Munique pondera abandonar o Linux e voltar ao Windows


Destaques PPLWARE

183 Respostas

  1. Linux free says:

    Não acredito que o Linux não fosse capaz da tarefa… A não ser que entregassem a migração a pessoal impreparado e que cometeu erros. Não será mas é o pessoal a querer entreter-se com joguinhos e/ou o “Lobby da Microsoft” uma vez mais a ganhar as batalhas?

  2. Antunes says:

    O problema é sempre a assistência, poupam na licença e depois gastam milhares a resolver problemas!

    Problemas de drivers, problemas de compatibilidade, software, etc. etc…

    No meu ver Linux é para Servidores, e não para o utilizador do dia a dia!

    • int3 says:

      A assistência é exatamente igual.

      • APereira says:

        Para quem nao percebe do assunto, sim tens razao…é igual dar suporte a uma máquina a correr Linux ou a uma a correr Windows…

        Para quem está no mercado, a verdade está longe de ser assim.

        Primeiro porque necessitas de alguém para desenvolver o software para Linux, coisa que…é mais cara…

        Segundo porque necessitas de alguém que de suporte a esse mesmo software, que por consequencia é mais caro,

        Terceiro porque necessitas de alguém que te de suporte a máquina e sistema operativo, que é mais caro.

        Quarto porque necessitas que os utilizadores saibam trabalhar em ambiente linux, como “todos” tem maquinas windows em casa, vais ter de lhes vais ter de dar formacao, logo mais dinheiro…

        Quinto, porque se necessitares de um software especifico, nao há para linux, para Windows pode existir e se nao existir, é mais barato desenvolver.

        Queres mais?

        Podem correr e saltar o que quiserem, num ambiente empresarial, Microsoft é rainha e senhora.

        • Artur Peralta says:

          O funcionarios queixam-se e gastam milhões… Que queixas são? Isso é muito vago… E se se queixassem das cadeiras, das mesas, das casas de banhos, dos salarios, … Isso não é desculpa?!

          Ainda gostaria de saber quais os programas que tanto eles falam que lhes davam a volta a cabeça… Não tem qualquer cabimento!

          • APereira says:

            Tens um execelente exemplo que é provavel que eles usem…

            Office… arranja lá uma alternativa decente.

          • Artur Peralta says:

            O formato definido para documentos é ODF, e é isso que têm que usar. Não acredito que precisem de uma funcionalidade que o libreoffice não faça. Consegues dar um exemplo?

          • Miguel says:

            Fica desformatado ao enviar para a restante utilizadores de Office.

            Pode-se ler (em 2014) que os funcionários levavam os seus portáteis para o local de trabalha para funcionarem decentemente.

          • Sergio says:

            Respondendo a tua afirmação acerca do formato ODF, tens razao, é um formato standard e suportado tanto pela MSF como por outro produtor de software office que se preze.
            Mas nem tudo se resume a formatos de ficheiros. Tens funcionalidades que apenas o MS Excell faz, e tens o facto de as pessoas estarem a trabalhar durante anos (bem ou mal) com uma ferramenta e terem de mudar para outra ferramenta que embora a filosofia seja semelhante (mas nao igual) a usabilidade é de longe muito pior que o da MS Office.
            Eu uso Linux no meu dia a dia para servidores, ha anos. Tenho um parque de servidores considerável a meu cargo. Já tentei migrar os portateis para Linux (Fedora, CentOS, Ubuntu), e noto claramente um decrescimo na minha produtividade quando quero utilizar uma folha de calculo, um powerpoint ou até mesmo um Word (que odeio!)
            E para quem trabalha num escritorio de administraçao publica, isso tudo é cansativo, moroso e custa dinheiro, neste caso, a contribuintes.
            Continuo a achar que cada macaco no seu galho. *Nix é fantastico para servidores, para desktop Mac ou Windows apenas!
            E o que o APereira afirma, eu subscrevo e confirmo!

          • Artur Peralta says:

            @Miguel – Se fica desformatado quando mandam para alguêm é porque esses alguêm não utilizam o formato standard para documentos.

            @Sérgio – Não estou a defender a utilização ou não de linux, estou sim apenas a constatar algumas coisas:
            1º – As pessoas têm que trabalhar com as ferramentas que têm. Suponhamos que uma pessoa trabalha em PHC e não em Sage, vai a empresa mudar de programa para ela trabalhar “melhor”??
            2º – Dá-me exemplo de uma funcionalidade que o Office tenha e que o LibreOffice não tenha (ao nível que estamos a falar).

            Queria dizer que se o caso fosse ao contrário eu estaria aqui exactamente a dizer o mesmo. Não gostar do sistema não é desculpa!

          • APereira says:

            @Artur Peralta,
            Basta o facto de criares um documento no LibreOffice o guardares no formato Word e se este for aberto no Microsoft Word estar completamente desformatao.

            Basta que nao tenhas um cliente de Email a altura do Outlook,

            Basta que nao tenhas um protoloco de email que nem sequer se iguale ao Exchange,

            Basta que…tanta coisa meu caro…

          • Artur Peralta says:

            Pois é, pois é, pois é, … basta fecharem-se em protocolos proprietários e ficam também presos às aplicações. Bem me lembro como foi com o skype à uns anos atrás…

            Usar protocolos abertos e livres, ecolhes os programas que queres usar, no sistema operativo que queres usar. Simples, não?

          • Artur Peralta says:

            Já agora, porque raio vais gravar criar um documento no libreffice e guardares em formato word? Os protocolos standard estão definidos e para documentos é ODF.

            Tanta grande empresa que não utiliza outlook, aliás nem entendo assim a vantagem, podes me dizer uma ou 2 para qualquer outro programa de email?

            Exchange?? sério?? Achas uma vantagem utilizar o exchange??

          • APereira says:

            @Artur Peralta,

            Protocolos,
            Se estes foram desenvolvidos pela MS porque razao haverao eles de os abrir para outros poderem usufruir do seu trabalho?

            Word,
            Porque nem todas as pessoas tem o office a abrir por defeito documentos ODF, é um formato standard é um facto mas que praticamente nao é usado e ambos sabemos disso.
            Qualquer forma continuas a ter problemas na transicao entre LibreOffice e Office.

            Exchange,
            Nao me vais dizer que um servidor de email POP3 ou IMAP é melhor que Exchange pois nao?

          • APereira says:

            Podes correr saltar rebolar e até fazer uma vaca tossir mas…de momento nao tens absolutamente nada que esteja ha altura da Microsoft e dos seus servicos no mundo empresarial.

          • Artur Peralta says:

            @APereira

            Esta tua frase diz tudo… “Nao me vais dizer que um servidor de email POP3 ou IMAP é melhor que Exchange pois nao?”

            Nem sabes qual é a alterativa ao Exchange, e estou na dúvida se sabes o que é um servidor exchange… é que caso não saibas podes aceder a um servidor Exchange por POP3 por exemplo…

            Em relação a: “Podes correr saltar rebolar e até fazer uma vaca tossir mas…de momento nao tens absolutamente nada que esteja ha altura da Microsoft e dos seus servicos no mundo empresarial.”

            Isso é uma questão de preferência, nem discuto isso, agora trocar o parque de um Município, Empresa, Universidade, …. porque os utilizadores queixam-se?? E se se queixassem dos salários, das cadeiras, da mesa, do carro, … qualquer dia podem exigir iphones porque sim…

          • Carlos says:

            Opá, se queres saber do que os funcionários se queixam vai lá e pergunta-lhes.
            Olha que caraças.
            Agora vires para aqui dizer, sem fazer ideia do que lá se passa, que as queixas não têm cabimento é que é idiota.

          • Artur Peralta says:

            @Carlos – no mínimo ridículo esta tua afirmação.:

            “Agora vires para aqui dizer, sem fazer ideia do que lá se passa, que as queixas não têm cabimento é que é idiota.”

            Sabes o que se lá passa? Se sim, diz-nos! Se não, pela tua lógica nem devias comentar também!

          • João Machado says:

            @Artur Peralta, é muito bonito falar do ODF mas achas que essas pessoas só trocam documentos com pessoal de Munique?
            Quantas instituições conheces que usam esse formato?
            Toda a gente sabe que os formatos standard para troca de documentos são doc/docx, xls e pdf.
            Vir falar de outros formatos só serve para puxar a brasa à sardinha.

        • int3 says:

          não sabes mesmo nada desculpa lá.
          nem vou comentar mais porque seria uma perda de tempo.
          só te digo que é exatamente igual. contratar serviços de IT…

          • APereira says:

            @int3,
            Antes de responder ao teu comentário deixa-me dizerte que já levo mais de 15 anos no mercado e que nos ultimos 10 tenho a minha própria empresa a qual dá suporte informático para outras empresas.
            A nossa especialidade é defacto sistemas Unix e MacOS, e a percentagem de clientes Windows que temos é muito reduzida (cerca de 10%), óbviamente que nao te vou falar em nomes de empresas mas posso dizerte que o nosso maior cliente tem um parque de cerca de 1600 máquinas MacOS e os servidores da empresa acentam 99% numa plataforma Unix facturando mais de 5 milhoes de Euros/ano.
            Combinado, gerimos um parque de mais de 30.000 máquinas espalhadas por 16 países.

            E agora perguntas tu, porque é que apenas 10% dos nossos clientes usa Windows?
            Resposta… Porque nós somos demasiado caros para suportar Windows, no entanto no que diz respeito a sistemas Unix somos dos mais baratos no mercado.
            E porque é que isso acontece perguntas tu? Porque para contratarmos engenheiros e programadores que realmente saibam trabalhar em Linux e MacOS temo de pagar bem mais, pois assim o mercado o decidiu.

            Podes dizer o que tu quiseres, podes até dizer que Linux é mais barato porque na verdade o é…hoje!
            No futuro seja a médio ou longo prazo nunca fica mais barato para uma empresa usar Linux mesmo tendo em conta o custo de licenciamento.

            Se me vieres dizer que preferes ter uma máquina em casa, por tua conta e risco com Linux e nao pagar pela licenca Windows… Yup…usar num ambiente empresarial?Isso já tem muito que se lhe diga meu amigo.

        • Darksantacruz says:

          Nem mais. No mundo empresarial a Microsoft domina.

    • Marco Nunes says:

      o Linux é tão bom para o dia a dia como qualquer outro, o problema aqui foi talvez não haver alguma formação da sua utilização, deixei de usar Windows faz anos e trabalho com ele diariamente. Windows nunca mais volto

    • André O. Freitas says:

      Bom dia Antunes, você tem razão mas isso por causa de falha de estratégia. Ao meu ver as partições públicas deveriam ter uma equipe de TI especializada em linux, de forma que não ficassem reféns de empresas para resolver os problemas do dia-a-dia na parte de TI.

    • Augusto says:

      O sr não faz programação de certeza absolua.

    • José Maria Oliveira Simões says:

      Desculpe lá qualquer coisinha, mas eu uso o Linux todos os dias. Quando preciso ligar-me a maquinas windows, faço-o sem qualquer problema a partir da maquina que tem Linux. O único problema que sinto é a partilha de documentos, folhas de calculo entre o office e o libre office. A formatação não fica exactamente igual aquando a impressão. O inverso ainda não tenho a percepção de que haja problemas.

      • Sujeito says:

        José Simões, experimente enviar e pedir para receber ficheiros em PDF. Mantém a formatacao original.

        Se precisa de colaborar em tempo real, tem o google docs e o office 365, ambos a funcionarem online.

        • APereira says:

          Entao mas queres fugir da Microsoft ao usar produtos open source e depois vais enfiar-te no Office365 ou pior no Google Docs?

        • José Maria Oliveira Simões says:

          O problema não se põe a esse nivel. O problema é quando uma ou mais pessoas faz alterações a um mesmo documento. Uns com o word da microsoft e outros com o word do libre office. O mesmo problema acontece com folhas de calculo que são alteradas tanto pelo office como pelo libre office. A formatação dos documentos a quando da impressão não fica igual. De resto, não me tenho apercebido de qualquer outra dificuldade. Os utilizadores tanto trabalham com o office ou com o libre office. Para os utilizadores não é problema.

        • Augusto says:

          Os ficheiros pdf são iguais em windows, linux e Mac. Se algum deste S.O. o alterar é porque não está a cumprir a norma.

    • Elias Abrantes says:

      Bom eu uso no dia a dia a 8 anos e sempre quando compro um PC novo deleto o Windows e instalo o ubuntu ate agora não me decepcionou olha que trabalho na área de engenharia e uso programas office e de cad

  3. Pérolas says:

    Hummm, cheira que há outras coi $a $ no ar… O mundo está a cerrar fileiras, a recolher recur $o $ e a contar espingardas, e ainda assim consideram migrar para uma solução de total dependência e de controlo externo… Bem, a história já nos provou que os alemães, quando estão sob pressão, tomam decisões básicas e seguem por caminhos que era melhor não terem seguido…

  4. nelsontb says:

    Isto não tem nada a ver com a nova sede da microsoft na cidade

    • Neto Carlos says:

      E nem com o fato do alcaide de Munique se declarar um fã da Microsoft.

      • Miguel says:

        Nem o facto de já se noticiar o planeamento desde 2013 e o presidente da câmara actual ter sido eleito em 2014… POIS!

        O homem é culpado e ainda nem sequer tinha sido eleito…

      • Augusto says:

        Isto é uma guerra entre estado na Alemanha. Estão em causa 5 mil milhoes de euros que a Microsoft paga de impostos gerados na Europa através de vendas online. E munique está a fazer loby para que a microsoft mude para Munique.

    • Augusto says:

      É claro que sim, é uma guerra interna entre dois estados germânicos. Isto tem a haver onde a Microsoft vai pagar os impostos de toda a Europa, se em almstad ou em Munique.

  5. Luis says:

    Pessoalmente acho que mudarem para o Linux foi a melhor decisão que tomaram. Má foi a forma como a fizeram. Houve custo de mudança mas esquecem-se que para o uso do Windows também houve custo e de certeza muito mais elevado, mas como talvez foi mais diluído no tempo então não se fala nisso.

    O problema deles é que se baseavam muito na virtualização de maquinas e muito do software era antigo e não o actualizavam para suportar as novas necessidades.
    Ou seja, por uma decisão má a coisa correu mal. A receita perfeita para a desgraça quer em Linux quer em Windows.
    Gostaria de ver como seria se no Windows se baseassem na virtualização de maquinas para uso dos trabalhadores e com software de 2006 a tentarem abrir os pdf’s e documentos criados em programas com as versões actuais como fizeram com o Linux.

    Falar é muito fácil mas quando não se conhecem todos os factos o silencio é de ouro.

    Claro que o que interessa é falar mal dos Windowses ou dos Linuxs….

  6. int3 says:

    2 250 000€em licenças windows 10 pro
    40€ por utilizador no servidor (CAL) se existe 15mil utilizadores em média: 600 000€
    Se existir 50 servidores 32 500€
    se usarem office 365 para 15mil pessoas: 157500€/mês (1 890 000€ ano)
    Antivirus 450 000€/ano

    Total CAPEX: 2 882 500€
    Total “manutenção” por ano: 2 340 000€

    Custo no primeiro ano: 5 222 500€
    Ao fim de 10 anos 28 622 500€

    Tudo que disse é só em licenciamento básico.
    @Pedro Simões
    Acredita que em termos de preço é literalmente milhões de euros mais caro. Só se fala em termos de conveniência.
    Na banca muita coisa nem sequer passa na cabeça usarem windows por questões de segurança. Postos com RedHat, servidores com RedHat e é tudo baseado em programas em Java ou serviços web internos.
    Se vocês soubessem quanto custa um servidor SQL Enterprise…

    • fla says:

      Manutenção de Linux é muito mais cara. Apenas é usado na banca e noutros locais que não olham a custos para as tarefas em mão.

      Nem falo dos custos de formaçōes de todos os colaboradores no novo software que terão que usar para substituir o software windows a que estão habituados.

      • int3 says:

        E não é preciso também manutenção em ambientes windows? estás a falar para alguém que FAZ e justifica custos em ambiente 90% windows.
        A mão de obra é exatamente igual quer um engenheiro em windows quer em linux.
        Formação todos têm e não difere em nada.
        E os bancos olham para os custos. Principalmente se tivermos a falar de centenas de servidores, dezenas de milhares de computadores.
        A banca inclusive têm equipas dedicadas uma para segurança, outra para desenvolvimento, outra para operações, outra para xpto e xptz. e conitnua por aí a diante.

        Fla não deve ter noção mesmo do mundo de IT. Não estamos a falar para 2 pessoas em casa…

        • APereira says:

          @int3, vai desculpar mas quer parecer que quem nao tem nocao do que é o mundo IT (sem ser em casa) é mais voce.

          • int3 says:

            Sou IT manager numa empresa do setor energético.
            Sou o responsável de gerir TUDO. O que uso? windows. eu sei quanto custa um sistema windows.
            Quando subi para este cargo já tinhamos praticamente quase tudo windows (voip, mySQL, postfix e nagios funcionam sobre servidores centos) e recomendei usarmos remote desktop apps para os utilizadores. ou seja, funcionam tudo sobre um servidor windows e as máquinas todas sobre linux. Pouparia em anti-virus, licenças windows 10 pro (que são caras o pro) e entre outras coisas que já não me recordo de cabeça.
            Mas por questões de convinencia e monopólio é preferivel manter como está.

          • APereira says:

            Como referi lá atrás sou IT (nao me vou intitular de manager pois apesar de ser dono da empresa sou tao funcionário como todos os outros) e vou dizerte uma coisa…

            Sabes porque é que o teu plano nao foi para a frente?Nao foi por questoes de monopolio nem conveniencia…foi porque existem pessoas na empresa onde trabalhas que tem cabeca e que provavelmente percebem mais do assunto do que tu e que sabem que isso nunca iria funcionar.

            Na teoria, sim funciona, na pratica…esquece lá isso meu caro.

          • APereira says:

            Referiste que Voip funciona sob Linux, deixa adivinhar…Asterisk ou um dos seus forks?

            Estou a deduzir isto claro a olhar para a tua mentalidade do “Free” é que é bom, o resto nao presta.

            (Repara que meti Free entre aspas, pois na verdade está longe de ser Free)

      • José Maria Oliveira Simões says:

        Errado !!! Isso é conversa de vendedor. Querem lá ver que o rato no windows funciona dum modo completamente diferente nas janelas no Linux ?

    • Cortano says:

      hum… mas eu vejo tantos terminais com Windows e OSx nos bancos

      • Tiago says:

        Fora o facto que não usarem Windows por questões de segurança é mentira… Dos que conheço: Millenium, Caixa, BPI… todos eles têm inumeros servidores Windows e imensas App’s com tecnologias Windows apoiadas por SQL Server. É só perguntarem a qualquer programador que trabalhe para eles ou com eles e este cenário cai por terra.

        • naovoudizer says:

          oi.
          Trabalho como Eng de sistemas na euronext e o teu cenário cai por terra porque usamos praticamente tudo em Linux.
          Windows só para controlo dos utilizadores (AD, GPOs, etc).
          Os endpoints é a maior parte windows pela questão acima mas há muitos postos com RedHat.
          Se usassemos ambiente windows a 100% estariamos a falar de custos adicionais na ordem dos 100 milhões de euros em 10 anos (10 por ano).

          Isto no mercado ibérico.

    • APereira says:

      Depende do quais terminais estas a falar no banco…os terminais nos balcoes?

      Nah meu amigo, esses correm Windows.
      Estas a falar dos terminais de multibanco?Aqueles que correm windows NT ou Windows 2000?
      Estás a falar dos terminais automaticos nas diligencias para poderes consultar o teu home banking enquanto esperas?Yah, correm Windows. (7 na maioria dos casos).

      Estás a falar dos servidores que estao por trás disso tudo?Yap…a maioria correm Linux ou BSD…
      Estás a falar do software deles? A maioria desenvolvido em Cobol, logo Telnet.

      • Dani says:

        Banca, Seguros, Aviação ou tudo o que tenha que ter um sistema que não possa falhar corre num servidor IBM com SO OS/400 ou As400 ou mais recente IBM i ou linux(AIX ou Gnu)… por isso continua a haver por parte destas grandes instituições procura nas linguagens COBOL e RPG da IBM.
        :)
        Em tom de brincadeira e se queres brincar, grafismo e apresentações bonitas usa Microsoft…
        Se queres realmente algo para trabalho duro e performance e que não falhe então IBM…

        • APereira says:

          A tua frase “se queres brincar, grafismo e apresentações bonitas usa Microsoft…” só mostra que nao sabes as potencialidades do Windows.

          Alguém te disse que Linux é melhor (e nao desfazendo) e tu acreditaste…

        • Miguel says:

          Em 2009 usava o AS400 numa instituição bancária portuguesa… e ainda hoje há bancos que usam o AS400.

    • José Rodrigues says:

      Isso não funciona assim, isso são valores tabelados, nenhuma empresa com agreement paga valores tabelados, nem sequer anda lá perto, além que no caso de serviços públicos em certos países são feitos contratos por serviço público, o que significa que eles podem neste momento até estar a pagar essas mesmas licenças sem sequer as estarem a utilizador, exemplo de Portugal com SPMS e os Hospitais e centros de saúde.

      Com RedHate os preços sobem, mas a banca não olha a valor, mesmo na banca quase todas em todo o Mundo usam pelo menos Microsoft AD e os postos de trabalho são maioritariamente Windows.
      SQL Enterprise é licenciado por Core físico, e se fores comparar com quanto custa Oracle DB, sai quase a metade do preço para o mesmo tipo de utilização.

    • 123asdasd123123123123 says:

      lembra-te que pode haver parcerias, que fazem esses valores descer bastante 🙂

    • Luis says:

      Tens noção de quanto custa uma Licença Red Hat?? Não é barata te garanto!! Deves tar a confundir Red Hat com CentOS

    • JJ says:

      Isso é o valor comercial do produto.

      Para as empresas, que compram grandes lotes de licenças, o preço é bem inferior. Alias, nem compram licenças, pagam um x anualmente para terem acesso aos produtos Microsoft e ao seu suporte, num numero ilimitado de maquinas. Talvez por uns 2/3 milhões ao ano, tem 20 mil maquinas (ou o dobro se quiserem) com Win e Office, e ainda tem a garantia de melhorias no SO sem custos adicionais, bastando apenas o departamento de IT da empresa correr actualização em todas as maquinas.

      E digo isto, por experiência própria, tenho uma licença do WinXP Pro (fornecido por uma empresa), que eu posso instalar o WinXP Pro em centenas (se não milhares de maquinas) e o Windows fica sempre activo e tudo a funcionar.

    • Carlos says:

      Já trabalhei em muitos bancos e seguradoras e o que não falta lá são máquinas Windows.
      E o que ainda comummente se chama de AS/400.
      E um SQL Server Enterprise é caro, mas é uma pechincha comparado com um Oracle.
      Que sim, é o que se usa na banca. Ou então a base de dados do AS/400. Também há quem faça isso.

    • Carlos says:

      E estou a ver que é um perito em licenciamento da Microsoft.
      O que é estranho é que depois sejas um fanboy do Linux, porque um perito em licenciamento da Microsoft (que é mais uma ciência mais oculta reservada apenas aos iniciados que outra coisa) ganha fortunas.
      Aliás, há consultoras, tipo Accentures e Deloittes que cobram fortunas por auditorias de licenciamento.
      E tu fazes isso de borla num qualquer site na net.
      És um santo, é o que é!

  7. Oscarwyze says:

    Fizeram boa escolha, o Windows 10 é de longe o melhor s.o. para o utilizador do dia a dia, simplesmente fantástico e sempre a evoluir. o Linux nos servers é brutal. Microsoft sempre a frente no que diz respeito a sistemas operativos!

  8. bola says:

    Normal, quem quer trabalhar a sério não encontra software para Linux como no Windows 😉 Logo virá o tempo mas por agora, Visual Studio, SQL Server Management Studio, Photoshop, Autocad, etc, etc, etc…..

    • Augusto says:

      Os softwares que referiu tem todos alternativas profissionais, dou-te um exemplo, o melhor software de autocad ( Cátia ) migrou de sistema unix para windows, e ainda hoje eles preferem vender a versão unix porque usa de forma mais eficaz os processadores matemáticos. E se compararmos os desempenho para a mesma máquina então nunca mais quererás ver windows à frente.

  9. Nuno says:

    Nem o facto da Microsoft disponibilizar meios técnicos e humanos para a dita migração…

  10. Rui says:

    O Linux é bom mas é para utilizadores mais avançados, não para o utilizador normal, para quê complicar o que é simples.

  11. Stanislau says:

    Lobby poderoso,imaginem quanto não foi investido para voltarem a este mercado !

  12. lol says:

    Nem o facto de linux ser uma porcaria

    • Pedro says:

      porcaria é o teu comentário. se não conheces ou não sabes, mantém-te calado.

    • Altair says:

      Tão porcaria que você depende de Linux todos os dias ao navegar na internet, ou vc acha q os servidores espalhados no mundo são windows, por favor ne, o que faz a internet funcionar e o Linux.
      Um sistema seguro e estável, certamente você não sabe o que está falando assim como uma boa parte dos usuários finais de windows que não conhecem nem a existência de outros SO’s, aí quando escutam falar de um SO diferente do seu já falam q é ruim, nunca usaram, mais falam q é ruim, é o típico pensamento só o q tenho presta, todo o resto é ruim só por eu não ter ou souber usar.

    • francisco says:

      Melhor comentário!

    • Paulo says:

      Realmente os nerds linux juntam-se aqui todos,até parece que são mais do que 1% dos usuários totais de PC.

  13. Pedro Costa says:

    Há aqui qualquer coisa estranha… Gastaram 30 milhoes de euros em 15 mil PC’s!?
    Mesmo que fossem topos de gama não iria custar tanto.

  14. Mercdei says:

    O Linux está morto. Não tem hipótese

    • ruiuda says:

      Se está morto não haveriam milhões de Android e iOS no mundo (mercado mobile) ou milhoes de servidores com distros baseadas em Linux.
      A Microsoft que se cuide porque de market share só no mercado dos PC é que está bem. Mas isso também poderá mudar um dia. 😉

      • Carlos Mendonça says:

        Não percebi a razão do ios estar metido aí no meio…

        E na minha opinião, Linux é para servidores e tarefas específicas.
        Para o utilizador comum falta uma distro boa, com apoio de uma empresa que leve a mesma para a frente. O ubuntu tenta, tenta, mas ainda não conseguiu.

    • Augusto says:

      A comunidade linux é muito maior que a microsoft. Falo de universidades, empresas, Ibm, google, Nasa, etc etc etc. Toda esta gente desenvolve código para linux

  15. Joaquim says:

    Eu percebo a mudança…. Eu implementei no meu PC antigo, um dual boot com Windows 10 e Ubuntu 16.04, para testar e estudar o Linux… e o que posso dizer é que são só problemas! Começa logo, na instalação e desinstalação de qualquer aplicação, é um trolaró de todo o tamanho. Depois, há poucas soluções de programas viáveis para Linux, porque “lixo”, tem muitas soluções. E mais grave, as versões que disponibiliza são desatualizadas em relação às que existem para Windows. Mas o mais grave de tudo, mas mesmo grave, é a existência e muitas versões do Linux, tipo, Mint, Ubuntu, etc; e ainda mais grave, é que muitas vezes, realizar a mesma tarefa, faz-se de uma forma, no Ubuntu e de outra no Mint, e etc! Dessa forma, Linux vai desaparecer, mais cedo ou mais tarde!

    • Carlos Mendonça says:

      Concordo, excepto na parte do vai desaparecer. Acredito que se vá manter nos mesmo moldes ainda durante muito tempo.

      Tenho experiência em ubuntu e debian. Mesmo após a confusão inicial de haver distros para tudo e para nada! A sensação é de que o utilizador anda perdido no SO.
      Comparativamente ao mac por exemplo, em que é tudo simples e fica a ideia que não existe SO. É tudo intuitivo e apenas somos nós e a tarefa.

    • Carlos Alberto Teixeira Fernandes says:

      Boas linux versões …antes de instalares lê ..o google é nosso amigo. Linux Mint e Ubuntu não são versões são distribuições…por acaso muito similares. As tarefas realizam se na mesma maneira existem são varias formas de instalar os programas, linha de comandos, forma gráfica ou copias um pacote .deb e clicas duas vezes.
      bastas leres um pequeno manual ou então google

      • Joaquim says:

        Sim…. Pois…. Está bem…. Tenta lá instalar a ultima versão do QGIS na Ubuntu 16.04 e depois diz-me se é fácil de realizar a tarefa…. Como pode um técnico/consultor ir a uma empresa e dizer a pessoas que só querem clicar no botão para ligar o PC e em seguida e de forma muito fácil, instalar o programa e etc? Como consegue uma pessoa convencer o dono de uma pequena empresa, que o técnico que dispõe ao seu serviço tem de fazer um curso de formação, só para conseguir instalar uma aplicação? 😉

  16. José Vieira says:

    É pena a notícia não terminar com uma referência a todas as outras organizações que usam sistemas Linux, nomeadamente em Espanha, por exemplo: Madrid (MAX Madrid Linux), Andaluzia (Guadalinex), Valência (Lliurex), assim como à relação do Presidente da Câmara de Munique com a Microsoft, como é dito nos comentários anteriores.

  17. Al CiD says:

    Tenho acompanhado com muito interesse esse processo em Munique desde o início – por um lado tenho usado o Linux desde o século passado e por outro lado, vivendo tantos anos em “Germany” e conhecendo bem os alemães, fiquei positivamente surpreendido daquela decisão de passar para código livre naquele tempo.

    Bem, desde princípio as decisões nunca foram técnicas mas sim políticas… sempre foram e agora também são.
    Muitos dos “problemas” não estão baseados em software de código aberto mas sim na falta de estrutura, formação e também incompatibilidades com outras Base de dados existentes – por exemplo: SAP e Oracle.

    Tenho a certeza que, se tivessem alterado os postos de trabalho para o Linux sem as grandes e esmagadoras notícias, também por parte de empresas e políticos muito chegados á Microsoft, o resultado teria sido outro.

    Outra situação que não ajudou ainda é que são também muitas entidades a mandar e decidir nesse processo e na maior parte não são do ramo informático… por isso também o relatório prevê a criação de uma só empresa para gerir a parte informática da cidade.

    Há um “negóciozinho” entre a Microsoft e alguns dos políticos no poder: a MS passa a sua central alemã para Munique e em contrapartida repõe-se o sistema MS… e foi por isso que o relatório acima mencionado foi pedido a uma empresa parceiro da Microsoft (https://www.accenture.com)…

    Os custos previstos no relatório da vira-volta são de 66 milhões de euros só para as licenças MS, tendo em conta que os lucros vão ser contabilizados na Irlanda(!)…
    Mais dinheiro irá para modernizar a infrastrutura, já que o Windows10 e MS-Office exigem muito mais do hardware que o Linux actualmente instalado em Munique.

    Prontos, por fim ainda nada está decidido, é muito ar quente que aparece nas notícias.

    Depois de eventualmente passarem para Windows10 e MS-Office o barulho das queixas não será de aguentar 😉

    http://www.zdnet.com/article/why-munich-should-stick-with-linux/

  18. Redin says:

    – (Ele) Maria, estou a ver a bola e preciso que me tragas ao sofá uma cervejinha bem gelada, antes que comece…
    – (Ela) Raios te parte Manel, eu aqui cheia de trabalho e tu não fazes nada a vida toda e. #%(/%$”%(?
    – (Ele)… pronto, já começou…

    Vai começar a guerra, do “meu é melhor do que o teu” misturado com algumas azias.

  19. luis says:

    Ao adoptar o Windows Munique está a andar ao contrário da história. Nos telemóveis o Linux é rei e nos desktops já não faltará muito.

    • Altair says:

      O Linux é rei em Smartphones e Servidores, e tantos outros dispositivos como roteadores, equipamentos de firewall, etc… somente nos Desktops o linux não reina, isso se deve ao fato da microsoft ter feito uma boa publicidade e com isso conseguiu vender bem seu produto e com isso domina os Desktops, agora isso só faz o sistema da microsoft ser o mais utilizado em desktops, e não o melhor SO.

      • José Rodrigues says:

        Sim, porque se fosse pior isso não implicaria a produtividade e com isso os gastos das empresas..
        Ainda acreditam no pai natal.. Se se usa windows é porque é mais produto e mais barato, 90% das empresas do Mundo não estarão erradas e com isso a comprometer os seus lucros…

        • cfo says:

          Eu pessoalmente uso os sistemas Mac, Linux , Windows. Cada SO tem as suas fraquezas e pontos fortes. Na maioria das empresas, o principal motivo de não optar linux como SO desktop (no server o caso é diferente) é derivado ao suporte de aplicações clientes comerciais para aplicações clientes (MS Office, Adobe Photoshop, Autocad,…) que não tem suporte no universo Linux. Muitas delas só fazem suporte para Windows e MAC .
          Outro problema é os drivers. Nem sempre as empresas “hardware” disponibilizam drivers linux, ou então “drivers” minimalistas e proprietários (sem source code), cuja qualidade e conjunto de funcionalidades fica abaixo dos disponibilizados para Windows e Mac. Isto leva a que haja um trabalho da comunidade para fazer os “tais” drivers,.
          Nos últimos 10 anos assisti significativos progressos no mundo Linux no suporte de drivers, embora continue em atraso em certos aspectos (exemplo drivers VR em Linux).
          Com a diminuição da necessidade de aplicações “desktop”, este fosso está a diminuirr, assim como o melhoramento continuo de virtualização e do Wine.

          • José Rodrigues says:

            O maior problema de todos é a gestão, é o que tem mais custos directos associados, no mundo microsoft tens largas dezenas de ferramentas para gestão de parque, uma delas fornecida pela microsoft.

        • ervilhoid says:

          Ser o mais usado não quer dizer que seja melhor, apenas se tornou tão conhecido que se perguntares a utilizadores comuns, nem conhecem outra coisa, linux nunca ouviram falar e mac é apenas um computador diferente, mas nem sabem que SO corre lá

      • Cortano says:

        Daqui a nada estás a dizer que o Libre Office é uma boa alternativa profissional ao Office

    • Francisco Santos says:

      A sério Luís, pelo que vejo está com a avultada cota de 1,5% http://gs.statcounter.com/os-market-share/desktop/worldwide/#monthly-201601-201701-bar

      • Altair says:

        O Linux não vai chegar na quantidade de usuários em desktop que a microsoft possui, isso é um fato, mais isso não significa dizer que um SO é ou não melhor que o outro, pode não ser o seu caso de pensamento, mais que existem muitas pessoas por ai que ao ver um gráfico como esse acham que o windows por ter 83,89% dos desktops ele é o melhor SO, uma coisa que achei estranho nesse grafico ai é esse 0% para o OpenBSD, acho q isso ai deve ser revisto, não seriam muitos mais com certeza tem gente com Openbsd nos desktops.

      • paulo g. says:

        Poucos mas bons. O linux adapta-se a qq pc, mesmo os mais lentos, mentalidades é que mais difícil (e de não ter publicidade, imposto em novos pcs, etc e especialmente formação nas escolas apenas para M$ que é a pior de todas).
        Acho que não é admissível que um estudante de informática não saiba o que é linux… especialmente se trabalhar em sistemas.
        Nesse caso, parece que Portugal é um país de ricos por ter 9% de OSX… ou de piratas uns outros 80%..

      • Paulo says:

        Cresce 00.3% ao ano….

  20. Fedora says:

    Mas esta noticia vem cortada pela metade?

    Não acham necessário explicar que a Accenture (que por acaso é um parceiro microsoft) fez um relatório, onde explica que os problemas apresentados não se devem ao software utilizado e não se resolvem com a migração para soluções microsoft.

    Tambem acho que é necessário referir que o presidente é um fã da microsoft e disse que faria tudo para a cidade voltar para windows caso a microsoft mudasse os escritórios para a cidade.

    Este senhor está a aproveitar o seu cargo para benificiar uma empresa e a ele próprio (sim, porque com um negócio destes ele deve ir buscar qualquer coisinha). Se fossem eles a pagar as licencas do software decerteza que pensavam duas vezes antes de mudar.

    • Francisco Santos says:

      Outro problema são os trabalhadores que em casa tem windows e ali os ‘obrigam’ a trabalhar com com SO diferente, a resistência à mudança é terrível.

      • .. says:

        coitados dos trabalhadores que aprendem uma coisa aos 15 anos e já não podem aprender mais nada o resto da vida… Ou nos mantemos actualizados, flexíveis e pouco resistentes à mudança, ou o nosso lugar será na rua a reclamar que não há emprego para nós. 😉

        • Miguel says:

          Pois… mas o problema é teres que aprender a andar com as mãos no chão quando já aprendeste a andar com os dois pés e fazes essa tarefa sem problema nenhum.

          Exemplo:

          1) Linux Mint: Metes um cartão SD e o S.O. não te deixa escrever nele, tens que abrir um aplicativo para lhe dar autorização de escrita! Para descobrir isto tens de andar às voltas e a perder tempo (recursos).

          2) Windows: Metes um cartão SD e o S.O. deixa-te logo fazeres o que queres.

          Entre outras coisas!

          Isto é um exemplo de teres que aprender a caminhar com as mãos…

  21. Antonio Abrantes says:

    O maior problema do linux são os programadores de software

    • Miguel says:

      É a pescadinha de rabo na boca:

      É a falta de utilizadores para atrair programadores de software que por sua vez como não tem utilizadores não desenvolvem para plataforma, que por sua vez faz faltar utilizadores…

      Típico problema do Windows 10 Mobile.

  22. navyseal says:

    August 2014 – Munich deputy mayor, Josef Schmid, and mayor, Dieter Reiter, considering going back to Windows due to productivity problems. Munich city council spokesman Stefan Hauf explained that the majority of issues stem from compatibility issues in OpenOffice, something a switch to LibreOffice could solve.[33] In addition, the city council and Karl-Heinz Schneider, head of municipal IT services, said that most things are fine, they saved €10 million (more than US$13 million), and there is no serious reason to come back. He added that the number of complaints and malfunctions would not exceed the usual number for an administration of this size.[34] Microsoft wants to move German headquarters to Munich in 2016, helped by Reiter who describes himself as a “Microsoft fan”.[35][36][37][38]

    October 2014 – In response to inquiries by the Green Party, mayor Dieter Reiter revealed that a transition back to Microsoft Windows would cost millions of euros.[39]

  23. Transeunte says:

    Puramente um lobby e bolsos cheios…
    A adaptação nunca é facil, por vezes existem os problemas das compatibilidades em termos de documentos usados por este tipo de entidades, mas isto nada tem que ver com questões de tecnologia

  24. Rui Moreira says:

    Gostava de deixar isto aqui https://blog.documentfoundation.org/blog/2017/02/14/statement-by-the-document-foundation-about-the-upcoming-discussion-at-the-city-of-munich-to-step-back-to-windows-and-ms-office/

    Acompanhado desta frase ”
    Mayor Dieter Reiter asked Accenture, a Microsoft partner, to produce a report about the situation of the City of Munich’s IT infrastructure, that resulted in a 450-page document where the main issues were identified as organizational ones and not related to open source operating systems and applications.”

    O relatório da Accenture esta disponível aqui para quem souber falar alemão
    https://www.ris-muenchen.de/RII/RII/DOK/SITZUNGSVORLAGE/4277724.pdf

  25. Sergio says:

    Às vezes debate-se com tanta facilidade que a mudança dos sistemas públicos para linux só iria trazer redução dos custos, parece que afinal não é bem assim e talvez nem seja o melhor sistema para este ambiente e função.
    Não percebo grande coisa de linux, mas este exemplo é importante para qualquer instituição publica que queria mudar radicalmente tudo, esquecendo alguns inconvenientes que traz este sistema.

    • Sujeito says:

      Qual exemplo qual quê, por acaso sabes o que se passou, quais os problemas que houve/há? Quanto custa resolve-los e quais os erros de implementação?

      Não estou a dizer que é verdade ou falso, apenas que não há dados suficientes na notícia para concluir.

  26. Rui Moreira says:

    Esta também “According to the report, only a minor percentage of users (between 18% and 28%, based on different applications) had severe issues related to software, which could be solved by migrating these users to Windows and MS Office. Incidentally, 15% of users acknowledged severe issues related to MS Office.

    In fact, the Accenture report suggests decoupling the operating system and application to reduce dependencies at client level. To ensure this, both Windows and LiMux should be deployed in a basic configuration, which includes operating systems as well as applications, such as LibreOffice, calendar and e-mail, required by all units and self-service providers. The basic configuration should be extended depending on the application.

  27. P says:

    Alguém me sabe explicar o porquê de usar uma distribuição própria, em vez de usar uma já disponível no mercado?
    O ubuntu, debian, kubuntu, solus, por exemplo, têm alguma fee para se utilizar de forma comercial?

  28. BM says:

    Uso os dois sistemas operativos( windows e linux) incluindo varias versões do Linux( ubunto, fedora. centos…..) .
    Realmente e na minha modesta opinião o povo durante anos familiarizou-se com o windows e quando vê uma “coisa diferente ” já não sabe o que fazer!
    E para mudar mentalidades são precisos muitos anos..

    • Rui Moreira says:

      Caro BM,

      O windows 10 e diferente que chegue para fazer sentir essa falha da parte do utilizador ?
      Estou genuinamente a perguntar e não a ser irônico… não conheço suficientemente o windows 10 para poder opinar.

    • José Rodrigues says:

      Certamente não estás a falar do caso de Munique que investiu uma boa fatia do seu orçamento em formação continuada e obrigatória anual em linux para todos os utilizadores para tornar a sua transição o mais smooth possível.
      Pura e simplesmente não é possível fazer uma transição desta natureza apenas com 30 milhões de investimento, teriam que assegurar todas as potenciais questões e foram mais que muitas as que aconteceram, além do custo que está a ter de suporte anual ser muito superior.
      O que eu vejo que pode ser um caso de sucesso é definir perfis de utilização e com base nesses perfis assegurar a transição para linux, ou manter em windows, foi o que a IBM fez com a mudança para Mac e esse sim foi um sucesso, com a passagem de 73% dos users para Macs e com redução de custos de suporte e hardware de 270 USD por user num período de 4 anos, mas será que isso vale a pena face ao investimento feito, 270$ em 4 anos por user? Isso gasto eu de estacionamento num mês.

    • Rui Moreira says:

      E depende (na minha modesta opinião) da percepção que o utilizador tem do produto, eu dou um exemplo o Smartphone, quando apareceu era muito diferente da iteração anterior do mesmo dispositivo ( o tradicional telemóvel ) porem como era um bem de consumo altamente desejado e visto como uma coisa “da moda” ganhou tracção rapidamente. O Linux não conseguiu ate agora fazer isso, ser visto como um “produto” desejável , pelo menos no desktop. So quando os utilizadores finais virem uma mais valia no uso do mesmo e que a mudança vai poder ocorrer. Ate la vai continuar a ser mais usado pelos mais tecnologicamente “savy” !

    • Cortano says:

      Não se trata de familiaridade, trata-se de soluções de software que o Linux na maior parte dos casos não tem nem nunca terá.
      Nota: Também uso Linux

  29. Luis says:

    Não sei porque mas esta moderação anda muito estranha… porque razão os meus comentários às 9:21 ainda estão à espera de aprovação quando outros após isso já estão publicados?

  30. Carlos Belchior says:

    Posso fazer só uma pergunta? “Esta ideia, que parecia acertada, acabou por não se revelar tão perfeita como se esperava. A migração envolveu a mudança de 15 mil PCs e terá custado 30 milhões de euros, passando estas máquinas a usar o LiMux, uma versão de Linux baseada no Ubuntu.” Eu já instalei 100 Linux, alguns casos em PC’s que nem o windows XP funcionava bem e o Linux rolava que era um mimo. Então a pergunta: Desde quando é que se tem que investir 30 milhões em PC’s para instalar Linux? Não será uma questão de fazer alguns ganharem uns milhões a vender os PC’s e culpar o Linux. É que eu ainda tenho mais facilidade em acreditar no Pai Natal do que em acreditar que é preciso grandes investimentos de hardware para instalar Linux. Se dissessem que seria necessário investir para desenvolver algumas aplicações específicas que só existam em Windows acredito mas em Hardware deve haver algum interesse. Até porque Linux é comunitário e culpar o Linux não é culpabilizar o indivíduo A ou B (é fazer a culpa morrer sozinha).

    • José Rodrigues says:

      Não foi em hardware, foi em transição de aplicações e gastos com o projecto de transição em si.

      • Carlos Belchior says:

        Peço desculpa por não saber ler a notícia “A migração envolveu a mudança de 15 mil PCs e terá custado 30 milhões de euros” PCs no meu curso de informática era Hardware.

    • José Rodrigues says:

      Ah.. E formação e suporte continuado.

    • Rui says:

      Uma coisa é instalar o linux em máquinas para usar por casa, outra coisa diferente é em máquinas utilizadas para trabalhar e que utilizam programas personalizados. Ao olhar para uma câmara, imagino só o que custa comprar licenças para os programas de CAD, facturação, gestão documental, compras públicas (certificados, etc), contabilidade, gestão de pessoal, gestão de imobilizado, gestão de horários (o famoso pica), etc, etc….. ou o Linux já vem com esses programas todos de raíz??!?!?!?!?

      • Mnuel says:

        Até parece que o windows 10 já vem com este “programas de CAD, facturação, gestão documental, compras públicas (certificados, etc), contabilidade, gestão de pessoal, gestão de imobilizado, gestão de horários (o famoso pica), etc, etc…” de borla.
        E um negócio de milhões a M$ não que perder uma das maiores fontes de receita que e os serviços púbicos e tudo o que e controlado por políticos manhosos.

        • Rui says:

          O problema do Linux é que não tens muito do software necessário para continuar a funcionar!

          A sério que eu gostava de ver um ferrenho do Linux a gerir um parque informático a sério, sem quase quadros técnicos da área informática! Se fosse assim tão fácil, já tinha toda a gente mudado para o linux que é “de borla”, pois sim, pois sim.

        • Miguel says:

          Exemplo:

          Tens o solidworks para Linux? Não. Tens clones que demoram tempo de aprendizagem e não tens garantias de compatibilidade.
          Tens Office para Linux? Não. Tens clones que demoram tempo de aprendizagem e não tens garantias de compatibilidade.

          ETC…

          É o mesmo problema do Windows 10 Mobile: Não tem apps.

          • Gustavo Garcia says:

            Usas o Solidworks numa câmara? Não.
            Usas numa empresa? Talvez em um ou dois PCs onde se faz modelagem 3D. O resto usa ferramentas como o Office.
            Tens Office para Linux? Tens clones que demoram um ou dois minutos de aprendizagem, a não ser que os utilizadores sejam burrinhos de todo…
            As soluções existem… Usar este argumento para rebater a adopção de Linux tem classificação: Preguiça.

        • José Rodrigues says:

          Sharepoint, Dynamics NAV, Dynamics CRM para tudo isso que é referido acima, têm o “ecossistema” todo e muitas vezes incluídos em pacotes de licenciamento, isso são só 1% dos produtos.

      • Carlos Belchior says:

        Que versão do windows traz o autocad, software de contabilidade, “facturação, gestão documental, compras públicas (certificados, etc), contabilidade, gestão de pessoal, gestão de imobilizado, gestão de horários (o famoso pica)” incluído e onde se compra?

    • ARS says:

      “Em um padrão que já se repetiu nas administrações públicas de vários países, não é surpresa que essa empresa tenha concluído que o melhor para Munique seja adotar soluções “padrão do mercado” que ofereçam a “maior compatibilidade possível” com soluções internas e externas, e que essas soluções sejam as da Microsoft: na chegada do atual prefeito, eleito em 2014, ele já havia declarado interesse em desfazer a migração e, mesmo antes de colocar o estudo técnico nas mãos de uma empresa parceira da MS, teve participação direta no processo que fez a Microsoft transferir para Munique a sua sede de operações na Alemanha.” (http://br-linux.org/2017/01/nesta-semana-municipio-de-munique-vai-votar-sobre-reverter-a-adocao-de-linux-em-seus-15000-pcs.html)
      Os alemães devem estar com euros de sobra para gastar com licenças e propinas. Como mencionou antes Al Cid, vão queimar agora 66 milhões com o retorno ao sistema proprietário. Se usassem Manjaro não teriam problemas com atualizações, mas desculpas é que não faltam para esse retrocesso com os bolsos bem forrados.

      • Rui says:

        Os Alemães ao contrário do que muitos pensam, sabem fazer contas e se esta mudança fosse só por interesses, achas mesmo que não denunciavam o político? Lá um caso de plágio é suficiente para por a andar um Ministro!

        Se é assim tão fácil, porque é que não migram todos os municípios? E as empresas? Ou achas mesmo que o entrave são as licenças do windows? Independentemente do SO, o mais importante é o software que precisam de correr e a sua compatibilidade!

    • João says:

      Viva
      Acho essa parte da noticia não está bem explicada. Pelo que me lembro, a aquisição dos computadores não foi exclusivamente para a instalação do linux, coincidiu também com a necessidade de modernizar o parque informático antigo. O projeto de Munique não foi exclusivo para a aquisição de pc’s com linux, contemplava também a normalização de processos internos, normalização de formulários, reformulação de procedimentos de administrativos, etc. Foi um projeto mais abrangente, pelo que dessa verba, apenas foi uma fatia para a aquisição de hardware.

  31. Rui says:

    Por muito que tentem e acredito que o Município de Munique tentou por todos os meios, bateram de frente com a realidade! Por mais defeitos que tenha a Microsoft e os seus SO, não existe nenhum outro SO tão flexível, simples e muito, mas muito importante, retrocompatível!
    Gostava de ver muitos dos técnicos que aqui escrevem, implementarem o Linux numa empresa ou instituição pública onde eles são os responsáveis. Não tinham descanso! Não esqueçam que as instituições de grande dimensão têem equipamentos muito antigos e pagos a peso de ouro. E mais importante, os serviços não podem parar…… Não chega instalar o Linux em milhares de máquinas, é preciso configurar cada uma delas para as funções que cada operador deve realizar…….

    • Rui Moreira says:

      Mas isso foi tudo feito com sucesso …. e esteve a funcionar durante anos.
      So comecou a ter mais queixas quando este senhor foi eleito … ate a empresa (parceira da microsoft) que foi contratada para fazer o estudo disse nesse mesmo estudo que o defeito não e do software mas sim dos processos deles. le o artigo original .

  32. Gustavo Garcia says:

    Portanto, parece-vos lógico que migrar de Windows para Linux custe 30 milhões e no sentido inverso custe 3… Ceeeerto.
    Portanto, mudar para uma estrutura que não tem custos de licenciamento e que exige muito menos recursos de hardware é mais caro que pagar as licenças todas e actualizar o harware para suportar uma nova versão do windows. Isto parece-vos razoável… Ceeerto.
    Ali o int3 fez as contas por alto e é mais do que evidente que isto não faz qualquer sentido.
    O que se passa é que a Micro$oft recheou os bolsos de alguém, como é óbvio. Mas somos todos anjinhos ou nascemos ontem?

    • 30 milhões custou mudar toda a infraestrutura da câmara, desde máquinas, SO de servidores e serviços desenvolvidos de raiz.
      3 custa apenas as licenças.

      • Gustavo Garcia says:

        No artigo tal não fica bem claro. A frase usada é “[…] ponderou-se a mudança para o Windows, algo que teria custado 3,15 milhões de euros” que dá a sensação de que se está a falar da globalidade dos custos.

  33. Joaquim says:

    Independentemente do que já afirmei anteriormente neste artigo, querem mesmo saber porque uma Câmara Municipal não pode adoptar uma solução, tipo Linux? Sabem no que consiste um Sistema de Informação Geográfica? Todas as Câmaras Municipais de média e grande dimensão, assentam toda a gestão do seu território, num SIG. Tudo o que é definido na vida de uma CM está determinado pelo Plano Diretor Municipal (Vulgo PDM), e que está armazenado num SIG! Aquilo que o Linux oferece em termos de software SIG, é muito limitado. Resume-se ao QGIS, ao GRASS e ao PortgreSQL. A primeira aplicação é limitada e a segunda, demasiado complexa para um utilizador comum…
    Já no ambiente Windows, encontramos o ArcGIS, MapInfo (etc), SQL Server, Oracle (etc)… Mas também, as versões Windows do QGIS, GRASS e PortgreSQL…. Ou seja, existem mais soluções e de muito melhor qualidade…

    • Gustavo Garcia says:

      PostgreSQL, SQL Server e Oracle são bases de dados, não soluções GIS. Podem servir de suporte a um sistema desses, mas não são soluções GIS.
      O ArcGIS só é para Windows na parte de cliente, os servidores são Linux e existe uma ferramenta de utilização para ArcGIS, ArcReader, que corre em Linux. Não é o cliente habitual mas funciona.
      Mas existem outros programas GIS em Linux além dos que lista.«, por exemplo OSSIM (criado pelo governo dos EUA) ou uDig.
      Finalmente, a questão da utilização do GIS é menor pois a percentagem de utilizadores de uma câmara que a usa é ínfima.
      A vasta maioria usará ferramentas de produtividade mais genéricas que podem ser facilmente substituídas pelo LibreOffice e não, a vasta maioria dos utilizadores não usa funcionalidades que só existam no Office da Microsoft. Os Powerusers de Office são, na verdade, poucos.

      • Joaquim says:

        “PostgreSQL, SQL Server e Oracle são bases de dados, não soluções GIS. Podem servir de suporte a um sistema desses, mas não são soluções GIS.”
        Como? O Gustavo não percebe nada de SIG, certo? Foi ver ao WIKI o que queria dizer, não foi? Então, num SIG de grande dimensão, onde se armazenam, por exemplo, as bases cartográficas? E só estou a falar das bases cartográficas, fora todo o resto….

        “O ArcGIS só é para Windows na parte de cliente, os servidores são Linux e existe uma ferramenta de utilização para ArcGIS, ArcReader, que corre em Linux. Não é o cliente habitual mas funciona.” Já usou o ArcGIS?

        “Mas existem outros programas GIS em Linux além dos que lista.«, por exemplo OSSIM (criado pelo governo dos EUA) ou uDig.” Mas alguma vez, usou uDig, para puder dizer que pode ser usado na gestão de um SIG de uma CM, até mesmo de pequena dimensão?

        “Finalmente, a questão da utilização do GIS é menor pois a percentagem de utilizadores de uma câmara que a usa é ínfima.”
        Tem mesmo a certeza do que acabou de afirmar? Quando um técnico de uma CM está ao balcão a atender ao público e lhe solicitam uma certidão do registo de uma propriedade, sabe o que esse técnico, que até é leigo em SIG, está na realidade a usar?

        “A vasta maioria usará ferramentas de produtividade mais genéricas que podem ser facilmente substituídas pelo LibreOffice e não, a vasta maioria dos utilizadores não usa funcionalidades que só existam no Office da Microsoft. Os Powerusers de Office são, na verdade, poucos.”
        E já que fala nisto, posso dizer-lhe que usei durante 10 anos, produtos como o OpenOffice e posteriormente, o LibreOffice, até que, há três anos atrás, na compra de um portátil, tinha como promoção a oferta de uma chave do MS Office… Instalei, e constatei que… O MS Office, está a anos luz, muito, mas muito melhor que o LibreOffice… E atualmente, só uso MS Office… Podem dizer-me o que quiserem, mas não me convencem a retornar ao LibreOffice….

  34. Mario Pilar says:

    Pessoal, a MS paga o que for preciso para este “problema” de munique desaparecer, para que este projecto falhe. Quando este projecto morrer, tudo estará bem para a MS. Enquanto viver, há sempre o medo de outros tentarem.

  35. João Matos says:

    Já muito foi dito e reconheço méritos Assis dois SO’s mas digam o que disserem, assim como nos telemóveis o Android é rei e o WP, mesmo sendo muito bom, não consegue tracção. Na vida real e no mundo empresarial o Windows é rei e senhor digam o que disserem os fãs desta ou daquela plataforma.

  36. João says:

    Bem, hoje é dia 16, a votação foi ontem, alguém sabe o resultado ?

  37. metro says:

    Por um lado até percebo …
    Queria me mudar do windows, mas não consigo …
    Para brincar tenho o raspberry pi e adoro!
    Mas tentei instalar o Lubuntu na minha máquina de trabalho (Portátil da escola) e simplesmente é pra esquecer …
    Deu me bastantes problemas a entrar na VPN, a entrar na partilha de ficheiros …
    Posso ter sido eu que não os sei resolver, certo … Já tentei dar chance a Linux, adoro Linux mas só consigo trabalhar com eles em servidores … Trabalhar no dia a dia é muito complicado para mim que não percebe, mas gostava, de linux.

  38. Gekko says:

    Não vou dizer que o processo de migração para linux foi sem problemas e isento. Mas já agora ter em conta que o actual presidente da camara de Munique está a anos a tentar trazer uma das sedes da microsoft europa para munique, é fã assumido de MS e o relatório que pediram foi feito por uma empresa que é parceira de negócios da Microsoft: https://arstechnica.com/information-technology/2017/02/munichs-linux-deployment-once-again-in-doubt-may-switch-to-windows-10-by-2020/

  39. pedrosilva says:

    Claro que não tenho nada contra quem usa outros sistemas operativos (se uma pessoa gosta de usar, funciona para ela e não tem nada a apontar não existem razões para mudar) mas quando se trata de dinheiro público e dados sensíveis a história é diferente.
    A cidade de Munique decidi voltar ao Windows e abandonar o Linux com a desculpa da dificuldade de adaptação dos funcionários públicos…
    Pois, sim. O facto de a Microsoft ter mudado a sede da empresa para a cidade de Munique até nem tem nada a ver com isso…
    É nisto que dá negociatas entre políticos com fome de dinheiro e empresas com fundos para gastar… Qual poupar 7 milhões por ano… (sem contar com equipamentos novos que têm de ser adquiridos para correr o W10) vamos mas é gastar esse dinheiro dos contribuintes em licenças Microsoft, uma empresa norte-americana…
    Proteger dados? Para quê? O Windows até nem guardar tudo o que nele se faz nem nada…
    Investir na educação, saúde e bem-estar dos cidadãos para quê? Vamos mas é apoiar empresas estrangeiras…

  40. Marti says:

    Confesso que não li todos os comentários até aqui. Comecei-me a aborrecer com a conversa de “a minha ė melhor que a tua”. Estou a falar das opiniões, claro.
    A questão óbvia não tem a haver se o Windows é ou não melhor que o Linux. Temos assistido a uns evolução tremenda a nível de desktop Linux. Em Windows também (embora os updates continuem a ser a mesma dor de cabeça ).
    Para mim são ambos perfeitamente válidos para desktop.
    Em ambos os casos é preciso muito dinheiro dos contribuintes.
    Para mim a única questão é qual a posição que um estado independente deve ter mediante as opções que tem disponíveis. Deve investir em pessoas qualificadas e no desenvolvimento ou arriscar-se perante entidades privadas? É um pergunta transversal a qualquer área de gestão pública. Ainda está para vir o estado que se defenda com unhas e dentes dos privados. Com investimentos fortes para conseguir por a máquina a funcionar e de forma totalmente independente. Mas foi bem tentado por Munique. Por qualquer motivo não funcinou mas não creio que tenha sido por razões técnicas.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.