Quantcast
PplWare Mobile

Microsoft apresenta oficialmente o Novo Office 2013

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Pardinha says:

    Por acaso já o tenho a uns tempos, é mais do mesmo (Office2010) mas com o look á lá Windows 8 e com movimentos mais fluidos, bastanto carregar no enter no word 2013 para ver que não uma mudança estática. Faz um flow de movimento…

  2. jefe says:

    Pelo que aqui tem sido dito, e no caso de PME – ver o plano de preços já aqui anunciado – o melhor é aguardar, uma vez que o custo será mensal, com possibilidades de aplicar a mais do que 1 computador, etc …. .
    Concordam ?

  3. wFire says:

    “A Microsoft Portugal apresenta hoje o novo Office Office…”

  4. Bruno Jacob says:

    Quando a microsoft decidir vender uma versão para linux eu compro… até lá uso o libreoffice e recorro a VMs para algumas coisas mais especificas do office…

  5. KaPutnixZ says:

    Por acaso já há em português ?!

  6. Marco Albuquerque says:

    Gostei muito do visual do Office 2013 mas depois o testar durante alguns dias, notei que ocupa muita memória… Entenda-se muita por, pelo menos, 10 vezes mais que no Office 2010. Para ter uma solução Office que faz o mesmo que a anterior, com um visual mais atraente, mas a ocupar 10x mais memória, prefiro ficar com o “velhinho” Office 2010. O que têm a dizer sobre isto?

  7. Ricardo says:

    Olá a todos, vim só dizer que a versão do pplwaer para o windows 8 está fantastica, muitos parabens continuem a inovar.

  8. Adérito Fonseca says:

    Boa noite.
    Eu ainda uso o Microsoft Office 2007 por isso nem estou ao corrente da versão 2010.
    Na versão 2010 dá para utilizar o antigo acordo ortográfico? Não gosto de ato prefiro acto e companhia.
    E quanto ao novo 2013?

    Cumprimentos, Adérito

    • Marco Albuquerque says:

      No Office 2010 consegue, em opções, escolher entre Pré-Acordo, Pós-Acordo e Ambos. Funciona de forma perfeita.

    • MaxWeb says:

      Ola Adérito. Sim é possivel ter o antigo acordo ortografico, basta seguir esta dica : http://wintech.com.pt/content/view/7914/.

      Abraço.

    • KaPutnixZ says:

      Tem piada.. Não gostas de escrever como deve ser.. Preferes escrever com erros ?! Somos todos muito opinosos..

      Já terás pensado certamente que a língua Portuguesa como a conhecemos já sofreu inúmeras evoluções e atualizações.. Imagina que todos pensassem como tu.. “Não gosto”.. Estaríamos hoje a falar latim ou outra coisa qualquer..

      Chico Espertisse..

      • helder says:

        Fazemos um pato, que iremos todos de fato ao Parlamento anunciar ao PM o nosso desagrado.

        Fazemos um pacto, que iremos todos de facto(e não de fato) ao Parlamento anunciar ao PM o nosso desagrado.

      • Luís Nabais says:

        Sim, ovelha. Vai lá atrás do teu rebanho.

        Agora todos temos que escrever como os países que nós descobrimos, queres ver?

      • Alexandre Carvalho says:

        Caro KaPutnixZ
        Vi hoje, 19/10/2014, o seu comentário e tenho de o esclarecer:
        Quem escreve com erros é quem utiliza o Acordo Ortográfico, simplesmente porque este é ilegal. Sabe o que é uma coisa ilegal? Não basta haver um Decreto-Lei para tornar isso legal. O Estado não pode cobrar IVA sobre os impostos (é ilegal pelas normas europeias) e no entanto cobra. Mas quanto à ortografia não há decreto de nenhum imbecil mal escrevente ou que tenha tirado um pseudo-curso de engenharia a um domingo, que me faça esquecer a gramática. Passo a explicar: O Acordo Ortográfico de 1990 é um Tratado Internacional negociado entre todos os países de língua oficial portuguesa. Ora acontece que os Tratados Internacionais só entram em vigor depois de aprovados por todos esses países e, neste caso concreto, só foi aprovado em Portugal por um punhado de imbecis políticos (todos advogados) e nem sequer entrou em vigor no Brasil, sendo que a nova escrita traz mais confusão, bastando ver que o verbo Ter passa a ter a mesma grafia nas 3ª pessoas (do singular e do plural) ou seja, se eu escrever apenas “tem visitas?” quero dizer “você” ou “vocês”? Na grafia pré-acordo “tem visitas?” é diferente de “têm visitas” e ao ler sabe-se se é singular ou plural. Outro exemplo é a confusão entre o verbo Parar e a preposição Para. A frase “Crise económica para indústria” o que significa”? Quer dizer que pára a indústria ou é para a indústria? A utilização do hífen deixa de ter regras. Em Portugal passa a escrever-se Receção e no Brasil Recepção. Mas afinal que Acordo é este que põe palavras, que se escreviam da mesma maneira, a escreverem-se de forma diferente? Sabe o que eu acho? É que os outros países de língua portuguesa são mais inteligentes que nós e já fizeram saber que não vão aplicar o Acordo Ortográfico, que aliás é apenas do interesse de determinadas editoras para assim poderem vender um montão de dicionários e de novas edições e livros já publicados. Como vê, afinal o Acordo Ortográfico é que serve quem não sabe escrever. É muito complicado escrever em português, mas no entanto quer-se ensinar inglês no 1º ciclo e essa escrita é bem mais complicada e parece não haver problema. Infelizmente tudo começa por as pessoas nem sequer saberem falar, quanto mais escrever…

        • Bernardo Pereira says:

          Fico agradecido por alguém defender o NOSSO PORTUGUÊS tal como tem lógica e é inteligível.
          Não deixa de ser caricata a situação de em Portugal se pretender alterar a grafia de certas palavras sem se atender à pluralidade da sua significância, descurando as mias elementares regras, esquecem-se igualmente que a consoante “c” antecipando a letra “T” em “acto”, serve para tornar a primeira silaba átona que de outra forma teria uma leitura sonante diferente.
          Não deixa igualmente se ser caricata a situação de nos ter sido vendida a ideia de que o acordo ortográfico permitiria a uniformização dos vocábulos nos diversos países de expressão portuguesa, e no entanto terem sido aceites tantas excepções para o Português do Brasil que na prática eles continuarão a escrever a língua de Camões e nós passaríamos a escrever uma coisa qualquer que decerto não sabemos o que seja.

          A titulo de exemplo, tendo sido alterada a grafia sem que tenham sido alteradas as regras gramaticais, encontramos produtos que passam a ter utilizações diferentes.

          -Antigamente os veículo tinham “PÁRA-choques” para absorverem os pequenos toques e evitarem males maiores.
          -Actualmente os veículo têm “PARA-choques”, que é uma peça especificamente colocada para batermos com o nosso veículo num outro.

    • Adérito Fonseca says:

      Boa noite.
      Queria agradecer as vossas respostas pois foram muito esclarecedoras, o link do MaxWeb é muito claro.

      Caro KaPutnixZ, o meu cometário não era uma piada, era apenas um pedido de esclarecimento, mas adiante.
      A preferência pelo antigo acordo não é apenas minha, de certo que facilmente encontrará colegas e amigos que não concordam com algumas das palavras introduzidas pelo novo acordo. Se não aceita opiniões diferentes da sua aconselho-o a habituar-se à ideia pois vivemos numa sociedade e temos de respeitar as opiniões dos outros tal como eu respeito a sua.

      Cumprimentos, Adérito.

  9. Miguel Rodrigues says:

    Bom dia, Alguém sabe dizer se vai existir a versão PT-PT ou apenas a PT-BR?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.