Mbytes, que é pouco mais que a velocidade média de escrita dos discos de hoje em dia, que se não me engano, ronda os 90Mbytes. Não falando claro em SSDs,Raptors,SAS,etc…

    • Paulo Tavares says:

      Caminhamos na direção dos SSD (Solid-state drive).
      Esta é uma tecnologia que com certeza irá ganhar espaço de mercado durante o próximo ano.
      Juntamente com o USB3 começamos a ter um aumento significativo em termos de velocidade.
      Não esquecer que estes equipamentos wireless poderão alimentar mais que um recetor, logo mais performance individual na receção de sinal.

    • Carlos says:

      Obviamente depende do disco, do computador, etc.

      Mas a ideia das redes 1Gbps é manter uma largura de banda bem boa quando estão vários equipamentos a usar a rede.

      Se estiveres a sacar filmes dos torrents num computador, a fazer streaming dum filme bluray do dvd da sala para a tv do quarto e etc. e tal, uma rede de 1Gbps começa a dar jeito.

      É que não é 1 Gbps para cada 1, é 1Gbps a dividir por todos.

    • Vander Pereira says:

      pra isso amigo Manuelito, existem as RAIDs, onde se conseguem taxas muito acima das atuais SATAS, e pra usuarios domestico, ja existe a sata 3.0, com o dobro da velocidade da versao anterior. Se bem que a tecnologia RAID e possivel para usuario domestico sim, bastando pra isso vc fazer uso de uma ferramenta de servidor chamada FREENAS, onde ele faz raid por software, uma boa opção gratuita pra quem tem uma maquina aciosa em casa. Hoje em dia TODAS as pl. maes de PCs comuns ja podem fazer algum tipo de RAID. basta ler o manual e ter um pouco de coragem… Abraços…

      • Gerardo says:

        Não esquecer que um RAID para performance (porque o RAID pode ser para redundância de dados) aumenta o risco de perda de dados. Se tiveres um RAID apenas para performance basta que um dos disco se avarie e bye bye dados. Ora quantos mais discos, maior é a probabilidade de um deles avariar.

      • tiago says:

        Sata3 em discos mecanicos é completamente desnecessário uma vez que nem sequer utilizam todo o potencial do sata2. O sata 3 foi criado devido aos ssd que já tinham ultrapassado os limites do sata2. O futuro é ssd, disso ninguém tem duvidas, já há algumas opções bastante simpáticas no mercado. E tendo em conta o boom que os discos mecanicos levaram nestas ultimas semanas com as cheias da tailandia, quem precisar de um disco neste momento não compensa outra coisa que não um ssd.

  3. Jaime says:

    É uma mais valia para Hotspots publicos, se estes actualizassem as suas redes isto é.

    A maioria das pessoas nem 20mb de net tem quando mais fazer uso de tanta banda. Para uso domestico está fora de questão.

    • Vander Pereira says:

      nem tanto assim… se vc deseja compartilhar arquivos em rede, esta e uma boa opção. e net nada tem a ver com o uso interno de sua rede pelas SmartTVs, PCs, Tablets, etc… compartilhamento nao tem so a ver com a net hj em dia…

      • Jaime says:

        Tendo em conta que precisa de um adaptador de cada lado da ligação, e muita gente ainda anda com norma “b/g”, a sua adopção será de longo prazo. os usos e vantagens são evidentes mas o preço será um factor contra. O meu ultimo router durou 6/7 anos e ainda era norma “b/g”. O que tenho é norma “n” e apenas com uma antena. Não tenho um único aparelho em casa que beneficie desta tecnologia.

    • Paulo Teixeira says:

      Fora de questão??? e então transferência de ficheiros dentro da rede?? stream com televisões e outros aparelhos???
      E mais, mesmo a velocidade de comunicação entre o router e o PC interfere na velocidade da Internet no PC.

      • Jaime says:

        É raro ter duas placas de rede com capacidade gigabite, ou seja, 1000/100/10. 90% dos routers são apenas 100/10 Lan e a adopção de novas tecnologias é lenta pelo seu elevado custo.

        Quando digo fora de questão, referia-me a curto prazo. Daqui a 10 anos já nem se pensa em algo mais lento que isto. Agora norma “g” infelizmente ainda é o standard.

    • Pedro Pinto says:

      e na maioria das vezes os “tais” 20 Mbps são partilhados por vários utilizadores.

      • Jaime says:

        Eu ainda tenho 10mb cabovisão e já prometem aumentos à vários anos…

        Se for ao maior hotspot aqui da zona (forum ou glicinias de Aveiro) só se tem redes norma “g” e com velocidades absurdamente baixas.

  4. ZES says:

    BOa sugestao estava mesmp a precisar de comprar um micro ondas 😀

  5. Miguel Augusto says:

    Em minha casa tenho as placas de rede com débito de 54mb, no entanto quando quero passar coisas de um lado para o outro, mesmo com o sinal no máximo, a transferência nunca vai acima dos 5mb…
    quando vier essa de 1Giga, talvês consiga transferir coisas a 100mb

  6. jedi says:

    que bom, mas nao vale apena ter em casa um router com esta tecnologia, se nao tiveres um portatil ou desktop com o standard 802.11ac, por isso fica a chuchar no dedo . lol

  7. Arsénio says:

    Eu vejo isto uma grande vantagem, onde tenho uma rede por cabo a 10/100/1000 e tenho maquinas c/ discos SSD embora sata 2 já tem uma grande velocidade de escrita. Mas já aí andam os discos SSD Sata3 que atingem velocidades de 250mb/s de escrita e mas de 500mb/s de leitura por isso até a rede de 2gb wireless é bem vinda e os ficheiros tão cada vez maiores.

  8. Gerardo says:

    E o calcanhar de Aquiles da velocidade, o disco, continua a ficar para trás nesta equação. Alguém terá de inventar alguma coisa para agarrar os dados transmitidos a estas velocidades.

  9. mr_mufy says:

    Pessoal.

    estão a esquecer-se de outro factor.

    Aqui só se fala de velocidades e os alcances????

    Vejamos se um router equipado com toda esta tecnologia e os pcs tb, mas e as paredes? deitam-se a baixo?

    Nao se esquecam do electromagnetismo que existe em todas as casas que interferem….

  10. DJS says:

    Ainda não tive tempo de ler nenhum artigo sobre esse protocolo mas de qualquer forma é preciso ter calam.

    Estamos a falar de velocidades teóricas, isso em cenários reais deve ter um packet loss gigante com a consequente redução de performance.

    Quanto à questão da velocidade tenho um array RAID 0 com 2 disco e 2 anos de idade que faz 300/300 MB/s e um SSD no portátil que faz 290/120 MB/s pelo que o gigabit fica bem curto. Neste momento andava a considerar uma coisa destas: http://en.wikipedia.org/wiki/InfiniBand mas não arranjo com interface expresscard.

  11. R@1R says:

    Vi muita gente a falar dos discos mas parece que não leem os post dos outros utilizadores amigos SSD, SATA3, RAID, SAS já para não falar dos Raptors para quem não sabe são discos sata com 10000 rpm (e ao contrario do que o Gerardo diz meu amigo compra discos de jeito que isso não acontece) em 10 anos de trabalho a montar servidores raros são os discos que vi avariarem, por isso meus amigos nós queremos e velocidade pq hardware para a receber já existe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.