Quantcast
PplWare Mobile

Redes – Cabo UTP Categoria 6

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. dc says:

    Só falta é dinheiro para remodelar a rede cá de casa.

    Até lá os 100Mbps dão para os gastos.

    A Alta Definição ainda não chegou á minha casa, lol

  2. jmtdstoc says:

    Ainda na semana passada enquanto navegava por um site de material electrónico (lidertronica.com) fiquei intrigado por uns cabos “estranhos” chamados de “CAT6”. Como só conhecia o CAT5e fiquei intrigado e apercebi-me da minha desactualização 🙂 .
    Nem de propósito vejo agora este post 🙂 .
    Estou elucidado… mais uma vez obrigado PPLWARE!!!

  3. Pedro Pinto says:

    @David parabens pelo óptimo Post !!!

    @jmtdstoc nos manuais de instalações de redes de dados já começa a aparecer o cat 7, por isso andas desactualizado 2x 🙂

  4. Manuelito says:

    Por acaso o edifício principal da Autarquia onde trabalho está a ser ampliado e remodelado e uma das coisas que pedi ao projectista aqui há cerca de 2 anos atrás, é que a rede fosse toda feita com cablagem categoria 6.
    Lendo este artigo, chego à conclusão que fiz uma boa escolha.

    Fiquem bem!

    • Eduardo Brito says:

      Toda em Cat6… não sei se será boa escolha. Todo o cobre em Cat6 sim. Seria melhor o Backbone ser em fibra 😉

      Um abraço

      • Manuelito says:

        Talvez fosse uma boa ideia, mas não temos ligações por fibra, as nossas ligações mesmo a outros edifícios são feitos via wireless.
        Em todo o caso não sou propriamente especialista na área pelo que outra ideias são sempre bem vindas.

  5. mokoto says:

    Mano David, parabéns pelo artigo, ficou um must, valeu a pena 😉

  6. Carlos Costa says:

    Parabens por este Post!!!

    Trabalho numa empresa que importa equipamentos passivos (cabo de rede, tomadas, fichas…etc) equipamentos activos (switch, routers, kvm, etc…)

    Na realidade com a Cat6, o desempenho de uma rede estruturada melhora e muito. Mas há que ter muita atenção quando todos estes componentes (cabos, tomadas/fichas) são instalados.

    Faço bastantes certificações de redes estruturadas e se estas não forem instaladas por “mãos” sábias, o desempenho da rede fica comprometido. Com a certificação podemos verificar todos os aspectos da Cat.6 segundo as normas técnicas – ISO/IEC 11801:2002; IEC 61156-5; EN 50173-1:2002; EN 50288; TIA/EIA 568-B.2-1 ; CENELC.

    O cabos de rede Cat6 chega a se mais problemático Certificar! Não basta seguir os manuais ITED etc… para um instalador experiente, segue muitas regras e conhecimentos adquiridos ao longo do seu dia-a-dia.

  7. NT says:

    Boas

    Excelente posta, agora ver se mostro isto aqui ao chefão para ele gastar uns euritus a meter isso + rápido :):):) só para conseguir aceder ao pplware + depressa hehehe!

  8. Vítor M. says:

    Parabéns ao nosso leito David Soares pelo seu excelente post. Já aprendi um pouco mais hoje = Dia Ganho 😉

  9. speedy says:

    muito bom, sim senhor. mas em relação às velocidades do cabo, nao é bem essa a vantagem face ao 5e, que também permite Gigabit. portanto, mesmo que queiram uma rede a gigabit, podem aproveitar os 5.e que estã em casa que fazem o mesmo trabalho.

    ja a nivel de empresas, pode-se começar a usar o 6A. este ja tem uma grande vantagem face aos 5e e aos 6: já permite rede a 10Gbps.a termos de routers e switchs profissionais, nao sei como isso anda, mas que o cabo ja ai anda, anda.

  10. Bit&Byte says:

    Viva!

    Dizer que o cabo Cat6 é indicado para redes de alta velocidade, na minha óptica, não está totalmente certo.

    Um cabo cat5 ou cat5e cumpre os requisitos para suportar altas velocidades também. A diferença reside no facto de este cabo possuir um isolamento electromagnético superior, o que permite que o cabo suporte alta largura de banda para distâncias elevadas! Para distâncias curtas (leia-se até 30m) o cabo cat5e serve muito bem!

    Portanto, depende do cenário!

    A velocidade teórica atingida por LAN gigabit é de 125MB/s mas nunca esquecer que, para o utilizador regular, estes valores nunca são atingidos uma vez que o hardware, principalmente o disco rígido, não
    permite leitura/escrita a essas velocidades! Apenas se tiver RAID 1 (ou seja, dois discos que repartem a informação) os valores de leitura podem ser superiores! Mesmo assim, na escrita os valores são bastante inferiores…

    O fundamental é analisar cada caso para que não se gaste dinheiro desnecessariamente!

    Cumprimentos!

    • Pedro Soares says:

      Atenção à confusão na tecnologia RAID:

      RAID 0:
      Tornar o sistema de disco mais rápido (isto é, acelerar o carregamento de dados do disco), através de uma técnica chamada divisão de dados (data striping ou RAID 0);

      RAID 1:
      Tornar o sistema de disco mais seguro, através de uma técnica chamada espelhamento (mirroring ou RAID 1).

      Mais informações em:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/RAID

      Abraço.

      • Bit&Byte says:

        Tem razão Pedro, confundi os conceitos! Prevalece a mensagem entre parêntesis!

        Obrigado pela atenção!
        Cumprimentos!

        • Tenente says:

          @Bit&Byte

          Ao ler o teu comentário quase fiquei com a impressão que leste o artigo sobre Gigabit na Tomshardware.

          Nos testes que eles lá fizeram chegaram à conclusão que só conseguiam “quase” atingir se fizessem uma cópia de discoRAM-para-discoRAM. Tudo o resto que envolvesse discos físicos chegava no máximo aos 70 MB/s e tinha de ser hardware do melhor.

          Abraço.

          • Tenente says:

            … depois do “quase atingir” acrescentem “a velocidade de 125 MB/s” …

          • Bit&Byte says:

            Tenente!
            Tenho que bater pala 🙂

            Sempre tive esta ideia porque sempre trabalhei mais nas camadas físicas e o meu background é muito mais hardware do que software portanto sinais diferenciais é coisa que estudei e em que trabalhei q.b.

            Claro que ao ler o artigo do tom’s vi com os meus próprios olhos os testes efectuados principalmente em RAID pois pessoalmente nunca tinha comprovado! É um excelente artigo e vale a pena passar lá os olhos 🙂

            Obrigado por enriquecer o post!

            Cumprimentos!

      • Jorge Matias says:

        Gostaria de esclarecer que num sistema RAID1 também se lê dos vários discos para aumentar a performance. Como os dados são iguais em todos os discos, não há problema nenhum em pedir uma parte da informação a cada disco, tornando a leitura mais rápida.
        Tal como o Bit&Byte disse, as leituras podem ser mais rápidas, mas as escritas continuam a ser à mesma velocidade de 1 só disco.

  11. Hugo Saul says:

    Boas

    Mais uma vez venho referir o que aqui já foi dito excelente post, e excelente site.
    Mas venho rectificar uma coisa, já existe redes de cat 7A . A qual suporta mais distancia e também é muito mais rápida, mas até agora tem alguns pontos contra: as terminações dos cabos são diferentes das normais usadas hoje em dia ( RJ45 ) sendo necessário ter que usar adaptadores para se poder ligar aos equipamentos já existentes.O outro factor é que é extremamente caro fazer uma rede em cat 7.

    Hugo Saul

  12. Carlos says:

    Olá,

    Pretendo instalar uma rede entre um prédio novo (está no final da construção). O melhor custo benefício hoje em dia seria CAT6? Sou bem inexperiente no assunto por isso gostaria de saber se o “eletricista” que vai passar os cabos precisa algum conhecimento técnico para instalar esse tipo de cabo.

    Saudações Brasileiras.

    Carlos

    • Eduardo Brito says:

      Boas,

      Vai depender das distâncias. O mais utilizado hoje em dia ainda é cabo UTP Cat5e. Agora a distância máxima recomendada para este(e para o cat6) é de 100m. No caso de um prédio o mais recomendado será haver um Bastidor Principal com equipamento activo (onde serão feitas as comunicações de/para o exterior – ex. ISPs) e depois haver (pelo menos um) Bastidor por piso com equipamento activo (Distribuidor de Piso). Se por acaso as distâncias entre Bastidores forem superiores a 100m, será melhor utilizar de fibra, o que encarece o projecto. Quanto ao ser um “electricista”… desde que tenha conhecimentos, experiência e material para fazer certificação, não vejo problema.

      Um abraço

      • Eduardo Brito says:

        Não fui explicito no último post mas as ligações entre bastidores devem ser sempre Bastidor Principal/Bastidor de Piso e nunca Piso/Piso.

        Um abraço

        • Carlos says:

          Só pra ver se eu entendi então.

          Um servidor principal provavelmente localizado no centro do prédio e depois uma distribuição utilizando cabos até um switch por piso (a cada 2 pisos) que levaria até algum apartamento. Estou certo?

          A idéia não era gastar muito dinheiro nisso até porquê pessoas leigas não veem diferença entre um peão de obra passando meia duzia de fios pra cada lado ou uma estrutura mais organizada.

          O que tu quer dizer com fazer a certificação?

          Obrigado desde já.

          • Eduardo Brito says:

            No Bastidor Principal deverás ter um Switch L3 ou um Router, switch(s), servidor(es), firewall(s), ou outros (depende do que necessites). Nos de Distribuição, pelo menos um switch de L2 para a(s) ligação(ões) de/para o switch do principal e para as ligações de/para os pontos de rede.

            Certificação é testar cada um dos circuitos (cada um dos cabos passados), ponta a ponta, através de equipamentos para o efeito (Os testes mais comuns são a distância e valores Next, Fext, PowerSum Next e PowerSum Fext).

            Um abraço

          • Carlos says:

            É possível fazer isso tudo utilizando switches normais correto?

            Já tive aula de redes porém na faculdade não se aprende esse tipo de coisa.

            Vi que um switch de L3 é extremamente caro. Derrepente compro um Switch da Dell pra fazer o principal, vi um preço bom nos PowerConnect 2724. O prédio vai ser residencial e a conexão entre os apartamentos vai ser feita somente para compartilhar internet e alguns arquivos, nada comercial.

            Obrigado

          • Carlos says:

            Esqueci de dizer. São 7 andares, sendo 3 apartamentos por andar… então teria provavelmente conectado de 15~25 computadores.

          • Jorge says:

            Desculpem, meter-me na conversa, mas se for edificio de habitação têm a regulamentação á perna que não autoriza algumas das propostas apresentadas, e atenção que o comprimento util sem “aditivos” é de 90mts em qualquer das tecnologias, e a nivel de preço\preformance a fibra já começa ser opção por culpa dos activos que tem vindo a cair de preço, uma vez que o cabo propriamente dito de fibra é quase ao mesmo preço do par de cobre

  13. Anderson says:

    Não adianta utilizar cabos categoria 6 e conectores normais utilizados em redes cat5. Alias isto é um erro bastante grosseiro e o resultado pode ficar pior do que utilizando cabo cat5.
    Isto ocorre porque o cabo cat6 é mais espesso devido ao encapsulamento interno que separa os pares. Com isso, a pessoa não informada acaba tentando forçar o cabo cat6 a entrar no conector e danifica o cabo. A consequencia é que esse cabo pode nem sequer passar na certificação cat5 utilizando um pentascan.

    Abraços.

  14. 3biz says:

    ja uso esta cabelagem e router gigabit cá em casa à dois anos! 😛

  15. O Silva says:

    Parabéns pelo post…

    Só uma correcção…onde se lê “corrente máxima de 48V” deve ler-se “tensão máxima de 48V”.

    Tensão em Volts (V)
    Corrente em Amperes (A)

  16. Pedro Pinto says:

    @O Silva
    Alterado. Obrigado pelo pequeno, grande pormenor.

    Pedro Pinto

  17. Eduardo Brito says:

    @Carlos

    Sim podes utilizar um Switch L2, mas vais precisar tb de um router para ligação ao ISP (não a colocar um PC a fazer de proxy, pois não??).

    Um abraço

  18. Carlos says:

    Tava pensando em colocar um PC mesmo… até porquê queria agregar algumas outras coisas a esse servidor, como serviço de câmeras.

    Obrigadão Eduardo. Você esclareceu varias duvidas já.

  19. Bruno says:

    muito bom post…:D

  20. Miguel says:

    só queria fazer um reparo, não é o cabo que usa os pares (2 ou 4), pois os 4 pares estão lá sempre, as diferentes tecnologias é que usam diferentes números de pares.

  21. speedy says:

    @Carlos, podes mesmo por um pc a fazer de router e servidor. mas nao metas muita carga ai, um servidor de paginas, ainda é aceitavel. agora meteres por exemplo, um servidor de videovigilancia e afins ja se torna demasiado para o computador. a nao ser que invistas mais. caso contrario, qualquer Pentium 4, aguenta com aquilo. ate um P3 aguenta, mas isso ja se torna demasiado antigo.

    e depois um outro servidor ao lado com o servidor videovigilancia, ja fazia o trabalho mais que bem.

    • Carlos says:

      @speedy, estava pensando em comprar uma máquina servidor mesmo. Provavelmente algo da dell, tenho alguns contatos para comprar eles por bom preço. Provavelmente vou colocar algum xeon ou coisa parecida, por isso acredito que mesmo colocando algumas cameras para vigilância não há problemas de deixar somente ele para servidor de internet e gravando algumas imagens no HD. Que achas?

  22. Gabriel says:

    tou pedido socorro porfavor mim ajude, mais tenha paciencia porque eu só mesmo um novato,bom o que eu preciso saber si o switch pra uma rede cat 6 pode ser qualquer hum
    Gabriel da Bahia

  23. Mauricio says:

    parabens pela matéria….
    muito bem explicada e totalmente util!!!

  24. edeurico Novela says:

    nao sabia da existencia desse cabo CA6 mas segundo o david diz, e um bom cabo.
    Fiquei muito impressionado quando diz que para conectar 2 swishs usa cabo crusado. cumprimentos

  25. Leo says:

    Uma pergunta: é necessário algum cuidado com as fichas?

    Ou seja – pergunta de leigo: as tomadas terão que ser Cat6 ou podem ser as mesmas de sempre? (sendo obviamente aconselhável uma boa tomada)

    Obrigado!

  26. gostaria de revender este cabo em mogi das cruzes preciso de uma parceria voçes tem alguem para indicar,os preços estão otimos

    fico no aguardo da resposta

  27. gostaria de comprar algumas cxs neste valor R$ 0,36 como conseguir
    obrigado

  28. Márcio says:

    Boa tarde a todos.
    Tenho uma dúvida que ainda não consegui encontrar resposta em várias pesquisas que fiz.
    O comprimento máximo de um cabo Cat6 numa rede estruturada é de 100m. Mas qual é o comprimento mínimo de um cabo UTP Cat6?
    Cumprimentos.

    • midori says:

      em normas esta especificado que se for cabo que liga 2 patch panels terminados em femea, nao pode ter menos de 15 ou 10 m

      dizem estar na norma tia-568-c, mas nao encontro muitas referencias dessa norma disponivel

      ela custa U$ 839,00

      vc tem alguma novidade marcio?

      • Márcio says:

        A única informação que obtive a este respeito foi-me dita por um colega de trabalho, que me informou que os patch-cords não poderiam ter menos de 1 metro. Eu tenho no meu bastidor de dados, patch-cords de 0,5 m a ligarem os patch-panels ao switch. Não tenho a certeza se terei que os substituir, pois não encontro documentação em contrário.

  29. diego paiva says:

    Tenho que ligar 2 computadores a uma distancia de 200m. e gostaria de me certificar de que somente consiguirei trabalhar com eles a essa distancia tranquilamente se fizer uma rede com fibra optica, ou se eu conseguiria um desempenho parecido usando um cabo de rede cat 6e.
    se puderrem me auxiliar nesta duvida agradeço.

  30. DIEGO says:

    Pedro

    vou ter que ligar um PC a 230m exatamente
    com um cabo cross fire em outro computador. meu medo é que fique lento pois é uma automação de equipamento que tem que trabalhar simultaneamente.
    já instalei a 140m, e ficou bom as a 230m fico com receio de gastar com fio e não dar certo

  31. eB says:

    Boas,

    Metendo-me no assunto… a distância máxima aconselhada para UTP é de 100m (patchs incluídos). Mais do que isso poderá provocar perda de pacotes. A 230m essa perda deverá ser tão elevada que será praticamente impossível a transmissão/recepção de dados.
    Porque não coloca um ou dois switchs (ou mesmo hubs se os tiver encostados) entre os dois equipamentos??

    Abraço

  32. Miguel says:

    Boas,
    alguém me sabe dizer qual a corrente maxima que estes cabos suportam sem se danificarem? por exemplo, para alimentar um telefone, eles fornecem energia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.